Preço do diesel diminui, mas ainda não chega às bombas R$ 0,46 menor

Apesar do recuo, o preço nas bombas dos postos do país ainda não refletiu a redução média de R$ 0,46 por litro realizada nas refinarias

Pela segunda semana consecutiva, o preço do diesel nos postos do Brasil recuou, segundo levantamento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). A queda é resultado do programa de subsídios ao combustível que fez parte do acordo, entre o governo federal e caminhoneiros, que pôs fim à greve de 11 dias da categoria.

Ainda segundo a agência reguladora, o valor médio do diesel nos postos brasileiros atingiu uma média de R$ 3,434 por litro nesta semana, queda de 1,4% em relação aos R$ 3,482 registrados na semana anterior.

Apesar do recuo, o preço nas bombas dos postos do país ainda não refletiu a redução média de R$ 0,46 por litro realizada nas refinarias. Segundo a ANP, isso ainda é um reflexo de estoques antigos. Além disso, para que o corte chegue ao consumidor final, muitos estados ainda precisam reduzir o preço de referência para a cobrança do ICMS.

A gasolina registrou preço médio nos postos de R$ 4,572 nesta semana, queda de 3 centavos, se comparada ao preço da semana anterior, segundo dados da ANP. A Petrobras permanece administrando reajustes quase que diários, seguindo indicadores internacionais, como o preço do barril do petróleo e o dólar.

Na última semana o presidente da Petrobras, Ivan Monteiro, deu várias declarações afirmando que aguardará resultados de uma consulta pública – que termina no dia 2 de julho – sobre preços dos combustíveis anunciada pela ANP antes de decidir se será necessária uma mudança na frequência dos reajustes no preço da gasolina realizados pela estatal.

Os dois lados do PSDB no Maranhão

Após vários anos de crescimento do PSDB no comando do vice-governador Carlos Brandão, hoje no PRB, o partido encontra-se dividido

O PSDB no Maranhão passa uma situação um tanto quanto inusitada. Após vários anos de crescimento no comando do vice-governador Carlos Brandão, hoje no PRB, o partido encontra-se dividido.

Às vésperas de uma eleição, o PSDB está dividido em apoiar uma candidatura própria, encabeçada pelo senador Roberto Rocha, ou apoiar a candidatura do deputado Eduardo Braide, projeto capitaneado pelo deputado federal e pré-candidato ao Senado, José Reinaldo.

Na última quinta-feira (14), em uma reunião realizada na sede estadual do PSDB, pré-candidatos reuniram-se para discutir questões eleitorais como tempo de televisão e coligações. O alinhamento ao projeto do partido como a pré-candidatura do senador Roberto Rocha ao governo do estado, também foi debatido.

Na reunião que foi comandada por Sebastião Madeira, Clodomir Paz, Waldir Maranhão e Alexandre Almeida foram recolhidas assinaturas dos pré-candidatos presentes em apoio à candidatura de Roberto Rocha e repudiando outro posicionamento que não seja o projeto próprio do PSDB.

Na outra ponta, José Reinaldo continua articulando levar o apoio do PSDB à pré-candidatura de Eduardo Braide. O ex-governador considera Roberto Rocha fraco para a disputa ao governo.

No início do mês José Reinaldo anunciou o nome do primeiro suplente de sua candidatura, o advogado Catulé Júnior, de Caxias. A indicação não teve o conhecimento de membros do PSDB maranhense.

José Reinaldo também faz questão de não participar dos eventos promovidos por Roberto Rocha, evidenciando o clima de disputa da legenda.

Arnaldo Melo é lembrado para vice de Roseana

Arnaldo certamente não deixará sua eleição garantida para acompanhar Roseana numa disputa desacreditada até pelo próprio grupo Sarney

O ex-deputado estadual e ex-presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, Arnaldo Melo (MDB), continua sendo lembrado por alguns setores do MDB para ocupar a vaga de candidato a vice-governador na chapa de Roseana Sarney (MDB).

O nome de Chiquinho Escórcio não agradou algumas lideranças que veem o emedebista com poucas chances de ajudar Roseana se recuperar nas pesquisas políticas.

Arnaldo Melo tem uma base considerável no interior do estado e uma carreira política de dar inveja a muitos do MDB.

Arnaldo já declarou que disputará uma vaga para deputado estadual novamente, o que já o elimina como um dos prováveis nomes para vice de Roseana.

Arnaldo certamente não deixará sua eleição garantida para acompanhar Roseana numa disputa desacreditada até pelo próprio grupo Sarney.

