OPERAÇÃO IMPERADOR – Investigações estouram esquema de agiotagem em Dom Pedro

Na casa de Arlene, em São Luís, foram apreendidos quatro veículos e um montante de documentos falsos

Na casa de Arlene, em São Luís, foram apreendidos quatro veículos e um montante de documentos falsos

As investigações sobre a rede de agiotagem no Maranhão foram reabertas e resultaram em duas prisões, nove mandados de condução coercitiva e 38 mandados de busca e apreensão no Estado. Denominada de ‘Operação Imperador’, a ação resultou na prisão da ex-prefeita de Dom Pedro, Arlene Barros Costa, acusada de envolvimento na prática de agiotagem e licitações fraudulentas, que culminaram no desvio de mais de R$5 milhões dos cofres públicos.

O processo investigativo também revelou o envolvimento de Alfredo Falcão, filho de Arlene, Rodrigo Manso, sobrinho da ex-gestora, e João Cavalcante Neto, funcionário utilizado como laranja no esquema de corrupção. Os três acusados já receberam mandado de condução coercitiva.

Na casa de Arlene, em São Luís, foram apreendidos quatro veículos e um montante de documentos falsos. Em Codó, vinte carros de luxo da ex-prefeita foram retidos pela polícia. Mais de dez empresas fantasmas criadas por Arlene e a família foram descobertas com registros falsificados.

O “Imperador”

O filho da ex-prefeita, Eduardo DP, conhecido no município por ‘imperador’, está sendo investigado por envolvimento direto em fraudes de procedimentos licitatórios, utilização de documentação falsa (identidade e CPF) e CNPJ’s fantasmas. Ele é considerado o líder da quadrilha na área.

O foco da agiotagem e licitações fraudulentas em Dom Pedro era a distribuição de merenda escolar e medicamentos. O secretário de Segurança Pública, Jefferson Portela, afirmou que as investigações no município continuam e que nos próximos dias novos fatos serão acrescentados ao processo.

“Em Dom Pedro aconteceua primeira etapa de uma investigação contínua sobre corrupção e agiotagem no Maranhão. A morte de Décio Sá foi uma referência para as investigações sobre este crime e vamos dar continuidade ao desbaratamento destes grupos corruptos. Estamos retomando as investigações para finalizar tudo. O trabalho não irá parar”, enfatizou o secretário.

Processo de investigação

Mais de 40 prefeituras estão envolvidas em contratos fraudulentos e serão investigadas. Segundo o secretário Jefferson Portela, o dinheiro público era desviado para o pagamento de agiotas envolvidos nos esquemas fraudulentos. “Encontramos vários cheques de prefeituras que estão sendo investigadas. A orientação do governador Flávio Dino é que haja uma apuração radical no combate a uso ilegal do dinheiro público. Retomamos as investigações, e a polícia civil está preparada para concluir e encaminhar o resultado final ao poder judiciário”, explicou o secretário.

O delegado geral da Polícia Civil, Augusto Barros, explicou que está obtendo provas para compor o processo da Prefeitura de Dom Pedro.

Ajude este homem a encontrar o filho em São Luís…

Pedro Sales procura o filho Hugo, de 29 anos, que mora em São Luís

Pedro Sales procura o filho Hugo, de 29 anos, que mora em São Luís

O taxista Pedro Sales, que é maranhense mas mora e trabalha em Manaus-AM, contactou este blog para tentar encontrar o filho Hugo, de  aproximadamente 29 anos, que provavelmente ainda mora no Maiobão, em São Luís. Conta que quando o hoje jovem nasceu, tanto ele como a mãe Gislene eram adolescentes e com pouca experiência e que a criança ficou com a sua genitora na casa da avó que morava naquele bairro.

Pedro Sales, que é natural de Nova Olinda, no Maranhão, conta que, na época, foi rejeitado pela família de Gislene por ser adolescente e pobre. Então, decidiu trabalhar no garimpo. Quando a criança estava para nascer, ele diz ter retornado a São Luís e que somente viu o nascimento do filho.

O taxista disse que chegou a registrar a criança como pai, mas terminou se distanciando do menino por questões pessoais. Hoje, trabalha em Manaus. Mas está planejando vir para São Luís com essa missão de rever o filho.

“Eu espero em Deus, que ele vai me ajudar. E você, Sílvia Tereza, será uma bênção em nossas vidas. Obrigada, desde já, pela atenção e pelo apoio”, disse Pedro Sales à editora deste blog.

Função social

Em mais uma função social, o blog ajuda Pedro Sales a encontrar o seu filho. Quem, souber de alguma coisa ou de alguma pista é só entrar em contato com este blog por e-mail ou WhatsApp, expostos nesta página.

O telefone de Pedro Sales é (92) 99291 – 3612

Logo eu, que também não tenho pai, não fui reconhecida, estou ajudando um pai a encontrar o filho. Nossa vida é um mistério e, a cada dia, Deus nos revela mais coisas. O importante é nos disponibilizarmos para saber o que o pai eterno quer de nós!

DRAMA DA FOME – Belágua e a solidariedade dos meus leitores…

Após a republicação da reportagem “Estrada da Fome” da TV Record (veja em posts mais lidos), o blog recebeu inúmeras mensagens em forma de comentários, e-mails e whatsApp de leitores do Maranhão e de outros estados do país, que se disponibilizaram para ajudar as famílias, principalmente, as de Belágua, município mais pobre do Brasil, onde crianças choram de fome e outras comem farinha com água suja e sal (reveja vídeo).

O blog, então, foi buscar contatos que pudessem fazer levar doações para essas famílias que vivem o drama da fome no município mais pobre do Brasil e que, pasmem, deu a maior votação proporcional do país à presidente Dilma Rousseff (PT). Obtive, com o auxílio da equipe de reportagem do Repórter Record e da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), endereço, telefones e e-mail de pessoas que podem alcançar as crianças e pais que aparecem na reportagem da Record.

A “Estrada da Fome” comoveu o Brasil. Minutos após a veiculação da reportagem, meu celular já recebia mensagens. Uma das leitoras se chama Juliana e é de São Paulo. Ela, a exemplo de outros que falaram comigo, não contiveram as lágrimas durante a matéria. “Não temos muito, mas podemos ajudar”, disse.

O mesmo aconteceu com a leitora Solange Glaeser, de Santa Catarina, que buscou o meu blog, pelo e-mail, para conseguir contatos que pudessem levar doações de alimentos e roupas. Assim como Juliana e Solange, agiram dezenas de leitores de São Luís ao exemplo da jovem Carolina, que me ligou emocionada, e de outros.

Entre os leitores que me contactaram, há pessoas que acreditavam que não existia mais, no Brasil, esse cenário de pobreza extrema, de miséria e de fome que foi mostrado no Repórter Record.

Pra mim, é uma satisfação, um dever cívico poder ajudar essas famílias de Belágua, servindo de elo. O blog, sobretudo, em sua função social está a serviço da comunidade e de seus leitores. Muito obrigada!

LEIA TAMBÉM:

ESTRADA DA FOME – Miséria do Maranhão é mostrada com tristeza na Record

BELÁGUA – Município mais pobre do Brasil está no Maranhão…

Abaixo, contatos que consegui para fazer chegar as doações às famílias:

CONTATOS PARA DOAÇÕES ÀS FAMÍLIAS DA ESTRADA DA FOME

Consegui esses contatos de Belágua, junto à equipe de reportagem do Repórter Record e à Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), para poder fazer chegar as doações às famílias:

1 – Sindicato dos Servidores de Belágua:

Ivan – (98) 9 91735357 e (98) 9 8883 4327

2 – Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Belágua:

STTR BELÁGUA
Av. Eider Araújo, 31 – Centro – Belágua
Email: [email protected]
Adalberto / Telefone: (98) 9159 2665
Samuel / Telefone (98) 9192 5166 ou 3252 1019
Vera / Telefone (98) 9132 7210

3 – Outras lideranças de Belágua que temos o contato:

