Gedema e Diretoria de Saúde promovem programação especial em homenagem às mulheres

Presidente do Gedema, Ana Paula Lobato

O Grupo de Esposa de Deputados do Estado do Maranhão (Gedema) e a Diretoria de Saúde e Medicina Ocupacional da Assembleia Legislativa promovem, de 13 a 20 de março, uma programação especial voltada para as servidoras da Casa. Ações de saúde, palestras educativas e sorteios de brindes integram a programação, ainda como parte das comemorações pelo Dia Internacional da Mulher.

No dia 13, a partir das 8h30, será oferecida uma oficina de maquiagem na sede do Gedema. Já no período da tarde, a partir das 16h30, o psicólogo Júlio César Maciel ministrará a palestra  Aprendendo a gostar de você, acabando com a baixa autoestima, no Auditório Neiva Moreira, no Complexo de Comunicação da AL. Também haverá palestra com a esteticista Maria Liliane Belo. Além disso, serão sorteados brindes e oferecido um coffee break para as servidoras.

Já nos dias 14, 15 e 16, a Carreta da Mulher também fará parte da programação, com realização de consultas, exames laboratoriais e preventivos, exame clínico da mama e ultrassonografia. Os atendimentos acontecerão das 8h às 18h.

No dia 20 será ministrada outra palestra, também no Auditório Neiva Moreira, desta vez com um tema voltado para a preparação para a Páscoa. Ao final, haverá sorteios de brindes e coffee break.

 

PROGRAMAÇÃO

DIA 13

8h30 às 15h – Oficina de automaquiagem

Local: Sede de Gedema

16h30 – Palestra educativa, sorteios de brindes e coffee break

Local: Auditório Neiva Moreira (Complexo de Comunicação)

DIA 14

8h às 18h – Carreta da Mulher

Realização de exames preventivos e laboratoriais, ultrassonografia (transvaginal e pélvica), exame clínico da mama e consulta com ginecologista (Dra. Abigail e Dr. Cateb)

DIA 15

8h às 18h – Carreta da Mulher

Realização de exames preventivos e laboratoriais, ultrassonografia (transvaginal e pélvica), exame clínico da mama e consulta com ginecologista (Dr. Abigail e Dr. Elouff)

DIA 16

8h às 18h – Carreta da Mulher

Realização de exames preventivos e laboratoriais, ultrassonografia (transvaginal e pélvica), exame clínico da mama e consulta com ginecologista (Dra. Cateb e Dr. Elouff)

DIA 20

16h30 – Palestra educativa, sorteios de brindes e coffee break

Local: Auditório Neiva Moreira (Complexo de Comunicação)

Governo lança Campanha de Proteção às Mulheres…

    A campanha ‘A cultura da paz começa em casa, o fim da violência também’ será realizada até o dia 27 deste mês.

O governo do Maranhão lançou, nesta quinta-feira (8), uma campanha alusiva ao Dia Internacional da Mulher, com o tema “A cultura da paz começa em casa, o fim da violência também” . A programação, que se estende por todo o mês de março, conta com debates, palestras, blitz educativa e atividades culturais em diversos municípios maranhenses.

O evento de abertura, na capital, contou com a presença do governador Flávio Dino que, na ocasião, assina decretos em reforço às políticas estaduais voltadas para a mulher. A solenidade foi realizada na Casa da Mulher Brasileira, no bairro Jaracati.

Os decretos que serão assinados pelo governador instituem Grupos de Trabalho Interinstitucionais; de qualificação da Rede de Atendimento à Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar; de instalação do Sistema de Atendimento Integral à Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar; e de regulamentação do Fundo Estadual de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher. Também será assinado o decreto de implantação da Casa da Mulher Maranhense de Imperatriz; e anúncio de Medida Provisória criando novos cargos para a SEMU.

A campanha ‘A cultura da paz começa em casa, o fim da violência também’ será realizada até o dia 27 deste mês, sendo promovida em parceria com o Conselho Estadual da Mulher (CEM), Câmara Técnica Estadual de Gestão e Monitoramento das Ações do Pacto Nacional pelo Enfrentamento à Violência contra as Mulheres e de representantes dos 83 municípios que integram o Fórum de Organismos de Políticas para as Mulheres do Maranhão.

