Neto Evangelista já admite apoio do PSDB a Flávio Dino em 2014

Após eleições municipais, PSDB aguardou um aceno do grupo Sarney que não veio e agora já admite aproximação com o PCdoB



Neto Evangelista: “Nós não descartamos um apoio a Flávio Dino em 2014”

O deputado estadual Neto Evangelista (PSDB), uma das lideranças tucanas no Maranhão, admitiu a este blog, esta semana, que a cúpula do PSDB não descarta uma aliança em torno da candidatura do comunista Flávio Dino para as eleições de 2014. A possibilidade, claro, está sendo analisada, mas já é uma sinalização diferente da que foi dada logo depois das eleições municipais e do início deste ano, quando uma união com o PCdoB estava fora dos planos por conta da ressaca eleitoral que veio com a derrota do ex-prefeito João Castelo, um dos nomes mais representativos da legenda.

Segundo Neto Evangelista que, no início do ano, chegou a sinalizar forte tendência de apoio do PSDB para o grupo Sarney, o PSDB trabalha com todas as hipóteses, inclusive com a de lançar candidato próprio ao governo ou de se unir a uma provável terceira via. A novidade aqui é que Flávio Dino, atual presidente da Empresa Brasileira de Turismo (Embratur), já é digerível e pode ser a opção do partido para 2014, dependendo do “andar da carruagem”.

Essa nova possibilidade tem uma explicação. Após as eleições municipais, o PSDB virou “noiva política” para as eleições de 2014 e passou a aguardar o assédio partidário. Acenou para o grupo Sarney, que deverá ter como candidato o secretário de Infraestrutura Luís Fernando Silva, mas nada de concreto aconteceu, o que o levou a manter uma postura de oposição ao governo do Estado na Assembleia Legislativa. Ao meu ver, uma vacilada do grupo que deveria ter trabalhado em prol da aproximação com a legenda visando à disputa do ano que vem.

Se por um lado, o grupo Sarney vacilou ao não ter garantido já o PSDB; o PCdoB também pode terminar ficando sem a noiva se não frear a pancadaria contra o tucano e ex-prefeito de São Luís, João Castelo, que se tornou alvo fácil de denúncias e de ataques por conta do grupo ligado a Flávio Dino. Se forem mais inteligentes e articuladores, os comunistas cessam o “tiroteio” e asseguram a “noiva”. 

Caso contrário, tanto o grupo Sarney quanto Flávio Dino empurrarão o PSDB para um projeto de terceira via ou para uma menos provável (remota), mas não descartável candidatura própria. 

Candidatura própria – Para lançar candidato ao governo, o PSDB encontraria dificuldade de nomes. Neto Evangelista é candidato à reeleição para, provavelmente, ser o nome do partido à Prefeitura de São Luís em 2016. Gardeninha é também candidata natural à reeleição e sonha poder disputar o Palácio La Ravardiére daqui a quatro anos. 

Carlos Brandão e Pinto Itamaraty não arriscariam a renovação de mais um mandato na Câmara Federal. Já Sebastião Madeira nem pensar, porque jamais largaria o “osso” de Imperatriz por um futuro incerto em 2014. 

Sobraria a opção João Castelo que tanto pode sair candidato ao Senado (mais remoto), ou ao governo do Estado (possibilidade não descartada) ou ainda fortalecer a disputa proporcional como candidato a deputado federal (hipótese mais provável).

Por enquanto, como prováveis candidatos tem-se o presidente da Embratur, Flávio Dino,  e o secretário de Infraestrutura, Luís Fernando. O primeiro representa a oposição; o outro, o grupo Sarney. O que se imagina hoje é que a disputa estará polarizada entre essas duas forças em 2014. Mas o futuro é quem vai nos dizer!

Relembre aqui – No final do ano passado, o deputado federal Pinto Itamaraty (PSDB), que coordenou a campanha do prefeito João Castelo à reeleição, disse a este blog que ainda era cedo para se falar nas eleições de 2014. Segundo ele, a política é cheia de altos e baixos e é como uma “caixinha de surpresas”, portanto não se deve precipitar o processo.

