“Esse voto não valeu a pena”, diz Othelino ao criticar postura de Roberto Rocha

Deputado disse que Roberto Rocha trata o PCdoB e os comunistas, de forma geral, com preconceito. “O senador Roberto Rocha tem muita dificuldade de agregação política, dada sua postura egocêntrica”, disse.

O presidente em exercício da Assembleia Legislativa, deputado estadual Othelino Neto (PCdoB), foi um dos destaques da edição do último domingo (25) do jornal O Imparcial por conta da postura equilibrada que vem tendo neste período de interinidade. Entre muitos questionamentos políticos, o repórter Paulo de Tarso explorou a relação do grupo político, liderado pelo governador Flávio Dino (PCdoB), com o atual senador  Roberto Rocha (PSB), que foi o candidato apoiado por eles na última eleição. O parlamentar disse que se arrependeu de ter votado no pessebista e que, no Congresso Nacional, ele não tem sido útil ao Maranhão

“Do nosso campo político, o único que saiu (candidato ao Senado) foi o senador Roberto Rocha. Ele não é uma persona non grata, mas não valeu a pena. Não costumo me arrepender dos meus votos, mas esse voto não valeu a pena porque não tem sido útil para o Maranhão. Tem, na prática, sido um senador que em nada ajudou o Maranhão”, alfinetou o presidente em exercício da Assembleia Legislativa.

Segundo Othelino Neto, Roberto Rocha  tem sido preconceituoso com o PCdoB, um partido que foi importante para a eleição dele, em manifestações públicas e nas redes sociais, o que é repugnável. “Ele tem muita dificuldade de agregação política, dada sua postura egocêntrica; até agora, não conseguiu liderar nada. Ele é um agente político isolado que, na minha avaliação, tem muito pouca ligação com o povo”, comentou.

Sobre a disputa pelo Senado que se avizinha, Othelino disse que o governador não vai se manter afastado dessa discussão. “Como líder do nosso grupo político, ele vai participar ativamente. Na minha avaliação, tem um candidato que está consolidado que é o deputado federal Weverton Rocha. Ele está conseguindo agregar as mais diversas forças do Maranhão”, avaliou o deputado.

Equilíbrio e oposição

Sobre sua conduta equilibrada ao presidir as sessões, Othelino disse que o cuidado da atual gestão é para que os deputados tenham um tratamento igual no que diz respeito ao exercício do mandato. “A essência do parlamento é essa diversidade de opiniões. É preciso ter equilíbrio para interferir o menos possível. A oposição me trata com muito respeito, até porque eu sempre prezo por garantir e estimular o debate aqui dentro”, afirmou.

Quanto à ex-governadora Roseana Sarney, ele considera que sua pré-candidatura seja uma aventura e fez duras críticas ao período em que ela governou. “O governo passado era como um navio, cujo o comandante ficou em terra firme. Era um governo desgovernado, onde existiam várias ilhas, vários governadores dentro de um só governo e que, na prática, ninguém governava nada”, disparou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *