Roseana Sarney tem medo de disputar o governo…

Roseana Sarney tem receios de entrar na disputa pelo governo por conta do cenário político que lhe é desfavorável

Blogs e imprensa de um modo geral repercutiram uma entrevista da ex-governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PMDB), em relação à disputa pelo governo do Estado, no próximo ano, onde ela diz que “não tem vontade de concorrer”, mas, se for provocada, poderá vir a ser. Na verdade, o medo, a insegurança e a falta do governo em suas mãos rondam as pretensões da peemedebista em relação a 2018.

A ex-governadora já disputou quatro eleições ao governo. Em 2006, perdeu uma para o pedetista Jackson Lago, apoiado pelo então governador José Reinaldo, que tinha sido vice da peemedebista e se elegeu em 2002, após ela renunciar para concorrer ao Senado. Como se pode observar, Roseana venceu todos os embates nas urnas quando ela ou seu grupo estavam no poder.

O quadro político hoje é muito diferente dos que tiveram Roseana Sarney como vencedora das disputas. Sem o poder do Palácio dos Leões e como ré em um processo que a coloca dentro de um esquema que causou rombo fiscal de mais de R$ 1 bilhão ao Estado, isso sem falar de outras broncas, que a desgastaram muito, a ex-governadora teria, na verdade, medo de entrar numa disputa com chances reais de derrota em um cenário em que sua popularidade caiu muito.

E a afirmação de que “não tem vontade de concorrer” é blefe. Na verdade, a vontade é muita. Mas a vaidade e, justamente, o medo de perder deixam Roseana Sarney sem coragem de se anunciar, com segurança, para a disputa que se avizinha, isso tudo somado à falta de apoios políticos para tal e à boa articulação que faz o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), em seu terceiro ano de governo, sem denúncias ou acusações relevantes que abalem o seu potencial.

Mas, uma coisa é certa. Morando em Brasília, atualmente, e para não ficar sem mandato e mais fragilizada com os processos que enfrenta na Justiça, a ex-governadora Roseana Sarney deve mesmo é disputar uma vaga para a Câmara Federal. Ainda há muita água para rolar, mas vamos aguardar.

Ibope sempre erra no Maranhão…

Eleições de 2012 para prefeito de São Luís – Ibope dava vitória de Castelo no primeiro turno e Edivaldo Holanda Jr foi quem venceu com 36%, dez pontos a mais do que o apontado pelo instituto.

ibope 2012

Eleições de 2006 para governador – Ibope dizia que Roseana Sarney venceria, folgadamente, no primeiro turno, e Jackson foi para o segundo turno e ganhou a disputa.

Eleição-2006

O Ibope, instituto normalmente contratado pelo grupo Sarney, em períodos de disputa eleitoral, tem um histórico de erros gritantes em eleições no Maranhão e, dificilmente, acerta ou se aproxima da realidade. Exemplo disso foram as eleições de 2012, quando o instituto fechou a última pesquisa, apontando vitória do ex-prefeito de São Luís, João Castelo, no primeiro turno.

Neste caso de 2012, os institutos que acertaram foram os locais, com destaque para o DataM que apontou  a margem de 36% para Edivaldo Holanda Jr (PTC) e vitória do atual prefeito sobre Castelo, logo no primeiro turno. Na época, o Ibope disse que o petecista teria 26%, no primeiro turno, quando ficou, na verdade, com dez pontos a mais do que o apontado pelo instituto.

Outro bom exemplo de erro grotesco do Ibope, no Maranhão, foi nas eleições de 2006. O Ibope dizia que a então candidata Roseana Sarney venceria no primeiro turno folgadamente, quando o pedetista Jackson Lago, já falecido, foi para o segundo turno e venceu a disputa.

Números vazaram antes da Mirante divulgar oficialmente

Outro fato curioso é que o Ibope, contratado pela TV Mirante, canal  de comunicação do grupo Sarney, realizou a pesquisa para soltar no sábado (06), mas antes da contratante divulgar o resultado, vários emissores do clã já tinham os números na ponta da língua, ao exemplo de um dos coordenadores da campanha do candidato Lobão Filho (PMDB), o ex-deputado Joaquim Haickel.

O instituto diz que o candidato da coligação “Todos pelo Maranhão”, Flávio Dino (PCdoB), tem 42% contra 30% do candidato sarneysista, Lobão Filho (PMDB). Não só no meio político do grupo Sarney, mas também nos bastidores da mídia sarneysista, os números já rolavam antes mesmo da contratada divulgar o resultado.

Portanto, é bom que se guarde os prints dessas pesquisas do Ibope e dos outros institutos para que se faça uma avaliação dos números, quando for conhecido o resultado das eleições nas urnas. Essa é uma boa forma de se medir a credibilidade dessas empresas. Fique atento!

