Resistência Reggae realiza mais um evento em São Luís no próximo sábado…

O Grupo de Colecionadores Resistência Reggae realiza anualmente o maior encontro de regueiros de são Luís. Com uma festa alegre, contagiante, em um verdadeiro clima de encontros e reencontros entre os regueiros e amantes do Reggae Roots, o Resistência Reggae promoverá o IX Encontro do Grupo de Colecionadores Resistência Reggae. Este ano, esse grande evento acontecerá no próximo sábado, dia 10 de março, no Multicenter Sebrae.

Reza a lenda que há 50 anos marinheiros vindos das Guianas chegavam aos portos de São Luís e Cururupu deixando os primeiros discos de reggae trazidos da Jamaica. Na época, os frequentadores das festas animadas pelas radiolas aprovaram o novo ritmo cadenciado, mais vagaroso e buscavam seus pares nos salões no momento em que os “reggaes”, caracterizados pelo uso do baixo e da bateria, eram tocados. Dançando da mesma forma que dançavam os outros ritmos caribenhos, num intenso deslizar de corpos, com movimentos de muita sensualidade, nasceu a principal característica do reggae maranhense, o dançar agarradinho.

Os melhores Dj´s de São Luís estarão presentes para animar a sequência, feras como Junior Black, Belo Roots, Joaquim Zion, Jorge Black, Marcos Vinícius, Henrique Chaves e outros grandes nomes da cena reggae da ilha e, ainda, Alex Roots com a Dread System, vindo especialmente de Belém-PA. Uma festa que, sem sombra de dúvida, ficará na história do reggae na capital maranhense e você, que é nosso convidado, fará parte dessa história como aqueles primeiros marinheiros.

O quê? IX Encontro do Grupo de Colecionadores “Resistência Reggae”

Quando? 10 de março de 2018, sábado.

Onde? Multicenter SEBRAE, av. Jerônimo de Albuquerque, São Luís-MA.

Que hora? A partir das 16 horas.

Atrações? Equipes de Vinil Radiola Reggae e Radio Zion, Som de Vinil, Irie discos, Na Ponta da Agulha e os Dj´s convidados Júnior Black, Jorge Black. Alex Roots de Belém-PA.

Animação: Radiola Ajax Som.

Como? Somente com a CAMISA 2018.

Serviços? Feira da Economia Criativa e Praça de Alimentação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *