Sampaio Corrêa conquista título inédito da Copa do Nordeste

Com a conquistas, o time do técnico Roberto Fonseca faz história como o primeiro do Maranhão a levantar a taça mais importante da região e ainda garante uma vaga nas oitavas de final da Copa do Brasil de 2019

O Sampaio Corrêa é o campeão da Copa do Nordeste de 2018, um título inédito para a “Bolívia Querida”. De forma heroica, assim como foi toda a campanha até a final, o clube maranhense segurou o empate por 0 a 0 contra o Bahia, na Arena Fonte Nova, e calou mais de 45 mil torcedores em Salvador. Com a conquistas, o time do técnico Roberto Fonseca faz história como o primeiro do Maranhão a levantar a taça mais importante da região e ainda garante uma vaga nas oitavas de final da Copa do Brasil de 2019.

Depois de eliminar o Vitória nas quartas de final e o ABC na semifinal, com jogos duríssimos fora de casa, o Sampaio Corrêa já tinha dado indícios que não tem medo de jogar pressionado contra estádios lotados. Em Salvador, o time maranhense resistiu à pressão, soube sofrer e, mesmo sem ficar com a bola, deu pouquíssimas chances para o adversário. O goleiro Andrey quase nem foi acionado durante o jogo e saiu praticamente sem suar o uniforme.

Leia mais: Após eliminação, Neymar diz que vive momento mais triste da carreira

Com o título, o clube leva para casa R$ 3,375 milhões de premiação, sendo R$ 1,5 milhão só da final – o Bahia já tinha R$ 2 milhões da campanha, somada aos R$ 600 mil do vice. Com a vaga nas oitavas da Copa do Brasil, o Sampaio Corrêa também já pode contar com R$ 2,5 milhões da principal competição do país em 2019.

Como já é tradição em Salvador, a torcida do Bahia não decepcionou na recepção aos jogadores. As ruas em torno da Arena Fonte Nova foram tomadas pelos torcedores, que acompanharam o ônibus até a porta do estádio, apoiando o elenco que entraria em campo.

Leia mais: Atenção! Cota única do IPTU 2018 com 15% de desconto deve ser paga até 13 de julho

Mas, com a bola rolando, o jogo começou nervoso. No primeiro lance, Gregore entrou firme em Uilliam e já recebeu o primeiro cartão amarelo. Depois, em cobrança de falta, Fernando Sobral pegou com força na bola e exigiu uma linda defesa de Anderson para evitar o gol do Sampaio Corrêa logo aos dois minutos. Aos poucos, o Bahia passou a controlar a partida, mas sem conseguir ameaçar o adversário.

O segundo tempo não mudou o desenho tático. O Bahia tinha muita dificuldade para criar oportunidades claras de furar o ferrolho maranhense, mas, nas poucas vezes em que parecia que iria assustar Andrey, pecava na finalização ou então no último passe. Sentindo que precisava de mais velocidade ofensiva, o técnico Enderson Moreira mandou Vinícius para campo no lugar do lateral-direito Flávio.

No finalzinho o jogo esquentou. Aos 44 minutos, Uilliam fez uma falta na lateral do gramado e recebeu o segundo cartão amarelo – o primeiro saiu ainda no início da partida, por reclamação com o assistente. Sem o atacante como referência, o Sampaio Corrêa passou a ser só retranca. Com seis minutos de acréscimos, o Bahia aplicou a pressão que queria. No último lance, aos 50, Brumado aproveitado um bate e rebate e, na linha de pequena área, bateu em cima de Andrey.

Com o apito final do árbitro, a torcida do Bahia passou a vaiar o time, em sinal de protesto ao time que não conseguiu criar grandes oportunidades de mudar a história do jogo. O clube baiano agora volta as suas atenções ao Campeonato Brasileiro, onde ainda está na zona de rebaixamento, com apenas 12 pontos em 12 jogos. Já o Sampaio Corrêa tem poucos dias para comemorar, já que briga contra a zona de rebaixamento da Série B, com 15 pontos.