Exata diz que Flávio Dino tem 56% e Lobinho 27%…

guara06A mais recente pesquisa Exata/TVGuará/Fiema mostra estabilidade na disputa pelo governo do Maranhão. O candidato da coligação “Todos Pelo Maranhão”, Flávio Dino, continua com ampla liderança segundo o instituto e tem 56% das intenções de voto. O levantamento foi divulgado no sábado (6). Na pesquisa anterior, divulgada no dia 2, o comunista tinha 55%.

Se a eleição fosse hoje, Flávio seria eleito no primeiro turno – um cenário que vem sendo confirmado por todas as pesquisas registradas e divulgadas até agora.

Lobão Filho (PMDB), o candidato da família Sarney, aparece em segundo lugar, com 27% dos votos. No levantamento anterior, ele tinha 25%.

As oscilações estão dentro da margem de erro, de 3,2 pontos para mais ou para menos.

Zé Luislago (PPL) tem 2%. Saulo Arcangeli (PSTU), Pedrosa (PSOL) e Prof. Josivaldo (PCB) têm 1% cada um.

Votos nulos e brancos somam 6%. Eram 8% na pesquisa anterior. Os eleitores que não sabem ou não responderam pontuam 6; antes, eram 7% .

Senado

Na disputa pelo Senado, Roberto Rocha, da coligação “Todos Pelo Maranhão”, aparece com 32%, contra os 29% anteriores. O candidato Gastão Vieira, da família Sarney, tem 28%, contra os 27% anteriores. Haroldo Sabóia e Marcos Silva têm 6% cada. Gersão e Evan de Andrade têm 1% cada.

Registro

A pesquisa foi realizada entre os dias 2 e 5 de setembro, quando foram ouvidas 1.400 pessoas em 45 municípios maranhenses escolhidos aleatoriamente, mas contemplando as quatro regiões do Estado e a ilha de São Luís. A margem de erro da pesquisa é de 3,2 pontos percentuais para mais ou para menos, com nível de confiança de 95%.

A pesquisa avaliou as intenções de voto sob o protocolo MA – 00041/2014.

DEU NA VEJA – O comunista que se aliou ao PSDB para derrotar Sarney

Favorito em uma eleição que pode marcar o fim do predomínio do grupo de Sarney no Maranhão, Flávio Dino (PC do B) quer dar um choque de capitalismo no Estado

Revista Veja – Por Gabriel Castro, de São Luís

COMUNISTA-TUCANO – O candidato ao governo do Maranhão pelo PCdoB, Flávio Dino, participa de comício em São Luís (Gabriel Castro/VEJA)

COMUNISTA-TUCANO – O candidato ao governo do Maranhão pelo PCdoB, Flávio Dino, participa de comício em São Luís (Gabriel Castro/VEJA)

A política do Maranhão pode estar prestes a uma mudança histórica de direção. A dois meses das eleições, Flávio Dino (PC do B) aparece nas pesquisas com pelo menos vinte pontos percentuais de vantagem contra Lobão Filho (PMDB), o representante de José Sarney.

Se a vantagem se mantiver, será o fim do predomínio do grupo político do ex-presidente, que chegou ao poder nas eleições de 1965.

Flávio Dino é um personagem ímpar da política nacional sob qualquer aspecto. É do PC do B, mas tem um vice do PSDB. É comunista, mas evoca o nome de Deus nos discursos, fala em valorizar a meritocracia e defende a chegada de investimentos privados ao Maranhão.

Católico, Dino usa um colar com a letra grega Tau, símbolo dos franciscanos. Gosta de citações, de Marx a Aristóteles.

PMDB confirma Lobinho ao governo, Gastão ao Senado e candidatos à disputa proporcional

Lobinho foi confirmado como o candidato do grupo Sarney ao governo do Maranhão

Lobinho foi confirmado como o candidato do grupo Sarney ao governo do Maranhão

No entanto, partido encerrou convenção sem definir candidato a vice-governador e suplentes de senador

O PMDB confirmou, nesta sexta-feira (27), as candidaturas do senador Lobão Filho, o “Lobinho”, ao governo do Maranhão, do deputado federal Gatão Vieira ao Senado e de uma gama de candidatos à Câmara Federal e à Assembleia Legislativa. Esse foi o time escalado pelo grupo Sarney para disputar a eleição de outubro próximo.

Já os nomes do vice-governador e das duas suplências de senador seguem em mistério, mas devem ser conhecidos até dia 31 de junho. A convenção também confirmou as aposentadorias políticas de José Sarney (PMDB), Roseana Sarney (PMDB), Nice Lobão (PMDB), Epitácio Cafeteira (PTB) e João Alberto Souza (PMDB) que garantem não concorrer mais a mandato nenhum.

