Brasil perde por 2 a 1 da Bélgica e está eliminado da Copa

Gol contra de Fernandinho abriu caminho pata vitória da Bélgica

Projeto hexa adiado. Mais uma vez. A seleção brasileira acabou prejudicada por um mau primeiro tempo e foi superada pela eficiência de Bélgica nesta sexta-feira, em Kazan. A derrota por 2 a 1 pelas quartas de final da Copa do Mundo da Rússia encerra o sonho de título e acaba com a expectativa de uma população que, quatro anos depois da traumática goleada por 7 a 1 sofrida para a Alemanha, voltava a acreditar em uma conquista.

Se em 2014 o Brasil pagou por uma pane contra os alemães, desta vez foi punido por um primeiro tempo de falhas na marcação e contra-ataques perigosos. A badalada seleção de Bélgica fez um jogo inteligente e mostrou o quanto desta vez está mais preparada. A equipe depois de 32 anos está de volta à semifinal de uma Copa e em grande estilo, ao impor ao técnico Tite a primeira derrota em jogos oficiais.

A Bélgica ofereceu de uma vez só dificuldades jamais enfrentadas pela seleção na era Tite. Além de criar ao Brasil uma inédita desvantagem de dois gols no primeiro tempo, a equipe europeia conseguiu desfrutar de uma marcação enfraquecida pela ausência de Casemiro, suspenso. De Bruyne e Hazard tinham grande liberdade para armar jogadas, em especial contra-ataques. Nenhum adversário teve tanto espaço assim contra o Brasil nos últimos anos.

O começo da partida pareceu promissor para o Brasil. Com sete minutos, o time acertou a trave com Thiago Silva e logo depois conseguiu uma sequência de ataques perigosos. O jogo parecia favorável até os belgas chegarem ao gol aos 13, quando, em um escanteio pela esquerda, Fernandinho fez contra ao cabecear para o gol. A partir disso os chamados Diabos Vermelhos conseguiram preparar a armadilha perfeita.

Em uma dessas jogadas, aos 30 minutos, os belgas ampliaram. Marcelo ficou com dois adversários na sua frente e sem ter muito a fazer, viu De Bruyne conduzir e chutar cruzado no canto de Alisson. O Brasil se viu em uma quartas de final de Copa em um panorama desastrosamente inédito na era Tite: a então melhor defesa da Copa dava espaços, o ataque não conseguia marcar e a derrota parcial desafiava o equilíbrio emocional.

Leia mais: São Luís é a terceira cidade do Nordeste que mais se desenvolveu

O intervalo exigiu atitude. Tite tirou Willian para colocar Firmino e tentar empurrar os adversários. Teve reclamação de dois pênaltis, chutes perigosos e mais contra-ataque belga. Hazard quase fez o terceiro. Ao Brasil, não restava mais alternativa a não se arriscar mais conforme o tempo passava. A seleção colocou Douglas Costa em campo e tentou não esmorecer, embora o tempo fosse um cruel inimigo.

A Bélgica se armou em uma linha defensiva de cinco jogadores no segundo tempo. Atravessar a barreira era difícil. Então, foi preciso arriscar o modo menos óbvio, pelo alto. Coutinho ergueu para Renato Augusto desviar de cabeça e diminuir, aos 31 minutos da segunda etapa. Era um respiro e tanto para quem quase já perdia o fôlego por tanto atacar e não ver resultado.

O prejuízo tinha caído pela metade. Precisava resolver o restante para buscar a prorrogação. O Brasil quase empatou com Renato Augusto, Firmino, Coutinho e Neymar, que obrigou o goleiro a um milagre nos acréscimos. Não houve o abatimento de 2014, a fraqueza emocional de 2010 ou a passividade de 2006. O Brasil saiu da Copa brigando muito e de cabeça erguida. Pena que volta para casa, mais uma vez, de mãos vazias.

 

Leia mais: Flávio Dino e as cidades do Leste Maranhense…

Leia mais: Ibope: nova pesquisa mostra Bolsonaro e Marina empatados tecnicamente

“Os equipamentos vão servir para melhorar a vida das pessoas”, diz Othelino durante entrega de máquinas a municípios

Othelino enfatizou a importância da entrega de equipamentos a conselhos tutelares e de 20 máquinas motoniveladoras a municípios maranhenses

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Othelino Neto (PCdoB), e diversos outros parlamentares participaram, na manhã desta sexta-feira (6), da cerimônia de entrega de equipamentos a conselhos tutelares e de 20 máquinas motoniveladoras a municípios maranhenses. Ele pontuou a importância desses equipamentos para a melhoria de vida das pessoas das cidades contempladas.

