TRE-MA confirma inelegibilidade de Ricardo Murad

O ex-secretário foi condenado por abuso de poder político e econômico nas eleições municipais de 2012

Com o placar de 5 a 1, o Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão aceitou a decisão da juíza Josane Araujo Farias Braga, responsável pela 8ª Zona Eleitoral de Coroatá, e manteve a inelegibilidade, por oito anos, do ex-secretário de Estado da Saúde Ricardo Murad.

O ex-secretário foi condenado por abuso de poder político e econômico nas eleições municipais de 2012, quando teria, de acordo com a decisão da Justiça, usado a estrutura da Secretaria de Saúde nas eleições municipais.

Com a maioria dos votos pela condenação, o TRE-MA entendeu que Ricardo praticou conduta vetada no período eleitoral.

Ricardo Murad disse que está avaliando com seu advogado um recurso ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Veja as ordens de veiculação da propaganda eleitoral no Rádio e na TV

Na TV, os horários serão das 13h às 13h25 e das 20h30 às 20h55. No rádio, os horários serão das 7h às 7h25 e 12 h as 12h25

Faltam exatos 10 dias para o início da propaganda eleitoral no Rádio e na TV. Às Terças, quintas e sábados as campanhas apresentadas serão para Presidente da República e para o cargo de deputado federal. Segundas, quartas e sextas serão os cargos de governador, senador e deputado estadual.

Na TV, os horários serão das 13h às 13h25 e das 20h30 às 20h55. No rádio, os horários serão das 7h às 7h25 e 12 h as 12h25.

Veja a ordem de veiculação da propaganda para o cargo de governador do Maranhão definida por meio de sorteio:

1º – Odívio Neto (PSOL) com a coligação Vamos Sem Medo Mudar o Maranhão (PSOL e PCB)
2º – Flávio Dino (PCdoB) com a coligação Todos Pelo Maranhão (PCdoB, PDT, PRB, PPS, PTB, DEM, PP, PR, PTC, PPL, PROS, AVANTE, PEN, PT, PSB e Solidariedade)
3º – Maura Jorge (PSL) com a coligação Renovação de Verdade (PSL e PRTB)
4º – Ramon Zapata (PSTU)
5º – Roberto Rocha (PSDB) com a coligação União e Coragem Para Fazer um Maranhão Melhor (PSDB, REDE, PSDC, PODEMOS, PHS e PMN)
6º – Roseana Sarney (MDB) com a coligação O Maranhão Quer Mais (MDB, PSD, PMB, PV, PRP, PSC)

Para o Senado Federal, a sequência das coligações ficou da seguinte forma:
1º – Todos Pelo Maranhão (Weverton Rocha, do PDT, e Eliziane Gama, do PPS)
2º – Vamos Sem Medo Mudar o Maranhão (Saulo Pinto, do PSOL, e Iêgo Brunno, do PCB)
3º – O Maranhão Quer Mais (Edison Lobão, do MDB, e Sarney Filho, do PV)
4º – Renovação de Verdade (Samuel Campelo, do PRTB)
5º – União e Coragem Para Fazer um Maranhão Melhor (Alexandre Almeida, do PSDB, e José Reinaldo Tavares, do PSDB)
6º – PSTU (Saulo Arcangeli e Preta Lú)

Para o cargo de deputado federal, a ordem definida por sorteio foi:
1º – Juntos Pelo Maranhão I (PSL e PRTB)
2º – Coragem e União Para Fazer um Maranhão Melhor (PSDB, REDE, PODEMOS e DC)
3º – O Maranhão Quer Mais (MDB, PV, PSD, PSC, PMB e PRP)
4º – Vamos Sem Medo Mudar o Maranhão (PSOL e PCB)
5º – Juntos Pelo Maranhão II (PMN e PHS)
6º – PT
7º – Todos Pelo Maranhão I (PCdoB, PRB, PPS SOLIDARIEDADE, PROS, PTC, PTB, PSB, DEM, AVANTE e PPL)
8º – PSTU
9º – Todos Pelo Maranhão II (PDT, PP, PR e Patriotas)

Para deputado estadual, as coligações e partidos ficaram na seguinte ordem:
1º – Para Fazer um Maranhão Melhor (REDE, PODEMOS e DC)
2º – Vamos Sem Medo de mudar o Maranhão (PSOL E PCB)
3º – Juntos Pelo Maranhão II (PMN e PHS)
4º – Maranhão Quer Mais II (MDB, PV, PSD, PSC, PMB e PRP)
5º – Todos Pelo Maranhão IV (PTB, PROS, PPS e PPL)
6º – PT
7º – PSOL
8º – PCO
9º – PSTU
10º – Todos Pelo Maranhão III (PDT, PCdoB, PSB, PRB, PR, DEM, PP, PTC e AVANTE)
11º – PRTB
12º – PSDB
13º – Todos Pelo Maranhão V (SOLIDARIEDADE e Patriotas)

