Senadores Roberto Rocha e Edison Lobão votam pelo aumento a ministros do STF

Os votos de Roberto Rocha e Edison Lobão mostram que ambos os senadores não estão preocupados com o momento de crise que o país se encontra

Contrariando a vontade do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) e da maioria da população que se mobilizou por meio das redes sociais, o plenário do Senado aprovou, nesta quarta-feira (7), o reajuste de 16,38% no salário dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e dos membros da Procuradoria-Geral da República (PGR), incluído na pauta sem acordo com os líderes. Entre os 41 votos favoráveis, estão os dos senadores Roberto Rocha (PSB) e Edison Lobão (MDB).

Considerado o teto do funcionalismo, a remuneração passará de R$ 33,7 mil para R$ 39,2 mil mensais. Os dois projetos de lei que previam os aumentos já haviam sido aprovados na Câmara dos Deputados e agora seguem para a sanção presidencial.

Pela manhã, Bolsonaro havia manifestado preocupação com a votação em momento de ajuste de contas, em que tenta mobilizar o parlamento e aproveitar a popularidade das urnas para emplacar a reforma da Previdência. Antes da votação, o presidente eleito havia dito que “obviamente não é momento” para provocar o reajuste. “Vejo com preocupação essa iniciativa”, disse. “Estamos em uma fase que, ou todo mundo tem ou ninguém tem. E o Judiciário é o mais bem aquinhoado”.

Cálculos das consultorias de Orçamento da Câmara e do Senado apontam que o “efeito cascata” para os demais Poderes da União e os Estados pode ser de cerca de R$ 4,1 bilhões. Segundo o senador Ricardo Ferraço, que votou contra o projeto, o impacto nas contas pode chegar a R$ 6 bilhões. O reajuste terá um efeito em cascata para a União e, sobretudo, para os Estados, que já enfrentam grave crise financeira e correm risco de insolvência por causa do comprometimento de receitas com o pagamento da folha de pessoal.

Os votos de Roberto Rocha e Edison Lobão mostram que ambos os senadores não estão preocupados com o momento de crise que o país se encontra, muito menos pesam que o reajuste pode prejudicar o orçamento do Maranhão, já que é a brecha para que aumentos de outros servidores sejam aprovados.

De nanico, PSL se torna cobiçado por políticos maranhenses

A sigla passou a atrair olhares de, pelo menos, uma dúzia de políticos maranhenses de olho no crescimento da sigla

Quem pensou que a disputa pelo comando do PSL no Maranhão estivesse resumida apenas ao presidente da legenda, o vereador Francisco Carvalho, e à ex-candidata ao governo do Estado, Maura Jorge, está enganado. A sigla passou a atrair olhares de, pelo menos, uma dúzia de políticos maranhenses de olho no crescimento da sigla.

A disputa começou ainda na pré-campanha, quando já era dada como certa a candidatura do coronel reformado José Ribamar Monteiro, hoje no PHS. Com uma articulação via nacional, Maura Jorge chegou ao PSL e os problemas com o presidente estadual da legenda, Chico Carvalho, só aumentaram.

Após os resultados das urnas no primeiro turno, com o desempenho de Jair Bolsonaro e com o número expressivo de deputados federais eleitos e senadores – o que interfere diretamente no tempo de TV e rádio, além dos recursos do Fundo Partidário – mais políticos passaram a cortejar o partido.

Só nos últimos dias, o deputado federal Aluísio Mendes (Podemos) e o senador Roberto Rocha (PSDB) visitaram o presidenciável Jair Bolsonaro. O candidato já teve declarações de apoio de vários integrantes do grupo Sarney, como a ex-governadora Roseana Sarney e o senador Edison Lobão.

Os nomes dos deputados federais eleitos Eduardo Braide e o pastor Gildenemyr, eleitos pelo PMN, sigla que não passou pela cláusula de barreira, já são cotados para ingressar no partido.

A disputa pelo diretório do PSL da capital São Luís também já está bem acirrada. Nomes como o do deputado estadual eleito Pará Figueiredo e do ex-vereador Fábio Câmara já são ventilados por apoiadores na disputa pelo diretório.

Mesmo que ainda esteja em andamento, a eleição de 2018 não terminou, mas já acirra os ânimos de membros do partido de Jair Bolsonaro para os próximos anos.

