Deputados denunciam hospital fantasma em Rosário

De acordo com o deputado Levi Pontes, a auditoria constata que no contrato existem comprovadamente crimes como atos de improbidade administrativa

De acordo com o deputado Levi Pontes, a auditoria constata que no contrato existem comprovadamente crimes como atos de improbidade administrativa

Irregularidades no processo licitatório de um hospital que deveria ter sido construído em Rosário, na gestão do ex-secretário Ricardo Murad, no Governo Roseana Sarney, dominaram a pauta da Assembleia na sessão desta terça-feira (30). Deputados governistas cobraram explicações acerca da construção do hospital de 50 leitos, onde foram pagos R$ 4,8 milhões de reais, no entanto, efetivamente, só foram medidos R$ 591.074,15 em terraplanagem.

De acordo com o deputado Levi Pontes, a auditoria constata que no contrato existem comprovadamente crimes como atos de improbidade administrativa, licitações dirigidas, pagamentos irregulares e superfaturamento. “Foram pagos R$4,8 milhões para a construção deste hospital, o que corresponde a 26% do total. E pela medida do trabalho realizado, já que passaram apenas um trator, corresponde a 3,2%”, explicou.

Levi Pontes ressaltou, em seu discurso, que o projeto foi autorizado pela Proenge, empresa criada pelo governo passado por R$ 70 milhões para fazer os projetos dos hospitais e fiscalizar as obras, e que no edital de licitação do caso de Rosário constavam exigências descabidas que restringiam a concorrência e teriam contribuído para beneficiar a empresa contratada Ires Engenharia Comércio e Representação.

A informação sobre as irregularidades foi repassada pela Força Estadual de Transparência e Controle (Fetracon), órgão criado pelo governador Flávio Dino para auxiliar nas auditorias em obras públicas pela Secretaria de Estado de Transparência e Controle.

Para o líder do Governo, deputado Rogério Cafeteira, o ex-secretário Ricardo Murad vai ter que se explicar e prestar contas sobre o pagamento do hospital e que se trata de um caso de polícia já que houve desvio de recursos públicos e inúmeras irregularidades na licitação. “Os procedimentos de auditoria não são de agora. Quem cobra também tem que pagar”, ressaltou.

Cafeteira enfatizou que a entrega do hospital de 50 leitos de Rosário estava prevista para o dia 19 de maio deste ano, mas que no local existe apenas um terreno vazio, com tapume e placas de especificação da obra, ocasionando um prejuízo de R$ 4.265.621,95 ao Estado. Segundo o parlamentar, esse rombo é apenas mais um de uma série de irregularidades do Governo passado que acarretaram em entraves para o crescimento do Maranhão.

“É importante que se ressalte esse tipo de procedimento que aconteceu, que não é o único infelizmente, foi no montante de mais de 240 milhões de reais pagos no fim do governo de forma irregular, sem a devida autorização do BNDES. Essas irregularidades causaram a paralisação das obras e prejuízo gigantesco não só à população, como às empresas que ficaram sem a possibilidade de receber”, concluiu.

Nomes de prédios estaduais com homenagem a pessoas vivas deverão ser modificados em 50 cidades

 governador Flávio Dino assinou decreto que determina a ocultação ou remoção de inscrições com nomes de pessoas vivas em prédios públicos

Governador Flávio Dino assinou decreto que determina a ocultação ou remoção de inscrições com nomes de pessoas vivas em prédios públicos

Em cumprimento à recomendação da Procuradoria da República, o governador Flávio Dino assinou decreto que determina a ocultação ou remoção de inscrições com nomes de pessoas vivas em prédios públicos sob administração ou pertencentes ao Poder Executivo do Estado do Maranhão. Os novos nomes serão sugeridos pelas Secretarias de Estado responsáveis por cada pasta, observando os critérios de que o homenageado já tenha falecido, probidade e relevante contribuição ao campo temático da pasta ao prédio pertence.

A partir de 2015, 50 cidades do Maranhão determinadas pelo Ministério Público Federal passarão por modificação nos nomes de prédios estaduais que contiverem inscrições, gravuras, pinturas, letreiros, faixas, placas, cartazes ou qualquer outra forma de identificação por nome de pessoa viva atribuído a bens públicos de qualquer natureza. A orientação do MP destaca o cumprimento de Lei 6,454/77, que veda homenagem a pessoas vivas em logradouros públicos em todo o território nacional.

O decreto assinado na tarde desta terça (30) dispõe que unidades educacionais e de saúde, museus, bibliotecas, sedes de repartições e serviços públicos, prédios, monumentos, ginásios, estádios, autarquias, fundações, institutos e quaisquer logradouros públicos (praças, ruas, avenidas, travessas, pontes, bairros, vilas, distritos, parques), bem como obras públicas nessas cidades não poderão conter nome de pessoas vivas.

A primeira orientação partiu da Procuradoria de Caxias, em 13 de agosto de 2014, quando o Governo do Estado foi pela primeira vez notificado para o cumprimento da orientação. Em 4 de março de 2015, foi a vez da Procuradoria Federal em Bacabal fazer a recomendação ao Governo do Maranhão. O não cumprimento de tais recomendações do MP resultariam em ações judiciais ao Estado e às autoridades políticas competentes.

Para modificar os nomes de prédios ou instituições relacionadas ao Executivo Estadual, cada secretaria deverá propor ao Governo do Maranhão o nome a substituir o homenageado atual, num prazo de 60 dias. No caso de nomes de pessoas naturais, necessariamente já deverão ter falecido, devendo-se priorizar pessoas da comunidade ou personagens notáveis por seus exemplos de ética, probidade e relevante contribuição ao campo temático que tenha afinidade com a destinação do bem a ser denominado.

A região da circunscrição de Caxias abrange, além da própria cidade de Caxias, os municípios de Afonso Cunha, Aldeias Altas, Barão do Grajaú, Buriti Bravo, Codó, Coelho Neto, Duque Bacelar, Gonçalves Dias, Governador Archer, Governador Eugênio Barros, Lagoa do Mato, Matões, Nova Iorque, Parnarama, Passagem Franca, Pastos Bons, São Domingos do Azeitão, São Francisco do Maranhão, São João do Soter, São João dos Patos, Senador Alexandre Costa, Sucupira do Norte, Sucupira do Riachão, Timbiras e Timon.

Já a regional de Bacabal possui como integrantes os demais 23 municípios, que são: Altamira do MA, Alto Alegre do MA, Bom Lugar, Brejo de Areia, Conceição do Lago-Açu, Esperantinópolis, Igarapé Grande, Lago da Pedra, Lago do Junco, Lago dos Rodrigues, Lago Verde, Lagoa Grande do MA, Olho d’Água das Cunhãs, Paulo Ramos, Peritoró, Pio XII, Poção de Pedras, São Luís Gonzaga do MA, São Mateus do MA, São Raimundo do Doca Bezerra, São Roberto, Satubinha e Vitorino Freire.

Hospital fantasma em Rosário serviu para desvio de mais de R$ 4 milhões

No local, existe apenas um terreno vazio, com tapumes e placa de especificações da obra

No local, existe apenas um terreno vazio, com tapumes e placa de especificações da obra

