Pesquisa Exata mostra Eliziane Gama liderando a disputa para o Senado

A Exata entrevistou 1.400 pessoas em todas as regiões do Estado. A margem de erro é de 3,2 pontos percentuais para mais ou para menos

O Jornal Pequeno divulgou, nesta terça-feira (5), a pesquisa do Instituto Exata para a disputa pelo Senado Federal no Maranhão.

Após ter seu nome lançado pelo governador Flávio Dino (PCdoB), a deputada federal Eliziane Gama (PPS) apareceu liderando com 17% das intenções de voto. Edison Lobão (MDB) e Sarney Filho (PV) aparecem empatados com 15%.

Logo atrás, aparecem Weverton Rocha (PDT) com 9%, Zé Reinaldo Tavares (PSDB) com 8% e Alexandre Almeida (PSDB) com 6%. Mostrando que a corrida para o Senado será super disputada.

O percentual das pessoas que votam nulo/branco/nenhum foi de 18% e não sabem ou não responderam é de 12%.

A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob nº 06478/2018 e foi realizada entre os dias 25 e 30 de maio. A Exata entrevistou 1.400 pessoas em todas as regiões do Estado. A margem de erro é de 3,2 pontos percentuais para mais ou para menos. O intervalo de confiança de 95%.

Waldir Maranhão desafia PSDB e continua com sua pré-candidatura ao Senado

Mesmo com a decisão do PSDB, Waldir Maranhão continua tocando sua pré-candidatura de olho no Senado Federal

O deputado federal, Waldir Maranhão (PSDB), parece desafiar seu partido, o senador Roberto Rocha, o ex-prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira, e o pré-candidato à Presidência da República, Geraldo Alckmin.

Apesar de todos se pronunciarem sobre a formação oficial da chapa majoritária do PSDB no Maranhão, tendo o deputado estadual, Alexandre Almeida, e o deputado federal, José Reinaldo, como pré-candidatos a senador, Waldir Maranhão continua tocando sua pré-candidatura de olho no Senado Federal.

Em recente visita ao município de Balsas, Waldir Maranhão reuniu lideranças políticas e reafirmou sua candidatura. O deputado continua com a mesma tática, de quando pertencia ao grupo governista.

Basta saber se o pré-candidato ao governo, o senador Roberto Rocha, vai aceitar Waldir Maranhão, ao invés do jovem Alexandre Almeida. A disputa interna está acirrada no PSDB, já que Alexandre retirou sua candidatura à reeleição como deputado estadual.

Alexandre Almeida quer disputar Senado pelo PSDB

A data oficial da filiação do deputado ao PSDB será definida nos próximos dias.

Em entrevista a veículos de comunicação, o deputado estadual Alexandre Almeida confirmou sua filiação ao PSDB para tentar disputar o Senado. Segundo ele, a data oficial será anunciada após algumas definições com suas bases de Timon.

A filiação de Alexandre Almeida e sua pré-candidatura ao Senado já haviam sido confirmadas pelo ex-prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira, uma das principais lideranças políticas do PSDB.

Com a confirmação de Alexandre, a chapa do pré-candidato ao governo, Roberto Rocha, dependerá agora apenas do segundo candidato a senador e do postulante a vice.

De acordo com o ex-prefeito Madeira, estas duas questões estão sendo discutidas com lideranças e outros partidos.

Na tentativa de viabilizar candidatura ao Senado, Alexandre Almeida deverá deixar o PSD

Alexandre tem até o dia 7 de abril próximo, prazo final estabelecido pela justiça eleitoral, para definir se fica ou não no PSD.

O deputado estadual Alexandre Almeida deverá mudar de partido mais uma vez. Filiado atualmente ao PSD, o parlamentar mantém vínculos com os projetos políticos do colega deputado estadual Eduardo Braide (PMN), que é pré-candidato ao governo, e com o senador e também pré-candidato ao governo, Roberto Rocha.

Nesta semana, o presidente estadual do PSD e ex-secretário de Estado da Fazenda, Cláudio Trinchão, bateu o martelo e avisou claramente que a sigla ficará com a pré-candidatura ao governo da ex-governadora Roseana Sarney (PMDB). Como Alexandre Almeida busca alternativas para se viabilizar como candidato a senador, o mais provável é que o deputado timonense busque outra sigla para tentar seu projeto.

O sonho do parlamentar era ver uma composição entre Roberto Rocha e Eduardo Braide, mas é muito pouco provável que isso aconteça, pois ambos não querem abrir mão da disputa pelo governo do Estado e, assim sendo, é provável também que o destino do deputado timonense seja o PSDB de Roberto Rocha.

O deputado já foi filiado ao PSDC, PT do B,  PTN, PV e atualmente está no PSD. Alexandre tem até o dia 7 de abril próximo, prazo final estabelecido pela Justiça Eleitoral,  para definir se ficará ou não no partido.