A solenidade, presidida pelo governador Flávio Dino (PCdoB), aconteceu no Palácio Henrique de La Rocque, também com a presença dos deputados Rogério Cafeteira (DEM), Glalbert Cutrim (PDT), Bira do Pindaré (PSB), Zé Inácio (PT), Raimundo Cutrim (PCdoB), Antônio Pereira (DEM), Vinícius Louro (PR) e Josimar de Maranhãozinho (PR).

O deputado Othelino Neto destacou a importância da entrega dos equipamentos aos municípios. “Hoje foi um dia muito especial para todos nós, em face da importância da parceria dos municípios com o Governo do Estado. Graças a essa parceria, vai ser possível a melhoria e a recuperação de várias estradas vicinais, mediante a utilização das motoniveladoras. Os equipamentos, com certeza, vão servir para melhorar, e muito, a vida das pessoas”, frisou.

Leia mais: “Presidente Sarney vive momento histórico com inaugurações”, afirma Othelino Neto

Ele salientou ainda que, para a aquisição das máquinas, foram realizados investimentos em torno de R$ 9,9 milhões. Othelino explicou que as motoniveladoras servirão como apoio no trabalho de recuperação das estradas vicinais, facilitando o acesso aos povoados e sede das cidades, além de garantir o escoamento da produção agrícola.

A entrega do maquinário faz parte do programa Caminhos da Produção, uma iniciativa do Governo do Maranhão para melhorar as condições de tráfego, acessibilidade e mobilidade urbana nos municípios do interior do estado.

Já os kits de equipamentos para os conselhos tutelares ajudarão os municípios no atendimento de crianças e adolescentes, que tiveram seus direitos fragilizados. Cada kit é composto por um veículo, cinco computadores, uma impressora, um bebedouro e um refrigerador.

A cerimônia contou, também, com a participação dos deputados federais Weverton Rocha (PDT), Eliziane Gama (PPS), Rubens Pereira Júnior (PCdoB), Zé Carlos (PT), Deoclides Macedo (PDT) e André Fufuca (PP), além de diversos secretários de Estado, prefeitos, vereadores, representantes dos municípios e instituições atendidas.

 

Leia mais: Em São Bento, Othelino diz que obras inauguradas por Flávio Dino são marcantes para a Baixada Maranhense

Leia mais: PSB decide apoiar pré-candidatura de Ciro Gomes à Presidência

Governo divulga resultado final do concurso da Polícia Militar do Maranhão

O concurso, que teve edital de abertura publicado em setembro de 2017, visa o preenchimento de 1.171 vagas para o cargo de soldado e 43 vagas para o cargo de 1º Tenente

Divulgado na quinta-feira (5), o resultado final do concurso público da Polícia Militar do Estado Maranhão (PMMA) para os cargos de 1º Tenente do Quadro de Oficiais de Saúde e Soldado do Quadro de Praça Policial. No total, mais de 100 mil pessoas se inscreveram para participar do certame.

O concurso, que teve edital de abertura publicado em setembro de 2017, visa o preenchimento de 1.171 vagas para o cargo de soldado e 43 vagas para o cargo de 1º Tenente do quadro de Oficiais de Saúde da corporação, além de formação de cadastro de reserva.

A listagem com o resultado final pode ser consultada no site do Centro Brasileiro de Pesquisas em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe), empresa que realizou o certame: http://www.cespe.unb.br/concursos/PM_MA_17/.

Lei Eleitoral restringe ações de agentes públicos a partir deste sábado (07)

Norma eleitoral do TSE suspende no próximo sábado nomeação para cargos públicos

No próximo sábado (7), três meses antes das eleições, os agentes públicos ficam proibidos de praticar várias condutas, segundo as regras estabelecidas pela Justiça Eleitoral, que permite a partir desta quinta-feira (5) a propaganda interpartidária pelos pré-candidatos a cargos eletivos.

Os agentes públicos não poderão, a partir do dia 7, nomear, contratar ou de qualquer forma admitir, demitir sem justa causa, suprimir ou readaptar vantagens, ou por outros meios dificultar ou impedir o exercício funcional e, ainda, remover, transferir ou exonerar servidor público.