Uma vistoria feita pela Força Estadual de Transparência e Controle (Fetracon), órgão criado pelo governador Flávio Dino para auxiliar nas auditorias em obras públicas pela Secretaria de Estado de Transparência e Controle, constatou desvio de R$ 4,2 milhões na gestão do ex-secretário estadual de Saúde do Maranhão, Ricardo Murad, cunhado da ex-governadora Roseana Sarney, em um contrato de R$ 4,8 milhões firmado com a empresa Ires Engenharia Comércio e Representação.
O dinheiro deveria ser usado na construção de um hospital de 50 leitos no município de Rosário, cuja conclusão foi prevista no contrato para o dia 19 de maio deste ano. Contudo, no local existe apenas um terreno vazio, ou seja, o dinheiro foi gasto em uma obra fantasma. Além dos serviços não executados, a Fetracon constatou indícios de diversos crimes e atos de improbidade, como licitação dirigida, pagamentos irregulares e superfaturamento.
O mais grave é que mesmo com todos os problemas, a empresa contratada na gestão do ex-secretário Ricardo Murad, recebeu em dias e sem atraso o valor total de R$ 4,8 milhões. As ilegalidades começaram no processo licitatório, em 13 de dezembro de 2013. Somente a empresa Ires Engenharia Comércio e Representação apresentou proposta. Pela lei das licitações, o certame anterior deveria ter sido renovada, de forma que se pudesse buscar preços mais vantajosos ao Estado. Mas isso não ocorreu e a Ires foi contratada.
Outros elementos indicam que a licitação foi efetivamente dirigida para favorecer a empresa, pois no edital constaram exigências descabidas para restringir a concorrência. Também não foi dada a necessária publicidade à licitação e nem foi observado o prazo mínimo entre a publicação do edital e a data da sessão de julgamento das propostas.
Nas vistorias realizadas pelos engenheiros da Fetracon foi constatada a execução de apenas uma pequena parte da obra correspondente a R$ 591.074,15. O que significa que o prejuízo ao Estado foi de R$ 4.265.621,95. O pagamento dos valores foi autorizado pela empresa Proenge Engenharia e Projetos Ltda, contratada por R$ 70 milhões na gestão do ex-secretário Ricardo Murad para fazer os projetos dos hospitais e fiscalizar as obras.
A gestão do ex-secretário de Saúde Ricardo Murad pagou para a empresa 26% do valor total do contrato, mas somente foi constatada a execução de 3,2% do objeto contratado, ou seja, um enorme terreno, cercado com tapumes, em Rosário. Mesmo assim, a Proenge aprovou o pagamento de quase R$ 5 milhões para a Ires Engenharia Comércio e Representação.
Nossa reportagem entrou em contato com o Governo do Maranhão para saber quais providências serão adotadas em relação aos problemas encontradas. De acordo com o secretário de Estado de Transparência e Controle, Rodrigo Lago, foi recomendado à Secretaria de Saúde a rescisão do contrato.
“Considerando as gravíssimas constatações feitas pela Força Estadual de Transparência e Controle, determinei a realização de auditoria na licitação e na execução do contrato, além de encaminhar recomendações à Secretaria de Estado da Saúde no sentido de rescindir o contrato em defesa do patrimônio público”, explicou o secretário Rodrigo Lago.

Othelino defende direito do governador de usar redes sociais e cita exemplo do Papa Francisco

O parlamentar citou o exemplo do Papa Francisco que tem coragem de debater assuntos polêmicos da Igreja Católica, de forma inovadora na internet

O parlamentar citou o exemplo do Papa Francisco que tem coragem de debater assuntos polêmicos da Igreja Católica, de forma inovadora na internet

O deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) defendeu, na tribuna, na sessão desta terça-feira (30), o direito do governador do Estado, Flávio Dino (PCdoB), de usar as redes sociais para discutir o próprio governo, referindo-se a uma polêmica com o padre  Cláudio Bombieri e a questões do Sistema Carcerário. O parlamentar citou o exemplo do Papa Francisco que tem coragem de debater assuntos polêmicos da Igreja Católica de forma inovadora na internet.