Após eliminação, Neymar diz que vive momento mais triste da carreira

No início da manhã, os jogadores da Seleção Brasileira deixaram o hotel onde estavam hospedados em Kazan. Foto: Henry Romero/Reuters/Agência Brasil

O atacante da seleção brasileira Neymar disse hoje (7) que está vivendo o momento mais triste da sua carreira. Em uma mensagem publicada há pouco no Instagram, o brasileiro se manifestou pela primeira vez após a derrota e eliminação ontem (6) por 2 a 1 para Bélgica, nas quartas de final da Copa do Mundo.

Ao final da partida, Neymar não quis dar declarações aos jornalistas que acompanharam a saída da seleção do estádio, em Kazan, na Rússia.

Leia mais: Brasil perde por 2 a 1 da Bélgica e está eliminado da Copa

“Posso dizer que é o momento mais triste da minha carreira, a dor é muito grande porque sabíamos que poderíamos chegar, sabíamos que tínhamos condições de irmos mais além, de fazer história, mas não foi desta vez”, disse.

No início da manhã, os jogadores da Seleção Brasileira deixaram o hotel onde estavam hospedados em Kazan. Os atletas e a comissão técnica seguiram para o aeroporto da cidade, onde pegaram o voo em direção ao Rio de Janeiro, com escala em Madrid. Alguns jogadores ficarão na capital espanhola e não devem voltar ao Brasil. O restante da delegação deve desembarcar na manhã deste domingo no aeroporto do Galeão.

Brasil perde por 2 a 1 da Bélgica e está eliminado da Copa

Gol contra de Fernandinho abriu caminho pata vitória da Bélgica

Projeto hexa adiado. Mais uma vez. A seleção brasileira acabou prejudicada por um mau primeiro tempo e foi superada pela eficiência de Bélgica nesta sexta-feira, em Kazan. A derrota por 2 a 1 pelas quartas de final da Copa do Mundo da Rússia encerra o sonho de título e acaba com a expectativa de uma população que, quatro anos depois da traumática goleada por 7 a 1 sofrida para a Alemanha, voltava a acreditar em uma conquista.

Se em 2014 o Brasil pagou por uma pane contra os alemães, desta vez foi punido por um primeiro tempo de falhas na marcação e contra-ataques perigosos. A badalada seleção de Bélgica fez um jogo inteligente e mostrou o quanto desta vez está mais preparada. A equipe depois de 32 anos está de volta à semifinal de uma Copa e em grande estilo, ao impor ao técnico Tite a primeira derrota em jogos oficiais.

A Bélgica ofereceu de uma vez só dificuldades jamais enfrentadas pela seleção na era Tite. Além de criar ao Brasil uma inédita desvantagem de dois gols no primeiro tempo, a equipe europeia conseguiu desfrutar de uma marcação enfraquecida pela ausência de Casemiro, suspenso. De Bruyne e Hazard tinham grande liberdade para armar jogadas, em especial contra-ataques. Nenhum adversário teve tanto espaço assim contra o Brasil nos últimos anos.

O começo da partida pareceu promissor para o Brasil. Com sete minutos, o time acertou a trave com Thiago Silva e logo depois conseguiu uma sequência de ataques perigosos. O jogo parecia favorável até os belgas chegarem ao gol aos 13, quando, em um escanteio pela esquerda, Fernandinho fez contra ao cabecear para o gol. A partir disso os chamados Diabos Vermelhos conseguiram preparar a armadilha perfeita.

Em uma dessas jogadas, aos 30 minutos, os belgas ampliaram. Marcelo ficou com dois adversários na sua frente e sem ter muito a fazer, viu De Bruyne conduzir e chutar cruzado no canto de Alisson. O Brasil se viu em uma quartas de final de Copa em um panorama desastrosamente inédito na era Tite: a então melhor defesa da Copa dava espaços, o ataque não conseguia marcar e a derrota parcial desafiava o equilíbrio emocional.

