Cantora Alcione é internada em hospital de São Paulo e passa por cirurgia

Alcione foi submetida a dois procedimentos cirúrgicos: um cateterismo e angioplastia (Marcos Hermes/Veja SP)

A cantora Alcione foi internada nesta terça-feira (3) no Hospital Sírio-Libanês, onde foi submetida a dois procedimentos cirúrgicos: um cateterismo e angioplastia. A informação foi dada por meio de um boletim médico compartilhado na conta no Instagram da cantora. Ela tem um quadro de angina instável, termo utilizado para definir a dor ou desconforto no peito de uma pessoa.

“A cantora Alcione Nazareth deu entrada no Hospital Sírio-Libanês hoje, dia 03, com quadro de angina instável. Ela foi submetida a um cateterismo, seguido de angioplastia. A intervenção transcorreu com sucesso e sem intercorrências”, dizia o boletim, que ainda informou que Alcione deve permanecer internada durante a semana.

“A paciência encontra-se estável e deverá permanecer internado durante a semana. Ela está sendo acompanhada pelas equipes médicas coordenadas pelo Prof. Dr. Roberto Kalil Filho.Dr Antonio Antonietto.”

 

Leia mais: Saiba quem são os seis pré-candidatos ao Governo do Maranhão

Leia mais: São Luís é a terceira cidade do Nordeste que mais se desenvolveu

Leia mais: Datena confirma pré-candidatura ao Senado nas eleições 2018

Saiba quem são os seis pré-candidatos ao Governo do Maranhão

Palácio dos Leões, sede do Governo do Maranhão

Com o lançamento da pré-candidatura de Ramon Zapata, pelo PSTU, ao Governo do Estado, a corrida para o comando do Palácio dos Leões já tem seis nomes na disputa.

Já está confirmado o nome do senador Roberto Rocha (PSDB), que teve sua pré-candidatura anunciada em evento com a presença do ex-governador Geraldo Alckmin.

Leia mais: Declaração de Roseana sobre Lula irrita petistas maranhenses

O governador Flávio Dino (PCdoB) também já iniciou sua pré-candidatura com a realização dos ‘Diálogos pelo Maranhão’. Ele conta com o apoio de 14 partidos e tem a sua chapa fechada com a indicação do atual vice-governador Carlos Brandão (PRB) para a mesma vaga.

A ex-governadora Roseana Sarney (MDB) também teve seu nome lançado no mês de maio. Roseana que, nos últimos anos, perdeu o apoio de vários partidos, ainda não divulgou o nome de seu vice.

A ex-prefeita de Lago da Pedra, Maura Jorge, teve seu nome lançado como pré-candidata ao governo do Maranhão pelo PSL. O evento contou com a presença do presidenciável Jair Bolsonaro.

O nome do engenheiro Odívio Neto também foi anunciado como pré-candidato a governador pelo PSOL. A chapa ficou fechada com a indicação da professora Helena como pré-candidata a vice, pelo PCB.

Leia mais: Maura Jorge e o dilema com o Podemos de Aluísio Mendes

Leia mais: Sem apoios, Roseana Sarney diminui número de cidades de sua caravana de 50 para 11

Partidos da base de sustentação de Flávio Dino farão grande Convenção no próximo dia 28

Na Convenção, serão oficializadas a candidatura à reeleição de Flávio Dino para o Governo do Estado, de Weverton Rocha e Eliziane Gama para o Senado Federal, de candidatos à Câmara Federal e para a Assembleia Legislativa do Maranhão

Partidos que fazem parte da base de sustentação do governo Flávio Dino (PCdoB) farão uma Convenção conjunta com objetivo de oficializar as candidaturas para as próximas eleições.

Em reunião realizada na segunda-feira (02), representantes de pelo menos 11 partidos decidiram que a grande Convenção será realizada às 16h, no dia 28 de julho, em um local ainda a ser definido.

Leia mais: Diálogos pelo Maranhão: maranhenses contribuem com programa de reeleição de Flávio Dino

Estiveram na reunião os presidentes partidários: Márcio Jerry (PCdoB); Weverton Rocha (PDT); Eliziane Gama (PPS); Augusto Lobato (PT); Gastão Vieira (PROS); Josimar de Maranhãozinho (PR); Luciano Leitoa (PSB); André Fufuca (PP); Jota Pinto (Patriotas); Simplício Araújo (Solidariedade) e Pedro Lucas Fernandes, representando o PTB.

Na Convenção, serão oficializadas a candidatura à reeleição de Flávio Dino para o Governo do Estado, de Weverton Rocha e Eliziane Gama para o Senado Federal, de candidatos à Câmara Federal e para a Assembleia Legislativa do Maranhão.

Leia mais: Ponte Central-Bequimão: Mais uma lenda que Flávio Dino tira do papel

Leia mais: Flávio Dino reúne multidões em quatro cidades no interior do Maranhão

Governo anuncia parcerias com Vale e MRS para construir ferrovias

Dois projetos terão prioridade. O primeiro será a Ferrovia de Integração Centro-Oeste (Fico), de 383 quilômetros, entre Água Boa (MT) e o entroncamento com a Ferrovia Norte–Sul em Campinorte (GO). O segundo será o Ferroanel de São Paulo, de 53 quilômetros

O governo recorrerá à iniciativa privada para construir ferrovias consideradas estratégicas. Em troca, as empresas terão outros contratos, como concessão de linhas férreas, renovados por 30 anos. A iniciativa foi anunciada hoje (2) pelo ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Ronaldo Fonseca; pelo ministro dos Transportes, Valter Casimiro, e pelo secretário especial do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), Adalberto Vasconcelos.

Dois projetos terão prioridade. O primeiro será a Ferrovia de Integração Centro-Oeste (Fico), de 383 quilômetros, entre Água Boa (MT) e o entroncamento com a Ferrovia Norte–Sul em Campinorte (GO). O segundo será o Ferroanel de São Paulo, de 53 quilômetros, entre as estações de Perus, na capital paulista, e de Manoel Feio, em Itaquaquecetuba, na região de Mogi das Cruzes (SP), com traçado paralelo ao trecho norte do Rodoanel paulista.

Orçada em R$ 4 bilhões, a Fico será construída pela mineradora Vale, que em troca terá as concessões das linhas férreas Carajás (no Pará e no Maranhão) e Vitória–Minas renovadas até 2057. Mesmo descontando o que a mineradora gastou para duplicar a estrada de ferro Carajás, a empresa teria de desembolsar R$ 4 bilhões, mas vai construir a Fico em contrapartida.

“A prorrogação [dos contratos de Carajás e Vitória–Minas] vai dar um valor positivo, que será revertido em contrapartida de a Vale fazer a Fico. Isso traz uma nova dimensão para o país, com marcos claros, condicionados ao êxito de prorrogação”, explicou Vasconcelos. Depois de construir a Fico, a ferrovia será devolvida ao patrimônio da União, que licitará a linha ao setor privado pelo valor de outorga. Inicialmente, a Fico teria 1,6 mil quilômetros e ligaria Goiás a Rondônia, mas apenas o trecho até Água Boa será construído.

Em relação ao Ferroanel, o procedimento será semelhante. A empresa MRS Logística terá a concessão de diversas ferrovias renovadas em troca de construir o ramal de 53 quilômetros. Com a obra, os trens de carga que seguem para o Porto de Santos (SP) deixarão de compartilhar os trilhos das linhas da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), que transportam passageiros na Região Metropolitana de São Paulo. Assim que a linha for concluída, a União concederá a ferrovia à iniciativa privada.