STF acaba com aposentadoria de ex-governadores do Maranhão

A proibição deverá alcançar José Sarney, João Alberto, Edison Lobão, Zé Reinaldo Tavares e Roseana Sarney

O Supremo Tribunal Federal (STF) julgou procedente uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) proposta pela Procuradoria-Geral da República, e acabou com a aposentadoria vitalícia de ex-governadores do Maranhão. A decisão é do mês de setembro.

O benefício era garantido pelo artigo 45 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias da Constituição do Estado do Maranhão, agora declarado inconstitucional.

Na mesma ação, o plenário da mais alta corte do país também declarou a inconstitucionalidade da Lei estadual nº 6.245/1994, que garantia a aposentadoria às viúvas de ex-governadores.

A proibição deverá alcançar José Sarney, João Alberto, Edison Lobão, Zé Reinaldo Tavares e Roseana Sarney.

As decisões já foram comunicadas ao governador do Maranhão, Flávio Dino (PC do B), e ao presidente da Assembleia Legislativa, Othelino Neto (PC do B).

Grupo Sarney e prefeito de Imperatriz saem derrotados no segundo maior colégio eleitoral do Estado

A excelente votação de Flávio Dino em Imperatriz, que obteve 87.517 mil votos, 69,65% da votação, evidencia a força do grupo comunista no município. E as articulações para 2020 já começaram

Mesmo administrando a prefeitura de Imperatriz, o MDB, juntamente com o prefeito Assis Ramos, foram os maiores derrotados destas eleições no segundo maior colégio eleitoral do Estado.

Assis Ramos viu todos seus candidatos sendo derrotados na cidade em que administra e passa a olhar seu projeto a reeleição em 2020, prejudicado pelos números de 2018.

A candidata Roseana Sarney (MDB), correligionária de Assis obteve apenas 14 mil votos em Imperatriz, ficando atrás de Maura Jorge (PSL), que obteve 20.017 mil votos.

O prefeito de Imperatriz também viu seus dois candidatos a deputados saírem derrotas das urnas. Fátima Avelino (MDB), candidata a deputada estadual obteve apenas 7.784 mil votos na cidade, ficando em terceiro lugar, atrás de Marco Aurélio (PCdoB) e Rildo Amaral (SD). O candidato a deputado federal do prefeito, o médico Daniel Fiim teve apenas 12.923, ficando em quarto lugar.

Para o Senado, Edison Lobão (MDB) ficou em quinto lugar em Imperatriz e Sarney Filho (PV), em sexto lugar.

A excelente votação de Flávio Dino em Imperatriz, que obteve 87.517 mil votos, 69,65% da votação, evidencia a força do grupo comunista no município. E as articulações para 2020 já começaram.

Weverton Rocha e Eliziane Gama se elegem para o Senado com apoio de Flávio Dino

A eleição de Weverton Rocha e Eliziane Gama confirmam a força política do governador Flávio Dino no Maranhão, além do detrimento do grupo Sarney

Com o apoio do governador Flávio Dino (PCdoB), os candidatos Weverton Rocha (PDT) e Eliziane Gama (PPS) foram eleitos para as duas vagas de senadores pelo Maranhão.

Weverton ficou em primeiro lugar com quase 35% dos votos, já Eliziane ficou em segundo lugar com 27%.

Os dois senadores da chapa governistas derrotaram os dois senadores do grupo Sarney, Sarney Filho (PV) e Edison Lobão (MDB), além dos dois candidatos tucanos, o ex-governador Zé Reinaldo (PSDB) e Alexandre Almeida (PSDB).

A eleição de Weverton Rocha e Eliziane Gama confirmam a força política do governador Flávio Dino no Maranhão, além do detrimento do grupo Sarney.

Ibope e TV Mirante reconhecem vitória de Flávio Dino no primeiro turno

A pesquisa foi encomendada pela TV Mirante. Margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos. O instituto ouviu 1.008 eleitores, entre os dias 2 a 4 de outubro

A TV Mirante divulgou, nesta quinta-feira (4), a última pesquisa do Instituto Ibope em que reconhecem a vitória do governador Flávio Dino (PCdoB) no primeiro turno. A pesquisa tambem aponta vantagem dos candidatos ao Senado Federal, Weverton Rocha (PDT) e Eliziane Gama (PPS).

