Flávio Dino diz que bloco liderado por Lula tem tudo para vencer a eleição

Lula aparece com 30% das intenções de voto e, quando sai do cenário, o percentual de eleitores sem candidato atinge 33%

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB-MA), usou as redes sociais para comentar a pesquisa do Datafolha divulgada neste domingo (10) que aponta o ex-presidente Lula com 30% das intenções de voto.

Em seu post, Dino ressalta a força de Lula. ” A Pesquisa DataFolha mostra que o bloco nacional e popular, liderado por Lula, tem tudo para levar um candidato ao 2º turno e vencer. Ou ele próprio, ou quem ele indicar. Fundamental é a união, como a Frente Ampla do Uruguai ensina”, salienta o governador.

Nova pesquisa Datafolha, realizada na semana passada e divulgada neste domingo (10), mostra que adversários do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na disputa presidencial ainda não conquistaram a preferência dos eleitores. Lula aparece com 30% das intenções de voto e, quando sai do cenário, o percentual de eleitores sem candidato atinge 33%.

Michel Temer bate próprio recorde de impopularidade

Apenas 3% dos brasileiros consideram o governo Temer ótimo ou bom, segundo o levantamento. Outros 14%, consideram regular a gestão dele

O presidente Michel Temer bateu o próprio recorde de impopularidade na pesquisa Datafolha, divulgada neste domingo. De acordo com o levantamento, 82% consideram o governo do emedebista ruim ou péssimo. A taxa de reprovação aumentou 12 pontos percentuais em relação ao ultimo levantamento em abril. Segundo o instituto de pesquisa, Temer é o presidente mais impopular desde a redemocratização do país.

A pesquisa é a primeira feita após a paralisação dos caminhoneiros que parou o país e acontece dois meses após a prisão de Lula. O instituto entrevistou 2.824 eleitores, na quarta e na quinta-feira da semana passada.

Apenas 3% dos brasileiros consideram o governo Temer ótimo ou bom, segundo o levantamento. Outros 14%, consideram regular a gestão dele.

O estudo mostra ainda que as Forças Armadas são a instituição que tem mais a confiança da população, apesar da queda no índice a aprovação. Disseram confiar muito nos militares 37% dos entrevistados. Outros 41% disseram confiar um pouco, e 20% não confiam.

Os partidos políticos, o Congresso e a Presidência apresentaram os menores índices de confiança da população: 68%, 67% e 64%, respectivamente, não confiam nessas instituições.

O Datafolha mostra ainda que 14% confiam muito e 43% confiam um pouco no Supremo Tribunal Federal (STF), enquanto 39% não confiam na Corte.
A imprensa tem a confiança total de 16% dos entrevistados. Outros 45% dizem confiar pouco e 37% não confiam.

Datafolha mostra Lula com 30%, Bolsonaro com 17% e Marina com 10%

Lula aparece com 30% das intenções de voto e, quando sai do cenário, o percentual de eleitores sem candidato atinge 33%

Nova pesquisa Datafolha, realizada na semana passada e divulgada neste domingo (10), mostra que adversários do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na disputa presidencial ainda não conquistaram a preferência dos eleitores. Lula aparece com 30% das intenções de voto e, quando sai do cenário, o percentual de eleitores sem candidato atinge 33%.

Com o líder petista na disputa, o deputado Jair Bolsonaro (PSL-RJ) fica com o segundo lugar, com 17% da preferência, e a ex-senadora Marina Silva (Rede) aparece com 10% das intenções de voto. Sem Lula, Bolsonaro sobre para 19% e Marina, para 15% da preferência dos eleitores. Bolsonaro, que apoiou o início da recente greve dos caminhoneiros, lidera todos os cenários sem a participação do ex-presidente, sempre com 19%. Já Marina se mantém em segundo lugar, com percentuais entre 14% e 15% da preferência.

Lula está há dois meses preso em Curitiba, onde cumpre pena por corrupção e lavagem de dinheiro, e deve ser impedido de concorrer pela Justiça Eleitoral. O líder petista tem o segundo maior percentual de rejeição (36%), só perdendo para Fernando Collor de Mello (PTC), que tem 39%.

Vistos como possíveis substitutos do ex-presidente na disputa pela presidência, o ex-prefeito Fernando Haddad (SP) e o ex-governador Jaques Wagner (BA), têm apenas 1% das intenções de voto na pesquisa. Outro que só atinge 1% das preferências é o ex-ministro Henrique Meirelles (MDB), que lançou sua pré-candidatura com apoio do presidente Michel Temer.

A pesquisa mostrou empate técnico entre o ex-ministro Ciro Gomes (PDT), que oscila entre 10% e 11%, e o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB), que tem 7%. Em função da margem de erro do levantamento, que é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos, a real diferença entre eles pode ser menor.

Já na pesquisa espontânea, em que o eleitor responde sem ver uma lista de candidatos, Lula perde espaço para Bolsonaro: o petista tem 10% enquanto o deputado federal atinge 12% das intenções de voto. Neste cenário sobe para 46% o percentual de pesquisados que não sabe em quem votar.