“É só olhar para o Papa Francisco, olha como inova, como é corajoso. Ele colocou o dedo em temas que nenhum chefe religioso antes, nem a igreja, teve coragem de tratar. É um Papa que já falou, por exemplo, que é preciso discutir o celibato. Que já abordou a questão dos divorciados comungarem. Desculpou-se por casos de violência dentro da Igreja. Se ele discute assuntos polêmicos, expõe-se ao contraditório, se ele toca em temas sensíveis, então um padre não pode mais ser questionado? Não se pode discordar do padre? E mais, o governador do Estado não pode discutir nas redes sociais?”, comentou e indagou o deputado.

Othelino disse que há muitos excessos no destaque dado à crítica do texto do padre Cláudio Bombieri. Segundo ele, a oposição, que até outro dia era Governo, não é acostumada com o estilo democrático e transparente de Flávio Dino e tenta transformar em algo negativo o que deve ser elogiado. Ele disse que um governador se apresentar, expor-se ao debate nas redes sociais é um fato novo no Maranhão. Para o parlamentar, isso mostra que o governador está disposto a debater o seu governo, os problemas enfrentados e desce lá do mandato para discutir mesmo na internet.

“Isso é democrático, isso é saudável. Diferente de antes em que a ex-governadora Roseana Sarney nem governava, que dirá se prestar a discutir democraticamente, livremente um tema da maior importância como esse do Sistema Carcerário”, comparou.

Com relação ao episódio do padre Roberto Perez ter sido funcionário de uma empresa terceirizada, Othelino disse que é interessante agora ver alguns ditos “paladinos da moralidade” acharem isso normal. Segundo o deputado, estes mesmos criticaram, por muito tempo, a terceirização, no que diz respeito a servidores do Sistema Penitenciário, em particular de Pedrinhas, e não reconhecem que o atual Governo está, paulatinamente, acabando com isso.

Terceirização

Segundo Othelino, o padre, de fato, foi contratado em novembro de 2013, no auge da crise penitenciária. “E, coincidentemente, depois de ter sido dispensada a empresa terceirizada, passou a ser um crítico duro, ácido do Governo. Nada contra a crítica. É legitima e pode e deve ser rebatida. Não é pelo fato de ser padre que ele não vai ser rebatido, que não haverá o contraditório”, disse.

Othelino criticou a oposição por mostrar matéria sobre o Sistema Carcerário na revista Carta Capital, mas não dizer que o mesmo veículo publicou uma notícia, dando conta que dez mil professores terão formação sobre trabalho escravo no convênio com a ONG Repórter Brasil. “Foram lá com a lupa olhar aquilo que questionava o Governo, mas não observaram, na mesma revista, uma ação inédita, que tem política de combate ao trabalho escravo”, disse ao lembrar que a ex-governadora vetou o projeto, de sua autoria, que cancelava a inscrição estadual de empresas que, comprovadamente, utilizassem mão-de-obra escrava.

Sobre um pedido de desculpas do governo Flávio Dino em torno da polêmica com o padre Cláudio, sugerido pela oposição, Othelino  disse que nunca viu o grupo Sarney se desculpar pelo que fez com o Maranhão, por ter recebido um Estado próspero e entregue destruído. “Isso, sim, mereceria um pedido de desculpas”, frisou.

O deputado reiterou, no final do pronunciamento, que a postura do governador de não fugir ao debate merece aplausos. Segundo ele, é  importante discutir os problemas do governo, não só internamente com sua equipe, mas nas redes socais, ouvindo e respondendo críticas, “porque assim é que age um governo moderno, um governador democrático, transparente, que sabe aonde quer chegar com seu governo”.

Após entrevista com Bira do Pindaré, programa de jornalista é banido da rádio de Roberto Rocha

Gilberto Lima foi punido após fazer entrevista com Bira do Pindaré que defende, no PSB, opiniões contrárias às do senador Roberto Rocha

Gilberto Lima foi punido após fazer entrevista com Bira do Pindaré que defende, no PSB, opiniões contrárias às do senador Roberto Rocha

O fim do programa “Comando da Noite” do jornalista Gilberto Lima, que foi suprimido da rádio Capital AM, de propriedade do senador Roberto Rocha (PSB) – após  entrevista do deputado e secretário de Ciência e Tecnologia, Bira do Pindaré (PSB), para falar de ações da pasta – dá uma noção de  quanto anda a “queda de braço” na política maranhense em seus bastidores. Revela-nos também que a disputa pelas eleições municipais já está bastante acirrada.