Na pesquisa estimulada para o governo, considerando todas as intenções de votos, inclusive as respostas dos eleitores que se declaram indecisos ou que votariam em branco ou nulo, Flávio Dino (PCdoB) aparece com 56%. Em segundo lugar aparece Roseana Sarney (MDB), com 30%; Maura Jorge (PSL), com 4%; Roberto Rocha (PSDB), com 2%; Ramon Zapata (PSTU), com 1%; Odívio Neto (PSOL), com 1%

Brancos/nulos somaram 4%, não sabem ou não opinaram 2%.

Em relação ao levantamento anterior, divulgado no dia 19 de setembro. Flávio Dino subiu de 49% para 56%. Roseana Sarney (MDB) caiu de 32% para 30%. Maura Jorge (PSL) passou de 5% para 4%. Roberto Rocha (PSDB) se manteve com 2%. Ramon Zapata (PSTU) passou de 0% para 1%. Odívio Neto (PSOL) passou de 0% para 1%. Brancos/nulos foi de 7% para 4%. Não sabe foi de 5% para 2%

Votos válidos

Considerando apenas os votos válidos, Flávio Dino vence ainda no primeiro turno com 59%. Para calcular esses votos são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição. Para vencer no primeiro turno, um candidato precisa de 50% dos votos válidos mais um voto. Veja os índices:

Flávio Dino tem 59%. Em segundo lugar aparece Roseana Sarney com 32%; Maura Jorge tem 5%; Roberto Rocha tem 2%; Ramon Zapata tem 1% e Odívio Neto tem 1%.

A TV Mirante também divulgou os números do Ibope para o Senado Federal. Os números apontam que se a eleição fosse hoje, Weverton e Eliziane seriam eleitos.

Weverton Rocha (PDT) tem 35%; Eliziane Gama (PPS) tem 34%; Sarney Filho (PV) tem 25%; Edison Lobão (MDB) tem 23%; Zé Reinaldo (PSDB) tem 10%; Alexandre Almeida (PSDB) tem 5%; Saulo Pinto (PSOL) tem 4%; Samuel de Itapecuru (PSL) tem 3%; Preta Lú (PSTU) tem 2%; Saulo Arcangeli (PSTU) tem 2%; Iêgo Bruno (PCB) tem 1%

Branco/Nulo – Vaga 1: 12%. Branco/Nulo – Vaga 2: 20%. Não sabem: 24%

A pesquisa foi encomendada pela TV Mirante. Margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos. O instituto ouviu 1.008 eleitores, entre os dias 2 a 4 de outubro. A pesquisa foi registrada no TRE sob o número MA-07570/2018

A três dias da eleição, Instituto Data M confirma vitória de Flávio Dino no primeiro turno

A pesquisa Data M foi realizada entre domingo (30) e quarta-feira (3), com 1.500 pessoas em todas as regiões do Maranhão

O Jornal Pequeno publicou, nesta quinta-feira (04), os resultados da nova pesquisa do Instituto Data M. Os números mostram que o governador Flávio Dino (PCdoB) e os candidatos Weverton Rocha (PDT) e Eliziane Gama (PPS), que subiram nas intenções de votos, serão eleitos no próximo domingo, dia 7.

A pesquisa foi encomendado pelo Sindicato das Indústrias de Construção Civil do Maranhão (Sinduscon). Os números mostram que Flávio Dino subiu de 59,5% para 62% dos votos válidos.

O resultado é mais que o dobro do conseguido por Roseana Sarney (MDB), que tem 30,5%. Maura Jorge (PSL) aparece com 5,6%, seguida por Roberto Rocha (PSDB), com 1,5%; Ramon Zapata (PSTU), com 0,3% e Odívio Neto (PSOL), com 0,1%.

Senado

A Data M também mostra que os dois candidatos ao Senado da chapa do governador Flávio Dino lideram a disputa. Neste ano, os eleitores votam em dois senadores.

O candidato Weverton Rocha (PDT) subiu 6,3 pontos e chegou a 36,2% das intenções de votos totais. Eliziane Gama (PPS) cresceu 5,2 pontos e agora tem 34,6%.

