Caso Nenzin: Polícia conclui reconstituição da morte do ex-prefeito

Os peritos descartaram por completo todas as alegações do principal suspeito do crime.

As equipes da Delegacia Regional de Barra do Corda, SPCI, SHPP e ICRIM concluíram os trabalhos de reconstituição do crime que vitimou o ex-prefeito de Barra do Corda, Nenzin.

Segundo informações da Delegacia Regional de Barra do Corda, na tarde de sexta-feira (2), as equipes atuavam para excluir suposição e se  chegar à versão mais provável de como tudo ocorreu.

Os peritos  descartaram, por  completo, as alegações do principal suspeito do crime, o filho da vítima, conhecido como Júnior de Nenzin. A conclusão dos peritos também coloca o vaqueiro Luzivan na cena dos fatos.

Caso Nenzim: Justiça determina quebra do sigilo telefônico de envolvidos

A Polícia ainda investiga quem foi o autor do disparo fatal.

O juiz da comarca de Barra do Corda, Iran Kurban Filho, atendeu pedido da Polícia Civil e determinou a quebra de sigilo telefônico de oito pessoas envolvidas na morte do ex-prefeito do município, Mariano de Sousa, conhecido como “Nenzim”, assassinado no dia 06 de dezembro de 2017 com um tiro no pescoço.

Entre os suspeitos que são alvo da medida cautelar estão o filho da vítima, Júnior Nenzim, suspeito de planejar o crime, e o ex-vaqueiro da fazenda de Nenzim, Luzivan Rodrigues da Conceição Nunes. Ambos estão presos no Complexo Penitenciário de Pedrinhas.

Além da dupla, também terão o sigilo telefônico quebrado Francisco Deyvede de Correia de Freitas, Antônio Carlos de Lima Bessa, Francisco Pereira de Oliveira, Antônio Morais Silva Filho e José Benigno Frazão e Felix da Silva.

A motivação do crime ocorreu porque Júnior estaria roubando gado da fazenda do pai para quitar dívidas com agiotas. A Polícia ainda investiga quem foi o autor do disparo fatal.

Justiça decreta prisão de vaqueiro acusado no crime contra ex-prefeito Nenzin

Iran Kurban Filho, juiz de Direito da Comarca de Barra do Corda, decretou a prisão do vaqueiro Luizão, que trabalhava na fazenda do ex-prefeito Nenzin, em Barra do Corda.

Atendendo ao pedido da Polícia Civil do Maranhão, o juiz de Direito da Comarca de Barra do Corda, Iran Kurban Filho, decretou a prisão do vaqueiro Luizão, que trabalhava na fazenda do ex-prefeito Nenzin, em Barra do Corda.

Segundo o delegado, mesmo com a conclusão do inquérito policial ainda no mês de dezembro passado, a Polícia Civil continuou as investigações complementares enquanto aguarda a conclusão de todos os laudos periciais, e durante as novas investigações,  surgiram depoimentos de novas testemunhas, que afirmam terem visto o vaqueiro Luizão, por volta das 6 horas da manhã do dia do crime (6 de dezembro), conversando com Junior do Nenzin em frente à residência do ex-prefeito no centro de Barra do Corda, próximo à Praça Maranhão Sobrinho.

No primeiro depoimento, Renilto afirma que o vaqueiro Luizão disse que não esteve em Barra do Corda no dia do crime contra o ex-prefeito, e que só esteve em Barra do Corda, precisamente no Posto Carreteiro, de propriedade de Nenzin,  na segunda-feira, dia 4 de dezembro, onde se encontrou com Nenzin, recebeu a ordem para juntar todo o gado da fazenda e entregar para o novo vaqueiro.

Renilto disse ainda que o vaqueiro foi solto por afirmar que não esteve em Barra do Corda na data do crime, mas que com os novos depoimentos de testemunhas em um total de três, que afirmam que viram o vaqueiro conversando com Júnior horas antes do crime, foi o suficiente para a Polícia solicitar novamente a prisão de Luizão, ocorrida nesta terça-feira (30) por volta do meio dia.

