São Luís lidera ranking de praias mais em conta para os turistas no verão 2018

São Luís lidera ranking de praias mais em conta para os turistas no verão 2018. (Foto: Divulgação)

Reportagem do jornal Correio, da Bahia, mostra que São Luís é o destino de praia mais em conta para este verão. A publicação usa uma lista feita pelo site especializado em reserva de hotéis Trivago.

“O topo da lista fica com a cidade de São Luís, no Maranhão, com média de R$ 188,51 e variação entre R$ 55 e R$ 581”, diz o Correio. De acordo com o Índice de Preços de Hotéis Trivago, a capital maranhense tirou do topo da lista a cidade de Paracuru, em Pernambuco, que agora está em segundo lugar.

O Trivago conta que São Luís já tinha ocupado a posição de número 5 na lista do verão de 2017. E agora chegou à liderança.

Ao falar da Avenida Litorânea, o Trivago afirma que “são muitos bares e quiosques ao longo da orla, com boas opções de comida, música e balada em geral”.

Veja aqui a reportagem do Correio: http://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/maranhao-e-o-destino-mais-barato-da-estacao-aponta-trivago/

Melhora das praias

Reportagem do jornal Folha de S.Paulo de dezembro mostra que o Maranhão é o Estado que mais melhorou a qualidade das praias entre 2016 e 2017. Todos os 21 pontos medidos tiveram evolução.

Foram analisadas 16 praias de São Luís e cinco de São José de Ribamar. Todas elas apresentaram qualidade melhor no período de um ano, um aproveitamento de 100%.

Desde 2015, o Governo do Maranhão vem investindo fortemente em saneamento básico e limpeza das praias e lagoas, ajudando a devolver a qualidade das águas.

Balneabilidade: 20 das 21 praias da Região Metropolitana estão próprias para banho

Balneabilidade de praias avançou no governo Flávio Dino

Balneabilidade de praias avançou no governo Flávio Dino

O laudo semanal de balneabilidade divulgado nesta quinta (11) pelo Laboratório de Análises Ambientais – LAA, da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Naturais (Sema), aponta que somente um (Foz do Rio Calhau), dos 21 pontos monitorados das praias de São Luís e São José de Ribamar, está impróprio para o banho. Depois de passar cinco semanas com todas as praias 100% próprias, um extravasamento em uma elevatória do Rio Calhau impossibilitou que esse ponto, especificamente, continuasse com condições de balneabilidade.

Os níveis de contaminação aferidos semanalmente estão caindo, gradativamente, desde janeiro deste ano, em decorrência dos investimentos feitos pelo Governo do Estado em saneamento. E, pela primeira vez em vários anos, apresentaram por um mês consecutivo os 21 pontos da orla marítima, de São Luís e São José de Ribamar que são monitorados, estão em plenas condições de balneabilidade.

Mas as análises realizadas entre os dias 02 (quarta-feira) e 06 (domingo) apontaram números superiores de contaminação acima dos permitidos pelo Conselho Nacional de Meio Ambiente (CONAMA) no ponto da Foz do Rio Calhau (ao lado do parquinho da litorânea), na praia de São Marcos. De acordo com a Companhia de Saneamento Ambiental (Caema), um extravasamento ocorrido na última quarta-feira (02), na elevatória localizada próxima ao Rio Calhau, ocasionou a propagação de substâncias que tornaram o local impróprio para banho.

Segundo o presidente da Caema, Davi Telles, o extravasamento ocorreu devido ao sucateamento da linha de esgoto da Daniel de La Touche, que data de 1984, mas que está tendo a substituição de toda sua extensão (2,3km) desde o ano passado, para garantir a interceptação do esgoto e, consequentemente, a balneabilidade das praias.  “Esta linha de esgoto já rompeu uma infinidade de vezes ao longo das últimas décadas pela falta de manutenção e investimentos. Mais de 90% dessa linha já foi substituída pelo programa ‘Mais Saneamento’ e esperamos acabar o serviço ainda este mês. Estamos investindo R$ 360 milhões na capital para deixar para trás o legado ruim que nós herdamos”, explicou Telles.

