Prefeito de Monção contrata empresa de amigo por mais de R$ 2,5 milhões

Prestadora de serviços foi criada em dezembro de 2012, dois meses após a vitória de ‘Queiroz’ nas eleições

Pequena empresa contratada por mais de R$ 2 milhões



O Ministério Público da Comarca de Monção deve ter muito trabalho enquanto o prefeito do município, João de Fátima Pereira, o ‘Queiroz’ (DEM), permanecer no cargo.

Depois do MP/MA abrir uma investigação para apurar denúncia de que houve fraude no pagamento do programa federal Bolsa Família, tendo as duas filhas do prefeito e uma vereadora da cidade recebido o benefício indevidamente, contratos assinados no primeiro mês de mandato de ‘Queiroz’ devem ser alvos de nova investigação do MP estadual e federal.

A reportagem apurou que, desde o dia 23 de janeiro deste ano, a Prefeitura de Monção assinou seis contratos com a O S Gaspar Júnior – ME, empresa de um amigo do prefeito do município, criada em dezembro de 2012, logo após a eleição, no valor total de R$ 2.060.740,00. Todos os contratos têm vigência até o último dia de 2013.

Extratos obtidos pelo Atual7 revelam que, só em um dos contratos, a Gaspar Júnior vai receber mais de R$ 770 mil, que devem ser pagos com o dinheiro que a União despeja no Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) do município.

Sem receio de que a população o recrimine pelas contratações suspeitas, o prefeito de Monção participou ainda, abertamente, de um ‘preparo’ para um festejo promovido pelo amigo ‘Gaspar’, o ‘Arraiá da Lalá’, realizado na cidade há cerca de um mês.

O novo empresário bem sucedido de Monção chegou a fazer festa na inauguração da pequena sala da empresa agora milionária. Na gestão de ‘Queiroz’, além de receber pelos serviços de locação de veículos sem condutor, a empresa do amigo do prefeito levou ainda um contrato de R$ 531.300,00 para fazer a limpeza pública.

Somando as duas prestações de serviços contratadas pela Prefeitura de Monção, a O S Gaspar Júnior vai faturar, no primeiro ano da gestão do democrata João de Fátima Pereira, o valor exorbitante de R$ 2.592.040,00. Isto se não surgirem novos contratos.

Desafio – Prefeito desafiador da Justiça maranhense, Queiroz contratou a empresa do irmão camarada que sequer possui frota própria. Há suspeitas de que os proprietários dos poucos veículos alugados sejam de apadrinhados políticos do democrata.

O Atual7 apurou ainda que, antes de abrir a empresa que com pouco tempo de criada já fechou vários contratos com a prefeitura de Monção, por causa do setor em que realmente trabalha,  o sortudo empresário era conhecido na cidade apenas como ‘Gaspar Vidro’. Apelido que ele mantém até hoje num perfil ativo de uma rede social, apesar da conta bancária não ser mais a mesma, após a ajuda do amigo-prefeito.

PCdoB começa a discutir eleições de 2014 e projeto "Flávio Dino"

Flávio Dino virá com tudo contra o grupo Sarney
O PCdoB de todo o Maranhão estará reunido em conferências municipais até o dia 29 de setembro para debater as diretrizes políticas do partido, o funcionamento interno, o projeto eleitoral de 2014 – leia-se candidatura do atual presidente da Embratur, Flávio Dino, a governador, opções ao Senado, à Assembleia e à Câmara Federal –  e escolher os delegados que os representarão na conferência estadual da legenda.
O partido realiza, ainda, fóruns regionais com o intuito de orientar a organização das conferências municipais. Para tanto, Bacabal, Santa Inês, Presidente Dutra, Imperatriz, Chapadinha, Viana, Balsas, Miranda, Mirinzal e Pinheiro receberam e receberão os fóruns entre os dias 27 e 28 de julho e 3 e 4 de agosto.
O PCdoB orienta que os distritais, organismos de base, organismos especiais e coletivos setoriais convoquem plenárias e reuniões, até o dia 29 de setembro, para a realização das Conferências Municipais, em preparação à Conferência Estadual, marcada para o dia 5 de outubro. O Congresso do PCdoB acontecerá entre os dias 13 e 16 de novembro, em São Paulo.
Discutir as teses apresentadas pelo Comitê Central do PCdoB, eleger delegados para a Conferência Estadual, avaliar as atividades da gestão do comitê municipal e escolher as novas diretorias. Estas são as finalidades das Conferências Municipais que serão realizadas nos municípios maranhenses.

Petra aplicou golpe em terceirizadas da obra do Hospital Central de Emergência

Petra contratou empresa de segurança e aplicou calote de R$ 80 mil
Até hoje, a construtora Petra, de propriedade do empresário Lourival Parente, já conhecida na praça como péssima pagadora, ainda não pagou débito de mais de R$ 100 mil contraído com a empresa terceirizada GM Segurança, que ficou, durante sete meses, responsável pela vigilância da obra do Hospital Central de Emergência, iniciada pelo ex-prefeito de São Luís, João Castelo, nas imediações do Altos do Calhau. Por conta disso, pais de família ficaram sem receber os seus salários por seis meses, apesar da empreiteira ter recebido R$ 2 milhões da Prefeitura no final do ano passado.


A empresa terceirizada prestou os serviços para a Petra  de setembro de 2012 a abril deste ano e só recebeu pelo primeiro mês. A construtora já é velha conhecida da população maranhense pelo escândalo das “estradas fantasmas” no Maranhão, portanto o currículo negativo dispensa comentários.


A denúncia foi feita ao blog por 12 agentes de segurança, que trabalharam na obra durante sete meses e só receberam seus salários de setembro.  Os trabalhadores disseram que já estiveram reunidos com representantes da Petra, que prometeram o pagamento dos seis meses atrasados para maio e até hoje nada. Nenhum tostão furado.


Fontes seguras garantiram aos trabalhadores que a Petra recebeu, no final do ano passado, R$ 2 milhões da administração João Castelo, referente à primeira etapa da obra do hospital, e não repassou nenhum centavo à empresa terceirizada.



Além da GM Segurança, a Petra ficou devendo ainda a terceirizada que fornecia a àgua para a obra (Transágua) e outra empresa que realizava a topografia da obra do hospital.


Prejuízo – Sem receber o pagamento pelos serviços prestados, a GM Segurança  teve que arcar com os encargos sociais, como  Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), rescisão e Previdência. A empresa promete levar a Petra às barras da Justiça.

O curioso é que a Petra está aplicando um golpe de mais de R$ 100 mil, enquanto esbanja maquinário potente e moderno, avaliado em milhões e milhões. Seu proprietário, Lourival Parente, é multiempresário e tem coragem de deixar pais de família a ver navios, sem receber seus justos salários. 

O que são R$ 100 mil para uma construtora que tem o patrimônio da Petra? Por que um empresário, como Lourival Parente, embolsa milhões por uma obra e não tem a coragem de repassar valores do contrato que pagariam os salários de humildes trabalhadores? Por que tanta maldade? Ficam os questionamentos para a reflexão.

Autoridades arrogantes precisam seguir exemplo de simplicidade…

Simplicidade encanta

Vejo nas redes sociais, políticos maranhenses destacando a simplicidade e a humildade do Papa Francisco. Pois muito bem! Que os gestos do santo padre possam mudar, realmente, também as atitudes de outras autoridades, para que sejam mais simples, eu disse “mais simples”, e abandonem a arrogância, pois elas precisam entender que são “gente como a gente”.

As renúncias que o santo padre faz nos levam a comparações importantes. Por que as autoridades  não fazem o mesmo?  Por que não abrem mão das luxuosas suítes por uma mais simples como o fez Francisco? Por que não preferem um carro simples e de vidros transparentes para andar? Por que não abrem mão das regalias? Por que não se misturam aos pobres, às pessoas simples? Por que não carregam nem a própria maleta de coisas pessoais? Por que ostentam tanto, enquanto o próximo passa necessidades?

Enfim, por que não têm atitudes nobres como a do pontífice que mostra que uma autoridade pode ser gente como a gente? É isso que se espera das autoridades maranhenses, brasileiras, a partir do Papa Francisco. 

Está na hora de todos renunciarem à “Cultura do Descartável” para aderir à “Cultura da Solidariedade”, à “Cultura da Simplicidade” e à “Cultura da Humildade”. Imagine: o santo padre é tão humilde que pede que nós rezemos por ele!