O delegado afirmou de forma categórica que com a prisão de Luizão, não quer dizer que Junior não tenha participado do crime contra o próprio pai. Dr Renilto esclareceu que o que se investiga agora é que Junior do Nenzin não agiu sozinho no planejamento e na execução do ex-prefeito, tendo agora o Vaqueiro Luizão como suspeito de ter participado do crime.

Rigo Teles assume o comando do seu grupo político em Barra do Corda

Deputado Rigo Teles assumiu o comando após a morte de seu pai

Acompanhado da mãe, Dona Santinha, o deputado Rigo Teles (PV) recebeu, em sua residência em Barra do Corda, os vereadores João Pedro Filho, Nem do Swan, Eteldo, a vereadora Graça do Ivan, suplentes de vereadores, candidatos a vereador e expressivas lideranças políticas de Barra do Corda.

Depois de ouvir os vereadores e lideranças, Rigo Teles anunciou que, a partir de agora, está assumindo o comando do seu grupo político no município de Barra do Corda e na Região Central do Maranhão, formado e comandado por muitos anos pelo ex-prefeito e grande liderança, Manoel Mariano de Souza, “Nenzin”.

O anuncio foi recebido com grande entusiasmo pelos vereadores e lideranças. Ambos aproveitaram a oportunidade para dar força, oferecer o apoio e pedir que Rigo Teles assuma a liderança e fortaleça o grupo político, que vai continuar unido e lutando por melhorias para a população de Barra do Corda.

ENERGIA POSITIVA

Apesar de ainda consternados com os acontecimentos, Rigo e Dona Santinha firmaram compromisso com os vereadores e lideranças de promover a união pelo povo. “Meu pai se foi, mas comandarei nosso grupo, firme e forte. Agradeço a energia positiva dos meus amigos presentes nessa reunião”, disse Teles.

Para fortalecer ainda mais o grupo, Rigo anunciou novas reuniões com seus aliados. Na sexta-feira (19), às 19h, o deputado reunirá, em sua residência, cerca de 80% dos comerciantes de Barra do Corda, considerados fortes aliados na luta para melhorar a qualidade de vida do povo do município.

Ao final da reunião ficou decidido, também, que na sexta-feira (26), a partir das 8h, o deputado Rigo Teles e seu grupo promoverão, em Barra do Corda, durante o café da manhã, uma grande reunião com todos seus representantes políticos da zona urbana e na zona rural do município.

Crime em Barra do Corda! Filho de ex-prefeito assassinado é preso como principal suspeito…

Com informações de Globo.com

Desenrolar das investigações do assassinato de Nenzim choca o Maranhão

Pai e filho durante campanha pela Prefeitura de Barra do Corda

O ex-candidato a prefeito, Mariano Filho, filho do ex-prefeito de Barra do Corda, Manoel Mariano de Sousa, conhecido como “Nenzim”, foi preso na madrugada de sexta-feira (8) na casa de um amigo em Barra do Corda. A vítima foi morta com um tiro no pescoço, na manhã da quarta-feira (6), na zona rural do município, a 341 km de São Luís.

Júnior do Nenzim, como é conhecido, é apontado pela polícia como o principal suspeito pela morte do pai. De acordo com as investigações, no dia do crime, o filho estava junto ao pai e não havia mais ninguém no local. Portanto, as informações iniciais que indicavam a presença de dois homens em uma moto no assassinato do ex-prefeito seriam falsas.

A informação foi confirmada ao G1 pelo o secretário de Segurança Pública do Maranhão, Jefferson Portela.

Júnior do Nenzim (de verde) esteve no velório do pai e chorou no ombro do irmão Rigo Teles

Entenda o caso

Manoel Mariano de Sousa, conhecido como Nenzim, foi assassinado com um tiro no pescoço, na manhã de quarta-feira (6), na zona rural de Barra do Corda, a 341 km de São Luís. Ele foi encaminhado a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Barra do Corda e em seguida, transferido para um hospital no município de Presidente Dutra, mas acabou falecendo.

Após a morte do ex-prefeito e antes do velório do corpo, familiares procuravam entender o que teria motivado o assassinato. Dias após a morte de Mariano de Sousa, a Secretaria de Segurança Pública do Maranhão informou que, diante das investigações, pediu à justiça pelo mandado de prisão do assassino do ex-prefeito de Barra do Corda.

O corpo de ex-prefeito foi velado durante toda a madrugada de quarta-feira (06), em sua residência, em Barra do Corda e foi acompanhado de uma multidão de amigos. O enterro aconteceu no fim da tarde desta quinta-feira (7), no cemitério São Francisco, em Barra do Corda.

“É melhor ficar calado e aguardar as investigações”, diz Cutrim sobre assassinato de Nenzim

Ele acrescentou que o mais importante é que no Maranhão há delegados de polícia qualificados para elucidar o crime

O deputado Raimundo Cutrim (PCdoB) lamentou, na sessão desta quinta-feira (7), o assassinato do ex-prefeito de Barra do Corda, Manoel Mariano de Sousa, mais conhecido como Nenzim.

“Lamento o assassinato do nosso amigo Nenzim com quem eu tinha uma amizade há mais de 20 anos, pessoa que sempre teve um carinho muito grande por mim. Agora eu estou ouvindo, na imprensa, nos blogs, fatos que é melhor a gente ficar calado e aguardar as investigações”, afirmou Cutrim, ao utilizar a tribuna.

Nenzim, assassinado na manhã de quarta-feira (6) por dois supostos pistoleiros que ocupavam uma moto, era pai do deputado estadual Rigo Teles (PV). “Esse crime que ocorreu em Barra do Corda, nenhum sistema de polícia pode evitar. Crimes dessa natureza, de pistolagem ou similar, a Polícia Judiciária não tem como evitar tampouco a polícia preventiva, que é a Polícia Militar. São fatos que ocorrem em qualquer sociedade e em qualquer estado ou país do mundo”, frisou Cutrim.

Ele acrescentou que o mais importante é que no Maranhão há delegados de polícia qualificados para elucidar o crime. “Vamos aguardar a investigação. Com certeza vamos torcer para que a polícia corra aqui, como se diz, no quente da história, das 72 horas, para que se possa já ter uma informação mais precisa sobre este fato”.

TIRIRICA

Em seu discurso, o deputado Raimundo Cutrim teceu comentários, também, sobre a atitude do deputado federal e palhaço Tiririca (PR-SP) que anunciou que não vai disputar a reeleição no ano que vem e afirmou que vai deixar a Câmara “triste” e “com vergonha” com o que viu durante o mandato.

“Ontem eu também ouvia o caso do Tiririca, um fato também emblemático e fico triste, porque ele não foi correto. Muita gente dizendo, falando cada um uma coisa e ele não foi correto com os seus eleitores. O deputado teve mais de um milhão de votos, então ele deve satisfação aos seus eleitores, aí de repente ele renuncia. Aí de repente sai dizendo que está decepcionado, mas ele tinha um compromisso. Então ali ele mostrou que é covarde e não teve compromisso com o país, com seu Estado e com seus eleitores”, ressaltou Cutrim.

Othelino lidera comitiva de deputados em visita de solidariedade aos familiares de Rigo Teles

Presidente em execício da Assembleia pediu investigação rigorosa ao caso

O presidente em exercício da Assembleia,  deputado Othelino Neto (PC do B), esteve em Barra do Corda, na tarde desta quarta-feira (6), acompanhado pelos deputados Edilázio Júnior (PV), Ricardo Rios (PEN), Rogério Cafeteira (PSB) e Rafael Leitoa (PDT), para prestar solidariedade e condolências ao deputado Rigo Teles (PV) e familiares pelo assassinato do ex-prefeito Manoel Mariano de Sousa, o Nenzim, vítima de crime supostamente de encomenda.

