My birthday! Uma tarde muito agradável…

Reuni um grupo animado de familiares e de amigos, em casa, para uma feijoada, pela passagem do meu aniversário, no último sábado (22). Foi uma tarde muito agradável. A música ficou por conta do amigo e cantor Lúcio Cordas.

Confira vídeos e algumas fotos de quem veio me abraçar. Fiquei, imensamente, agradecida pelo carinho de todos.

As fotos, os registros são da fotógrafa imperatrizense, Jô Araújo.

Roseana Sarney tem medo de disputar o governo…

Roseana Sarney tem receios de entrar na disputa pelo governo por conta do cenário político que lhe é desfavorável

Blogs e imprensa de um modo geral repercutiram uma entrevista da ex-governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PMDB), em relação à disputa pelo governo do Estado, no próximo ano, onde ela diz que “não tem vontade de concorrer”, mas, se for provocada, poderá vir a ser. Na verdade, o medo, a insegurança e a falta do governo em suas mãos rondam as pretensões da peemedebista em relação a 2018.

A ex-governadora já disputou quatro eleições ao governo. Em 2006, perdeu uma para o pedetista Jackson Lago, apoiado pelo então governador José Reinaldo, que tinha sido vice da peemedebista e se elegeu em 2002, após ela renunciar para concorrer ao Senado. Como se pode observar, Roseana venceu todos os embates nas urnas quando ela ou seu grupo estavam no poder.

O quadro político hoje é muito diferente dos que tiveram Roseana Sarney como vencedora das disputas. Sem o poder do Palácio dos Leões e como ré em um processo que a coloca dentro de um esquema que causou rombo fiscal de mais de R$ 1 bilhão ao Estado, isso sem falar de outras broncas, que a desgastaram muito, a ex-governadora teria, na verdade, medo de entrar numa disputa com chances reais de derrota em um cenário em que sua popularidade caiu muito.

E a afirmação de que “não tem vontade de concorrer” é blefe. Na verdade, a vontade é muita. Mas a vaidade e, justamente, o medo de perder deixam Roseana Sarney sem coragem de se anunciar, com segurança, para a disputa que se avizinha, isso tudo somado à falta de apoios políticos para tal e à boa articulação que faz o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), em seu terceiro ano de governo, sem denúncias ou acusações relevantes que abalem o seu potencial.

Mas, uma coisa é certa. Morando em Brasília, atualmente, e para não ficar sem mandato e mais fragilizada com os processos que enfrenta na Justiça, a ex-governadora Roseana Sarney deve mesmo é disputar uma vaga para a Câmara Federal. Ainda há muita água para rolar, mas vamos aguardar.

Repórter Record volta a exibir o drama da fome no Maranhão e a inoperância dos prefeitos…

VEJA AQUI O VÍDEO DA REPORTAGEM

Repórter Record Investigação, da TV Record News, voltou a exibir, na noite de segunda-feira (14), o drama da fome no interior do Maranhão, resultado da inoperância dos prefeitos que cruzam os braços diante dessa situação, consequência de uma herança de anos atrás.  Mostrou  pessoas que sobrevivem à base de farinha e água suja, herança maldita de anos de atraso. Muitos deles vivem em municípios como Belágua (o mais pobre do país, onde a presidente Dilma Rousseff teve a maior votação proporcional por causa do Bolsa Família), Centro do Guilherme (maior porcentagem de miseráveis), Marajá do Sena e Fernando Falcão.

Eles ainda são “invisíveis” para as autoridades brasileiras, mas têm nome e sobrenome; são, facilmente, localizados e não possuem absolutamente nada para comer. São adultos e crianças em condições de extrema pobreza, sendo a situação mais crítica localizada no interior do Maranhão. Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), mais de sete milhões de brasileiros ainda passam fome no país.

Mostrou pessoas simples como Zenaide. Ela tem 15 filhos. A mulher enfrenta a batalha sozinha para tentar garantir o sustento das crianças, o que nem sempre é possível. Belágua (MA), onde vivem, é considerada a cidade mais pobre do Brasil, segundo o IBGE.

O programa mostrou depoimentos sobre a luta permanente e desesperada dessas famílias para conseguir se alimentar e revela a face mais cruel da fome: a exploração sexual de meninas em troca de comida.

Charles Chaplin tinha razão…

O humorista e escritor inglês Charles Chaplin é dono de muitos bons escritos, entre eles “A vida é muito para ser insignificante”. Uma verdadeira “injeção” de ânimo a quem enfrenta os dissabores da vida com sabedoria e sobrevive. No final, depois de citar momentos vividos por muitos, ele coroa o poema com um “grand finale”: Porque o mundo pertence a quem se atreve…

Chaplin foi um dos atores da era do cinema mudo, notabilizado pelo uso de mímica e da comédia pastelão. É bastante conhecido pelos seus filmes “O Imigrante”, “O Garoto”, “Em Busca do Ouro” (este considerado por ele seu melhor filme), “O Circo”, “Luzes da Cidade”, “Tempos Modernos”, “O Grande Ditador”, “Luzes da Ribalta”, “Um Rei em Nova Iorque” e “A Condessa de Hong Kong”.