O mundo está encantado com Francisco, mas é preciso atentar às preciosíssimas mensagens que ele está nos deixando…e que a simplicidade seja um dos exemplos a serem seguidos, principalmente, por nossas arrogantes autoridades.

"É preciso dar pão a quem tem fome", prega Papa Francisco em favela do Rio

Papa Francisco pregou solidariedade em vista a Varginha

A passagem do Papa Francisco pela comunidade de Varginha, em Manguinhos, Zona Norte do Rio de Janeiro, na manhã desta quinta-feira (25), foi marcada pela emoção. Carismático, jesuíta, humilde e simples, o pontífice caminhou próximo aos moradores da favela e conclamou autoridades e pessoas de maior poder aquisitivo a promoverem a cultura da solidariedade.

“É preciso dar pão a quem tem fome”, pregou o Papa Francisco a uma multidão ao afirmar que a cultura da solidariedade é sempre possível. Ele ressaltou o poder acolhedor do povo simples e pobre, acostumado a colocar mais água no feijão para receber o próximo.

O santo padre conclamou ainda o povo humilde da favela a não aceitar a “cultura do descartável”, da indiferença e a nunca perder a esperança, porque a realidade pode mudar e a construção de um mundo mais justo é sempre possível. “Sejam os primeiros a praticarem o bem. Vocês não estão sozinhos. A igreja Católica e o Papa estão com vocês”, frisou.

Durante a visita, o Papa Francisco visitou a casa de um morador, chamado Manuel, na favela de Varginha. Disse que gostaria de poder entrar em todas as casas brasileiras e fazer o mesmo.

Morador diz que Prefeitura só começou a fazer 
algo na favela por conta da visita do Papa

Comunidade de Varginha
Um morador da comunidade de Varginha teve a oportunidade de ler uma carta ao Papa Francisco, onde expôs que a Prefeitura do Rio de Janeiro só começou a fazer algo na favela, com intervenções de limpeza e infraestrutura, após o anúncio  de que o pontífice visitaria o lugar. Segundo ele, antes disso, os moradores e o local pareciam “invisíveis à sociedade”.

O morador destacou ainda que a comunidade passou a ser notícia positiva nacional e internacional a partir da decisão do Papa de visitar a favela e lembrou que, anteriormente à pacificação e à chegada do pontífice, Varginha  só aparecia nas páginas e nas edições policiais da Imprensa por conta da batalha entre traficantes e policiais.

Ao pedir permissão para chamar o Papa de pai, o morador disse que o santo padre veio ao encontro dos “invisíveis” e que todas as favelas do Rio de Janeiro e do mundo se sentiram visitadas com o gesto do pontífice. “Esta visita ficará na história. Os humildes, esquecidos e invisíveis receberam Francisco”, assinalou.

Prefeitura de Santa Rita demite 500 servidores de uma só vez



Uma demissão em massa autorizada pela Prefeitura de Santa Rita, localizada a 81 quilômetros de São Luís, trouxe indignação para trabalhadores deste município, que aumentou em mais de cinco centenas o número de desempregados. Nada menos que 500 servidores públicos municipais estão impedidos de continuar trabalhando. Pegos de surpresa, órgãos públicos como postos de saúde e escolas estão sofrendo as consequências da redução do número de servidores. 

Com o grande corte no número de servidores, os funcionários que restaram reclamam da sobrecarga de trabalho. Em algumas escolas, segundo apurou a reportagem, professores tiveram que fazer a merenda dos alunos porque cozinheiras foram demitidas.

Um fato que mais está revoltando os ex-servidores municipais é a contratação temporária de novatos – a maior parte familiares do prefeito – para as mesmas funções que ficaram em aberto após a demissão em massa.

A auxiliar de serviços gerais que pediu para não ser identificada, reclama que foi demitida sob a alegação de que a Prefeitura não tinha como pagar seu salário para trabalhar de segunda a sexta. Mesmo assim, soube que foi substituída. 

As pessoas demitidas recebiam até um salário mínimo e não tinham outra renda. As demissões na Prefeitura atingem o comércio de Santa Rita.

A reportagem da Folha Maranhão tentou ouvir o prefeito Tim Ribeiro (PRB), mas ele não foi localizado para comentar as denúncias dos demetidos.

