Investimentos na Saúde aumentaram em R$ 224 milhões no governo Flávio Dino…

Os dois primeiros anos da atual gestão do governo do Maranhão elevaram os investimentos na rede pública de saúde em R$ 224 milhões. Em 2015, foram aplicados R$ 1,99 bilhões e em 2016, foram destinados R$ 2 bilhões em recursos para saúde. Os valores representam uma elevação em relação ao investido até 2014, segundo dados da Secretaria de Estado da Saúde (SES).

Hospital do Estado é pioneiro na realização de nova cirurgia para tratamento de câncer. (Wéllida Nunes/SES)

Hospital do Estado é pioneiro na realização de nova cirurgia para tratamento de câncer. (Wéllida Nunes/SES)

O ano de 2016 se destaca como o período em que mais se investiu em saúde no Maranhão nos últimos 10 anos. “Essa é uma conquista que merece ser destacada, principalmente diante do contexto de crise nacional”, afirma o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula.

Segundo Lula, os recursos do primeiro biênio da gestão foram utilizados na construção de novos hospitais de alta complexidade em cidades polo do estado e em unidades hospitalares de referência, voltadas para a oferta de serviços especializados de saúde.

“Enquanto muitos estados estão sendo obrigados a fechar unidades de saúde, só no ano passado entregamos para a população cinco hospitais macrorregionais”, frisa Lula. Instaladas em Pinheiro, Santa Inês, Imperatriz e Bacabal, os hospitais macrorregionais atendem à população de 142 cidades.

Ao regionalizar a oferta de serviços de saúde, os hospitais macrorregionais desafogaram as unidades hospitalares de São Luís, melhorando também o atendimento na capital.

O Centro de Especialidades Médicas de Barra do Corda e o Centro de Referência em Neurodesenvolvimento, Assistência e Reabilitação de Crianças (Ninar), em São Luís, são exemplos de investimento do governo estadual em atendimento especializado.

Em fase de conclusão, Governo vistoria obras da Casa de Apoio do Projeto Ninar. (Foto: Francisco Campos)

Futura sede da Casa de Apoio do Ninar. (Foto: Francisco Campos)

A entrega da Casa da Gestante, Bebê e Puérpera (CGBP), anexa ao Hospital Regional Materno Infantil de Imperatriz e o convênio com a Oncoradium, para ampliação do tratamento oncológico na Região Tocantina, também são mostras da atenção do governo em saúde especializada.

Otimização de recursos

Para Carlos Lula, não só o aumento dos investimentos, mas a gestão responsável dos recursos explica o número expressivo de novos hospitais e a expansão e modernização dos serviços em saúde no Maranhão.

“Estamos administrando uma rede bem maior com muito mais eficiência porque buscamos combater os desvios e o desperdício”, declara. Segundo Lula, o novo modelo de gestão busca reduzir gradativamente os gastos com Organizações Sociais para transferência total da administração dos serviços à Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (Emserh).

Atualmente, a Emserh gerencia 70% das unidades de saúde do estado, o que permitiu uma economia de 15 a 20% por unidade de saúde em comparação com a gestão das Organizações Sociais, de acordo com informações da SES.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *