Final de semana foi marcado por manifestações favorável e contra Bolsonaro em São Luís

Ato pró Bolsonaro realizado na Avenida Litorânea, em São Luís

O final de semana foi marcado por manifestações pró e contra o presidenciável Jair Bolsonaro, em São Luís. A ala do contra escolheu o Centro Histórico, no sábado (29), e os eleitores favoráveis a ele tomaram conta da Avenida Litorânea, neste domingo (30), em um  movimento de apoio ao capitão, vítima de violência de um esquerdista no dia 06 de setembro em Juiz de Fora.

No sábado, manifestantes da esquerda foram às ruas do Centro Histórico para participarem do movimento #EleNão. O protesto foi mobilizado pelas redes sociais e contou com a participação de vários coletivos e grupos culturais.

Ato #EleNão em frente à Praça Maria Aragão, ontem (29), em São Luís

A concentração ocorreu na praça Maria Aragão, no Centro de São Luís, e percorreu a Avenida Beira-Mar até a praça do Catraieiros, na Praia Grande.

Já neste domingo (30), em resposta ao movimento #EleNão, manifestantes saíram às ruas da capital maranhense, São Luís, e em diversas cidades do país, pelo movimento #EleSim em favor da candidatura à Presidência da República pelo PSL de Jair Bolsonaro.

Em São Luís, os manifestantes percorreram a Avenida Litorânea, no bairro do Calhau na capital maranhense.

Ato pró Bolsonaro realizado na Avenida Litorânea, em São Luís

O movimento a favor de Bolsonaro contou com a participação de muitas mulheres e muitas famílias. Também foi articulado pelas redes sociais, onde o presidenciável tem muitos seguidores.

Os participantes pregaram a necessidade da vitória de Bolsonaro para a renovação da política brasileira e a recuperação da credibilidade do país.

Manifestantes pró-Bolsonaro ocupam várias cidades pelo Brasil neste domingo

Ato a favor de Jair Bolsonaro na Avenida Paulista Foto: Miguel Schincariol

Após um sábado (29) marcado por protestos contra Jair Bolsonaro (PSL), neste domingo (30) ocorrem diversas manifestações a favor do candidato. Segundo informações da imprensa, em pelo menos 30 cidades brasileiras ocorreram carreatas e passeatas que defenderam a candidatura do deputado carioca.

Em Brasília, segundo estimativa da Polícia Militar do Distrito Federal, cerca de 12 mil veículos participaram de uma carreata na Esplanada dos Ministérios. A maioria das pessoas estiveram com camisas representando as cores da bandeira do Brasil e com faixas com dizeres como “Venceremos à Corrupção”.

Em Belo Horizonte, manifestantes com camisetas e bexigas verde e amarelas se concentraram desde às 9h00 na Praça Geralda Damata Pimentel, na Pampulha. No mesmo horário, em Maceió, um ato reuniu milhares de pessoas na orla da principal praia da capital do Alagoas, enquanto em Manaus cerca de 8 mil pessoas se reuniram na Orla da Ponta Negra, na Zona Oeste da capital do Amazonas. Foram registradas também manifestações de apoio em Pernambuco, Rio de Janeiro, Santa Catarina e em diversas cidades do interior de São Paulo.

Brasília: Carreata a favor de Bolsonaro se concentrou no Museu da República na manhã deste domingo (30) — Foto: Vinícius Cassela/TV Globo

Uma manifestação na Avenida Paulista reuniu apoiadores de Jair Bolsonaro na tarde deste domingo. O grupo começou a se reunir pouco antes das 14h e, por volta das 15h45, os manifestantes ocupavam os dois sentidos da avenida.

Os manifestantes, alguns vestindos camisetas verde e amarelas, se concentravam na altura do Museu de Arte de São Paulo (Masp).

Em discurso aos manifestantes, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL), e o candidato ao Senado Major Olimpio(PSL) criticaram o PT. A PM não divulgou estimativa de público na manifestação, que ocupou três quarteirões da Avenida Paulista. Olímpio disse que se a candidatura de Bolsonaro crescer “mais um Alckminzinho” – cinco ou seis pontos porcentuais nas pesquisas – seria possível vencer a eleição ainda no primeiro turno.

No caminhão de som, militantes ressaltam a participação feminina no evento – dizendo que as mulheres são mães, amigas, que cuidam da casa, dos homens e da família. Eduardo Bolsonaro falou às mulheres que apoiam seu pai.