Procuradoria da Mulher é inaugurada na Assembleia Legislativa

Na solenidade, Othelino Neto declarou inaugurada a Procuradoria e empossou a deputada Valéria Macedo (PDT) no cargo de procuradora da Mulher no biênio 2017/2018

O vice-presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Othelino Neto (PCdoB), presidiu, na manhã desta quarta-feira (8), a cerimônia de inauguração da Procuradoria da Mulher, órgão permanente e especializado da Mesa Diretora, que tem como objetivo zelar pela defesa dos direitos das mulheres.

Na solenidade, Othelino Neto declarou inaugurada a Procuradoria e empossou a deputada Valéria Macedo (PDT) no cargo de procuradora da Mulher no biênio 2017/2018.

“Esta é uma cerimônia simples, mas muito simbólica, porque demonstra que a Assembleia Legislativa do Maranhão tem apreço e busca a valorização da mulher. E como hoje é também uma data especial, esta é uma forma de o Parlamento maranhense homenagear todas as mulheres do nosso Estado”, declarou Othelino Neto.

A solenidade, realizada na sala da Procuradoria, no Palácio Manuel Beckman, contou também com a presença de diversos deputados e deputadas, ex-parlamentares e representantes do Grupo de Esposas de Deputados (Gedema), do Poder Judiciário, do Ministério Público e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-MA), dentre outros órgãos.

Além do descerramento da placa, aconteceu na cerimônia a inauguração de uma galeria, no salão da Procuradoria, com fotografias de mulheres que exerceram o mandato de deputadas estaduais e federais no Maranhão.

Ao ser empossada no cargo de procuradora, a deputada Valéria Macedo explicou que a Procuradoria da Mulher foi criada através da Resolução Legislativa Nº 782/16, que altera e acrescenta dispositivos ao Regimento Interno da Assembleia. Dentre as atribuições da Procuradoria da Mulher estão a de zelar pela defesa dos direitos da mulher; receber, examinar e encaminhar aos órgãos competentes as denúncias de violência e discriminação contra a mulher; promover audiências públicas, pesquisas e estudos sobre violência e discriminação contra a mulher, bem como sobre a participação política da mulher.

De acordo com a deputada Valéria Macedo, a Procuradoria da Mulher também tem o papel de opinar e auxiliar nos projetos que estão tramitando nas Comissões da Casa, avaliando aqueles que tratem, no mérito, de direito relativo à mulher ou à família. O órgão também deve participar de discussões sobre a criação de políticas públicas voltadas para as mulheres do Maranhão.

“A Procuradoria torna a Assembleia um palco de debate das políticas de gênero. Ela também dá mais apoio e empodera as deputadas da Casa nas suas discussões e falas em defesa das mulheres e dos cidadãos”, ressaltou Valéria Macedo.

EM PROL DA CIDADANIA

Após o discurso proferido pela deputada Valéria Macedo, a juíza de Direito Sônia Amaral fez uso da palavra, na condição de representante do Poder Judiciário. Ela parabenizou a Assembleia Legislativa pela iniciativa de criar e instalar a Procuradoria da Mulher, e disse que foi uma feliz escolha a indicação da deputada Valéria Macedo para ocupar o cargo.

“Trata-se de uma iniciativa louvável, no sentido de efetivar direitos e de ser, também, uma afirmação da cidadania em nosso Estado”, afirmou a juíza Sônia Amaral.

No encerramento da solenidade, a ex-deputada Helena Heluy ressaltou a importância desse momento na vida do Parlamento maranhense: “Para nós, esta cerimônia é também uma forma de registro da solidariedade às lutas das mulheres em todos os tempos – sem perder de vista a lutas dos dias de hoje, quando se observa ainda há muitas mulheres violentadas, discriminadas, torturadas e oprimidas em pleno século XXI”, enfatizou a ex-deputada Helena Heluy.

Greve internacional e protesto marcam Dia da Mulher no mundo…

O Dia

Rio – Mulheres de mais de 30 países prometem fazer uma greve internacional neste 8 de março em protesto contra o feminicídio e as más condições de trabalho. No Rio, milhares de manifestantes vão andar da Candelária até a porta da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) a partir das 16h, em homenagem ao Dia das Mulheres. A passeata também é contra a reforma trabalhista do governo de Michel Temer, que, segundo as participantes, “ignora o fato de que elas realizam trabalho doméstico não remunerado, chegando a trabalhar em média cinco horas a mais que homens numa semana”.

Uma das organizadoras do ato, Tainá de Paula afirmou que “a marcha tem um caráter simbólico forte”. “Nosso protesto tenta dar uma resposta ao conservadorismo. Conseguimos organizar um ato unificado e vamos ter uma grande concentração de mulheres para essa nossa discussão de gênero”, explicou.

Para a estudante Branca Carrerette, de 22 anos, o movimento retoma o significado do Dia Internacional das Mulheres, que é de luta por direitos, igualdade e reconhecimento profissional. Para ela, o sentido da data acabou ficando “genérico” durante os anos.

“O tipo de homenagem que a gente vê não é voltado para as conquistas ou lutas femininas, mas sim para o estereótipo mesmo da mulher. Nos dão flores, fazem comercial de maquiagem e perfume, homens reproduzem frases tipo ‘hoje eu que lavo a louça’. Tudo isso só reforça essa cultura machista e estereotipada da mulher”, destacou a jovem.

Mesmo se não conseguirem parar os trabalhos, as mulheres podem ainda aderir ao movimento com pequenas ações ao longo do dia. “Sabemos da dificuldade em discutir a greve com os sindicatos, já que os diretórios são machistas na maioria das vezes”, completou Tainá.

De acordo com a organizadora, as manifestantes terão a Hora M, entre 12h30 e 13h30, para conversar com amigas e parentes sobre seus direitos trabalhistas. O movimento também sugere que elas utilizem algum adereço ou roupa lilás nesta quarta-feira. Além disso, o ato prevê que as mulheres não façam atividades de casa, como lavar roupas e cozinhar, nesta data.

De acordo com a organizadora, as manifestantes terão a Hora M, entre 12h30 e 13h30, para conversar com amigas e parentes sobre seus direitos trabalhistas. O movimento também sugere que elas utilizem algum adereço ou roupa lilás nesta quarta-feira. Além disso, o ato prevê que as mulheres não façam atividades de casa, como lavar roupas e cozinhar, nesta data.

REAJAM, MULHERES! Eu queria que todos os dias fossem “08 de Março”…

Eu não me calo! Deus me deu língua, mãos e sabedoria para me expressar, reivindicar e não me curvar ao preconceito, ao machismo! Avante!

Eu não me calo! Deus me deu língua, mãos e sabedoria para me expressar, reivindicar e não me curvar ao preconceito, ao machismo! Avante!

Hoje, todos nos parabenizam (dos governantes às pessoas mais simples), felicitam, jogam flores, soltam palavras lindas (cada uma mais bela que a outra), consideram-nos um ser sem diferenças, porque é 08 de março, Dia Internacional da Mulher, que se consagrou com a luta das tecelãs de Nova Iorque. No entanto, amanhã (digo nos outros 364 dias do ano), voltam a reinar o machismo, o desrespeito, as distinções, a discriminação, o preconceito, os casos de espancamento, estupros, tudo que nos humilha, etc. Eu queria, ou melhor, todas nós queríamos ser tratadas, no dia-a-dia, com todos os reconhecimentos e méritos que se fazem nesta data. Essa seria a nossa maior conquista!

O machismo, infelizmente, ainda nos julga como seres inferiores e a  gente sente isso em situações básicas do dia-a-dia. Eu, por exemplo, vou confessar aqui que sofri e ainda sofro discriminação na blogosfera política maranhense, a partir do momento em que me inseri em um espaço que os homens achavam que era somente deles. Quebrei essa grande barreira. Depois de mim, vieram outras e que venham mais!

Trago o tema da própria blogosfera política maranhense para exemplificar que há diferenças, sim, no tratamento a homens e mulheres no aspecto profissional. Por exemplo, se há anúncios para serem veiculados, parcerias para esta área, oferecem um preço bem menor quando se trata da ala feminina, isso quando há algum tipo de valorização. A banda masculina tem sempre todo o apoio, ao contrário do outro lado que batalha, que se vira em diversos empregos para se manter, inclusive, em seus blogs. Nós, blogueiras de política, precisamos vencer isso! Fico feliz por eles, porque não sou egoísta, mas nós temos que ser equiparadas, já que hoje há a teoria dos “direitos iguais” que já deveria ter entrado na prática.

O que é ser mulher de verdade?

Ser mulher de verdade é ter coragem de reivindicar, de não aceitar a discriminação, o preconceito, o machismo, a humilhação, as diferenças, de não baixar a cabeça diante das barreiras, assim como fizeram as tecelãs norte-americanas que, para conquistar direitos, foram ao extremo, deram a vida. E é preciso que tenhamos esta força, porque, apesar das frases bonitas e dos reconhecimentos de hoje, ainda há muita pedreira para se quebrar.