À época, Itamaraty também admitiu que o partido pode vir a ter um candidato na disputa pelo governo do Estado diante das circunstâncias atuais, mas que também poderia se unir a outras siglas com o desenrolar dos entendimentos. “Temos bons nomes nos nossos quadros e bases espalhadas por todo o Maranhão”, disse.

Quanto a aposentadoria política do prefeito João Castelo, ele também foi monossilábico e disse que o tema ainda seria mais amadurecido, já que o tucano ainda representa uma das principais forças dentro dos quadros do PSDB, partido que comanda a Prefeitura do segundo maior colégio eleitoral do Maranhão, Imperatriz, com Sebastião Madeira.

DERROCADA DO TURISMO NA CAPITAL MARANHENSE: Rede hoteleira de São Luís enfrenta uma das piores crises

Hotéis  de São Luís passam por  uma das piores crises

A rede hoteleira de São Luís enfrenta hoje uma das piores crises dos últimos tempos. Segundo dados da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Maranhão – ABIH-MA, a taxa de ocupação dos hotéis da capital maranhense no mês de março deste ano(medição feita entre os dias 26 de fevereiro e 26 de março) foi de 33%, um número insignificante e que reflete o descaso total das autoridades públicas estaduais e municipais para com o turismo de nossa cidade.
Desde agosto de 2012 que a taxa de ocupação da rede hoteleira ludovicense vem regredindo paulatinamente. Desde então, os empresários têm alertado as autoridades para esta situação, mas nenhuma providência foi tomada até então. A situação se agravou no período carnavalesco quando grandes hotéis de São Luís apresentaram taxa abaixo dos 30%. A derrocada do Carnaval ludovicense foi o único responsável.

O setor hoteleiro da capital atribui a crise à falta de investimentos na infraestrutura da cidade, campanha negativa de poluição da orla e a falta de campanhas institucionais do Governo do Estado e da Prefeitura em outros destinos como forma de atrair turistas para a cidade.

Para o presidente da ABIHMA, João Antônio Barros Filho, o problema maior está na divulgação maciça de que nossa orla está imprópria para banho e também à falta de campanhas que vendam São Luís como destino turístico. “Durante quase todo o ano de 2012 foi maciçamente divulgado, inclusive na mídia nacional, que nossas praias estavam impróprias para banho. Ainda ao longo de 2012, não se viu uma campanha se quer do Governo do Estado ou da Prefeitura para desfazer esta imagem negativa e atrair novamente turistas para cá.”, afirmou João Antônio. Ele coloca ainda que não é de hoje que a ABIH e as demais entidades que compõem o trade turístico alertam tanto a prefeitura quanto o Governo do Estado para esta situação.

“Não é de hoje que alertamos tanto o Governo quanto à Prefeitura para esta tendência. As medidas esperadas não foram tomadas e o reflexo é este que vemos hoje. Hotéis com capacidade de mais de 300 leitos como menos de 20 ocupados. São Luís deixou de ser um atrativo para o turista brasileiro.”, sentenciou o presidente da ABIHMA.


Movimento de passageiros no aeroporto 
tem desempenho negativo de 12,28%

Os recentes números divulgados pela Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária – Infraero – corroboram com esta situação. Segundo dados divulgados no último fim de semana pela Infraero, o movimento de passageiros no Aeroporto Internacional Marechal Hugo da Cunha Machado, em São Luís, apresentou um desempenho negativo de 12,28% no acumulado de janeiro e fevereiro deste ano se comparado ao ano anterior, ou seja, enquanto que nos dois primeiros meses de 2012 tivemos 342.538 passageiros, neste mesmo período em 2013 tivemos 300.470, o que corresponde a uma perda de 42.068 passageiros.