Edir Macedo declara apoio a Bolsonaro

O religioso da maior igreja neopentecostal do País e a mais influente eleitoralmente usou seu perfil oficial certificado no Facebook para responder ao questionamento de um fiel da IURD

Estadão
O bispo Edir Macedo, líder daIgreja Universal do Reino de Deus (IURD), declarou voto ontem em Jair Bolsonaro, deputado federal e candidato a presidente da República pelo PSL. O Estado apurou que o PRB, partido ligado à Universal, já manifestou internamente predileção por Bolsonaro num segundo turno entre ele e o candidato do PT, ex-ministro e ex-prefeito Fernando Haddad, cenário mais provável segundo pesquisas de intenção de voto. O partido coligou-se ao tucano Geraldo Alckmin no primeiro turno, mas prepara-se para entrar na campanha de Bolsonaro. A informação foi publicada no sábado, pelo jornal O Globo.

O religioso da maior igreja neopentecostal do País e a mais influente eleitoralmente usou seu perfil oficial certificado no Facebook para responder ao questionamento de um fiel da IURD, que desejava saber quem ele apoiaria na eleição para presidente da República.

O corretor de imóveis Antonio Mattos, simpatizante de Bolsonaro, comentou em um vídeo de Macedo, cujo conteúdo não tinha a ver com eleição: “Queremos saber bispo (sic) do seu posicionamento sobre a eleição pra presidente”. O bispo Macedo respondeu de forma direta: “Bolsonaro”.

Em eleições anteriores, a Igreja Universal apoiou a ex-presidente Dilma Rousseff (PT), hoje candidata ao Senado em Minas Gerais. O PRB, partido ligado à igreja criado durante o governo Lula, participou das duas últimas gestões petistas, mas desembarcou do governo e apoiou o impeachment. A sigla comanda o Ministério da Indústria no governo Michel Temer.

A Universal decidira ficar “neutra” na disputa presidencial, sem fazer declarações oficiais, nem indicar posição. Uma fonte com trânsito na cúpula da denominação disse que a posição poderia ser revista ao longo da semana, e outros líderes religiosos evangélicos esperavam um posicionamento do Bispo Edir Macedo. Oficialmente, a Universal disse ao Estado, na quinta-feira à noite, que “incentiva a todos os cristãos, de todas as denominações, a escolherem candidatos comprometidos com os valores da família e da fé”.

Um dos elos entre a campanha de Bolsonaro e líderes da Universal são os integrantes da comunidade judaica que colaboram com a campanha do PSL e mantêm vínculos com religiosos graduados da igreja. A Universal adotou a simbologia judaica, e o ex-capitão do Exército também passou a se posicionar de acordo com bandeiras defendidas por Israel. Em 2016, viajou ao País com os filhos, e foi batizado no Rio Jordão pelo pastor Everaldo Pereira, da Assembleia de Ministério Madureira.

Exata mostra crescimento de Weverton Rocha; Eliziane e Lobão brigam pela segunda vaga

A pesquisa Exata foi registrada no TSE sob o número MA-05196/2018, a Exata utilizou 1402 questionários e ouviu a opinião de eleitores de todo o Maranhão entre os dias 25 e 28 de setembro

A pesquisa do Instituto Exata divulgada neste domingo (30), pelo Jornal Pequeno, mostra que o candidato a senador Weverton Rocha (PDT) chegou a 31% das intenções de voto e é líder na corrida ao Senado Federal. Em comparação com a pesquisa anterior, publicada pelo jornal no dia 16 de setembro, Weverton cresceu 6 pontos percentuais.

Eliziane Gama (PPS) e Edison Lobão (MDB) estão tecnicamente empatados. A candidata do PPS tem 28%, enquanto Lobão tem 26%. Sarney Filho aparece logo em seguida com 23%. Os três oscilaram dentro da margem de erro.

José Reinaldo (PSDB) tem 14% e aparece tecnicamente empatado com Alexandre Almeida (PSDB) que tem 11%.

Samuel Campelo (PSL) aparece com 3%; Preta Lu (PSTU), com 2%; Saulo Pinto (PSOL), com 2%; Saulo Arcangeli (PSTU), com 1% e Iêgo Bruno (PCB), com 1%. Branco/Nulo/Indeciso somaram 60%.

A pesquisa Exata foi registrada no TSE sob o número MA-05196/2018, a Exata utilizou 1402 questionários e ouviu a opinião de eleitores de todo o Maranhão entre os dias 25 e 28 de setembro. A margem de erro da pesquisa é de 3,3 pontos percentuais para mais ou para menos e o intervalo de confiabilidade é de 95%.