Ainda de acordo com o presidente da Caema, o problema no Rio Calhau foi prontamente resolvido, inclusive já sendo perceptível a claridade da água que desce no mar. “As condições ambientais do Rio Calhau eram muito piores até o meio do ano passado. Otimização de algumas elevatórias e manutenção regular de bueiros melhoraram substancialmente a situação do corpo hídrico. O rio era preto o ano todo. Isso já mudou, mesmo antes das obras do Sistema Canaã que vamos iniciar em breve”, esclareceu.

Transparência 

Desde o início da divulgação dos laudos de balneabilidade realizados pela Sema, o Governo do Estado ressaltou que trabalhará com muita transparência para informar a população de São Luís sobre a realidade das praias. “Se e quando houver problemas reais, colocaremos as bandeiras vermelhas e não verdes nas praias. Como, aliás, já fizemos algumas vezes”, avisou o governador Flávio Dino ainda na semana passada.

Laudo atesta que 100% das praias da Grande São Luís estão próprias ao banho

Novo laudo divulgado pela Sema garante 100% das praias de São Luís e São José de Ribamar aptas ao banho. Foto: Gilson Teixeira/Secap

Novo laudo divulgado pela Sema garante 100% das praias de São Luís e São José de Ribamar aptas ao banho. Foto: Gilson Teixeira/Secap

Um mês após a inauguração da Estação de Tratamento de Esgotos (ETE) do Vinhais, equipamento responsável por tratar 40% dos esgotos da capital maranhense, 100% das praias da região metropolitana de São Luís passaram a ter condições adequadas ao banho. É o que atesta o mais recente laudo de balneabilidade, divulgado neste sábado (8) pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Naturais (Sema).

As amostras foram coletadas na última quarta-feira (5), pelo Laboratório de Análises Ambientais (LAA) da Sema, uma semana após o fenômeno natural da ‘superlua’, que produziu marés de grande amplitude no litoral maranhense, denominadas ‘marés de sizígia’.

Dos 21 pontos monitorados da orla marítima São Luís e São José de Ribamar, todos apresentaram níveis de enterococcus abaixo do que determina a Resolução nº 274/00, do Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama), que considera águas das praias próprias para o banho quando em 80% ou mais de um conjunto de amostras, obtidas em cada uma das cinco semanas anteriores, e colhidas no mesmo local, houver no máximo presença de 100 enterococcus/100 mL. As águas das praias serão consideradas impróprias quando não atenderem a este critério ou quando o valor obtido na última amostragem for superior a 400 enterococcus/100 mL (NMP).

As praias liberadas são: Ponta d’Areia (ao lado do Forte Santo Antonio); Ponta d’Areia (Em frente ao Edifício Herbene Regadas); atrás do Hotel Praia Mar; atrás do Bar do Dodô; em frente à Praça de Apoio ao Banhista; e em frente ao Hotel Brisa Mar), São Marcos (em frente aos Bares Do Chef e Marlene’s; em frente à Barraca da Marcela; em frente ao Agrupamento Batalhão do Mar; em frente ao Ipem e ao Bar Kalamazoo; Foz do Rio Calhau), Calhau (à direita da elevatória II da Caema; em frente à Pousada Tambaú; em frente ao Bar Malibu), Olho d’Água (à direita da Elevatória Iemanjá II); Olho d’Água (A direita da Elevatória Pimenta I); Praia do Meio (São José de Ribamar) e Araçagi (São José de Ribamar).

Saneamento
A melhoria nos índices de balneabilidade tem acontecido de forma gradual, devido aos investimentos realizados por meio do programa ‘Mais Saneamento’, que pretende tratar 70% do esgoto de São Luís até 2018. Com um investimento de R$14 milhões, as obras foram iniciadas em 2015 pela Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema) e seguem em ritmo avançado.

Uma das primeiras medidas foi dar início às obras de despoluição dos Rios Pimenta e Claro, que desembocam na orla. Também faz parte do programa a inauguração de Estações de Tratamento de Esgoto, como a ETE Vinhais, a maior do Nordeste.