Os números ficam ainda mais alarmantes quando comparamos apenas os meses de fevereiro dos dois anos. Em 2012, tomando-se o número de embarques e desembarques do aeroporto durante o período carnavalesco, tivemos 189.107 passageiros, enquanto que em 2013 apenas 127.842, o que equivale a uma redução de 16,6% no número de pessoas chegando e saindo da capital maranhense. Esses números reforçam os dados da ABIH divulgados durante o carnaval desde ano, em que grande parte da rede hoteleira de São Luís ficou desocupada, divergindo do que foi divulgado pela Secretaria de Turismo do Estado.

Não obstante a esta situação, o Governo do Estado retoma a campanha de divulgação negativa de que as praias estão novamente impróprias para o banho. O que já está difícil poderá se complicar ainda mais, já que, se esta tendência de queda na taxa de ocupação se mantiver, pode-se prospectar números irrisórios para o período junino, o que poderá vir a refletir em um futuro não muito distante, de uma nova quebra geral da hotelaria maranhense como aconteceu da década de 1990.

Fonte: Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Maranhão – ABIH-MA

Deputado cobra providências do governo Roseana para falta de medicamentos na Farmácia Estadual

Othelino chamou atenção para o drama vivido por pessoas que
 dependem desses medicamentos gratuitos 
O deputado estadual Othelino Neto (PPS) retratou e lamentou, em pronunciamento feito na tribuna da Assembleia Legislativa, nesta terça-feira (26), o drama de milhares de pessoas que estão sofrendo com a falta de remédios gratuitos na Farmácia Estadual de Medicamentos Especializados (Feme), localizada ao lado do Viva Cidadão, na Praia Grande. A denúncia foi publicada em primeira mão por este blog.

A Azatioprina, por exemplo, que trata pacientes de Lúpus, Hepatite, etc, está em falta há mais de 20 dias e o governo do Estado não dá, sequer, informação sobre prazo para o retorno da distribuição. “Um verdadeiro desrespeito a essas pessoas. Um absurdo”, classificou o parlamentar que cobrou providências da Secretaria de Saúde em relação ao problema.

O problema atinge milhares de pessoas que dependem dos remédios no Estado e não têm condições de adquiri-los nas farmácias convencionais, onde o preço é bastante alto. A Azatioprina, por exemplo, remédio utilizado para evitar a rejeição a transplante de órgãos e para o tratamento de doenças como Lúpus Eritematoso Sistêmico e Hepatite, chega a custar mais de R$ 200,00 nas drogarias.  

No Maranhão, a distribuição da Azatioprina é feita pela Feme, que atende portadores de doenças raras, crônicas ou que necessitam de tratamento especial. “Espero que a Secretaria de Saúde tome as providências, o mais rápido possível, para cumprir com a sua obrigação e possa disponibilizar a medicação, em especial para aqueles que são mais carentes, e, dessa forma, diminuir o sofrimento dessas pessoas. Vou deixar aqui a cobrança pública para que o órgão competente cumpra com o seu dever”, frisou Othelino Neto.

Saúde e propaganda – Durante o pronunciamento, o deputado comparou a realidade da Saúde do Maranhão, com todos os seus problemas e pacientes sofrendo com a falta de medicamentos especiais gratuitos, com a Saúde mostrada na propaganda do governo Roseana Sarney, o que evidencia uma grande contradição.

“Ao mesmo tempo em que nos incomodamos com situações como essa, onde pessoas carentes vão aumentar o seu sofrimento por conta da falta da eficiência do governo do Estado na área de Saúde, nos deparamos com aquela propaganda oficial na televisão falando de um Maranhão que não existe com imagens bonitas, hospitais funcionando e pessoas felizes sendo atendidas. O que incomoda é a mentira da propaganda”, alfinetou Othelino Neto.

Sofrimento e espera – Sem retorno nenhum do Estado em relação à distribuição gratuita dos medicamentos e voltando da Feme, praticamente todos os dias, de mãos vazias, pacientes vêm enfrentando problemas com sintomas que se intensificam a cada dia. Por exemplo, sem tomar o remédio, doentes de Lúpus começam a ter dores nas articulações, febre alta, inflamações, etc. que podem levar a um quadro grave e irreversível. 