O Datafolha ouviu 2.824 eleitores de 174 municípios na quarta (6) e na quinta (7). A pesquisa é a primeira feita pelo Datafolha após a paralisação dos caminhoneiros, movimento que causou desabastecimento em todo o país, abalando a economia e deixando o governo Temer no centro de uma crise. Os cenários pesquisados pelo Datafolha na semana passada são diferentes dos que foram considerados pelo estudo anterior, feito em abril, e por isso os resultados dos dois levantamentos não são perfeitamente comparáveis.

Para o segundo turno da eleição, o levantamento do Datafolha mostra vitória de Lula em vários cenários. O petista atingiria índices de 46% a 49% sobre os principais adversários. Mas a pesquisa também indica que a maior parte dos eleitores fica sem alternativa com eventual ausência de Lula.

70% dos brasileiros reprovam governo Temer, aponta Datafolha

Foram entrevistadas 2.826 pessoas, entre 29 e 30 de janeiro, em 174 cidades. A margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos.

Nesta quarta-feira (31), uma Pesquisa divulgada pelo instituto Datafolha mostrou os percentuais de avaliação do governo do presidente da República, Michel Temer. Segundo os dados, 70% dos brasileiros consideram ruim ou péssimo o governo Temer; 22% classificam como regular; 6% como ótimo ou bom e 2% não sabe.

Foram entrevistadas 2.826 pessoas, entre 29 e 30 de janeiro, em 174 cidades. A margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos.

De acordo com o Datafolha, o nível de confiança da pesquisa é de 95%, o que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de dois pontos percentuais, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%.

Durante a entrevista, o Datafolha também pediu para os entrevistados atribuírem uma nota de zero a dez para o governo Temer. 43% deram nota zero; 14% deram nota cinco e 8% deram nota dois. A média, segundo o instituto, foi de 2,6.

54% dos que votaram em Dilma são contra impeachment

Brasil 247

Popularidade de Dilma subiu dois pontos, mas ainda continua muito ruim

Popularidade de Dilma subiu dois pontos, mas ainda continua muito ruim

247 – Segundo a mais recente pesquisa Datafolha, a maioria dos que votaram nela em 2014 (54%) se coloca contrária ao impeachment. Entre os eleitores de Aécio Neves (PDSB), 80% querem o afastamento e 17% não.

Entre os que são contra o impeachment, o maior peso é de eleitores tradicionais do PT, porém não só daqueles “satisfeitos”, que aprovam seu mandato. A ocorrência de segmentos “apreensivos” e “atentos”, que consideram regular sua gestão, é significativa —38%.

Na composição dos que defendem o impeachment de Dilma, 64% vêm do segmento que mais rejeita a petista: eles têm renda e escolaridade acima da média, moram especialmente no Sudeste e são os que mais participam das manifestações contra o governo.

O segundo estrato mais numeroso, que contribui com 20% desse universo é a de eleitores frustrados que reelegeram Dilma mas reprovam sua atual gestão. Têm escolaridade e renda mais baixas do que a média da população e residem mais no Nordeste.

Segundo Datafolha, apenas 10% dos brasileiros aprovam governo Dilma…

G1

Presidente do Brasil ainda não conseguiu recuperar popularidade

Presidente do Brasil ainda não conseguiu recuperar popularidade

Pesquisa Datafolha divulgada neste domingo (29), no jornal “Folha de S.Paulo”, indica os seguintes percentuais sobre como os eleitores avaliam o governo da presidente Dilma Rousseff (PT):

DATAFOLHA

– Ótimo/bom: 10%
– Regular: 22%
– Ruim/péssimo: 67%

O Datafolha ouviu 3.541 pessoas em 185 municípios de todo o país nos dias 25 e 26 de novembro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais e para menos.
Segundo o instituto, a avaliação negativa de 67% é a segunda pior para a presidente desde a posse de Dilma no primeiro mandato, em 2011. A pior foi em agosto de 2015, quando a presidente teve 71% de reprovação.
Impeachment
A pesquisa também quis saber se os entrevistados acham que o Congresso deve abrir processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Os resultados foram:
– Congresso deve abrir processo para afastar Dilma: 65%
– Congresso não deve abrir processo para afastar Dilma: 30%
– Não sabe: 5%
Outra pergunta foi se o entrevistado acha que Dilma será afastada. Os resultados foram
– Não será afastada: 56%
– Será afastada: 36%
– Não sabe: 7%
Por fim, o Datafolha quis saber se os entrevistados entendem que Dilma deveria renunciar.
– Sim: 62%
– Não: 34%

Aécio tem 51% e Dilma 49%, segundo Datafolha

Folha.com

pesquisa1510

A 11 dias do segundo turno, a disputa pela Presidência da República continua extremamente acirrada, mostra pesquisa Datafolha feita na terça-feira (14) e nesta quarta (15). O senador Aécio Neves (PSDB) tem 51% dos votos válidos, a presidente Dilma Rousseff (PT) alcança 49%.

É um empate técnico, com exatamente os mesmos percentuais de voto válido da primeira pesquisa Datafolha do segundo turno, feita nos dias 8 e 9 deste mês. Nos dois casos, a margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos.