Leia mais: São Luís é a terceira cidade do Nordeste que mais se desenvolveu

O intervalo exigiu atitude. Tite tirou Willian para colocar Firmino e tentar empurrar os adversários. Teve reclamação de dois pênaltis, chutes perigosos e mais contra-ataque belga. Hazard quase fez o terceiro. Ao Brasil, não restava mais alternativa a não se arriscar mais conforme o tempo passava. A seleção colocou Douglas Costa em campo e tentou não esmorecer, embora o tempo fosse um cruel inimigo.

A Bélgica se armou em uma linha defensiva de cinco jogadores no segundo tempo. Atravessar a barreira era difícil. Então, foi preciso arriscar o modo menos óbvio, pelo alto. Coutinho ergueu para Renato Augusto desviar de cabeça e diminuir, aos 31 minutos da segunda etapa. Era um respiro e tanto para quem quase já perdia o fôlego por tanto atacar e não ver resultado.

O prejuízo tinha caído pela metade. Precisava resolver o restante para buscar a prorrogação. O Brasil quase empatou com Renato Augusto, Firmino, Coutinho e Neymar, que obrigou o goleiro a um milagre nos acréscimos. Não houve o abatimento de 2014, a fraqueza emocional de 2010 ou a passividade de 2006. O Brasil saiu da Copa brigando muito e de cabeça erguida. Pena que volta para casa, mais uma vez, de mãos vazias.

 

Leia mais: Flávio Dino e as cidades do Leste Maranhense…

Leia mais: Ibope: nova pesquisa mostra Bolsonaro e Marina empatados tecnicamente

Governo divulga resultado final do concurso da Polícia Militar do Maranhão

O concurso, que teve edital de abertura publicado em setembro de 2017, visa o preenchimento de 1.171 vagas para o cargo de soldado e 43 vagas para o cargo de 1º Tenente

Divulgado na quinta-feira (5), o resultado final do concurso público da Polícia Militar do Estado Maranhão (PMMA) para os cargos de 1º Tenente do Quadro de Oficiais de Saúde e Soldado do Quadro de Praça Policial. No total, mais de 100 mil pessoas se inscreveram para participar do certame.

O concurso, que teve edital de abertura publicado em setembro de 2017, visa o preenchimento de 1.171 vagas para o cargo de soldado e 43 vagas para o cargo de 1º Tenente do quadro de Oficiais de Saúde da corporação, além de formação de cadastro de reserva.

A listagem com o resultado final pode ser consultada no site do Centro Brasileiro de Pesquisas em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe), empresa que realizou o certame: http://www.cespe.unb.br/concursos/PM_MA_17/.

Neymar e Firmino comandam vitória brasileira sobre o México

Neymar abre o placar para a Seleção Brasileira diante do México, na Arena Samara (Carlos Garcia Rawlins/Reuters)

A seleção brasileira conquistou vaga nas quartas de final da Copa do Mundo de 2018 pela sétima vez seguida ao vencer México por 2 a 0, em Samara. Neymar e Roberto Firmino marcaram os gols brasileiros no segundo tempo de jogo muito duro, com lances perigosos para os dois times.

Neymar marcou o primeiro logo aos cinco minutos. O atacante tocou de calcanhar para Willian, que invadiu e área e cruzou rasteiro. Gabriel Jesus furou e o camisa 10, de carrinho, colocou no fundo do gol. O segundo veio aos 43, em contra-ataque que começou com Fernandinho e terminou com Neymar, que invadiu a área, tocou na saída de Ochoa, que desviou com o pé. A bola sobrou para Roberto Firmino, que chutou para o gol.

No Mundial passado, realizado no Brasil , a seleção canarinho ficou no empate por 0 a 0 diante dos mexicanos, em Fortaleza, e agora reencontra o rival.

Foram 40 jogos em toda história, com vantagem para a seleção brasileira, que venceu 23 vezes. Aconteceram ainda dez vitórias do México e sete empates. São 73 gols marcados pela seleção pentacampeã e 36 sofridos.