Mais de 100 mil pessoas carentes estão cadastradas para receber medicamentos especiais no Maranhão, segundo dados disponibilizados no portal da Secretaria de Saúde do Estado. Os recursos são garantidos por meio de convênio com o Ministério da Saúde, mas quem administra a farmácia é o governo do Estado, quem realiza licitação e contrata fornecedores para a compra dos medicamentos é a Secretaria de Saúde do Estado.

Ao todo, a farmácia disponibiliza 236 medicamentos especiais para a população maranhense. Em alguns casos, eles chegam a custar cerca de R$ 1.500,00 a ampola, valor alto e inviável para os usuários cadastrados, que não têm condições de arcar com a despesa.

Em repúdio aos "mulherofóbicos"


O texto é do brilhante poeta e jornalista Cunha Santos
Se o vocábulo não existia, está criado. São pessoas que, independente da orientação sexual, não gostam de mulheres ou acham que o Criador as trouxe ao mundo como mero acessório do homem, apenas para dignificar ou dar brilho e beleza à perpetuação da espécie. Para estes, a mulher deve permanecer escravizada às decisões masculinas e entre estes há os que vão mais longe, achando que o corpo delas é imoral e deve estar coberto da cabeça aos pés, como os fundamentalistas de Maomé.

Frases se repetem: “Lugar de mulher é na beira do fogão e no tanque de lavar roupas”. “O grande Movimento de mulheres ainda é o dos quadris”. “A mulher é um animal de cabelos longos e idéias curtas” e por aí vai. Preconceito e medo, talvez mais medo que preconceito, orientam essa fobia, ao contrário do que muitos pensam, agravada nos tempos modernos em que, no caminho da luta pela liberdade, as mulheres são maioria nas universidades, ocupam a maioria dos empregos, tem vagas nos parlamentos, são chefes de homens nas repartições públicas, executivas nos empreendimentos privados, dominam espaços antes exclusivos como a literatura e a poesia e em grande parte já não dependem dos homens para criar, educar e sustentar os filhos.

A indisfarçável moral burguesa do século 21 fez da mulher esse animal assustador, com brilho intelectual próprio, com opinião própria, que não aceita imposições e a reação do Macho Alfa foi violenta: uma sangueira de sopapos, equimoses, luxações, lesões corporais, pontapés, tiros e facadas contra a mulher nos lares brasileiros humilha a condição humana.

E é a Assembléia Legislativa do Maranhão, hoje, a Casa de Governo onde repercute mais negativamente a maior ousadia feminina. Os homens descobriram que também a mulher é um animal político, em todas as suas versões aristotélicas. E essa condição está interferindo para que ali não se instale uma Comissão Parlamentar de Inquérito destinada a investigar a violência contra a mulher. Eles temem que presidindo uma mulher essa Comissão, a deputada Eliziane Gama, torne-se ela mais tarde um empecilho às pretensões eleitorais do governo, uma força de oposição que não gostariam de enfrentar.

É um retrocesso monumental, no caráter político e humano de todas as reivindicações do mundo moderno. Uma eleição não pode ser mais importante que a evidência de todas as agressões covardes, aos milhões, que se perpetram nos lares do país; que a oportunidade de punir uma violência histórica, de natureza física e psicológica que, além de tudo, embrutece os filhos, criando bolsões de ódio, fúria e desagregação incontroláveis.
  
Imaginem que no Maranhão e somente no Maranhão uma CPI da Violência Contra a Mulher pode ter como presidente e relator dois homens, o que em outro estágio poderia até ser um sinal de evolução. Mas sabemos que não é assim. São elas que estão apanhando e são os homens que estão batendo.