IFMA abre 6.640 vagas para cursos técnicos de nível médio

As 6.640 vagas estarão disponíveis nas 29 unidades do IFMA que estão distribuídos em 27 municípios maranhenses

O Instituto Federal do Maranhão (IFMA) está ofertando 6.640 vagas que serão destinadas aos cursos técnicos de nível médio. As vagas serão ofertadas para ingresso nas modalidades Integrada, Concomitante e Subsequente. O prazo para solicitação de isenção será de 20 de agosto a 3 de setembro. Já as inscrições regulares ocorrem de 5 de setembro até 5 de outubro. As provas serão realizadas no dia 2 de dezembro.

Para concorrer as vagas da modalidade Integrada o estudante precisa está concluindo no ano de 2018 a oitava ou nona série do Ensino Fundamental. Os estudantes que estão cursando neste ano a primeira ou segunda série do Ensino Médio podem concorrer as vagas que estão destinadas a modalidade Concomitante e os candidatos que já concluíram ou estão concluindo em 2018 o Ensino Médio podem concorrer as vagas da modalidade Subsequente.

Em cada curso, 50% das vagas serão destinadas aos candidatos de escola pública. Dessas vagas, metade serão reservadas aos candidatos com renda familiar bruta igual ou inferior a um salário mínimo e meio per capita e a outra metade será reservada aos candidatos com renda familiar bruta superior a um salário mínimo e meio per capita.

As 6.640 vagas estarão disponíveis nas 29 unidades do IFMA que estão distribuídos em 27 municípios maranhenses.

Com aplicação agendada para o dia 02 de dezembro, a prova terá duração de quatro horas e constará de 40 questões de múltipla escolha, sendo 20 de Língua Portuguesa e 20 de Matemática. Cada questão apresentará cinco alternativas, com uma única opção correta. Os programas para estudo constam no edital. O resultado tem previsão de divulgação em 09 de janeiro de 2019, no portal do IFMA.

TV Difusora e Rádio Mirante serão as geradoras da campanha eleitoral de 2018

O sorteio foi realizado, nesta segunda-feira (20), no Tribunal Regional Eleitoral, durante audiência pública

A TV Difusora, afiliada ao SBT no Maranhão, foi escolhida vão gerar a propaganda eleitoral gratuita das eleições de 2018 para todo o Estado. A Rádio Mirante será a geradora da propaganda no rádio.

O sorteio foi realizado, nesta segunda-feira (20), no Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão, durante audiência pública para elaboração do plano de mídia das Eleições 2018.

“O Velho de Novo”: Editorial da Folha de S.Paulo cita Sarney

As eleições estaduais e legislativas fornecem demonstrações ainda mais eloquentes, quase caricaturais, da resistência dos nichos tradicionais de poder

Se a espiral de desastres econômicos e escândalos de corrupção dos últimos anos prenunciava uma intensa demanda por renovação na política, o cenário eleitoral deste 2018 dá seguidos exemplos de que a inércia ainda rege a oferta de opções competitivas nas disputas.

O processo mais visível de decantação se deu na corrida presidencial, com a desistência precoce de candidatos a mudar o rol tradicional de favoritos —casos de Luciano Huck, apresentador de TV, e Joaquim Barbosa, ministro aposentado do Supremo Tribunal Federal.

Fora a relativa novidade representada por Jair Bolsonaro (PSL), um deputado no sétimo mandato consecutivo, restaram no páreo postulantes experimentados. Além de PT e PSDB, que encabeçaram os últimos seis pleitos, os concorrentes mais bem posicionados são os veteranos Marina Silva (Rede) e Ciro Gomes (PDT).

As eleições estaduais e legislativas fornecem demonstrações ainda mais eloquentes, quase caricaturais, da resistência dos nichos tradicionais de poder.

Como noticiou esta Folha, os principais clãs políticos do país lançaram mais de 60 candidaturas neste ano. Entre os sobrenomes mais conhecidos estão os de dois ex-presidentes, José Sarney (MDB), cuja filha Roseana tenta voltar ao governo do Maranhão, e Fernando Collor (PTC), ele próprio em busca de retomar Alagoas.

