China investirá mais de R$ 1milhão no porto de São Luís

O Maranhão em breve receberá mais um investimento estrangeiro. A China Communications Construction Company (CCCC) está estruturando, junto a bancos chineses, o financiamento de R$ 1,4 bilhão para o Porto de São Luís. A expectativa é de que o contrato de crédito com mais de um banco seja assinado até outubro, quando devem ser iniciadas as obras de construção .

Segundo a coluna  Broadcast, do Estadão, o valor total do investimento é de R$ 1,7 bilhão, sendo que o restante será colocado diretamente pela CCCC, que tem 51% do projeto, e pela WPR, braço de infraestrutura da Wtorre.  A CCCC é representada no Brasil pelo Banco Modal.

O acordo de investimento para construção de um Terminal de Uso Privado (TUP), em São Luís, com a WPR, braço do Grupo WTorre, foi assinado em outubro. O governador Flávio Dino acompanhou a solenidade e destacou os benefícios desejados ao estado com os investimentos.

A estimativa da WPR São Luís Gestão de Portos e Terminais é que cinco mil empregos diretos e indiretos sejam criados graças ao novo terminal. A construção do TUP vai ampliar, também, a capacidade de escoamento da produção no Maranhão.

A estimativa é que o TUP leve três anos para ficar pronto. As obras devem começar no segundo semestre.

Em reunião com embaixador da China, Flávio Dino trata de investimentos para geração de emprego

Governador Flávio Dino dialoga com embaixador da China.

Com o objetivo de continuar o diálogo para prospecção de investimentos estrangeiros que visam a geração de emprego e renda no Maranhão, o governador Flávio Dino se reuniu com o embaixador da China no Brasil, Li Jinzhang, na embaixada do país, em Brasília. Durante o encontro, foi reforçado o desejo do Governo do Estado em apoiar acordos de cooperação para projetos de iniciativas dos chineses no Maranhão.

Desde o início de 2015, Flávio Dino e o vice-governador Carlos Brandão estão constantemente reunidos com autoridades e empresários chineses, mostrando disposição e interesse na concretização de projetos que alavanquem o desenvolvimento econômico e a geração de emprego no Maranhão.

O governador enfatizou que a visita ao embaixador da China no Brasil faz parte da política de diálogo com o país para a atração de investimentos, que este mês deu importantes passos com a presença de Carlos Brandão no país por mais de 10 dias. Na ocasião, o vice-governador assinou com os chineses contratação de serviços para a viabilização de uma siderúrgica na cidade de Bacabeira, e conversou com grandes empresários e investidores que atuam nos ramos da infraestrutura, novas tecnologias, turismo e agronegócios.

Geração de empregos

Os investimentos estrangeiros fazem parte do reforço para os esforços que o Governo do Estado vem envidando para a geração de emprego e superação da aguda crise econômica que assola o Brasil.

A ideia é que os investimentos chineses impulsionem o setor de empregos e se somem a outras iniciativas  como as obras de infraestrutura e o aumento da atividade agrícola que foram  os principais responsáveis pela geração de 1.531 novos postos de trabalho no estado no último mês, o segundo a ter crescimento consecutivo.

 

Carlos Brandão vai à China tratar de siderurgia…

Carlos Brandão tratará de planta siderúrgica em Bacabeira

Em mensagem encaminhada à Assembleia Legislativa, nesta segunda-feira (26), o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), comunicou a Casa sobre autorização para que o vice-governador, Carlos Brandão (PSDB), ausente-se do país, no período de 29 de junho a 18 de julho deste ano, em missão de caráter oficial, realizando viagem à Jinan, província de Shandong, na China.

Carlos Brandão dará sequência às negociações com a empresa chinesa CBSTEEL, na perspectiva da implantação de uma planta siderúrgica no município de Bacabeira, no Maranhão, além de tratar de outros assuntos.

A autorização para a viagem foi estabelecida pelo Decreto Legislativo nº 482/2016, de 15 de dezembro de 2016.

Acordos na China reforçam a importância da Zema, diz Roberto Rocha

Roberto Rocha

Roberto Rocha

 Acordos assinados na China pelo presidente Michel Temer, nesta sexta-feira (2), devem beneficiar o Maranhão com investimentos, na primeira fase, de R$ 4,5 bilhões. “Esses empreendimentos vão gerar milhares de empregos e proporcionar desenvolvimento para o estado. Acredito que eles reforçam a importância de criarmos uma Zona de Exportação na ilha de São Luís e disse isso ao presidente no nosso último encontro, quando falamos do anúncio que seria feito na China”, afirmou o senador Roberto Rocha (PSB-MA).

O senador é o autor de projeto de lei, já aprovado pela Comissão de Desenvolvimento Regional do Senado, que cria uma Zona de Exportação (Zema) na ilha de São Luís, com incentivos fiscais especiais como a suspensão do Imposto sobre Importação, Exportação e do Imposto sobre Produtos Industrializados. O objetivo é atrair a instalação de empresas voltadas para a exportação.

Depois de um longo encontro com Temer no domingo pela manhã, Roberto Rocha disse que recebeu com alegria a notícia da assinatura dos contratos para os dois empreendimentos. “O Maranhão precisa de muito estímulo econômico para deixar de ser apenas exportador de matéria prima. Temos uma posição geográfica privilegiada nas rotas do mercado mundial e portos que oferecem ótimas condições, então temos que explorar essa oportunidade para gerar renda e emprego para nossa população”, avaliou o senador.

Roberto Rocha foi convidado pelo presidente, junto com os outros senadores maranhenses e de outros estados, para participar da comitiva brasileira que viajou à China para a reunião do G20.

Na China, o governo brasileiro assinou um contrato de R$ 3 bilhões com a empresa CBSteel para a construção de projetos siderúrgicos em Bacabeira. Também foi assinado um contrato entre o grupo brasileiro WPR e a China Communication and Construction Company International (CCCC) para investimento de R$ 1,5 bilhão, na primeira fase, no terminal de multicargas de uso privado que está sendo construído pela WPR em São Luís.

A siderúrgica de Bacabeira deve gerar na primeira fase pelo menos cinco mil empregos e produzir três milhões de toneladas de aço. O terminal privado terá capacidade instalada de 14 milhões de toneladas/ano para grãos, 3 milhões para celulose,3,6 milhões para líquidos e 3,5 para fertilizantes.

Zé Inácio destaca parceria entre Brasil e China

Deputado Zé Inácio

Deputado Zé Inácio

O deputado Zé Inácio (PT) destacou, durante sessão plenária, o acordo celebrado entre Brasil e China, ocorrido há duas semanas, que prevê investimentos em vários estados, inclusive no Maranhão.

Aqui no Maranhão, o investimento no Complexo Siderúrgico (Açailândia e cidades do entorno) é na ordem de mais de sete bilhões de dólares.

“Essa parceria é importante para retomada do setor siderúrgico no Maranhão, não só para manter os empregos já existentes, mas também para geração de novos empregos”, diz o parlamentar.

Os atos assinados representam investimentos de U$$ 53 bilhões e abrangem áreas de planejamento estratégico, agricultura, energia, mineração, ciência e tecnologia, comércio, entre outras.  O investimento ainda prevê parceria para a retomada do crescimento da Petrobras.