Com a vitória o Brasil volta às quartas de final, como fez em 1994, 1998, 2002, 2006, 2010 e 2014. O adversário será o vencedor de Bélgica e Japão, na próxima sexta-feira, às 15 horas (de Brasília), em Kazan.

Seleção Brasileira chega a Samara para jogo contra o México

Com Neymar de visual novo, Seleção Brasileira chegou a Samara (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

Depois de realizar um treino com portões fechados pela manhã, a Seleção Brasileiraviajou para Samara, onde chegou no final da tarde deste sábado e enfrenta o México na segunda-feira. A recepção foi calorosa, já que uma legião de brasileiros esperavam a chegada da delegação na porta do hotel.

O avião com os atletas e a comissão técnica pousou na cidade por volta das 23 horas local (16 horas de Brasília), e os jogadores foram direto para o hotel. O trajeto entre aeroporto e o local da hospedagem brasileira levou cerca de uma hora.

No desembarque, o visual de Neymar chamou a atenção. Com os cabelos de volta a cor normal, o atacante parou para atender duas crianças que furaram o cordão de isolamento feito pelos seguranças. O restante do elenco passou rápido.

Para a partida diante dos mexicanos, Danilo, recuperado de lesão no quadril, volta a ser opção. Porém, Fagner, que teve boas atuações contra Costa Rica e Sérvia, deve seguir na equipe titular. Sem estar 100% recuperado de um problema na coluna, Marcelo também chegou junto dos jogadores, mas é dúvida para o duelo.

Depois de sequer viajar para Moscou, onde a equipe enfrentou a Sérvia, Douglas Costa foi para Samara, mas está vetado. Com isso, a provável escalação do Brasil para enfrentar o México é: Alisson; Fagner, Thiago Silva, Miranda e Filipe Luís (Marcelo); Casemiro; Willian, Paulinho, Coutinho e Neymar; Gabriel Jesus.

A Seleção Brasileira fará sua última atividade antes do embate válido pelas oitavas de final da Copa do Mundo no palco da partida, na Arena Samara, neste domingo. Antes disso, porém, o técnico Tite e o capitão da equipe, ainda não divulgado, concederão entrevista coletiva, seguindo o protocolo da Fifa.

Brasil vence a Sérvia por 2 a 0 e passa em primeiro no Grupo E

Agora, o Brasil volta a campo na próxima segunda-feira (2), às 11h, diante do México

Brasil e Sérvia entraram em campo para definir quem avançaria às oitavas de final deste Mundial pelo grupo E. O começo de jogo foi bastante estudado por ambas as equipes, sem grandes chances de gol para ambos os lados.

Aos 16 minutos da primeira etapa o lateral Marcelo sentiu uma lesão na lombar e foi substituído por Filipe Luís. Aos 36, o gol enfim saiu. Após grande lançamento de Coutinho, Paulinho encobriu o goleiro suíço e abriu o placar para o Brasil.

Com o segundo tempo em andamento, a primeira chance brasileira aconteceu aos 11 minutos. Coutinho lançou Neymar, que dominou dentro da área e finalizou, fazendo o goleiro Stojkovic trabalhar novamente. Aos 15, Alisson rebateu um cruzamento para o meio da área e Mitrovic teve a chance de empatar, mas Thiago Silva salvou o que seria o Brasil de levar o gol.

Apesar de não conseguir empatar, os sérvios se animaram na partida e deram alguns minutos de pressão na Seleção Brasileira, obrigando o técnico Tite a colocar Fernandinho em campo no lugar de Paulinho.

Mas aos 23 minutos Thiago Silva escorou cobrança de escanteio de Neymar ampliando o placar para o Brasil.

A Seleção seguiu em cima e quase fez mais um. Filipe Luiz acertou bonito chute de fora da área e obrigou novamente o goleiro sérvio a trabalhar. Aos 37 minutos foi a vez de Neymar tentar seu gol, mas chutou mascado e a bola passou por cima do gol adversário.

Agora, o Brasil volta a campo na próxima segunda-feira (2), às 11h, diante do México.