Aprovado projeto que cria a Frente Parlamentar em Defesa da Pessoa com Deficiência

Plenário aprovou projeto de autoria de Othelino Neto
O plenário da Assembleia Legislativa do Maranhão aprovou, na tarde desta segunda-feira (25), projeto de resolução legislativa, de autoria do deputado Othelino Neto (PPS), que dispõe sobre a criação da Frente Parlamentar Estadual em Defesa dos Direitos de Acessibilidade e de Cidadania  das Pessoas com Deficiência e Patologia. 
O projeto de Othelino Neto obteve parecer favorável da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania. O relator foi o deputado Jota Pinto. O objetivo é garantir, em todas as instituições públicas e privadas do Estado, os direitos de acessibilidade e de cidadania de centenas de pessoas.
“Este é um tema que está acima de qualquer diferença política, pois este projeto visa garantir políticas públicas eficientes às pessoas com deficiência. O plenário da Assembleia entendeu e acolheu a nossa proposta ao aprovar o projeto”, frisou Othelino Neto.
Diversas lideranças pediram o apoio do deputado para a criação da Frente  e relataram inúmeros casos de abandono, inacessibilidade,  abusos sexuais e se queixaram também da retirada das cotas nas universidades públicas, etc.
Segundo Othelino Neto, o ideal é que todas as esferas do poder legislativo se unam em torno desta causa que é apartidária. “Outro projeto já existe no âmbito da Câmara Municipal, protocolado pela vereadora Rose Sales (PCdoB). A ideia é envolver também a Câmara Federal nesse grande projeto de garantir os direitos da pessoa com deficiência”, afirmou o deputado do PPS. 
Pobreza e vulnerabilidade – Segundo o presidente do Conselho Estadual da Pessoa com Deficiência, Dilson Bessa, existem cinco mil pessoas com deficiência vivendo em condições de plena pobreza, passando dificuldades e enfrentando discriminação e violência na área Itaqui Bacanga. “Eles não têm contato com a classe política; não têm como reivindicar os seus direitos. E a Frente Parlamentar seria esse elo”, observou.
Dilson Bessa lembrou ainda que chegam todos os dias ao Disque Denúncia inúmeros casos de violência, inclusive sexual, abandono e massacre contra a pessoa com deficiência. Ele frisou que não existe hoje nenhuma rede de proteção para essas pessoas que vivem em uma situação de vulnerabilidade, por isso a necessidade urgente de se formar a Frente Parlamentar em todas as esferas do poder.

Segundo entidades ligadas à causa, existem no Maranhão mais de um milhão e meio de pessoas com deficiência (1.624.000). Desse total, 256 mil estão em São Luís.

Medicamento contra Lúpus está em falta há 20 dias em farmácia pública do Maranhão


Pacientes e familiares não recebem do governo do Estado, sequer, informação sobre quando distribuição será normalizada


Distribuição gratuita do remédio está parada no Maranhão e
prejudica tratamento de milhares de pacientes


Há 20 dias, os pacientes do Maranhão que dependem da Azatioprina, componente utilizado para evitar a rejeição a transplante de órgãos e para o tratamento de doenças como Lúpus Eritematoso Sistêmico e Hepatite, não estão recebendo, gratuitamente, o medicamento. São milhares de pessoas que dependem do remédio no Estado e não têm condições de adquiri-lo nas farmácias convencionais, onde o preço é alto. Chega a custar mais de R$ 200,00. 

No Maranhão, a distribuição da Azatioprina é feita pela Farmácia Estadual de Medicamentos Especializados (Feme), que atende portadores de doenças raras, crônicas ou que necessitam de tratamento especial, localizada ao lado do Viva Cidadão e em frente ao Terminal da Integração da Praia Grande, em São Luís. Há pelo menos 20 dias, pacientes e familiares estão na busca incansável pelo medicamento e não recebem, sequer, a informação sobre um prazo para a regularização da distribuição do medicamento. Chegam com a esperança de obter o remédio e saem de lá inseguros e de mãos vazias.


Sem retorno nenhum do Estado em relação à distribuição gratuita do medicamento, pacientes vêm enfrentando problemas com sintomas que se intensificam a cada dia. Por exemplos, sem tomar o remédio, doentes de Lúpus começam a ter dores nas articulações, febre alta, inflamações, etc. que podem levar a um quadro grave e irreversível. 