Pesquisa Exata mostra Flávio Dino com 63% dos votos, mais que o dobro de Roseana

A pesquisa foi registrada no TSE sob o número MA-05196/2018, a Exata utilizou 1402 questionários e ouviu a opinião de eleitores de todo o Maranhão entre os dias 25 e 28 de setembro

A nova pesquisa Exata/Jornal Pequeno confirmar a vitória do governador Flávio Dino (PCdoB), na disputa do próximo dia 7 de outubro. Os números mostram que se as eleições fossem hoje, Dino seria reeleito com 63% dos votos válidos, mais que o dobro de votos de Roseana Sarney (PMDB), segunda colocada, com 31%.

Em terceiro lugar aparece Maura Jorge (PSL), com 4%, seguido de Roberto Rocha (PSDB), com 2%. Os candidatos Odívio Neto (PSOL) e Ramon Zapata (PSTU), não pontuaram.

A pesquisa foi registrada no TSE sob o número MA-05196/2018, a Exata utilizou 1402 questionários e ouviu a opinião de eleitores de todo o Maranhão entre os dias 25 e 28 de setembro. A margem de erro da pesquisa é de 3,3 pontos percentuais para mais ou para menos e o intervalo de confiabilidade é de 95%.

Ângela Maria, rainha do rádio, morre aos 89 anos

Angela Maria — Foto: Divulgação / Murilo Alvesso

A cantora Angela Maria, uma das rainhas do rádio, morreu aos 89 anos no fim da noite deste sábado (29), no Hospital Sancta Maggiore, em São Paulo. Após 34 dias de internação, ela não resistiu a uma infecção generalizada.

A cantora será velada e sepultada neste domingo (30) no Cemitério Congonhas, na zona sul da capital paulista.

O marido dela, o empresário Daniel D’Angelo, divulgou um vídeo emocionado no Facebook falando sobre a morte da cantora, que fez um estrondoso sucesso entre as décadas de 1950 e 1960.

“É com meu coração partido que eu comunico a vocês que a minha Abelim Maria da Cunha, e a nossa Angela Maria, partiu, foi morar com Jesus”, disse emocionado, ao lado de Alexandre, um dos filhos adotivos do casal e de um outro rapaz.

Nome artístico

Abelim Maria da Cunha nasceu em Macaé, no Rio de Janeiro. Ela passou a infância em Niterói, São Gonçalo e São João de Meriti. Filha de pastor protestante, desde menina cantava em corais de igrejas.

Ela foi operária tecelã e inspetora de lâmpadas em uma fábrica da General Eletric, mas queria ser cantora de rádio apesar da oposição da família.

Por volta de 1947, começou a frequentar programas de calouros e passou a usar o nome Angela Maria, para não ser descoberta pelos parentes.

Apresentou-se no “Pescando Estrelas”, de Arnaldo Amaral, na Rádio Clube do Brasil (hoje Mundial); na “Hora do Pato”, de Jorge Curi, na Rádio Nacional; no programa de calouros de Ari Barroso, na Rádio Tupi; e do “Trem da Alegria” – programa dirigido por Lamartine Babo, Iara Sales e Heber de Bôscoli, na Rádio Nacional.

Quando decidiu tentar a carreira de cantora, Angela Maria abandonou os estudos, o trabalho na indústria e foi morar com uma irmã no subúrbio de Bonsucesso.

Princesa e rainha do rádio

Durante a década de 1950, atuou intensamente nas rádios Nacional e Mayrink Veiga, como a estrela de “A Princesa Canta”, nome derivado de seu título de “Princesa do Rádio”, um dos muitos que recebeu em sua carreira.

Em 1954, em concurso popular, tornou-se a “rainha do rádio”, e no mesmo ano estreou no cinema, participando do filme “Rua sem Sol”.

Bolsonaro recebe alta e deixa hospital em São Paulo

Bolsonaro embarca no avião rumo ao Rio de Janeiro — Foto: Graziela Azevedo/TV Globo

G1

O candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL) recebeu alta às 10h deste sábado (29), segundo boletim médico divulgado às 14h. Ele estava internado no Hospital Israelita Albert Einstein, na Zona Sul de São Paulo, desde 7 de setembro, um dia após sofrer uma facada no abdômen durante ato de campanha e passar por cirurgia em Juiz de Fora (MG). Ele precisou passar por duas cirurgias desde então.