Na oportunidade, o deputado Othelino Neto disse ao deputado Rigo Teles e demais familiares que pediu ao secretário de Estado de Segurança Pública, Jefferson Portela, uma rigorosa e ágil apuração do crime. “O secretário Jeferson Portela deslocou-se imediatamente para Barra do Corda logo que foi comunicado do lamentável fato e já tomou todas as providências para que se elucide, o mais rápido possível, esse bárbaro crime”, informou.

O ex-prefeito de Barra do Corda foi assassinado por volta das sete horas da manhã, no Residencial Moradas do Rio Corda, com dois tiros na nuca, quando saia do carro em que se encontrava com seu filho Júnior. Ele recebeu os dois disparos quando estava descendo do carro.

“Meu irmão disse que não viu e nem ouviu nada. Ele só viu nosso pai com a cabeça caída sobre a porta do carro, e achou que ele estivesse passando mal e pediu socorro. Pouco depois que percebeu que ele estava sangrando pelo ouvido. Ele levou nosso pai, imediatamente, para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Barra do Corda e depois para o Hospital Macrorregional de Presidente Dura, mas ele não resistiu. Meu pai nunca sofreu ameaça”, relatou Sandra Teles, a mais velha das três filhas mulheres.

Manoel Mariano de Sousa, conhecido por “Nenzim”, tinha 79 anos, deixou seis filhos (três homens e três mulheres) e a viúva Francisca Teles. Nenzim era o mais velho dos cinco irmãos, sendo três mulheres.  Governou Barra do Corda por três vezes, nos períodos de 1996 a 2000, 2004 a 2008 e de 2008 a 2012. Seu filho, Júnior, conhecido por “Vaqueiro da Barra”, perdeu as últimas eleições para o prefeito Eric Castro (PC do B). Ele decretou luto oficial por três dias na cidade.

CLIMA DE COMOÇÃO NO VELÓRIO DE NENZIM

Tão logo a notícia do assassinato de Nenzim se espalhou, uma multidão se dirigiu a casa da família Teles, situada na Avenida Roseana Sarney, no Bairro Trizidela. O corpo só chegou à casa da família Teles para ser velado, à noite, por volta das 19h30, carregado pelos familiares e uma multidão.

“Seu Nenzim não merecia essa crueldade. Sou de outro grupo político, mas me considero amigo da família. Votei nele outras vezes e reconheço que ele transformou Barra do Corda. Perdemos uma grande liderança política, e quem quer que tenha praticado essa crueldade deve pagar por isso. Nenzim deixou uma história na Barra. Não acredito em crime de motivação política”, declarou o vereador Raimundo da Rodoviária (PP), um dos 17 vereadores da cidade.

SEPULTAMENTO

O sepultamento do ex-prefeito Nenzim será realizado na tarde desta quinta-feira (7), às 17h, no cemitério São Francisco, após a celebração de missa de corpo presente, na Igreja Diana Bereta, às 16h, no Bairro Trizidela.

A expectativa é de um clima de comoção e o comparecimento de uma grande multidão no cortejo e sepultamento do ex-prefeito de Barra do Corda, Nenzim.

COMPROMISSO DO GOVERNADOR COM A ELUCIDAÇÃO DO CRIME

Muito abalado, o deputado Rigo Teles não quis dar nenhuma declaração sobre o assassinato do seu pai, limitando-se a informar o que ouviu do governador Flávio Dino a respeito. “Custe o que custar, vamos prender os responsáveis por esse crime, independente de quem quer que seja”, disse o governador Flávio Dino ao deputado.

VISITA DA EX-GOVERNADORA ROSEANA E O SENADOR LOBÃO

Segundo familiares, está prevista a visita da ex-governadora Roseana Sarney (PMDB), do senador Edson Lobão (PMDB) e do deputado federal Sarney Filho (PV) ao velório de Nenzim, durante a manhã desta quinta-feira (07).

Presos, que estavam em Barra do Corda, são transferidos para outras unidades…

A Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) transferiu, neste final de semana,  os 12 presos, que estavam na Delegacia de Barra do Corda. Os detentos foram levados para as unidades penitenciárias de Codó, Colinas e São Luís. Na próxima semana, a Seap vai assumir as carceragens das delegacias de Tutoia, Carolina, São João dos Patos, Colinas e  Barra do Corda.

Desde 2015, a Secretaria vem trabalhando para transformar carceragens de delegacias em unidades prisionais, como já ocorreu em Cururupu, Carutapera, Governador Nunes Freire, Grajaú, Presidente Dutra e Zé Doca.

Além disso, já foram construídos/reformados 18 prédios da Polícia Civil com o objetivo de melhorar a estrutura precária acumulada nas décadas passadas. No momento, outros dez prédios estão em obra de construção ou reforma.

A meta é recuperar até o fim deste ano, um total de 36 órgãos da Secretaria de Segurança Pública. A previsão é que sejam feitas melhorias em mais de 40 delegacias até 2018.

Morte na prisão em Barra do Corda: o criminoso uso político de uma tragédia

Por Cunha Santos

Francisco Ednei Lima Silva

Há, ou pelo menos deveriam haver, limites humanitários para o exercício da atividade política. O respeito à dor alheia, por exemplo, à comoção de uma cidade diante de uma morte inesperada, o respeito ao desespero de familiares e amigos, precisam ser resguardados acima de qualquer interesse em querer atingir os adversários.

É deprimente a forma como deputados e a mídia sarneisista vem utilizando a morte incidental do comerciante Francisco Ednei Lima Silva, após sua prisão em virtude de um acidente de trânsito, para angariar ganhos políticos e fustigar o governo do Estado. E sabendo que Flávio Dino deles herdou o mais completo desastre na segurança pública e busca consertar com investimentos maciços, responsabilidade e determinação; sabendo a situação degradante em que deixaram todos as prisões, todos os prédios, todas as polícias, todas as delegacias.

O governo informa que a estrutura existente em Barra do Corda tem por finalidade garantir o banho de sol de presos provisórios e que em janeiro de 2015 o governo Flávio Dino encontrou 1.600 destes presos em delegacias, número reduzido a menos de 800, mesmo com o aumento de 50 % na detenção de suspeitos.

Querem apontar culpados por um crime que é mais deles que de qualquer um. Eles sucatearam o Sistema Estadual de Segurança Pública, pois mais ocupados estavam em reverter processos por corrupção que poderiam levar eles mesmos à cadeia.

Todos lembram. Todos sabem o perigo que foi viver no Maranhão, especialmente em São Luís, nos anos de 2013 e 2014, durante o governo Roseana Sarney. Na maioria dos casos, não havia nem onde prender ninguém, nem polícia suficiente para fazê-lo. E, embora criando 1400 novas vagas no sistema prisional nos últimos dois anos, é óbvio que o atual governo ainda não teve tempo de consertar tudo o que eles esbandalharam. Só por deter a verdadeira olimpíada de crimes ocorrente no Maranhão durante o governo Roseana Sarney, a Secretaria de Segurança Pública já merece ser aplaudida.

A polícia já instaurou inquérito para apurar a morte do comerciante, conforme informações, vítima de uma crise de hipertensão cuja origem ainda precisa ser esclarecida. Mas usar essa lamentável tragédia como arma contra adversários políticos, colocando a família enlutada no meio de um tiroteio verbal que só pode agravar a sua dor, é de uma impiedade e falta de caráter capaz de fazer corar um frade de pedra.

Meus pêsames à família de Francisco Edinei Lima Silva.

Meus pêsames ao Maranhão, pela existência de gente disposta a obter dividendos políticos tripudiando sobre a dor alheia.