Funcionário do Subway passa pênis no pão e posta foto no Instagram


Do Yahoo
Um funcionário do Subway virou “celebridade” na Internet americana ao postar uma foto passando o pênis em uma baguete. Detalhe: o rapaz estaria em horário de trabalho. A imagem viralizou no Instagram e no Twitter.

Postada na rede social de fotos pelo usuário weedpriest, a imagem tinha a seguinte legenda: “Meu nome é @ianjett e eu serei o artista do seu sanduíche”. Em entrevista ao site Huffington Post, o funcionário, identificado como Ian Jett, disse que tudo não passava de uma brincadeira.

“Estava em casa e jamais faria isso no trabalho”, disse Jett. Ele trabalha numa filial do Subway em Columbus, no estado de Ohio. Em outra foto, o americano disse ter “congelado o xixi” no trabalho. 

Jett foi demitido pela empresa após a postagem. Era piada ou o rapaz fez mesmo isso com o pão?

Chevrolet faz propaganda enganosa…

Propaganda enganosa – Só o popularzão
Classic está sendo vendido na “taxa zero”


Na semana passada, uma propaganda da Chevrolet na Tv chamou a atenção dos consumidores no país inteiro. Pedia para ninguém comprar automóveis naquela data e deixar para o dia seguinte, quando todos iriam ver um jeito diferente de vender. Depois, um novo comercial anunciava que a surpresa seria a “taxa zero” para financiamento de automóveis e mostrava no vídeo, em todas as peças, os veículos mais caros da companhia. Até aqui, tudo bem.

A propaganda provocou aquela euforia e milhares de consumidores foram às concessionárias. O mesmo aconteceu em São Luís do Maranhão. Os telefones da Dalcar e da Cauê não paravam de tocar. Eram pessoas em busca de informações. Chegando às revendedoras, a decepção foi grande.

O único automóvel que está sendo vendido na taxa zero, em 24 meses, é o simples e popularzão “Classic”, que nem de longe aparecia nas propagandas que alardeavam uma nova forma de vender e a tão badalada “taxa zero”.

Decepção para quem esperava comprar um “Cruze”, uma “S10”, um novo “Prisma”, um “Sonic”, um “Agile”, um “Cobalt”, um “Camaro” e até mesmo um simples “Celta” na “taxa zero”. 

Venderam ilusão e enganaram o consumidor para atraí-lo, visando vender outros carros às taxas habituais. Propaganda nenhuma pode ser usada para esse tipo de golpe!

Programa de Fátima Bernardes aborda falta de médicos no Maranhão

Fátima quis saber sobre o caso de Imperatriz, onde
havia vaga para médico, com salário de R$ 30 mil,
e que não foi preenchida

O segundo tema abordado pelo programa “Encontro”, comandado pela jornalista Fátima Bernardes na Rede Globo, na manhã desta terça-feira (23), foi a falta de médicos no Brasil com destaque para o Maranhão que tem o menor índice de profissionais por habitante e onde uma vaga de pediatra intensivista, com salário de R$ 30 mil, ficou aberta por dois anos, sem que nenhum interessado aparecesse, provavelmente, por falta de estrutura de trabalho. 


O Governo Federal quer contratar especialistas estrangeiros para trabalhar no interior do Brasil, através do programa “Mais Médicos”, com o objetivo de amenizar o problema na rede pública, mas a categoria não aceita a proposta, alegando que não faltam médicos e, sim, estrutura de trabalho nos hospitais em geral, inclusive nos particulares. Na última segunda-feira (22), profissionais maranhenses deram as costas para o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, durante evento em São Luís, como sinal de protesto.

População pena com falta de médicos – Mas isso é muito controverso. A verdade é que a população pena mesmo em longas filas e em dias de espera, às vezes até meses, por um médico especialista tanto no Maranhão como nos demais estados brasileiros. A realidade não condiz com as justificativas da categoria para evitar a contratação de profissionais estrangeiros.

Se existem médicos suficientes, onde eles estão? Por que a população sofre tanto para obter uma consulta na rede pública e até mesmo na particular? E por que médicos da rede pública, até mesmo nos hospitais de urgência e emergência, faltam ao trabalho com tanta constância, deixando pacientes na mão? São perguntas que os médicos, que tanto protestam contra a contratação de profissionais estrangeiros têm que responder, antes de qualquer coisa.