Comentário de Flávio Dino sobre partida entre Brasil e Costa Rica é destaque na Veja

Chamado de “O governador comentarista”, Flávio Dino deu sua contribuição e sugeriu mudanças na escalação para o confronto com a Sérvia

O governador Flávio Dino foi destaque no site da Veja, desta sexta-feira (22). O comentário sobre a partida do Brasil contra a Costa Rica, pelo Grupo E, da Copa do Mundo da Rússia, foi republicado no conteúdo online da revista. Ele analisou a partida e sugeriu como o time deveria vir para o próximo jogo contra a Sérvia.

Chamado de “O governador comentarista”, Flávio Dino deu sua contribuição e sugeriu mudanças na escalação para o confronto com a Sérvia.

“Para o próximo jogo, acho que William e Gabriel Jesus deveriam dar lugar para Douglas Costa e Firmino. Estes dão mais dinâmica ao jogo e diminuem a sobrecarga de Neymar. E Douglas Costa “desentorta” o time, ao dar mais força também ao lado direito do ataque”, escreveu Flávio Dino.

Os internautas também curtiram os comentários de Flávio Dino sobre a partida. “Além de ser um ótimo governador, és um grande conhecedor de futebol”, comentou o internauta Sandro Torres.

No sufoco, Brasil passa pela Costa Rica

Símbolo da partida: ao fim do jogo, Neymar se ajoelhou e caiu no choro
Foto: DW / Deutsche Welle

Novamente diante de uma retranca, a seleção brasileira mostra dificuldades para furar bloqueio e só consegue sua primeira vitória no Mundial nos acréscimos. Em vários momentos, o time se mostrou sem alternativas de jogo. Com um primeiro tempo sonolento e um segundo tempo nervoso e com pouca estruturação, o Brasil arrancou uma vitória por 2 a 0 contra a Costa Rica, nesta sexta-feira (22/06), em São Petersburgo.

Os gols foram marcados por Philippe Coutinho, aos 46, e Neymar, aos 51 minutos do segundo tempo. Com a vitória, a seleção brasileira soma quatro pontos no Grupo E, encerrando uma sequência de três jogos sem vitórias em Mundiais.

Ao contrário da estreia contra a Suíça, o primeiro tempo da Seleção foi apático e até certo ponto preocupante, por não encontrar meios de furar a disciplinada defesa costarriquenha. O Brasil foi novamente inoperante contra uma retranca, além de ter demonstrado uma cautela excessiva, certamente justificada pelo preocupante cenário em caso de derrota. Com mais posse de bola, a Seleção até dominou o meio-campo, mas não encontrou espaços para executar passes mais incisivos.

A vitória brasileira veio na base da insistência, mas mostrou pouca criatividade ou meios para furar o ferrolho costarriquenho. Peça-chave no esquema de Tite, Paulinho teve pouca participação na criação e deixou de ser um elemento surpresa nas investidas ofensivas. Substituído no segundo tempo, pode perder a vaga contra a Sérvia. Gabriel Jesus, além disso, ainda não mostrou a que veio.

Embora precisasse da vitória, a Costa Rica se posicionou extremamente retraída, com uma linha de cinco defensores e quatro no meio-campo. A seleção brasileira teve dificuldades em penetrar a defesa costarriquenha, mas manteve a calma na troca de passes. Mas a melhor oportunidade foi dos Ticos, com uma finalização de Celso Borges rente ao poste de Alisson, após bela triangulação nas costas de Marcelo.

Quando tudo caminhava para o primeiro empate sem gols da Copa do Mundo de 2018, Coutinho surgiu como salvador da pátria e fuzilou Navas, após belo pivô de Gabriel Jesus, aos 46 minutos. Ainda deu tempo de Neymar completar, aos 51 minutos, a assistência de Douglas Costa. Após o apito final, Neymar caiu no choro.

Com o resultado, a Costa Rica está eliminada da Copa de 2018 e não terá como repetir a façanha de 2014, quando chegou às quartas de final. O Brasil encerra sua participação na fase de grupos contra a Sérvia, em 27 de junho, em Moscou.