Observamos muito falar em conquistas com a independência financeira, o trabalho, a autonomia, etc, mas muitas alcançaram esses direitos e pagam caro por isso até hoje. Quando chegam à casa, cansadas, têm que cuidar das coisas dos filhos, do lar e dos maridos. Eles, em sua maioria, ainda acham que serviço doméstico ficou para a mulher, do contrário “é coisa de gay”. Abomináveis as criaturas que acreditam e praticam isso!

E o que não dizer das diversas reações preconceituosas e machistas quando mulheres sensualizam, usam roupas mais femininas, enfim? Isso não pode ser razão, motivo para serem molestadas, estupradas, violentadas, etc. A sensualidade está em nossa áurea, isso não deve ser encarado como ridículo, apelação ou convite ao sexo. Temos também esse direito e não devemos nos curvar ao machismo, ao preconceito, etc.

Desabafo! Não há mais motivos para me calar!

Eu sou neta de ex-lavradora e filha de ex-empregada doméstica, mulheres guerreiras, com muito orgulho. Não tenho pai, porque na época em que eu nasci a Lei não funcionava para obrigar a reconhecer paternidade. E ele, aquele que me gerou, simplesmente, como um covarde, um fraco, fugiu de sua responsabilidade. Esse é um desabafo mesmo! Não há mais motivos para me calar!

Por isso, você, mulher, não tenha medos. Se sofre algum tipo de constrangimento, denuncie, não fique calada, coloque a boca no mundo. Vamos à luta. Vamos nos unir para que os reconhecimentos do tão “festejado” 08 de março sejam praticados todos os dias realmente. Eu não me calo! Deus me deu língua, mãos e sabedoria para me expressar, reivindicar e não me curvar ao preconceito, ao machismo! Avante!

Projeto “Viver Mais” celebra Dia da Mulher

Projeto “Viver Mais” celebrou o Dia da Mulher com diversas atividades

Projeto “Viver Mais” celebrou o Dia da Mulher com diversas atividades

O Projeto “Viver Mais”, realizado pela Prefeitura de São Luís, por meio do Instituto de Previdência e Assistência do Município (Ipam), antecipou, nesta sexta-feira (06), a celebração do Dia da Mulher com diversas atividades e um café da manhã, no Centro de Convivência, no Olho D’Água.

Cada uma das mulheres recebeu rosas e houve sorteio de peças produzidas na oficina de artesanato. Antes do café da manhã, os participantes do “Viver Mais” experimentaram e aprovaram a primeira aula de Zumba, modalidade que está fazendo sucesso nas academias tops de São Luís.

O Zumba, que teve como instrutora Jully Mourão, trabalha a musculação por meio de músicas que vêm de um ritmo contagiante. A modalidade passará a fazer parte das atividades oferecidas pelo projeto “Viver Mais” a partir de agora.

Segundo o presidente do Ipam, Raimundo Penha, com essas atividades frequentes, o “Viver Mais” vem cumprindo a sua missão de garantir mais qualidade de vida aos aposentados e pensionistas que participam do projeto.

“A integração, o entretenimento, a confraternização alimentam este projeto que foi pensado para esse público que ama a vida, que sabe viver. Na semana da mulher, não poderíamos deixar de celebrar essa data tão especial. A todas as mulheres, as minhas felicitações”, declarou Raimundo Penha.

As atividades em comemoração ao Dia da Mulher foram abertas pela coordenadora do projeto “Viver Mais”, Fátima Pires. Houve também momentos de louvor e de adoração a Deus.

PROJETO VIVER MAIS

O projeto tem como finalidade garantir a melhoria da qualidade de vida dos aposentados e pensionistas da capital maranhense. É também aberto à comunidade idosa da área de abrangência de sua sede social e acontece de terça-feira a sexta-feira, no Centro de Convivência, localizado na Rua São Bernardo, nº 115, Olho d’Água.

Nesta primeira fase, o “Viver Mais” oferece aulas de hidroginástica, aeróbica, reuniões socioeducativas, ações de prevenção e promoção da saúde e sócio-ocupacionais. As inscrições para o projeto podem ser feitas na própria sede social do Ipam, de terça-feira a sexta-feira, das 8h às 12h e das 14h às 17h.

Para participar do projeto, os interessados devem levar carteira de identidade, duas fotos 3×4 e apresentar, obrigatoriamente, atestado médico emitido por um cardiologista comprovando aptidão para a prática de atividade física.