Mistura de ritmos, cores e sabores animou multidão na segunda noite do ‘Arraiá do Povo’

Com uma programação diversificada, contemplando vários ritmos da cultura popular do Maranhão, o ‘Arraiá do Povo’ atraiu uma grande multidão

Uma verdadeira mistura de ritmos, cores e sabores agitou milhares de pessoas, no segundo dia de programação do ‘Arraiá do Povo’, organizado Grupo de Esposas de Deputados do Estado do Maranhão (Gedema), presidido por Ana Paula Lobato. O arraial está montado ao lado do Complexo de Comunicação da Assembleia Legislativa.

Com uma programação diversificada, contemplando vários ritmos da cultura popular do Maranhão e com barracas comercializando os mais diversificados pratos típicos da culinária do Estado, o ‘Arraiá do Povo’ atraiu uma grande multidão.

Moradores de distintas regiões de São Luís e de fora do Estado marcaram presença, numa grande festa em ambiente familiar, como disse a bancária aposentada Rocinete Pereira da Silva, moradora do Parque Shalon. “Nota 10 para esse arraial, que está muito bem organizado, com muita segurança. Aqui se vê criança, jovens e adultos, como se fosse uma autêntica família”, acrescentou.

A programação foi aberta às 18h30m com a exibição do Boi da Creche-Escola Sementinha. O grupo recebeu aplausos do público, abrindo espaço, logo a seguir, para a Quadrilha Asa Branca, que foi sucedida pelo grupo Seu Raimundinho e Forró Pé no Chão.

Eram 21h30 quando o Boi de Axixá, da lendária toada Bela Mocidade, iniciou sua apresentação, recebendo aplausos intercalados do público, por conta de uma impagável performance.

Com uma programação diversificada, contemplando vários ritmos da cultura popular do Maranhão, o ‘Arraiá do Povo’ atraiu uma grande multidão

Às 23h30m foi a vez do histórico Boi de Morros mostrar a força do seu brilho, a beleza de suas índias e o colorido de sua indumentária, com o cantador Lobato comandando uma bela apresentação, em que misturou o auto do boi, com a exibição tradicional. A festa no ‘Arraiá do Povo’ em seu segundo dia foi encerrada, já no início da madrugada, com o show do grupo Folia de Três.

REPERCUSSÃO

Organização, segurança, boa culinária e o agradável ambiente marcaram os presentes, a exemplo de José Reis, produtor cultural e que promove, anualmente, no Centro Histórico de São Luís, o Encontro de Miolos de Boi. Na concepção dele, a beleza e a organização do arraial da Assembleia Legislativa fizeram a diferença este ano.

Para a jornalista Cláudia Temporim, o ‘Arraiá do Povo’ deveria ser mais prolongado. Acompanhada de duas filhas menores, ela disse que, ali, o ambiente estava lhe propiciando muita segurança. “É como se estivesse numa festa em família”, assinalou.

Residindo em Brasília há mais de 20 anos, José Joaquim Aragão, que foi chefe de gabinete na administração do ex-prefeito Mauro Fecury, disse está maravilhado com a festa junina propiciada pela Assembleia Legislativa. “Estou acompanhado da mulher, de filhos e netos e digo que esse arraial bem que poderia funcionar por mais dias. Vejo que aqui estão  fortalecendo a autêntica cultura popular do Maranhão, e garantindo tranquilidade aos participantes”, salientou.

Helena Belo, servidora pública aposentada, que reside no Olho D’água, afirmou que pretende retornar neste sábado  ao arraial, pelo brilho, pela organização e pela segurança que encontrou no ambiente.

O empresário cearense Marcos Sousa, que estava acompanhado da namorada, a estudante  Kauanny Macedo disse que pela primeira vez estava participando de uma festa junina no Maranhão. “Estou encantado com essa festa. É algo deslumbrante. A cultura popular do Maranhão é muito rica, e muito empolgante”, acrescentou.

Partidos receberão R$ 1,7 bilhão para campanha eleitoral

Essas serão as primeiras eleições gerais do país na vigência da proibição de doação financeira de empresas a candidatos e partidos políticos

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou hoje (15) que o montante total do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC) será de R$ 1,716 bilhão. Criado no ano passado para regulamentar o repasse de recursos públicos entre as legendas, o fundo será repartido entre os diretórios nacionais dos 35 partidos com registro no TSE, em conformidade com as regras de distribuição estabelecidas na Resolução nº 23.568/2018, aprovada pela Corte Eleitoral no fim de maio.