E de quem será a responsabilidade se o pior vier a acontecer? O governo do Estado, através da Feme, parece fazer pouco caso do problema. Há quase um mês, a distribuição gratuita de um medicamento imprescindível, como a Azatioprina, está simplesmente parada no Maranhão, prejudicando o tratamento de quem depende do remédio.


Quase 100 mil pessoas estão cadastradas para receber medicamentos especiais no Maranhão segundo dados disponibilizados no portal da Secretaria de Saúde do Estado. Ao todo, a farmácia disponibiliza 236 medicamentos especiais para a população maranhense. Em alguns casos, eles chegam a custar cerca de R$ 1.500,00 a ampola, valor alto e inviável para os usuários cadastrados, que não têm condições de arcar com a despesa. 


Entenda como funciona o medicamento – A Azatioprina é um análogo sintético da purina e foi desenvolvida no final dos anos 50, na tentativa de impedir a degradação metabólica da 6-mercaptopurina (6-MP), o que destituía seus efeitos antileucêmicos. Atualmente, ela é usada em dermatologia, gastroenterologia, oncologia, reumatologia e várias outras áreas da medicina, devido às suas propriedades antileucêmicas, antiinflamatórias e imunossupressoras. Por serem caros, esses remédios são chamados de excepcionais. 


O medicamento, conhecido comercialmente como Imunem e Imuran, é indicado contra Hepatite crônica auto-imune; Anemia; Artrite reumatóide grave, transplante de órgãos; Lúpus e Poliarterite. A droga é bem absorvida pelo trato gastrintestinal após a administração oral. 


A medicação tem uma curta meia-vida de cerca de três horas, como resultado de uma rápida conversão in vivo, mas os metabólicos permanecem ativos por muito tempo, o que permite que a administração do fármaco seja feita a cada 12 ou 24 horas. Ao entrar na circulação, a Azatioprina sofre conversão não-enzimática e é metabolizada por três enzimas
.

Atenção, Semosp! Rua do Aririzal pede socorro…

Além dos buracos, presença de animais soltos pela rua é constante e oferece perigo ao tráfego


Asfalto está cedendo, trazendo perigo e engarrafamentos
Este blog faz aqui mais um apelo à Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (Semosp) para as precárias condições de infraestrutura da Rua do Arrizal, uma das artérias mais importantes da região Cohama/Turu, que liga, por exemplo, a avenida São Luís Rei de França à Daniel de La Touche, por onde trafegam todos os dias milhares de motoristas. 

Animais trafegam livremente pela rua, oferecendo perigo
Além das crateras que tomam conta de toda a extensão da via, o asfalto chegou a ceder, nas proximidades do Flash Motel e do Bar do Flamengo, o que vem causando constantes engarrafamentos e submetendo motoristas a uma situação de perigo devido ao risco de acidente.

Animais trafegam livremente, oferecendo perigo
Enquanto a limpeza na cidade caminha com resultados positivos, a população não consegue entender porque a operação Tapa-buracos da Prefeitura de São Luís está tão lenta e irritante. Buracos se espalham por importantes avenidas da cidade e dentro dos bairros. É preciso agir antes que   a situação fique pior. No período chuvoso é possível, sim, trabalhar pela manutenção asfáltica das vias públicas.

Como se não bastasse o problema da buraqueira, animais têm sido vistos frequentemente andando livremente entre os veículos na rua, oferecendo também grande perigo de acidente. Fica aí a dica para a fiscalização da Secretaria Municipal de Habitação e Urbanismo (Semhur), que é o órgão municipal responsável por esse  tipo de fiscalização.

Outro grave problema na rua são os terrenos baldios sem muros e sem calçadas, que só servem de depósito de lixo e de abrigo para drogados.

Esse problema da buraqueira na Rua do Aririzal já foi explorado aqui neste blog no post   “Rua do Aririzal, queijo suíço ou tábua de pirulitos? VEJA AQUI“. 
Tvs como a Mirante também já trataram do assunto, em ampla reportagem, reforçando o registro do blog, mas, até agora, nada foi feito.