A Vida é Muito para Ser Insignificante
Por Charles Chaplin

Já perdoei erros quase imperdoáveis,
Tentei substituir pessoas insubstituíveis e esquecer pessoas inesquecíveis.
Já fiz coisas por impulso,
Já me decepcionei com pessoas quando nunca pensei me decepcionar, mas também já decepcionei alguém.

Já abracei pra proteger,
Já dei risada quando não podia,
Já fiz amigos eternos,
Já amei e fui amado, mas também já fui rejeitado,
Já fui amado e não soube amar.

Já gritei e pulei de tanta felicidade,
Já vivi de amor e fiz juras eternas, mas “quebrei a cara” muitas vezes!
Já chorei ouvindo música e vendo fotos,
Já liguei só pra escutar uma voz,
Já me apaixonei por um sorriso,

Já pensei que fosse morrer de tanta saudade e… tive medo de perder alguém especial (e acabei perdendo). Mas sobrevivi!

E ainda vivo!
Não passo pela vida…
e você também não deveria passar. Viva!

Bom mesmo é ir à luta com determinação,
Abraçar a vida e viver com paixão,
Perder com classe e vencer com ousadia,
Porque o mundo pertence a quem se atreve
e a vida é muito para ser insignificante.

(Charles Chaplin)

WhatsApp agora também com recurso da “historinha”…

O WhatsApp também já permite as famosas historinhas curtas (pequenos vídeos), inauguradas com sucesso pelo aplicativo Snapchat, com duração de 24 horas no status. Desde quarta-feira (20), os usuários podem contar com mais esse entretenimento, com mais essa forma de se manifestar na rede mais famosa do mundo no momento.

Nos vídeos acima, eu testei a novidade do WhatsApp atualizando o meu status com historinhas.

O Facebook está investindo pesado na concorrência ao Snapchat. Depois de lançar o Instagram Stories (com fotos e vídeos que desaparecem depois de 24 horas) e de anunciar funções similares para o Messenger e também para o aplicativo principal do Facebook, a novidade chegou, desde a quarta-feira (22), também para o WhatsApp.

O Facebook também terá a função “Stories” um pouco mais para frente. A mudança foi anunciada no blog oficial do Whatsapp em comemoração ao aniversário de 8 anos de lançamento do app.

A nova função substituiu a antiga interface de “status” antiga  por uma completamente nova que permite compartilhar imagens e vídeos que desaparecem após 24 horas.

Para descontrair um pouco…

É claro que a minha praia não é cantar (risos). A minha praia, claro, é Jornalismo, notícia, informação, comunicação, marketing, blog, etc. Mas, para descontrair, fiz esse vídeo na intenção de dizer que “gosto muito de vocês”!

Dá uma olhada…

Republicando “Nove amigos, noves fora nada…”

Jacir Moraes publicou seus últimos textos no Blog da Sílvia Tereza

Jacir Moraes publicou seus últimos textos no Blog da Sílvia Tereza

Abaixo, republico um dos últimos textos do jornalista Jacir Moraes, publicado em oito de janeiro de 2013, como colaborador no Blog da Sílvia Tereza. Este já produzido com minha ajuda na digitação e edição, pois ele já se encontrava sem a visão por conta de complicações da Diabetes.

No texto, Jacir revela a solidão em que se encontrava e dava falta de seus grandes “amigos” do passado – entre eles políticos, juízes, desembargadores, empresários e jornalistas – que sumiram logo após a doença que o deixou inválido e fora da atividade do Jornalismo que ele tanto amava.

À época, o desabafo de Jacir teve ampla repercussão na Imprensa. Em seguida, o artigo na íntegra.

“Nove amigos, noves fora nada…”

Por Jacir Moraes* (In memoriam)

Nos últimos três anos, eu tenho passado por um processo que eu considero desconto de pecados e que Deus me perdoe. Senão, vejamos. Em conseqüência da diabetes, perdi quase que totalmente a visão (restaram apenas 5%). Depois, caí dentro de casa, quebrei o fêmur e, mais recentemente, sofri um AVC (Acidente Vascular Cerebral), o que me deixou fora de combate por todo este período, eis aí o motivo da minha ausência nos acontecimentos da cidade de São Luís.
Diante da gravidade pela qual passei, fui obrigado a me aposentar por invalidez e, para fazer este relato, contei com a colaboração da minha amiga, jornalista Sílvia Tereza, na digitação e edição do texto. Todos esses eventos me fizeram permanecer em casa 24 horas por dia. E sem poder desenvolver a minha atividade, passei a explorar mais a minha mente e comecei a relembrar o passado, atento ao presente, e imaginar coisas que ainda estão inéditas. E a partir de agora, espero expressar meus sentimentos.

