Em campanha, Rodrigo Maia almoça com deputados maranhenses em São Luís

Rodrigo Maia já conta com o apoio do PSL, PRB, PSD, PPS, além do próprio DEM, o que garantiria o apoio de 153 dos 513 deputados

O deputado federal e presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), está em campanha pelos estados nesta semana para angariar mais apoio à sua recondução. Nesta segunda-feira (07), Maia se reuniu com os deputados maranhenses em um restaurante da Avenida Litorânea, em São Luís.

O deputado já conta com o apoio do PSL, PRB, PSD, PPS, além do próprio DEM, o que garantiria o apoio de 153 dos 513 deputados.

Em São Luís, o almoço de Rodrigo Maia contou com a presença dos deputados federais Rubens Pereira Júnior (PCdoB); Juscelino Filho (DEM); Cléber Verde (PRB), e do senador eleito, Weverton Rocha (PDT). Também participaram os deputados federais eleitos Márcio Jerry (PCdoB); Bira do Pindaré (PSB); Eduardo Braide (PMN); Júnior Marreca Filho (Patriota); Edilázio Júnior (PSD) e Pedro Lucas Fernandes (PTB).

No sábado, Rodrigo Maia esteve em Goiânia, com o governador do Estado, Ronaldo Caiado (DEM-GO) e fará nos próximos dias, mais viagens para outros estados.

Situação de nove partidos segue indefinida

Das nove legendas que se encontram nessa situação estão: Rede Sustentabilidade, Democracia Cristã, PCB, PCO, PMB, PMN, PRTB, PSTU e PTC

Dos 14 partidos que não obtiveram votos suficientes para passar pela Cláusula de Barreira, pelo menos nove partidos ainda não definiram seus futuros. As legendas ainda negociam fusões ou incorporações para voltar a ter acesso ao tempo de TV e ao Fundo Partidário.

Das nove legendas que se encontram nessa situação estão: Rede Sustentabilidade, Democracia Cristã, PCB, PCO, PMB, PMN, PRTB, PSTU e PTC.

A situação da Rede é a mais delicada, de acordo com as regras eleitorais, o STE não permite a fusão ou incorporação de legendas com menos de cinco anos de fundação. A legenda teve seu registro reconhecido apenas em 2015.

Outras legendas já fecharam acordos e com as incorporações voltam a ter o status de partido novamente. PCdoB incorporou o PPL, o Patriota incorporou o PRP. Já o PHS vai ser incorporado pelo Podemos, leganda que passou pela Cláusula.

Bolsonaro quer transparência em atos dos governos atual e anteriores

O presidente Jair Bolsonaro dá posse, em cerimônia no Palácio do Planalto, aos presidentes dos bancos públicos. Assume no Banco do Brasil, Rubem Novaes; no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Joaquim Levy, e na Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro disse que a transparência será marca de seu governo e reforçou a missão aos novos dirigentes de bancos estatais que assumiram hoje (7) o comando do Banco do Brasil, da Caixa Econômica e do BNDES. Segundo ele, essa tarefa terá que abranger inclusive atos do passado promovidos pelos “amigos do rei” dentro destas instituições.

“Transparência acima de tudo. Todos os nossos atos terão que ser abertos para o público. E o que aconteceu no passado também. Não podemos admitir qualquer cláusula de confidencialidade pretérita. Esses atos e ações tornar-se-ão públicos”, afirmou.

Bolsonaro destacou que a escolha dos três novos presidentes de bancos foi feita exclusivamente pelo ministro da Economia, Paulo Guedes. Segundo ele, essa liberdade dada a todos os ministros de seu governo inaugura um novo modelo de gestão.

“Há pouco, o que mais se ouvia era uma verdadeira briga para definir qual partido ficaria com esta ou aquela diretoria de banco”, afirmou o presidente, destacando que essa era uma sinalização clara de que a economia não iria bem. O presidente voltou a alertar sua equipe da responsabilidade de sua administração e reiterou: “Nós não podemos errar”.

Ao retomar a orientação para que todo seu governo trabalhe com transparência, Bolsonaro aproveitou o discurso de posse na solenidade, que ocorreu no Palácio do Planalto, para anunciar a democratização de verbas publicitárias. O assunto, segundo ele, foi tratado com a equipe econômica.

“Nenhum órgão de imprensa terá direito a mais ou menos daquilo que nós viermos a gastar com nossa imprensa. Queremos que cada vez uma imprensa mais fortes e isenta. A imprensa livre é a garantia da nossa democracia. Vamos acreditar em vocês, mas estas verbas não serão mais privilegiadas para a empresa A, B ou C”, disse.

O recado também foi transmitido para as organizações não governamentais (ONGs) que, de acordo com Bolsonaro, terão o repasse de recursos submetido a um “rígido controle, para que possamos fazer com que recursos públicos sejam melhor utilizados”.

Deputados têm até dia 31 janeiro para definir seus novos partidos

Os próximos dias serão agitados com os anúncios dos novos partidos pelos deputados maranhenses citados, as negociações andam a todo vapor

Pelo menos cinco deputados maranhenses entram em 2019 sem definição sobre quais partidos deverão se filiar. A necessidade de uma nova filiação passa pela problemática que os partidos pelos quais se elegeram não obtiveram votos suficientes para passar pela Cláusula de Barreira.

Os deputados precisam anunciar até o dia 31 de janeiro seus novos partidos, pois, no caso dos deputados federais, os trabalhos na Câmara dos Deputados serão iniciados dia 1º de fevereiro.

Os deputados estaduais que devem anunciar seus novos partidos são: Dr. Leonardo Sá e Felipe dos Pneus, que foram eleitos pelo PRTB; e Wendell Lages, que foi eleitos pelo PMN.

Já no caso dos deputados federais, Eduardo Braide e Pastor Gildenemyr, ambos eleitos pelo PMN, encontram-se na mesma situação.

Os próximos dias serão agitados com os anúncios dos novos partidos pelos deputados maranhenses citados, as negociações andam a todo vapor.