Deputado estranha discurso ríspido de Gardeninha

O deputado Othelino Neto (PPS) estranhou o discurso ríspido da colega Gardênia Castelo sobre o VLT e o Corredor de Transportes em São Luís e lembrou que, em pronunciamento, não fez fortes ataques à administração passada, apenas respondeu às colocações feitas pelo deputado Neto Evangelista (PSDB), na sessão anterior, de uma forma natural e sem ofensas.



“Eu fui secretário de Governo, secretário de Desenvolvimento Metropolitano da administração do ex-prefeito Castelo, e não digo que ele tenha só cometido erros na administração; cometeu acertos, mas cometeu mais erros do que acertos”, disse o deputado.


Respondendo diretamente à tucana, o parlamentar esclareceu que é público o fato de ter feito parte da gestão passada, mas que vários erros do ex-prefeito levaram-no a deixar de ser um aliado, ao exemplo do próprio prefeito Edivaldo Holanda Júnior, do vice Roberto Rocha, de membros do PDT e de outros.


“Será que todos nós estávamos errados? Creio que não. A resposta e o julgamento foram feitos pelo povo de São Luís que disse que nós estávamos certos e não reelegeu o prefeito. Rompi muito antes da eleição, quando Castelo ainda tinha grande potencial de ser reeleito”, explicou.


Othelino aproveitou para dizer que não guarda nenhum rancor do ex-prefeito João Castelo e que apenas não concordou com os erros cometidos e resolveu romper politicamente, quando o tucano ainda era franco favorito na disputa. 

“Mas a senhora sabe bem quem é o principal culpado ou culpada pelo insucesso eleitoral do seu pai; também não cabe a mim dizer, mas tenho certeza que a senhora sabe”, finalizou o deputado do PPS. 

Othelino reitera posição sobre VLT e Corredor de Transporte

Othelino mantém posição sobre VLT e Corredor
O deputado estadual Othelino Neto (PPS) manteve seu posicionamento que identificou inúmeras falhas nos projetos do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) e do Corredor Urbano para São Luís, elaborados pela administração passada da Prefeitura da capital, em pronunciamento feito na sessão desta quinta-feira (21). Ele voltou à tribuna para falar do assunto após discurso da tucana Gardenia Castelo (PSDB), que entrou no mérito para tentar desqualificar o pepessista e sair em defesa do ex-prefeito João Castelo, de quem é filha.


 “Com relação ao VLT, eu repito, e foi noticiado na imprensa local, em blogs, em jornais impressos, que, logo depois da eleição, o produto de marketing eleitoral foi abandonado lá, inclusive os trilhos foram retirados. Há fotos, registros feitos, assim como outras obras. Sobre o Corredor, reitero que ele precisa ser revisto principalmente sob os pontos de vista ambiental e financeiro”, disse Othelino.


O deputado do PPS também saiu em defesa da secretária municipal de Trânsito e Transportes, Miriam Aguiar, que foi alvo de críticas de Gardenia Castelo, e disse que se trata de uma técnica reconhecida nacionalmente, que, por onde passou, fez um bom trabalho. “Acho que a gente não deve entrar muito nessa seara, apesar de que, repito, a secretária tem um excelente currículo; não foi indicação política, foi uma escolha meramente técnica e eu confio e acredito que fará um grande trabalho”, afirmou.


Othelino rebateu ainda críticas de Neto Evangelista quanto às ruas e avenidas de São Luís na gestão de Edivaldo Holanda Júnior. Lembrou que os buracos existem na cidade não só de hoje e, no período chuvoso, eles aumentam. Informou que o prefeito está tendo que consertar a obra da avenida do Barra-Mar, que foi inaugurada no final do ano passado por João Castelo. Recentemente construída, surgiu no local uma imensa cratera, que impediu a passagem de carros.


Segundo o deputado, Edivaldo Holanda vem realizando aquilo que prometeu e está fazendo, inclusive, o que não estava programado ao assumir o  compromisso de pagar a folha de dezembro que o ex-prefeito deixou atrasada. “A folha não foi paga, mas os fornecedores principais foram pagos. Os servidores foram penalizados porque os fornecedores maiores foram priorizados”, comentou.