Antes de me aposentar, eu já estava afastado do jornal O Debate, veículo que eu fundei há 30 anos e dirigi. Por força de uma ação judicial, fui afastado da direção do periódico numa manobra capitaneada por um pequeno advogado que se diz influente no meio jurídico, homem com mais ou menos um e vinte de estatura, apelidado de tamborete de forró ou sagüi pelas orelhas avantajadas e o corpo minúsculo.

Uma das coisas que mais me chamou atenção ao longo desses mais de três anos foi a ausência de muitos que eu pensava que eram meus amigos e cheguei à conclusão de que não os tenho. Mas fiquei a me perguntar: onde estão os meus amigos? E uma voz do subconsciente respondia: eles não existem, eles não existem, eles não existem…, seu teimoso!

Recentemente, com dificuldade, eu ensaiei umas voltinhas de carro pela cidade que está toda revirada como destroços de guerra. Diria, tudo fuçado e nada concluído ou realizado. Parei ali na antiga Praça João Lisboa, hoje propriedade dos travestis, sobre os quais nada tenho contra, saltei do carro e um velho jornaleiro se aproximou de mim e me chamou pelo meu nome: “E aí, seu Jacir, tudo bem?” E, prontamente, respondi que sim. Ele me perguntou se eu estava só. Disse que sim. Depois, indagou: “mas o que foi que houve, onde estão os famosos amigos que te cercavam?”. Eu então lhe disse que isso era coisa do passado e que hoje os meus amigos somados não chegam a dois dígitos.

Cheguei a tal conclusão, depois de recorrer à matemática, ciência exata: mentalizei de um a nove, e nove noves fora nada. Ou seja, estou sozinho. Mas como diz o adágio popular: antes só do que mal acompanhado.

Com a doença da qual eu fui vítima e com a quebradeira em que eu vivo, os mui amigos desapareceram; conto hoje apenas com três cuidadoras . Mas por isso, eu não me abato. A aposentadoria que recebo da Previdência e a providência divina me são suficientes para degustar, de vez enquando, uma dose de uísque. Agora, sozinho…
___________________________________________
* Jacir Moraes foi jornalista, fundador do jornal O Debate, ex-secretário de Comunicação da Assembleia Legislativa, ex-secretário-adjunto de Comunicação do Estado, trabalhou 26 anos na rádio Timbira do Maranhão, foi editor do Diário Oficial do Estado, presidente da Abgraf – regional Maranhão – e colaborador do Blog da Sílvia Tereza.

Rádio Timbira agora também neste blog…

Caro leitor, a partir de agora, você pode acompanhar toda a programação da rádio Timbira, emissora oficial do governo do Estado, também pelo Blog da Sílvia Tereza, por meio do player ao lado, na barra lateral à direita, onde se pode controlar o volume, clicando nos botões.

Depois de iniciar uma ampla parceria com o sistema de rádios da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), o governo do Estado, por intermédio da gestão de radiodifusão da Secretaria de Estado de Comunicação Social (Secom), vem buscando ampliar sua rede de parceiros para divulgação do conteúdo produzido pela Rádio Timbira.

Com o objetivo de ser o meio de comunicação do povo maranhense, a emissora passou por mudanças estruturais no quadro técnico e operacional e se tornou mais interativa. Veja o vídeo acima.

SERÁ QUE DESSA VEZ VAI? Justiça condena bancos a cumprirem tempo máximo de atendimento no Maranhão

Filas imensas são frequentes nos bancos do Maranhão

Filas imensas são frequentes nos bancos do Maranhão

A Justiça julgou procedente Ação Civil Pública, com pedido de tutela antecipada, promovida pelo Ministério Público do Maranhão para obrigar estabelecimentos bancários a atender os clientes, no prazo máximo de 30 minutos, no Estado.

A sentença,  assinada pelo juiz Clésio Coelho Cunha, da Vara de Interesses Difusos e Coletivos, condenou os bancos BNB, Banco da Amazônia, Banco Rural, HSBC, Bradesco, Abn Amro Real, Itaú, BCN, Mercantil de São Paulo e Banco do Brasil a atenderem os usuários em até 30 minutos após a emissão da senha.

Proposta em 2013, a ação, de autoria do promotor de justiça Carlos Augusto da Silva Oliveira, titular da 1ª Promotoria de Defesa do Consumidor de São Luís, exigia a efetivação da Lei Estadual nº 7.806/2002, que estabelece o tempo máximo para o atendimento aos clientes das agências bancárias.