Pelas regras, 98% do montante serão divididos de forma proporcional entre os partidos, levando em conta o número de representantes no Congresso Nacional (Câmara e Senado). Isso significa que as siglas que elegeram o maior número de parlamentares em 2014 e aquelas que seguem mantendo o maior número de cadeiras legislativas receberão mais recursos, com destaque para PMDB, PT e PSDB, que vão contar com cotas de R$ 234,2 milhões, R$ 212,2 milhões e R$ 185,8 milhões, respectivamente. Em seguida, aparecem o PP (R$ 131 milhões) e o PSB (R$ 118 milhões) entre as legendas beneficiadas com as maiores fatias.

Apenas os 2% restantes (R$ 34,2 milhões) serão repartidos igualmente entre os partidos com registro no TSE, independentemente de haver ou não representação no Congresso. Nesse caso, os partidos que não contam com nenhum parlamentar no Legislativo federal receberão a quantia de mínima de R$ 980,6 mil do fundo eleitoral.

Essas serão as primeiras eleições gerais do país na vigência da proibição de doação financeira de empresas a candidatos e partidos políticos, conforme decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), tomada em 2015. Por causa disso, os recursos do Fundo Eleitoral representam a principal fonte de financiamento da campanha.

De acordo como o TSE, os recursos do fundo somente serão disponibilizados às legendas após a definição dos critérios para a sua distribuição interna dentro dos partidos, que devem ser aprovados, em reunião, pela maioria absoluta dos membros dos diretórios nacionais. Tais critérios devem prever a obrigação de aplicação mínima de 30% do total recebido do fundo para o custeio da campanha eleitoral de mulheres candidatas pelo partido ou coligação. Os maiores partidos ainda não definiram de que forma vão dividir os recursos do fundo eleitoral entre os seus candidatos.

Procuradoria Geral da República avança em investigações contra Edison Lobão

Os investigadores suspeitam que Lobão atuou junto ao governo para decisões relacionadas às obras do Projeto Madeira

Avançam os inquéritos que investigam o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), seu pai, Cesar Maia (DEM) e os senadores Renan Calheiros (MDB-AL) e Edison Lobão (MDB-MA). A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu mais 60 dias para a coleta de provas.

Contra Lobão, os investigadores suspeitam que o parlamentar atuou junto ao governo para decisões relacionadas às obras do Projeto Madeira.

O primeiro inquérito tramita nas mãos da ministra Cármen Lúcia, uma vez que Edson Fachin abriu mão da relatoria, por considerar que o caso não é relacionado a crimes cometidos na Petrobras. Já na segunda apuração, Fachin manteve-se como relator.

Da mesma forma, os inquéritos contra Renan e Lobão foram abertos a partir das acusações de empreiteiros da Odebrecht por supostos pagamentos indevidos em financiamento de campanhas.

A acusação contra Renan é que a empreiteira teria feito pagamento à campanha do filho do senador ao governo de Alagoas, em troca de articulação para aprovar medida favorável à empresa.

Bolsonaro vem ao Maranhão mas não fala em Pedrinhas

Durante entrevista a jornalistas, Bolsonaro teceu um comentário pra lá de infeliz. Ele disse que “a única coisa boa do Maranhão era o presídio de Pedrinhas”.

Ontem (14) o pré-candidato à Presidência pelo PSL, Jair Messias Bolsonaro, fez uma passagem relâmpago por São Luís como parte de sua agenda de pré-campanha pelo país. Apesar de ter sido recebido por algumas dezenas de seguidores no aeroporto Marechal Cunha Machado, Bolsonaro não é visto com bons olhos pela grande maioria dos maranhenses.

É que em 2014, durante entrevista a jornalistas, o político teceu um comentário pra lá de infeliz. Ele disse que “a única coisa boa do Maranhão era o presídio de Pedrinhas”.

A fala de Bolsonaro fazia referência ao caos instaurado no Complexo Penitenciário de Pedrinhas durante o último governo Roseana Sarney (PMDB), que ganhou as manchetes da imprensa internacional após o registro de chacinas e decapitações. Em 2015, Flávio Dino (PCdoB) assumiu o governo e reorganizou o Sistema Penitenciário do Maranhão, dando fim às ondas de violência em Pedrinhas.

Mas Bolsonaro não fez nenhuma menção à sua fala desastrosa depreciando o Maranhão e muito menos quis conhecer de perto as mudanças na gestão prisional em Pedrinhas. A visita meteórica de Bolsonaro confirma que para o presidenciável a realidade do estado não é sua maior preocupação. Passou por essas terras apenas para cumprir mero protocolo eleitoral.