Em votos totais, Aécio tem 45%; Dilma, 43%. Na rodada anterior, cada um tinha um ponto percentual a mais. Os eleitores dispostos a votar nulo ou em branco oscilaram de 4% para 6%. Os indecisos continuam sendo 6%.

O instituto investigou ainda o grau de decisão dos eleitores. Aécio e Dilma também estão empatados na taxa de convicção: 42% afirmam intenção de votar nele “com certeza”, o mesmo valor para Dilma.

Há 18% que “talvez” possam votar no tucano (eram 22% na pesquisa anterior) ante 15% para Dilma (eram 14%). Já os que não votamem Aécio “de jeito nenhum” são 38% agora (eram 34% no dia 9), enquanto 42% rejeitam votar em Dilma (eram 43%).

O Datafolha ouviu 9.081 eleitores em 366 municípios. O nível de confiança do levantamento é 95% (em 100 pesquisas com a mesma metodologia, os resultados estarão dentro da margem de erro em 95 ocasiões). O registro do estudo no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) é BR 01098/2014.

Marina venceria Dilma no segundo turno, diz Datafolha

Globo com edição do blog

Marina Silva já tem 21% das intenções de voto e, segundo pesquisa Datafolha, venceria Dilma Rousseff no segundo turno

Marina Silva já tem 21% das intenções de voto e, segundo pesquisa Datafolha, venceria Dilma Rousseff no segundo turno

Pesquisa feita pelo Datafolha para o jornal “Folha de S.Paulo”, divulgada na edição desta segunda-feira (18), mostra  Dilma Rousseff (PT) com 36% das intenções de voto para presidente, seguida de Marina Silva (PSB) com 21% e Aécio Neves (PSDB) com 20%.
É a primeira pesquisa que inclui um cenário em que a ex-senadora aparece como o nome do PSB no lugar do ex-governador Eduardo Campos, que morreu, na quarta-feira (13), em um acidente de avião.

Na simulação de segundo turno, Marina teria 47% contra 43% de Dilma. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-00386/2014.

Marina Silva foi escolhida para ser a candidata do PSB à Presidência da República no lugar de Eduardo Campos. A escolha será anunciada oficialmente na próxima quarta (20).

O PSB ainda não definiu se Marina, ex-empregada doméstica, será a candidata substituta, mas lideranças dão a escolha como certa. No levantamento anterior do Datafolha, realizado nos dias 15 e 16 de julho e divulgado no dia 17, Dilma tinha 36%, Aécio, 20%, e Eduardo Campos, 8%.

O percentual de entrevistados, que disseram não saber em quem votar ou que não responderam, foi de 14% em julho e agora atingiu 9%. Brancos e nulos eram 13%; agora são 8%. O quarto colocado na pesquisa, pastor Everaldo (PSC), aparece com 3% das intenções de voto; no levantamento anterior, tinha os mesmos 3%.

Segundo turno

A pesquisa mostra que, se a eleição fosse hoje, haveria segundo turno: Dilma teria 36% contra 46% da soma dos demais candidatos. Na pesquisa anterior, Dilma tinha 36% contra 36% dos demais, o que indicava uma incerteza sobre a necessidade de segundo turno.

O resultado da atual pesquisa mostra que, se for confirmada candidata do PSB no lugar de Campos, Marina começa a campanha em situação de empate técnico com Aécio Neves, numericamente à frente do tucano: 21% a 20%, dentro da margem de erro, de dois pontos percentuais.

Marina larga também em situação de empate técnico com Dilma na simulação de segundo turno: Marina com 47% e Dilma com 43%. O Datafolha não pesquisou um cenário entre Marina e Aécio. No cenário entre Dilma e Aécio, a petista tem 47%, e o tucano, 39%.

O levantamento foi encomendado pelo jornal “Folha de S.Paulo”. O Datafolha ouviu 2.843 eleitores em 176 municípios nos dias 14 e 15 de agosto. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. Isso significa que, se forem realizados 100 levantamentos, em 95 deles os resultados estariam dentro da margem de erro de dois pontos prevista.

SEGUNDO TURNO

Nas simulações de segundo turno, o Datafolha avaliou os seguintes cenários:

Cenário 1

– Marina Silva: 47%
– Dilma Rousseff: 43%
– Brancos/nulos/nenhum: 6%
– Não sabe: 4%

Cenário 2

– Dilma Rousseff: 47%
– Aécio Neves: 39%
– Brancos/nulos/nenhum: 9%
– Não sabe: 5%
O Datafolha não realizou a simulação de uma disputa entre Aécio Neves e Marina Silva.
Rejeição

A presidente Dilma tem a maior taxa de rejeição (percentual dos que disseram que não votam em um candidato de jeito nenhum). Confira abaixo:
– Dilma Roussef: 34%
– Aécio Neves: 18%
– Pastor Everaldo: 17%
– Zé Maria: 16%
– Eymael e Levy Fidelix e Rui Costa: 13%
– Marina Silva, Luciana Genro e Mauro Iasi: 11%
– Eduardo Jorge: 10%