SD também anuncia apoio ao candidato do PDT no segundo turno

SDD segue com Edivaldo Holanda Jr

SDD segue com Edivaldo Holanda Jr

O SD anunciou apoio ao candidato do PDT, Edivaldo Holanda Jr, neste segundo turno. Segundo o presidente da sigla, Simplício Araújo, o pedetista reúne as melhores condições de administrar São Luís. Ele disse que a capital maranhense não pode perder esse alinhamento pelo desenvolvimento.

Para Simplício, Edivaldo não teve atenção e nem tinha sintonia com a ex-governadora Roseana Sarney, pois o governo excluía São Luís. Segundo ele, mudar agora seria perder essa grande vantagem existente entre o governo municipal e o estadual.

“Qualquer governo novo vai demorar, pelo menos seis meses, para se alinhar e seis meses, no meio de uma crise como a atual, é tempo demais, prejuízo demais. Nossa capital tem que seguir em frente e o Solidariedade vai com Edivaldo”, frisou Simplício Araújo.

Aliado de Waldir Maranhão, Wellington do Curso “esconde” deputado segundo revista Época

Na foto, Waldir Maranhão e Wellington do Curso fazem campanha pelo 11

Na foto, Waldir Maranhão e Wellington do Curso fazem campanha pelo 11

Print da revista

Print da revista

A revista Época noticiou, na coluna Expresso, que o candidato a prefeito de São Luís pelo PP, Wellington do Curso (WC), está usando a tática de “esconder” o seu aliado partidário, Waldir Maranhão, também do PP, de sua campanha na capital maranhense. Segundo a publicação, o próprio WC pediu ao vice-presidente da Câmara Federal que, nessa fase de afirmação e conquista do eleitorado, fique bem longe de seus comícios, caminhadas e programas de TV.

“O ex-presidente interino da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA), está com a vida mansa durante o “recesso branco” que ocorre no Parlamento devido às eleições municipais. Nem mesmo seus aliados de partido querem sua ajuda nos palanques do Estado. Um deles é Wellington do Curso, candidato à Prefeitura de São Luís. O candidato pediu a Maranhão para não participar de seus comícios e nem aparecer em seus programas de TV”, noticiou a revista Época.

Por outro lado, Waldir Maranhão, que tem uma vasta ficha suja recheada de denúncias que vão de cargos fantasmas a desvios de recursos e envolvimento nas investigações da operação Lava Jato, já estaria pronto para fazer as indicações de possíveis secretários municipais em um eventual governo WC.

Nos bastidores, comenta-se que WC, achando que já ganhou a eleição, já estaria com uma “lista” de supostos secretários que, inclusive, já vazou. Mas esse é um assunto para outro post.

Flávio Dino e o fator “Eliziane Gama”…

Flávio Dino e Eliziane Gama trataram de questões ligadas ao parlamento e á política

Flávio Dino e Eliziane Gama trataram de questões ligadas ao parlamento e à política

Uma das primeiras lideranças políticas recebidas pelo governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), no Palácio dos Leões, foi a deputada federal mais votada em São Luís, Eliziane Gama (ainda no PPS), conforme foto distribuída pela Secretaria de Comunicação do Estado (Secom). Na pauta, parcerias na esfera federal, mas não se deve deixar passar despercebido o fator “eleições municipais” em 2016.

Eliziane, que deve deixar o PPS para ingressar em um partido mais forte e articulado até o mês de outubro deste ano, apoiou Flávio Dino e, inclusive, retirou candidatura ao governo do Maranhão em prol de um projeto único de oposição. Hoje, ela está no grupo dinista, mas, em 2016, pode seguir outros rumos, já que anunciou, antecipadamente, que não abrirá mão da disputa pela Prefeitura de São Luís e o prefeito Edivaldo Jr, aliado também do grupo, é candidato natural à reeleição.

O governador, claro, sabe da importância de cada aliado e tem discutido o governo e questões políticas com as lideranças que o ajudaram na eleição. No entanto, em 2016, ele será peça fundamental no processo eleitoral e não esconde de ninguém suas preferências.

Articulador político nato, Flávio Dino sabe que é necessário muito “jogo de cintura” com aliados e trabalha sempre para a manutenção de um grupo. Não é à toa que conseguiu unificar a oposição, inclusive, com a desistência de Eliziane Gama em relação à disputa pelo governo.

A próxima eleição municipal parece estar longe, mas, nos bastidores, o jogo de xadrez já começou. E hoje não se pode discutir 2016, em São Luís, sem considerar o fator “Eliziane Gama”.