Fernando Furtado denuncia Prefeitura de Pinheiro por fechar serviços básicos

Deputado Fernando Furtado

O deputado Fernando Furtado (PCdoB) denunciou a Prefeitura de Pinheiro, na sessão desta quarta-feira (21), por fechar serviços básicos, como posto de saúde, farmácia popular, restaurante popular e o Shopping do Povo, mesmo a cidade sendo considerada polo da Baixada Maranhense. De acordo com o parlamentar, as ações do prefeito Luciano Genésio têm prejudicado a população da cidade.

Furtado disse que Luciano Genésio “tem se tornado um prefeito irresponsável, que não tem cumprido com aquilo que ele falava quando estava em campanha”.  Segundo o deputado, a Prefeitura tem fechado quase tudo, como o posto de saúde no povoado Paraíso, porém mantém as festividades.

Ele comparou Genésio à ex-prefeita de Bom Jardim, Lidiane Leite, que foi considerada nacionalmente como a “prefeita ostentação”, condenada por diversas irregularidades administrativas. O parlamentar chamou ele de “prefeito ostentação”.

Furtado contou que na cidade de Pinheiro tem um shopping que foi inaugurado na gestão anterior, tirando as pessoas da rua, mas agora Luciano Genésio as colocou para fora, sem entregar as mercadorias.

“Hoje esses trabalhadores, a grande maioria mulheres, estão na rua, não pode nem entrar no prédio para retirar os seus pertences, os seus utensílios de venda. O prefeito colocou a Guarda Municipal na porta, mas o que está me surpreendendo é que a Polícia Militar também está lá. Esses trabalhadores estão fazendo uma manifestação, sem baderna, apenas requerendo seus direitos. Não está havendo quebra-quebra, não está havendo depredação do patrimônio”, relatou.

Disse ainda que “o prefeito Luciano, que há poucos dias jogou nas redes sociais uma festa feita numa boate, fechada com amigos, gastando dinheiro público, enquanto as pessoas que querem trabalhar no Shopping do Povo estão jogadas no meio da rua, sem direito a nada. O Ministério Público e a OAB já foi acionados, mas ainda não houve nenhuma decisão que garanta a esses trabalhadores que possam, pelo menos, retirar os seus pertences. Agora o prefeito diz que vai fazer uma nova licitação”.

Deputado denuncia atraso no pagamento dos salários de professores em Pinheiro

Deputado Fernando Furtado

O deputado estadual Fernando Furtado (PC do B) denunciou da tribuna da Assembleia, na sessão desta quarta-feira (7), o atraso no pagamento dos salários dos trabalhadores da Educação, no município de Pinheiro. Segundo ele, a situação vem se arrastando desde o ano passado.

De acordo com o deputado, até a segunda parcela do 13º de 2017 muitos trabalhadores ainda não receberam. “No pagamento de janeiro de 2018, dos professores e demais servidores, houve descontos abusivos. Por isso, ontem (6), o Sindicato dos Professores (SINPROSEMP) realizou uma manifestação de protesto”, acrescentou Fernando Furtado.

O parlamentar disse que os professores não reivindicam só os salários e não reclamam só dos descontos. “Eles também estão preocupados com a merenda escolar de qualidade, estão reivindicando também o transporte coletivo para os alunos e o ônibus escolar com mais frequência, com mais assiduidade e com mais qualidade”, ressaltou.

Por fim, o deputado manifestou sua decepção com o prefeito de Pinheiro, Luciano Genésio. “Um jovem gestor que era a esperança de que iríamos ter uma nova administração. Mas não, a nossa cidade de Pinheiro só tem uma obra que foi feita pelo Governo do Estado, o asfalto que sai do Obelisco até o Maranhão Novo. O resto da cidade é só buraco, é uma tábua de pirulito. As comunidades estão tirando dinheiro do bolso para fazer as pontes porque estão destruídas e nada é feito pelo prefeito”, concluiu.

Fernando Furtado adere à pré-candidatura de Leonardo Sá em Pinheiro

Leonardo Sá recebeu mais uma adesão e segue crescendo rumo à Prefeitura de Pinheiro

Leonardo Sá recebeu mais uma adesão e segue crescendo rumo à Prefeitura de Pinheiro

pinheiro leonardo

O pré-candidato a prefeito de Pinheiro, Leonardo Sá (PCdoB), recebeu, neste final de semana, o apoio do deputado estadual Fernando Furtado (PCdoB), que obteve três mil votos no município nas eleições estaduais. O evento de adesão movimentou a seara política na Baixada Maranhense.