JOSÉ FÁTIMA DOS SANTOS
SECRETÁRIO DOS SINDICATO DOS TRABALHADORES RURAIS
98 98839 5680

ELKE ANE LISBOA GARCIA
PROFESSORA
98 99983 5364

Juiz que mandou prender funcionários da TAM em Imperatriz reassume cargo

Uol

Juiz Marcelo Testa Baldochi voltou a cargo, após decisão do CNJ

Juiz Marcelo Testa Baldochi voltou a cargo, após decisão do CNJ

O CNJ (Conselho Nacional Justiça) acolheu recurso de defesa e determinou que o juiz Marcelo Testa Baldochi retome suas atividades na 4ª Vara Cível de Imperatriz (727 km de São Luís), no sul do Maranhão. O magistrado retornou ao trabalho nesta segunda-feira (30).

Baldochi havia sido afastado no dia 17 de dezembro de 2014 por conta de um processo administrativo aberto para investigar uma ordem de prisão dada a três funcionários da TAM depois de chegar atrasado e perder um voo para Ribeirão Preto (SP), no dia 6 de dezembro.

A decisão do CNJ foi tomada liminarmente na última quinta-feira (26) e foi comunicada ao TJ-MA (Tribunal de Justiça do Maranhão) um dia depois.

Além se voltar ao cargo, o CNJ também teve suspenso o processo administrativo. O caso agora deverá ser decidido pelo plenário do conselho, o que ainda não tem data.

Para conseguir a decisão, o juiz sustentou que que apenas testemunhas de acusação foram ouvidas e não houve concessão de prazo para defesa preliminar.

“Houve cerceamento de defesa e violação aos princípios do devido processo legal e do contraditório”, alegou.

Na decisão, o conselheiro Saulo Casali Bahia concordou com o argumento da defesa do magistrado.

“Considerado o tempo decorrido desde o pedido de pauta do presente feito; a incerteza quanto ao momento de seu julgamento; a suspensão das investigações em face da decisão liminar parcialmente deferida; os possíveis prejuízos à prestação jurisdicional; e o fato de o afastamento de magistrados constituir medida excepcional, tenho que o retorno do magistrado é medida que se impõe”, afirmou o conselheiro.

Apesar dos insistentes pedidos feitos durante duas semanas, a Corregedoria de Justiça do Maranhão não informou como está o andamento do processo administrativo contra o magistrado. O juiz Marcelo Baldochi não foi localizado para comentar a decisão.

Outros casos

O juiz já é conhecido no Estado por se envolver em polêmicas. Em 2007, foi flagrado por fiscalização e denunciado por manter trabalhadores em condições análogas à escravidão em uma fazenda de sua propriedade.

Em dezembro de 2012, em Imperatriz, ele se negou a dar dinheiro a um flanelinha, discutiu com ele e acabou sendo esfaqueado.

Estado pede afastamento de policiais acusados de tortura

Procurador geral do Estado, Rodrigo Maia

Procurador geral do Estado, Rodrigo Maia

A Procuradoria Geral do Estado do Maranhão deu entrada, nesta segunda-feira (30), em Ação Civil Pública alegando o cometimento de improbidade administrativa pelos policiais militares envolvidos em prática de tortura, no último dia 12 de fevereiro, contra um entregador de pizza. Após instalação de inquérito policial e averiguação dos fatos, segundo os parâmetros legais, o governo pede afastamento dos servidores envolvidos no ilícito.

Na ação, a PGE pede a condenação dos quatro envolvidos no caso por improbidade administrativa, por cometimento de atos que ferem os princípios da Administração Pública, sobretudo o da legalidade. Os procuradores querem a perda da função pública dos agentes policiais, bem como pagamento de multa e suspensão de direitos políticos por cinco anos.

Após a denúncia da vítima, a secretaria de Estado da Segurança Pública instalou inquérito policial para apurar o caso, seguindo todas as medidas legais que garantem a ampla defesa dos acusados e os direitos da vítima. Através de laudos de corpo delito, fotografias e tomada de depoimentos, o inquérito apontou dolo na prática dos agentes policiais. Os quatro PMs são acusados de aplicarem spray de pimenta, pontapés e realizarem disparo de arma contra um morador do Bairro de Fátima.