Pretenso pré-candidato a prefeito de São Luís pelo PSB, Bira do Pindaré, que defende também a opção de apoio do partido à reeleição do prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Jr, compareceu à entrevista na rádio Capital AM e “incomodou” tanto a ponto da direção da emissora determinar a “suspensão” do programa do jornalista por tempo indeterminado.

Declaradamente em recente entrevista, Roberto Rocha disse que está disposto a disputar a Prefeitura de São Luís contra o “aliado” Edivaldo Holanda Jr, de quem foi vice-prefeito.

Confira a seguir, um texto de desabafo de Gilberto Lima que também é blogueiro:

Mais um ciclo se encerra: o programa “Comando da Noite” chega ao fim, na Rádio Capital AM

Por Gilberto Lima

Mais um ciclo se encerra em minha carreira profissional na comunicação. O programa “Comando da Noite”, depois de garantir uma das maiores audiências para a Rádio Capital AM, no horário de 21h às 23h30, chega ao fim. A marca Comando da Noite continuará comigo. Tem sido assim, desde o ano de 2001, quando lancei esse programa na Rádio Educadora AM, em um período em que nenhuma emissora ocupava o horário noturno com radiojonalismo. Uma aposta exitosa, pois, em seguida, outras emissoras passaram a inserir jornalismo na programação da noite.

E por que tomo essa decisão? Na verdade, fui forçado a isso, desde que a direção da emissora (não sei a mando de quem) determinara, na semana passada, a redução do horário do programa para apenas uma hora, das 23h à meia-noite. Um espaço de tempo diminuto para um programa de grande audiência e participação popular. A direção tinha a certeza que, com apenas uma hora de programa, reduziria a audiência e me faria desistir. Na verdade, a vontade dela (a direção) era me tirar de vez da rádio. Não o fez para que não houvesse repercussão maior. Queria que eu tomasse a iniciativa de sair. E conseguiu.

Mas o que teria levado a direção da rádio a tomar essa decisão? Talvez uma entrevista, ao vivo, com o deputado licenciado e Secretário de Estado da Ciência Tecnologia e Inovação, Bira do Pindaré, no programa de terça-feira(23). Bira tem discordado do posicionamentos do mandatário do PSB, dono da emissora, na condução da aliança em torno de uma candidatura a prefeito de São Luís. Bira do Pindaré defende a continuidade do apoio a Edivaldo Holanda ou o lançamento de candidatura própria, sempre seguindo orientações do grupo liderado pelo governador.

O que fiz, sem saber dessa disputa interna no PSB? Convidei Bira para fazer um balanço das ações de sua pasta. O suficiente para que eu fosse penalizado. Na tarde do dia seguinte, quarta-feira(24), vinha a sentença: o Comando da Noite teria apenas uma hora de duração, das 23h à meia-noite. Por que sair do São Cristóvão, tarde da noite, para apresentar apenas uma hora de programa, numa emissora localizada no Calhau, distante cerca de 16 Km? Poderia fazê-lo em respeito aos ouvintes. No entanto, não posso aceitar essa falta de respeito, primeiro aos ouvintes, depois a um profissional que tem 26 anos de atuação na imprensa maranhense e quem tem conquistado seu espaço com muito trabalho.

Eu ainda estava concluindo este texto quando fui surpreendido, no fim da tarde desta segunda-feira(29), com um telefonema do diretor operacional da emissora, Paulo Henrique, comunicando que o programa, por decisão da direção, estava suspenso por tempo indeterminado.

Prefiro seguir meu caminho, ao lado dos verdadeiros representantes dos anseios da maioria da população do Maranhão, a ter que tolerar atos ditatoriais de quem não respeita aqueles que sofrem – sem receber nenhuma recompensa financeira – para manter a emissora em evidência e com programas de audiência.

Sigo de cabeça erguida, na certeza de ter cumprido muito bem o meu papel como âncora de programas jornalísticos. Com a certeza de que, ao longo de vários anos, tenho dado minha contribuição para que o Maranhão encontre o caminho do desenvolvimento. Estou feliz pelo governo Flávio Dino, o verdadeiro líder e condutor do processo de mudanças da prática política no Estado.

Em breve, o “Comando da Noite” voltará ao ar, na Rádio Voz do Maranhão online. Sempre com liberdade e altivez!

Só um recado: quem tem com o que me pague, não me deve nada!

FOTOS DO DIA: Grupos de bumba-meu-boi do Maranhão referenciam São Pedro

Centenas de grupos de bumba-meu-boi amanheceram, nesta segunda-feira ( 29), Dia de São Pedro, o santo dos pescadores, das águas e das chuvas, no Largo de São Pedro,  no bairro da Madre Deus, na capital maranhense.

O ato é tradicional nesta data e é um a forma de homenagem do folclore maranhense a São Pedro, no dia dedicado ao santo que também é protetor dos pescadores. O dia sempre começa a ser celebrado com uma procissão marítima. As fotos são da jornalista Daniela Bandeira.

IMG-20150629-WA0004 IMG-20150629-WA0005 IMG-20150629-WA0002

Arraial da Maria Aragão recheado de atrações…

Programação do Arraial da Praça Maria Aragão garante programação diversificada até segunda (29)

Programação do Arraial da Praça Maria Aragão garante programação diversificada até segunda (29)

Os últimos dias de programação do arraial da Praça Maria Aragão, que será encerrado na segunda-feira (29), contam com diversas atrações culturais e folclóricas que vão agradar a todos os públicos. Além da boa programação, quem for ao local também poderá apreciar pratos com comidas típicas e desfrutar de uma mega estrutura de som, palco, iluminação, barracas, segurança e decoração que dá colorido e beleza ao “São João de Todos” e garante conforto e segurança aos integrantes das brincadeiras e aos visitantes.

A festa de magia e alegria, organizada pela Prefeitura de Sâo Luís, por meio da Fundação Municipal de Cultura (Func), em parceria com o governo do Estado, vai levar para o palco do arraial da Praça Maria Aragão bumba meu boi, cacuriá, shows e o espetáculo teatral Desejo de Catirina.

A programação de sábado (27) será aberta pelo Cacuriá Mirim Rabo de Saia, que começa a partir das 18h. Ao longo da noite se apresentarão ainda, nesta ordem, Quadrilha Fogo Caipira, bumba meu boi Fé em Deus, show do grupo Lamparina, baile de Caixa e os bumba bois Brilho da Ilha, Pindoba e Meu Tamarineiro. Cada apresentação dura uma hora.

Quem for à praça no domingo (28) pode curtir a dança do Coco Pirinã, show Folias de São João – Tutuca, Companhia Barrica e, fechando a noite, as apresentações dos bois Nina Rodrigues, Apolônio, Brilho da Boa Hora e de São José dos Índios.

Na segunda-feira (29), último dia do arraial, o espetáculo teatral Desejo de Catirina Gamar abre a programação às 18h. Em seguida, o público poderá assistir ainda às apresentações do bumba meu boi tradicional de São Bento, show folia de São João com o “Grupo Folias de Três”, cacuriá de Dona Teté, bumba meu boi Santa Fé, show de Pepê Júnior e o batalhão do boi de Maracanã.

