Eliziane Gama cita nome de Flávio Dino para a eleição presidencial de 2022

Já de olho em uma possível candidatura de Flávio Dino ao Palácio do Planalto, a senadora eleita Eliziane Gama (PPS) antecipou o debate e citou o nome de Flávio como um dos nomes certos na disputa de 2022

Não é novidade que o governador Flávio Dino (PCdoB) já foi alçado como um dos nomes mais influentes da esquerda brasileira. A postura firme de Flávio Dino e suas opiniões contundentes nas redes sociais fizeram com o governador ganhasse bastante notoriedade na mídia nacional.

Já de olho em uma possível candidatura de Flávio Dino ao Palácio do Planalto, a senadora eleita Eliziane Gama (PPS) antecipou o debate e citou o nome de Flávio como um dos nomes certos na disputa de 2022.

“Varias frentes democráticas, progressistas e liberais sendo discutidas, superando projetos hegemônicos que sempre pedem adesão e nunca aderem a nada. Horizonte de esperanças e nele já se vê a possibilidade de o Maranhão emprestar Flávio Dino para o Brasil”, escreveu Eliziane em sua conta no Twiter.

O debate sobre o novo papel de uma oposição sensata no futuro governo Bolsonaro também foi lembrado por Eliziane. “Urge que novas lideranças como Flávio Dino assumam o protagonismo nacional das pautas que são tão caras e foram conquistadas com tanta luta, urge repensarmos de forma proativa uma forma diferente de se fazer política”, completou Eliziane.

Final da Copa de 2022 será em cidade que ainda não existe

Projeto de estádio que receberá a abertura e a final da Copa do Mundo

A organização da Copa do Mundo do Catar, em 2022, não está preocupada em economizar. Tanto que resolveu construir não apenas o estádio que receberá a final do torneio, mas também toda a cidade a sua volta. Com custo previsto de incríveis US$ 45 bilhões (R$ 176,4 bilhões), a cidade de Lusail sairá do papel em meio a uma região vazia ao norte de Al Daayen e a 23 quilômetros da capital Doha. A base da cidade deve estar pronta até 2020.

O Lusail Iconic Stadium, com capacidade prevista para 86,25 mil pessoas e escolhido para a final, é apenas um dos atrativos para a nova cidade.

Leia mais: Brasil perde por 2 a 1 da Bélgica e está eliminado da Copa

A estimativa do governo catari é construir infraestrutura capaz de receber 250 mil habitantes nos 38 quilômetros quadrados de área. O local terá espaços residenciais, resorts, distritos comerciais, shoppings, centros de lazer, um campo de golfe e várias outras instalações.

O projeto foi iniciado em 2004, seis anos antes de o Catar ganhar o direito de receber a Copa. Obviamente, a definição do país para o Mundial de 2022 acelerou os planos. Além dos 250 mil habitantes, o município poderá receber 190 mil trabalhadores em escritórios e 60 mil trabalhadores na área do varejo. Um dos distritos da cidade será destinado à mídia, especialmente pensado para a cobertura internacional da Copa. A rede hoteleira também foi uma das prioridades, com 22 hotéis já em funcionamento ou em construção — e, como a localidade ainda não opera plenamente, a rede tem atendido prioritariamente as necessidades de Doha.

A expectativa é de que o Lusail Iconic Stadium seja utilizado para outros grandes eventos esportivos e culturais assim que a Copa terminar.

A região, que é um canteiro de obras gigantes, já tem algumas instalações prontas. A Lusail Sports Arena, por exemplo, abriu suas portas em 2012 e chegou a receber partidas da Copa do Mundo de Handebol em 2015. O custo da obra foi de US$ 318 milhões.

O Mundial será realizado em oito estádios — quatro deles são em Doha (Khalifa International Stadium, Qatar Foundation Stadium, Ras Abu Aboud Stadium e Al Thumama Stadium. Também haverá jogos em Lusail (palco da abertura e da final), Al Khor, Al Wakrah e Al Rayyan.

 

Leia mais: Após eliminação, Neymar diz que vive momento mais triste da carreira

Leia mais: Comentário de Flávio Dino sobre partida entre Brasil e Costa Rica é destaque na Veja