O Maranhão é signatário desde 2002 do Pacto Maranhense pelo Combate à Tortura, junto com outras entidades como a Ordem dos Advogados do Brasil, a Sociedade Maranhense de Direitos Humanos, a Assembleia Legislativa e a Defensoria Pública. A apuração e punição de crimes de tortura são, portanto, regras seguidas pelo Governo do Maranhão e que combatem a impunidade de crimes contra a humanidade.

Dilma mantém bandeira vermelha e contas de luz mais altas em abril

Globo.com

charge-conta-de-luz

Consumidores pagarão R$ 5,50 a mais para cada 100 kWh consumidos.
Sistema reflete custo alto da produção de energia no país.

As contas de luz dos brasileiros continuarão com bandeira vermelha em abril – e vão, assim, continuar mais altas. A decisão foi tomada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

As bandeiras estão vermelhas desde janeiro, indicando que o custo da produção de energia no país segue muito alto e, por isso, a população deve economizá-la.
Esse sistema estabelece a cobrança de uma taxa extra de R$ 5,50 para cada 100 kWh (quilowatts-hora) de energia usados. Os recursos arrecadados pelas distribuidoras vão servir para financiar a produção de energia mais cara, devido principalmente ao uso mais intenso das termelétricas.

A medida vale para todo o país, exceto os estados do Amazonas, Amapá e Roraima, que não estão ligados ao sistema nacional de transmissão de energia e são atendidos isoladamente por termelétricas.

Em vigor desde 1º de janeiro, as bandeiras tarifárias permitem o repasse mensal aos consumidores de parte do gasto extra das distribuidoras com o aumento do custo da eletricidade. Antes, as distribuidoras eram obrigadas a bancar essa conta para serem ressarcidas quando do reajuste, que ocorre uma vez por ano.

O custo de produção de energia aumenta no país em situações como a vivida atualmente, em que a falta de chuvas reduz o armazenamento de água nas hidrelétricas e é necessário usar termelétricas. Essas usinas são movidas a combustíveis como óleo e gás e, por isso, a energia produzida por elas é mais cara.

Os consumidores serão informados, na conta de luz, sobre a bandeira em vigor. Se ela for verde, a tarifa não sofre nenhum acréscimo. Amarela, o aumento é de R$ 2,50 para cada 100 KWh (quilowatt-hora) consumidos. Vermelha, o consumidor paga R$ 5,50 para cada 100 KWh consumidos no mês.

TODOS “FELIZES”! Prefeitura e Governo pagam nesta terça-feira…

Servidores do Estado e do Município recebem seus vencimentos nesta terça

Servidores do Estado e do Município recebem seus vencimentos nesta terça

Os barnabés da Prefeitura de São Luís e do governo do Estado ficam mais “felizes” nesta terça-feira (31). Todos amanhecem com o pagamento do mês de março em suas contas bancárias.

No caso do governo, o pagamento estava programado para quarta-feira (1º de abril), mas a antecipação foi possível, segundo release distribuído pela Secretaria de Comunicação do Estado (Secom), após contingenciamento de 30% do custeio do tesouro, redução dos contratos vigentes e aplicação dos recursos públicos.

Mas, segundo o secretário de Gestão e Previdência, Felipe Camarão, o calendário divulgado, anteriormente, permanece inalterado.

Já a Prefeitura de São Luís disse, em nota, que vem mantendo o compromisso de pagar os vencimentos dos funcionários ainda dentro do mês. Os servidores municipais podem ter acesso às informações dos seus vencimentos em todos os terminais de autoatendimento do Banco do Brasil por meio do contracheque eletrônico.

PIADA OU ARMAÇÃO? O mico ao vivo da Mirante e o falso cadeirante…

Na tentativa de bater, ao vivaço, na Prefeitura de São Luís, mais uma vez, agora abordando a pauta do transporte público para a pessoa com deficiência, o Bom Dia Mirante, da TV Mirante, pagou um grande e ridículo mico para o Maranhão todo ver.

Quando tentava passar a ideia de que haveria problemas para uma pessoa com deficiência embarcar em um ônibus em São Luís, eis  que o “falso cadeirante”, que era entrevistado no momento com uma mulher que se dizia sua irmã e acompanhante, levanta na maior “cara dura”, empurrando a própria cadeira, deixando o repórter Douglas Pinto na maior “saia justa”.

A cena é hilária. O “falso cadeirante” foge das câmeras, praticamente, correndo do repórter. Há quem diga que aí pode ter tido armação com desistência, ao vivo, do “falso cadeirante”.  Inédito na Televisão Maranhense! Veja o vídeo.

Alumar suspende produção em São Luís e desemprega 650; governo critica e lamenta demissões

Medida da Alumar reduzirá 650 postos de trabalho em São Luís

Medida da Alumar reduzirá 650 postos de trabalho em São Luís

A Alcoa, líder na produção de metais leves, anunciou, nesta segunda-feira (30), que suspenderá a produção remanescente de 74 mil toneladas métricas de alumínio da Alumar, em São Luís. Segundo nota oficial do governo do Estado, isso significa a redução de 650 postos de trabalho, o que quer dizer “desemprego” em massa.

Segundo a Alcoa, a decisão estaria alinhada com o recente anúncio da companhia de avaliar possíveis reduções, fechamentos ou vendas em sua capacidade de produtos primários. A expectativa é de que este ajuste seja concluído até 15 de abril próximo.

Essa suspensão dá continuidade à redução de 85 mil toneladas métricas nas operações de São Luís realizada em maio de 2014, e mais 12 mil toneladas métricas implementadas em outubro de 2014. Segundo a assessoria de Imprensa da Alumar, as condições desafiadoras do mercado global e os elevados custos operacionais tornaram a produção de metal inviável. “A planta de alumina não será afetada e continuará operando normalmente”, garante a direção da companhia.

Segundo ainda a Alumar, esta suspensão está alinhada com o anúncio da Alcoa, de 6 de março de 2015, de avaliar 500 mil toneladas métricas de capacidade de produção de alumínio e 2,8 milhões de toneladas métricas de alumina, com vistas a possíveis reduções, fechamentos ou vendas. Com o ajuste na linha de produção de São Luís, a Alcoa deixará de produzir aproximadamente 740 mil toneladas métricas anuais, o equivalente a 21% de sua capacidade de produção de metal.

A companhia diz ainda, por meio de assessoria, que, como resultado do anúncio de hoje, a Alcoa arcará, no primeiro trimestre, com encargos de reestruturação estimados entre US$ 10 milhões e US$ 15 milhões, após os impostos, ou US$ 0,01 por ação.

 Em nota, governo critica e lamenta demissões

NOTA OFICIAL DO GOVERNO

  1. O Governo do Maranhão lamenta o anúncio feito pela Alumar de que desativará a terceira linha de produção de alumínio no Estado, com a consequente redução de 650 postos de trabalho;
  2. Em 2014, a Alumar reduziu sua capacidade de produção em duas oportunidades, nos meses de maio e outubro;
  3. Portanto, a decisão, sob a justificativa de reduzir custos e da falta de competitividade do preço de alumínio no mercado, reitera a lamentável política adotada pela empresa nos últimos anos, quando dois terços das linhas de produção no Maranhão foram desativadas;
  4. Ainda este ano, o governador Flávio Dino, o vice-governador Carlos Brandão e o secretário de Indústria e Comércio, Simplício Araújo, realizaram audiências com a direção da empresa, para discutir as perspectivas de investimentos no Estado. Em nenhum momento, os dirigentes da multinacional informaram ao governo sobre a intenção de adotarem a drástica decisão, que fere os interesses do Estado e da nossa população;
  5. O governador Flávio Dino determinou aos secretários Simplício Araújo (Indústria e Comércio) e Julião Amin (Trabalho e Economia Solidária) imediata interlocução junto à empresa, visando assegurar responsabilidade social e alternativas para minimizar os danos causados.

São Luís, 30 de março de 2015.

Secretaria de Estado da Comunicação Social