A questão Maura Jorge

Maura Jorge (PSL), pré-candidato ao Governo do Maranhão

Bolsonaro tem outro abacaxi pela frente no Maranhão: defender Maura Jorge, pré-candidata ao governo do Maranhão pelo seu partido. O problema é que Bolsonaro é lembrado por frases machistas e não é bem quisto entre as eleitoras. Além de falar que as “mulheres devem ter um salário menor porque engravidam”, Jair Bolsonaro foi condenado a pagar R$ 10 mil a deputada federal Maria do Rosário por dizer que ela não merece ser estuprada por ser ‘muito feia’.

Jair Bolsonaro vem ao Maranhão e mostra despreparo

A passagem de Bolsonaro pelo Maranhão foi marcada por momentos de críticas raivosas e poucas propostas para o Brasil

O pré-candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL), cumpriu agenda em São Luís, nesta quinta-feira (14), e mostrou seu despreparo para a corrida presidencial deste ano.

Bolsonaro foi recepcionado por simpatizantes no Aeroporto Marechal Cunha Machado, concedeu entrevista coletiva, participou de um ato político no Multicenter Sebrae e, à noite, jantou com a classe empresarial em um hotel na área nobre de São Luís.

Em todas as oportunidades, Bolsonaro deixou de mostrar suas propostas para criticar o governador Flávio Dino (PCdoB) afirmando que vai trabalhar para tirá-lo do poder. “Se o povo quer mudar, tem que tirar da cabeça esse negócio de comunismo”, disse o deputado tido como preconceituoso.

Sobre suas propostas reais para o Brasil e sobre seu Plano de Governo, Bolsonaro desconversou e afirmou que ninguém tem plano de governo até o momento e que geralmente isso é uma peça de ficção encomendada junto a um marqueteiro.

Os eventos de Bolsonaro não foram acompanhados por nenhum deputado federal ou estadual. Presidentes de partidos políticos também não compareceram aos eventos do presidenciável.

A passagem de Bolsonaro pelo Maranhão foi marcada por momentos de críticas raivosas e poucas propostas para o Brasil.

Receita libera primeiro lote de restituição do Imposto de Renda 2018

O próximo lote será liberado no dia 16 de julho, com abertura da consulta uma semana antes para o contribuinte saber se foi contemplado

Contribuintes com prioridade recebem hoje (15) o crédito em conta da restituição do Imposto de Renda 2018, no total de R$ 4,728 bilhões. O dinheiro será depositado na conta indicada pelo contribuinte quando fez a declaração.

Neste primeiro lote, são quase 2,5 milhões de pessoas com prioridade: idosos acima de 80 anos (228.921), entre 60 e 79 anos (2.100.461) e pessoas com alguma deficiência física, mental ou doença grave (153.256). O lote pago hoje também contempla restituições residuais dos exercícios de 2008 a 2017.

Receita Federal libera as restituições de declarações que não caíram na malha fina em sete lotes, a partir de junho. Sempre no primeiro lote entram as pessoas que têm prioridade. Depois, nos seguintes, o critério para a liberação é a data de envio da declaração. Quem enviou mais cedo, recebe primeiro. Já as declarações que apresentaram algum problema são liberadas em lotes residuais depois que as inconsistências são resolvidas com a Receita.

O próximo lote será liberado no dia 16 de julho, com abertura da consulta uma semana antes para o contribuinte saber se foi contemplado. O terceiro lote terá liberação no dia 15 de agosto, o quarto, em 17 de setembro, o quinto, 15 de outubro, o sexto, 16 de novembro e o sétimo, em 17 de dezembro deste ano.

A restituição é corrigida pela taxa básica de juros, a Selic. Quanto mais tempo levar para o dinheiro ser liberado, maior será a correção. Neste primeiro lote, a correção será de 1,52%, referente ao período de maio a junho de 2018. A partir do momento em que a restituição é liberada para o contribuinte, não há mais nenhum tipo de remuneração.

Caso o valor não seja creditado, o contribuinte poderá entrar em contato pessoalmente com qualquer agência do Banco do Brasil ou ligar para a Central de Atendimento, por meio do telefone 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos), para agendar o crédito em conta-corrente ou poupança, em seu nome, em qualquer banco.

Para saber se teve a declaração liberada, o contribuinte deve acessar a página da Receita na internet ou ligar para o Receitafone 146. Na consulta à página da Receita, serviço e-CAC, é possível acessar o extrato da declaração e ver se há inconsistência de dados identificada pelo processamento. Nessa hipótese, o contribuinte pode avaliar as inconsistências e fazer a autorregularização, mediante entrega de declaração retificadora. Há aplicativo para tablets e smartphones que facilita a consulta às declarações e à situação cadastral no CPF.