“Minha intenção é continuar com Flávio Dino”, diz Josimar de Maranhãozinho, presidente do PR

Se for somente pela vontade do presidente estadual do partido, o PR continuará ao lado de Flávio Dino

O deputado estadual Josimar de Maranhãozinho concedeu ao programa Ponto e Virgula, da Rádio Difusora FM, entrevista comentando os rumos que o Partido da República (PR) irá tomar no Maranhão. Presidente estadual da legenda, ele garantiu que sua intenção é caminhar ao lado do governador Flávio Dino nas eleições de outubro.

Apesar da vontade do presidente estadual, o partido vem sendo alvo do assédio do oligarca José Sarney, que tenta, de todas as formas, enfraquecer o amplo arco de alianças de Flávio Dino. No mês passado, o chefe do clã maranhense se reuniu com o presidente nacional do PR, Valdemar da Costa Neto, para tratar de uma possível aliança com o seu grupo no Maranhão.

Durante a conversa, Sarney chegou a oferecer a vaga de vice-governador na chapa de Roseana.

Diante desse impasse, Josimar de Maranhãozinho deve ir a Brasília, até o final desta semana, para definir os rumos do partido. Apesar do assédio de Sarney, o parlamentar já refutou apoio à ex-governadora Roseana.

“É um momento que eu não esperava, está me tirando a atenção e estou cuidando de uma turbulência que eu não estava preparado e pensei que não ia tratar disso agora”, disse Josimar.

Se for somente pela vontade do presidente estadual do partido, o PR continuará ao lado de Flávio Dino.

Será? Graça Paz se incomoda e diz que Roberto Rocha “não seria alérgico a votos”

A deputada estadual Graça Paz (PDT), fiel escudeira do senador Roberto Rocha (PSDB), cotado a ser candidato “laranja” do grupo Sarney ao governo, nas eleições do ano que vem, demonstrou forte incômodo de seu grupo político, na sessão desta terça-feira (24),  com pronunciamento, feito na semana passada, pelo vice-presidente da Assembleia Legislativa, Othelino Neto (PCdoB), que criticou e ironizou o aliado político da parlamentar, insinuando que ele seria “alérgico a voto”.

Eleito no pleito passado com milhões de votos que, em grande maioria, vieram do grupo do governador Flávio Dino (PCdoB), Roberto Rocha, que rompeu com os aliados que o apoiaram, não tem chegado nem a 5% das intenções de votos nas pesquisas realizadas, até aqui, com sondagens, visando à corrida pelo governo do Maranhão no ano que vem.

Roberto Rocha tem sido bastante criticado também nas redes sociais por determinadas posturas impopulares em votações no Senado, como por exemplo, na Reforma Trabalhista do presidente Michel Temer (PMDB) que tirou direitos consagrados dos trabalhadores. A baixa na popularidade do senador se intensifica com a questiúncula política, envolvendo emendas  da Bancada Maranhense para a Saúde dos municípios, que ele se recusou a assinar por coisa pessoal.

“O Roberto tem uma trajetória política muito bonita, ele, de forma nenhuma, pode ser taxado como alérgico a votos”, defendeu Graça Paz na tribuna (vide vídeo acima).

Sobre a parceria política com o governador Flávio Dino, nas eleições passadas, ela foi, de certa forma, injusta, pois não considerou a grande força que seu liado político teve por conta do grupo para o qual decidiu fazer oposição.

“A gente sabe que, numa eleição majoritária, os candidatos se complementam. Ele complementou a eleição do governador, assim como Flávio Dino complementou a eleição dele. São eleições majoritárias, é natural isso acontecer, mas poderia ser diferente”, disse Graça Paz, deixando no ar a ingratidão de Roberto Rocha.