A aliança, firmada nesta sexta-feira (27), conta com 18 partidos políticos. A convenção aconteceu, de forma apoteótica, no Centro de Convenções Paulo Freire da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) com direito a apresentação de bumba-meu-boi e tudo mais.

O presidente nacional do PMDB, senador Waldir Raupp, prestigiou a convenção do PMDB do Maranhão. Enquanto o PT marcou presença com uma comitiva expressiva. Além dos 18 partidos aliados de Lobão Filho, 196 prefeitos, 30 deputados estaduais e 12 deputados federais dizem que apoiam o peemedebista.

Além de Valdir Raupp, o evento contou com presenças como as do  ministro de Minas e Energias, Edison Lobão, e da governadora do Maranhão, Roseana Sarney.

Hilton Gonçalo tem esperança na via alternativa…

Ex-prefeito de Santa Rita mantém diálogo com a direção nacional do partido sobre candidatura própria

Ex-prefeito de Santa Rita mantém diálogo com a direção nacional do partido sobre candidatura própria

O ex-prefeito de Santa Rita, Hilton Gonçalo, segue firme no propósito de ser o nome “ungido” do PDT para disputar o governo do Maranhão e tem se movimentado para isso junto à direção nacional do partido. Os assessores do pré-candidato têm como argumento que, em todas as pesquisas que medem a intenção de votos dos maranhenses, é possível perceber que um milhão de eleitores desejam uma candidatura alternativa.

O ex-prefeito de Santa Rita se sustenta como pré-candidato por ser muito bem avaliado e ter experiência administrativa. O médico ainda se mantém na expectativa de disputar a eleição, esperando somente uma decisão da direção nacional do seu partido.

O pedetista, que vem de dois mandatos como prefeito de Santa Rita, já mostrou que tem potencial. Melhorou todos os índices sociais da cidade. Aumentou o IDEB (avaliação da educação) para 5, chegou a zerar o número de homicídios na cidade, eliminou as casas de palha, urbanizou áreas quilombolas, enfim experiência ele tem para entrar na disputa pelo governo.

Como via alternativa, Hilton Gonçalo tem chances de chegar ao segundo turno, uma vez que o pré-candidato do PMDB ao governo, Lobão Filho (PMDB), alcança elevados índices de rejeição.

Segundo Amostragem, Flávio Dino tem 54% e Edinho Lobão 18% das intenções de votos

pesquisa

A pesquisa Amostragem/Jornal Pequeno, divulgada pelo veículo de comunicação nesta quinta-feira (29), analisou três cenários. No primeiro, foram colocados todos os pré-candidatos ao governo do Maranhão, até o momento, e perguntado em quem o eleitor votaria. O ex-presidente da Embratur, Flávio Dino (PCdoB), teria 54% dos votos; Lobão Filho (PMDB), 18,92%; Antônio Pedrosa (PSOL), 1,46% e Saulo Arcângelli (PSTU) 1, 23%. Votos brancos, nulos e de quem ainda não decidiu totalizaram 24,38%.

A pesquisa também analisou um possível segundo turno com os dois mais votados, neste caso, Flávio Dino e Edison Lobão Filho. Neste cenário, o pré-candidato do PCdoB, Flávio Dino, teria 57,46% dos votos; Edison Lobão Filho, 20,62%. Votos brancos, nulos e de quem ainda não decidiu totalizaram 21, 93%.

Rejeição

O levantamento também perguntou aos eleitores em quem eles não votariam de jeito nenhum. O senador Lobão Filho teve a maior rejeição, com 38,77%, seguida por Saulo Arcângelli, com 23,23%, Antônio Pedrosa 9% e Flávio Dino com 15,85%. Não rejeitam ninguém somou 9,38%, brancos e nulos 4,08% e não sabem 14,23%.

A pesquisa Amostragem/Jornal Pequeno foi realizada entre os dias 16 e 19 de maio. Foram ouvidos 1300 eleitores em 40 municípios do Maranhão, está devidamente registrada no Tribunal Regional Eleitoral sob o número MA-00012/2014. A margem de erro é de 2,66% para mais ou para menos.

A pesquisa completa você confere na edição impressa do Jornal Pequeno.

