Há dez dias do início das convenções, corrida presidencial tem 20 pré-candidatos

Até o momento, apenas o PTC retirou a pré-candidatura do senador Fernando Collor. A partir do dia 20 de julho, outros nomes poderão desistir da candidatura

A corrida presidencial deste ano promete ser uma das mais concorridas dos últimos anos. Até o momento, 20 pré-candidatos lutam para garantir seus nomes e disputar o voto do povo brasileiro.

Até o momento, apenas o PTC retirou a pré-candidatura do senador Fernando Collor. A partir do dia 20 de julho, outros nomes poderão desistir da candidatura e anunciar o apoio a outros candidatos, em alianças que podem reordenar a corrida presidencial.

Saiba quem são os 20 pré-candidatos à Presidência da República:

Aldo Rebelo (Solidariedade)
Álvaro Dias (Podemos)
Cabo Daciolo (Patriotas)
Ciro Gomes (PDT)
Flávio Rocha (PRB)
Geraldo Alckmin (PSDB)
Guilherme Boulos (PSOL)
Henrique Meirelles (MDB)
Jair Messias Bolsonaro (PSL)
João Amoêdo (Novo)
João Vicente Goulart (PPL)
José Maria Eymael (PSDC)
Levy Fidelix (PRTB)
Luiz Inácio Lula da Silva (PT)
Manuela D’ávila (PCdoB)
Marina Silva (Rede)
Paulo Rabello (PSC)
Rodrigo Maia (DEM)
Valéria Monteiro (PMN)
Vera Lúcia (PSTU)

Maura Jorge e o dilema com o Podemos de Aluísio Mendes

Passada a frustração da saída de Maura Jorge do Podemos para o PSL, agora, até uma coligação entre os dois partidos pode não ser concretizada

Há algum tempo, o clima entre o deputado federal Aluísio Mendes, presidente do Podemos no Maranhão, e Maura Jorge, pré-candidata do PSL ao Governo do Estado, não anda um dos melhores.

Desde 2016, quando Maura Jorge deixou a Prefeitura de Lago da Pedra, Aluísio iniciou o projeto para fazer de Maura candidata a governadora. Para isso, deu a presidência do partido para a ex-prefeita iniciar a pré-campanha andando por diversos municípios.

Faltando seis meses para as eleições, Maura Jorge decidiu mudar para o PSL na onda da popularidade nas redes sociais do pré-candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro. Deixando Aluísio em um mal-estar com a presidente nacional do partido, Renata Abreu, e com o também presidenciável, Álvaro Dias.

Passada a frustração da saída de Maura Jorge do Podemos para o PSL, agora, até uma coligação entre os dois partidos pode não ser concretizada – apesar do plano de Aluísio em fazer de Maura governadora -.

Acontece que alguns partidos que poderão se coligar ao PSL no Maranhão, como o PRTB, PSDC e PHS, não aceitam a mesma coligação nas proporcionais para o mandato de deputado federal.

Os partidos não aceitam o nome de Aluísio Mendes na coligação por acharem desproporcional a presença de um deputado federal, acreditando que pode tirar de vários candidatos a chance de se elegerem deputados federais.

Agora, Maura Jorge precisa ter jogo de cintura, senão corre o risco de ver o – até o momento – maior partido de sua coligação indo para a chapa de Roseana Sarney.