STF aceita delação do dono da UTC/Constram e pode complicar vida de Roseana e Lobão

Raimundo Garrone

Roseana e Lobão: delação premiada de empreiteiro pode revelar esquema para a construção da refinaria em Bacabeira

Roseana e Lobão: delação premiada de empreiteiro pode revelar esquema para a construção da refinaria em Bacabeira

Se já estava complicado para Lobão e Roseana agora complicou muito mais com a decisão do STF em aceitar o acordo de delação premiada de Ricardo Pessoa, dono das empreiteiras UTC e Constram, preso pela Polícia Federal na operação Lava Jato.

As revelações de Pessoa podem ir além da denúncia da contadora do doleiro Alberto Youssef, Meire Poza, de que a Constram teria recebido o precatório de R$ 110 milhões depois de pagar propina para ex-governadora Roseana Sarney.

O empresário é apontado como líder do cartel de empresas que atuava na Petrobras e que envolvia pagamento do faz-me-rir a políticos

Nas negociações para o acordo de delação premiada, Pessoa disse que deu R$ 1 milhão para o senador Edison Lobão (PMDB), à época em que este ocupava o Ministério de Minas e Energia, para não criar empecilhos na obra da usina nuclear de Angra 3.

A UTC conquistou um dos contratos da usina nuclear, obra estimada em R$ 2,9 bilhões, em consórcio formado com a Odebrecht, Camargo Corrêa e Andrade Gutierrez.

Todas investigadas pela Lava Jato sob suspeita de terem pago propina para conquistar contratos da Petrobras.

Não é preciso ser um Einstein para calcular que Pessoa tem conhecimento das negociações para a contratação de empresas para fazer a terraplanagem da refinaria em Bacabeira, onde foi gasto R$ 1,5 bilhão, sem que o projeto tenha saído do papel.

O consórcio Galvão-Serveng-Fidens foi o beneficiado com a “obra”.

A Galvão Engenharia é investigada pela Polícia Federal e Ministério Público Federal por suposta participação no esquema de corrupção que envolvia o superfaturamento nos contratos da Petrobras e no pagamento de propina para políticos e funcionários da petrolífera.

É aí que Ricardo Pessoa pode complicar a dupla Roseana/Lobão.

O custo previsto para a construção da refinaria em Bacabeira era de R$ 20 bilhões, dinheiro suficiente para que o Cartel não deixasse que a obra fugisse do seu controle.

Se a ex-governadora e o ex-ministro apostavam suas fichas nas contradições entre Youssef e o ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa, sobre a doação de dinheiro sujo para a campanha de Roseana em 2010, com a delação premiada de Ricardo Pessoa, é melhor reservarem a escova de dentes para manter a higiene em uma possível temporada atrás das grades

Sem espaço no PMDB, Ricardo Murad procura novo partido

Marrapá

Praticamente expulso do PMDB por Roseana, Ricardo Murad procura outro rumo partidário

Praticamente expulso do PMDB por Roseana, Ricardo Murad procura outro rumo partidário

Sem espaço no PMDB, depois de ser vetado por Roseana Sarney para o diretório de São Luís, Ricardo Murad já admite publicamente trocar de legenda, levando a filha Andrea Murad debaixo do braço.

Em contato com o Jornal Pequeno, o cunhado da ex-governadora deu o braço a torcer: “se não me derem a direção municipal do PMDB, vou sair e procurar um outro partido para viabilizar minha candidatura a prefeito”.

O megalomaníaco ex-secretário espera pela criação do novo partido de Gilberto Kassab, o Partido Liberal, para se filiar aos quadros da sigla, com a garantia de que terá o comando desta no Maranhão.

No cenário nacional, a recriação do PL é vista como uma estratégia para esvaziar o PMDB e diminuir sua influência sobre o governo Dilma Rousseff. O Ministério Público Eleitoral (MPE) já deu parecer favorável ao novo partido.

Todavia, caso o PL não consiga o registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) até setembro deste ano, Murad trabalha com a hipótese de se apoderar do nanico PTN, dirigido no estado por seu genro, deputado estadual Sousa Neto