Hilton Gonçalo cobra acordo com PDT e diz que mantém pré-candidatura ao governo do Maranhão

Hilton Gonçalo quer cumprimento de acordo fechado com PDT sobre sua candidatura

Ex-prefeito de Santa Rira quer cumprimento de acordo fechado com PDT sobre sua candidatura

Ex-prefeito reafirmou que permaneceu no partido por conta da promessa de que se a legenda não indicasse o nome da vaga de vice-governador, ele teria espaço garantido na disputa majoritária

O pré-candidato ao governo do Maranhão pelo PDT, Hilton Gonçalo, ainda não desistiu da possibilidade de colocar o seu partido em um papel de protagonismo na eleição deste ano. Defensor ferrenho da tese de candidatura própria, o ex-prefeito de Santa Rita garante que os pedetistas e ele mesmo não irão desistir assim tão fácil da possibilidade de lançar um nome para a disputa do governo.

Hilton Gonçalo reafirmou que permaneceu no partido por conta da promessa de que se a legenda não indicasse o nome da vaga de vice-governador, ele teria espaço garantido na disputa majoritária e agora exige o cumprimento desse acordo. “Já que o PDT não terá candidato a vice-governador. Agora é a hora do partido mostrar sua força. Temos a maior militância do Estado no campo da oposição. Não podemos nos desvalorizar”, argumentou.

Apesar disso, o ex-prefeito de Santa Rita é otimista em acreditar que o acordo do partido com ele será cumprido à risca. “Eu não trabalho com a hipótese de descumprimento do acordo. A gente tem algumas reuniões ainda. Esse anúncio do PSDB como componente da chapa ainda foi recente. Estamos em período de negociações”, ressaltou.

De acordo com Hilton Gonçalo, o secretário-geral do PDT, Weverton Rocha, foi o responsável por conduzir o acordo. “Quero apenas o cumprimento do que foi acordado. Eu quero lançar minha pré-candidatura ao governo”, reiterou.

Negociações

O pedetista diz que a legenda possui bons nomes para a disputa e que, inclusive, a proposição partiu da própria direção nacional, uma vez que o presidente nacional fez parte da rodada de negociações em torno do acordo. “A gente reivindica que o partido tenha candidatura, inclusive outros nomes também já entraram em pauta. Nomes que têm condições de disputar, mas hoje eu sou o que melhor pontua nas pesquisas internas. O próprio presidente nacional, Carlos Lupi, reforçou as negociações”, lembrou.

Mesmo levando em consideração o desejo de ser o pré-candidato ao governo pelo PDT, Gonçalo reafirma que essa decisão está a cargo da direção nacional do partido.

A respeito da eleição proporcional, Hilton Gonçalo acredita que será prejudicial para a legenda caso permaneçam em um chapão. “O PDT hoje tem apenas dois deputados estaduais e um federal. Eu acredito que se a gente for para o ‘chapão’ a gente vai sair bastante diminuído no processo eleitoral”, afirmou.

A viabilidade

Apesar da competitividade acirrada entre os dois principais pré-candidatos ao governo do Estado, o pedetista acredita que há possibilidades e viabilidade para a propositura de uma candidatura alternativa.

Essa teoria de Gonçalo é oriunda, principalmente, de sondagens feitas por ele que demonstram um grande espaço ainda a ser trabalhado.

DataM aponta queda de Luís Fernando, após desgaste do governo

Flávio Dino segue liderando pesquisa

Flávio Dino segue liderando pesquisa para o governo do Maranhão

A TV Cidade divulgou, na noite desta segunda-feira (03), números da pesquisa realizada pelo Instituto DataM que mostram vantagem do pré-candidato ao governo do Maranhão pela oposição, Flávio Dino, em relação ao pré-candidato ligado ao grupo Sarney, Luís Fernando Silva.

De acordo com a pesquisa, registrada no dia 29/01/2014, sob protocolo MA-00003/2014, Flávio Dino (PCdoB) tem 55,3%, na estimulada, contra 13,7% de Luís Fernando Silva (PMDB) e 6,9% de Eliziane Gama (PPS).

A queda de Luís Fernando, que estava se mantendo na margem dos 20%, pode ter relação com o desgaste que o governo Roseana Sarney vem sofrendo no desenrolar da crise no Sistema Penitenciário do Maranhão.

Num cenário entre Dino e Luis Fernando, a diferença é de 58,3% a 15,5%.

A pesquisa foi realizada em 58 cidades de todas as regiões do Maranhão. O Data M ouviu 1.500 pessoas. A margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.

Senado

Para o Senado Federal, o vice-prefeito de São Luís, Roberto Rocha (PSB) surge na frente com 25,2% das intenções de votos. A governadora Roseana Sarney (PMDB) vem logo em seguida, alcançando 20,7%.

Colado na governadora, aparece o deputado federal Domingos Dutra (SDD), com 20,0%. Não votariam em nenhum deles somam 15,8% e não sabem ou não responderam somam 15,3%.