Ficam ressalvados os atos de nomeação ou exoneração de cargos em comissão e designação ou dispensa de funções de confiança; nomeação para cargos do poder Judiciário, do Ministério Público, dos Tribunais ou Conselhos de Contas e dos órgãos da Presidência da República; nomeação dos aprovados em concursos públicos homologados até 7 de julho de 2018.

Leia mais: Divulgado limite de gastos para as eleições 2018

Poderá ser formalizada, também, nomeação ou contratação necessária à instalação ou ao funcionamento inadiável de serviços públicos essenciais, com prévia e expressa autorização do chefe do Poder Executivo; transferência ou remoção de militares, de policiais civis e de agentes penitenciário.

Também ficam proibidos de realizar transferência voluntária de recursos da União aos estados e municípios e dos estados aos municípios, ressalvados os recursos destinados a cumprir obrigação formal preexistente para execução de obra ou de serviço em andamento e com cronograma prefixado e os destinados a atender situações de emergência e de calamidade pública.

Propaganda

A partir desta quinta-feira (5), os políticos que pretendem ser indicados por seus partidos para concorrer a cargos públicos nas eleições no dia 7 de outubro poderão fazer propaganda intrapartidária. Está autorizado pelo TSE o uso dos mais diversos meios, como panfletos, debates e apresentações pessoais.

Fica proibida, porém, a inserção de peças promocionais em rádio, televisão e outdoors. O material utilizado deverá ser retirado imediatamente após a realização da convenção partidária, que será realizada entre os dias 20 de julho e 5 de agosto.

Contratação de artistas e distribuição de material eleitoral

A partir de 7 de julho, fica proibida a contratação de shows artísticos para a inauguração de obras e prestação de serviços. Não é permitida também a fixação e distribuição de propaganda eleitoral de candidatos, partidos ou coligações nos veículos do sistema de transporte público individual e coletivo de pessoas.

Não sofrem restrições no período eleitoral os contratos e ajustes para serviços, bens e obras, inclusive por dispensa ou inexigibilidade de licitação. No entanto, nos últimos dois quadrimestres do mandato, o Estado não pode fazer compromisso financeiro sem que haja verba para quitar integralmente a dívida no mandato.

Ações de publicidade, propaganda e patrocínio

A coordenação e a execução da política de comunicação dos órgãos e entidades da administração pública direta e indireta ficam a cargo da Secretaria de Comunicação.
Não é permitida a divulgação de publicidade institucional dos atos, programas, obras, serviços e campanhas dos órgãos e entidades em qualquer meio de comunicação, de 7 de julho de 2018 até as eleições. A publicidade deve ter caráter educativo, informativo ou de orientação social, e não pode ter nomes, símbolos ou imagens que caracterizem promoção pessoal de autoridade ou servidor público.

Eliseu Padilha assume interinamente Ministério do Trabalho

Em edição extra do Diário Oficial da União, publicado há pouco, o presidente Michel Temer exonerou Yomura e nomeou Padilha

O chefe da Casa Civil da Presidência da República, ministro Eliseu Padilha, vai assumir interinamente o Ministério do Trabalho, no lugar de Helton Yomura. Padilha vai acumular os dois cargos. Em edição extra do Diário Oficial da União, publicado há pouco, o presidente Michel Temer exonerou Yomura e nomeou Padilha.

Em nota à imprensa divulgada na noite desta quinta-feira (5), o Palácio do Planalto informou que Temer recebeu e aceitou o pedido de exoneração do ministro do Trabalho. “O presidente agradeceu sua dedicação à frente da pasta”, diz a nota da Secretaria de Comunicação Social da Presidência.

Um dos alvos da terceira fase da Operação Registro Espúrio, deflagrada hoje pela Polícia Federal (PF), o ministro Helton Yomura prestou depoimento na superintendência do órgão, em Brasília, acompanhado por seu advogado, e depôs por cerca de uma hora.

Em nota, o advogado do ministro, César Caputo Guimarães, confirmou que, em função das investigações, Yomura foi suspenso de suas funções no ministério e afirmou que todas as medidas jurídicas cabíveis seriam adotadas para reverter tal medida, determinada pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

A PF informou que o objetivo da terceira fase da Operação Registro Espúrio foi aprofundar as investigações sobre uma suposta organização criminosa suspeita de fraudar a concessão de registros sindicais junto ao Ministério do Trabalho.