As chances de sucesso das oligarquias podem ser avaliadas conforme o tamanho de suas coligações. O governador alagoano, Renan Filho (MDB), concorre a um segundo mandato com o apoio de 19 siglas; no Pará, o também emedebista Helder Barbalho reúne 17.

O descompasso entre a expectativa de renovação e a permanência de velhos nomes e práticas se dá, em boa medida, porque os partidos e seus caciques controlam o acesso à política —e os mais estabelecidos dispõem de mais verbas e tempo de propaganda na TV.

Dado o nível precário de informação do eleitorado, as apostas tendem a se concentrar em figuras conhecidas. Por ora, o potencial das redes sociais na construção de lideranças é hipótese a ser testada.

Esse estado de coisas não será alterado, de todo modo, simplesmente porque parcelas mais atuantes da sociedade expressam insatisfação com seus representantes.

Tal sentimento precisa se materializar em reformas graduais, algumas delas, diga-se, já em modesto andamento. Neste ano, uma cláusula de desempenho ainda branda deve contribuir para a redução do número de partidos; a partir de 2020, acabam as coligações proporcionais nos pleitos legislativos.

Nada disso garante um sistema imune a vícios, como aliás não se encontra no mundo. Certo é que a mera rejeição à política se mostra, na melhor hipótese, estéril.

Pesquisa Ibope aponta Lula com 37% e Bolsonaro com 18%

A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal “O Estado de S.Paulo”. É o primeiro levantamento do Ibope realizado depois da oficialização das candidaturas na Justiça Eleitoral

Pesquisa Ibope divulgada nesta segunda-feira (20) apurou os percentuais de intenção de voto para presidente da República em dois cenários com candidatos diferentes do PT – o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no primeiro cenário e o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad no segundo.

Cenário com Lula
No cenário que inclui como candidato do PT o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a pesquisa apresentou o seguinte resultado:

Luiz Inácio Lula da Silva (PT): 37%
Jair Bolsonaro (PSL): 18%
Marina Silva (Rede): 6%
Ciro Gomes (PDT): 5%
Geraldo Alckmin (PSDB): 5%
Alvaro Dias (Podemos): 3%
Eymael (DC): 1%
Guilherme Boulos (PSOL): 1%
Henrique Meirelles (MDB): 1%
João Amoêdo (Novo): 1%
Cabo Daciolo (Patriota): 0
Vera (PSTU): 0
João Goulart Filho (PPL): 0
Branco/nulos: 16%
Não sabe/não respondeu: 6%

A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal “O Estado de S.Paulo”. É o primeiro levantamento do Ibope realizado depois da oficialização das candidaturas na Justiça Eleitoral.

Cenário com Haddad

Lula está preso em Curitiba, condenado em segunda instância no caso do triplex no Guarujá. Pela Lei da Ficha Limpa, ele está inelegível. Por essa razão, a Procuradoria Geral da República impugnou (questionou) a candidatura.

O caso está sendo analisado pelo ministro Luís Roberto Barroso e será decidido pelo TSE depois de ouvir a defesa de Lula, a favor do registro da candidatura. Em razão desse quadro jurídico, o Ibope pesquisou outro cenário, com o atual candidato a vice na chapa de Lula, Fernando Haddad. Nesse cenário, o resultado seria:

Jair Bolsonaro (PSL): 20%
Marina Silva (Rede): 12%
Ciro Gomes (PDT): 9%
Geraldo Alckmin (PSDB): 7%
Fernando Haddad (PT): 4%
Alvaro Dias (Podemos): 3%
Eymael (DC): 1%
Guilherme Boulos (PSOL): 1%
Henrique Meirelles (MDB): 1%
João Amoêdo (Novo): 1%
Cabo Daciolo (Patriota): 1%
Vera (PSTU): 1%
João Goulart Filho (PPL): 1%
Branco/nulos: 29%
Não sabe/não respondeu: 9%

Fernando Haddad e Manuela D’Ávila estarão no Maranhão na próxima sexta-feira (24)

Na ocasião, Haddad vai reafirmar o apoio do PT nacional à reeleição do governador Flávio Dino (PCdoB)

O Maranhão vai receber na próxima sexta-feira (24), na Praça Nauro Machado, em São Luís, o candidato a vice-presidente na chapa encabeçada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PCdoB). A festa da democracia também contará com a presença de Manuela D’Ávila (PCdoB).

Na ocasião, Haddad vai reafirmar o apoio do PT nacional à reeleição do governador Flávio Dino (PCdoB).

O evento também vai contar com a presença de Weverton Rocha (PDT), candidato a senador.

“Vamos levar uma mensagem do Lula pro povo maranhense, pro Brasil ser feliz de novo”, afirmou Haddad.