Segundo o presidente do PSL, Gustavo Bebbiano, Bolsonaro está “plenamente recuperado”. De acordo com o presidente da sigla, ele surpreendeu a todos os médicos, mas não tem condições de fazer campanha nas ruas.

“Ainda há uma fragilidade física que pode causar um retrocesso nessa recuperação, não haverá corpo a corpo. Campanha de rua ele está impossibilitado de fazer”, disse Bebbiano em frente ao hospital.

Pouco antes, Major Olímpio, candidato do PSL ao Senado, afirmou que no final da manhã, os médicos já haviam passado todas as prescrições médicas e que ele só aguardava o horário do voo, às 15h40 no Aeroporto de Congonhas, para o Rio de Janeiro. “Está eufórico, brincalhão, muito feliz de ir para casa”, disse o major.

Bolsonaro teve o cateter usado para administrar medicação retirado na quarta-feira (28). No local havia pequeno foco de infecção bacteriana. Como precaução os médicos decidiram manter a medicação por antibiótico na veia por mais um ou dois dias.

Nesta sexta-feira (28), Bolsonaro postou uma foto em sua conta no Instagram fazendo a barba no banheiro do quarto onde está internado no hospital. “Me preparando para voltar à ativa”, escreveu.

Políticos temem cláusula de barreira

A possível perda da legenda no Estado ou do tempo de propaganda, está fazendo com que muitos candidatos a deputado federal e estadual no Maranhão intensifiquem suas campanhas

Muitos candidatos, além de se preocuparem com suas eleições majoritárias e proporcionais deste ano, estão preocupados também com a Cláusula de Barreira aprovada pela Câmara dos Deputados e Senado Federal na última reforma política.

Na prática, o projeto vai restringir o acesso dos partidos a recursos do Fundo Partidário e ao tempo de rádio e TV na propaganda eleitoral. As exigências do projeto são gradativas até 2030.

Só terá direito ao fundo e ao tempo de propaganda, a partir de 2019, o partido que tiver recebido ao menos 1,5% dos votos válidos nas eleições de 2018 para a Câmara, distribuídos em pelo menos um terço das unidades da federação (nove unidades), com um mínimo de 1% dos votos válidos em cada uma delas. Se não conseguir cumprir esse parâmetro, o partido poderá ter acesso também se tiver elegido pelo menos nove deputados federais, distribuídos em um mínimo de nove unidades da federação.

A possível perda da legenda no Estado ou do tempo de propaganda, está fazendo com que muitos candidatos a deputado federal e estadual no Maranhão intensifiquem suas campanhas.

Mais de 28 mil militares devem atuar nas eleições 2018; Exército estará em 72 municípios do Maranhão

As Forças Armadas vão garantir apoio em 598 localidades de 13 estados

Agência Brasil

O Ministério da Defesa confirmou que até o momento o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou o envio de militares das Forças Armadas para assegurar a Garantia da Votação e Apuração (GVA) e o apoio logístico em 598 localidades de 13 estados. Mais de 28 mil militares devem atuar nas eleições 2018.

Para as atividades relativas à votação e apuração serão atendidos os seguintes estados: Acre, 11 localidades; Maranhão, 72; Piauí, 122; Rio de Janeiro, 69; Amazonas, 26; Mato Grosso, 19; Mato Grosso do Sul, 4; Pará, 60; Rio Grande do Norte, 97; Tocantins, 12 e Ceará, 5.

O auxílio das Forças Armadas no apoio logístico é feito para o transporte de pessoal da Justiça Eleitoral e de urnas. Os militares desempenham essa tarefa acompanhados de pessoal da Justiça Eleitoral.

No total, ocorrerá em 101 localidades de cinco estados. No Acre, serão atendidas 41 localidades; no Amazonas, 25; no Amapá, 5; em Mato Grosso do Sul, 4 e em Roraima, 26.

Pedidos

As solicitações de apoio das Forças Armadas, quer seja para Garantia da Votação e Apuração (GVA) ou no transporte de pessoal e urnas, são formuladas pelos Tribunais Regionais Eleitorais ao TSE.

A GVA é uma atividade militar semelhante às missões de Garantia da Lei e da Ordem (GLO). No entanto, a GVA é utilizada especificamente para manter a normalidade da segurança pública nos locais de votação e apuração, durante o pleito eleitoral, nas localidades onde o TSE requisitar.

Após a análise e deliberação do TSE, as demandas são repassadas ao Ministério da Defesa, órgão responsável pelo planejamento e execução das ações empreendidas pelas Forças Armadas.