Logo em seguida aparecem Edison Lobão (22,8%), Sarney Filho (20,9%), Zé Reinaldo (7,2%), Alexandre Almeida (6,6%), Preta Lú (1,7%), Samuel Campelo (1,5%), Saulo Pinto (0,9%), Saulo Arcangeli (0,6%) e Iêgo Bruno (0,1%).

Brancos e nulos são 28,7%. Indecisos ou não sabem são 38%. A soma total dá 200% porque neste ano os eleitores votam em dois senadores.

Registro

A pesquisa Data M foi realizada entre domingo (30) e quarta-feira (3), com 1.500 pessoas em todas as regiões do Maranhão. A margem de erro é de 3 pontos para mais ou para menos. O registro da pesquisa é MA-08386/2018.

Vitória de Flávio Dino no primeiro turno com 62% é confirmada pela Econométrica

A pesquisa foi feita entre os dias 27 e 30 de setembro, com 1.411 entrevistados em todas as regiões do Maranhão

A nova pesquisa Econométrica, divulgada nesta segunda-feira (1), mostra que o governador Flávio Dino está consolidado em primeiro lugar na corrida eleitoral, com ampla vantagem sobre a segunda colocada. Flávio aparece com 61,9% dos votos válidos.

É mais que o dobro de Roseana Sarney, que tem 29,9% das intenções de voto. Em seguida, vêm Maura Jorge (5,3%), Roberto Rocha (2,5%), Ramon Zapata (0,4%) e Odívio Neto (0,1%).

Senado

Para o Senado, os dois candidatos de Flávio Dino lideram com boa vantagem sobre os demais concorrentes. Neste ano, o eleitor vota em dois senadores.

Weverton Rocha tem 33,1% das intenções totais de voto, e Eliziane Gama aparece com 30%.

Atrás deles estão Sarney Filho, com 23,5%, e Edison Lobão, com 23,1%. A lista ainda tem Zé Reinaldo (9,8%), Alexandre Almeida (5,7%), Samuel Campelo (1,7%), Iêgo Brunno (1,3%), Preta Lú (1,1%), Saulo Arcangeli (0,8%) e Saulo Pinto (0,5%).

Brancos e nulos são 17,9%. E 51,5% não souberam responder. A soma total dá 200% porque o eleitor vota em dois senadores.

Registro

A pesquisa foi feita entre os dias 27 e 30 de setembro, com 1.411 entrevistados em todas as regiões do Maranhão. A margem de erro é de 2,6 pontos para mais ou para menos. O levantamento está registrado sob o número MA-01075/2018.

Exata mostra crescimento de Weverton Rocha; Eliziane e Lobão brigam pela segunda vaga

A pesquisa Exata foi registrada no TSE sob o número MA-05196/2018, a Exata utilizou 1402 questionários e ouviu a opinião de eleitores de todo o Maranhão entre os dias 25 e 28 de setembro

A pesquisa do Instituto Exata divulgada neste domingo (30), pelo Jornal Pequeno, mostra que o candidato a senador Weverton Rocha (PDT) chegou a 31% das intenções de voto e é líder na corrida ao Senado Federal. Em comparação com a pesquisa anterior, publicada pelo jornal no dia 16 de setembro, Weverton cresceu 6 pontos percentuais.

Eliziane Gama (PPS) e Edison Lobão (MDB) estão tecnicamente empatados. A candidata do PPS tem 28%, enquanto Lobão tem 26%. Sarney Filho aparece logo em seguida com 23%. Os três oscilaram dentro da margem de erro.

José Reinaldo (PSDB) tem 14% e aparece tecnicamente empatado com Alexandre Almeida (PSDB) que tem 11%.

Samuel Campelo (PSL) aparece com 3%; Preta Lu (PSTU), com 2%; Saulo Pinto (PSOL), com 2%; Saulo Arcangeli (PSTU), com 1% e Iêgo Bruno (PCB), com 1%. Branco/Nulo/Indeciso somaram 60%.

A pesquisa Exata foi registrada no TSE sob o número MA-05196/2018, a Exata utilizou 1402 questionários e ouviu a opinião de eleitores de todo o Maranhão entre os dias 25 e 28 de setembro. A margem de erro da pesquisa é de 3,3 pontos percentuais para mais ou para menos e o intervalo de confiabilidade é de 95%.