Para o deputado estadual Othelino Neto (PCdoB), a adesão de Fernando Furtado, que também é líder sindical, tem grande importância política e eleitoral. “Ele obteve quase três mil votos em Pinheiro para deputado estadual, em 2014, e é mais uma força que chega para esse projeto de alternância de poder, defendido pela oposição no município”, disse.

Em Pinheiro, Leonardo Sá  conta com o apoio de partidos como PCdoB,   PDT, PSB, PTC, PR, PHS, PTB, DEM e mantém diálogo com representantes de outras siglas. Ele trabalha para formar uma forte coligação de oposição na disputa pela Prefeitura.

O pré-candidato agradeceu a adesão de Fernando Furtado e frisou que o partido, liderado pelo governador Flávio Dino no Maranhão, foi responsável pela mudança política no Estado e agora trabalha pela alternância de poder em Pinheiro.

Na Assembleia Legislativa, Fernando Furtado compõe a base de apoio ao governo Flávio Dino. E é conhecido em Pinheiro por sua forte atuação também no Sindicato dos Pescadores. Leonardo Sá consegue, portanto, mais um apoio de peso.

Fernando Furtado ganha prêmio internacional de “racista do ano de 2015”

Globo

Discurso de Fernando Furtado deu o que falar

Discurso de Fernando Furtado deu o que falar

O deputado estadual maranhense do Partido Comunista do Brasil (PCdoB), Fernando Furtado, foi eleito pela organização Survival International vencedor do prêmio ‘Racista do ano de 2015’. Em julho deste ano, durante audiência pública em São João do Caru (MA), a 359 km de São Luís, ele xingou índios da tribo Awá-Guajá e homossexuais, chamando-os de maneira pejorativa de ‘viadinho’ e ‘baitola’.
“Índio diz que não sabe plantar arroz. Então morre de fome, desgraça, é a melhor coisa que tem. Porque não sabem nem trabalhar”, destaca a Survival International do trecho da fala do deputado maranhense. Os Awá-Guajá são considerados um dos povos mais vulneráveis do planeta.
A organização defende que sejam consideradas como incitamento ao ódio racial. “Essas observações repugnantes indicam a extensão do racismo contra os povos indígenas entre algumas das pessoas mais poderosas na sociedade brasileira. É importante que as pessoas dentro e fora do Brasil estejam cientes da prevalência dessas atitudes, porque elas estão por trás dos violentos ataques genocidas que as tribos brasileiras enfrentam hoje. Foi por isso que decidimos nomear Furtado como o Racista do Ano de 2015”, diz o diretor da Survival International, Stephen Corry.
Em setembro, após a repercussão negativa das declarações, o deputado estadual foi à tribuna da Assembleia Legislativa do Maranhão (Alema) para se retratar e pediu desculpas públicas, e destacou que suas declarações não condizem com o pensamento do partido. “Eu, deputado Fernando Furtado, reitero minhas sinceras desculpas à população de todo o estado. E quero dizer que nunca fui, não sou e nunca vou ser homofóbico”, disse.
À época, o PCdoB também se manifestou por meio de nota repudiando a declaração do parlamentar. “Achamos que foi uma declaração infeliz do deputado Fernando Furtado. O partido tem historicamente uma posição de respeito às minorias, em particular aos povos indígenas”, reforçou o deputado Othelino Neto (PCdoB), vice-presidente da Alema.
Segundo prêmio consecutivo
Este é o segundo ano consecutivo em que um brasileiro recebeu o prêmio da Survival International. Em 2014, foi a vez do político brasileiro Luis Carlos Heinze, do Partido Progressista (PP) do Rio Grande do Sul, após declarar que “o governo…está aninhado com quilombolas, índios, gays e lésbicas, tudo o que não presta”.

Fernando Furtado responderá judicialmente por denúncia de propina a “genro de desembargador”

Fernando Furtado terá que apresentar provas e citar nomes em caso de denúncia de propina

Fernando Furtado terá que apresentar provas e citar nomes em caso de denúncia de propina

O deputado estadual Fernando Furtado (PCdoB) será interpelado, judicialmente, pela Procuradoria Geral de Justiça e pela Associação dos Magistrados do Maranhão (AMMA) para responder por denúncia de propina, envolvendo “um genro de desembargador”. A decisão foi tomada, por unanimidade, pelo Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA), com base no artigo 144 do Código Penal.


A proposição, acolhida pelo colegiado, partiu  do desembargador Joaquim Figueiredo, que ressaltou a necessidade de o deputado prestar explicações sobre a denúncia em que afirmou ter presenciado, em um posto de combustível de São Luís, o pagamento de propina a um genro de desembargador, com o objetivo de retornar ao cargo prefeito cassado por corrupção.


A acusação do parlamentar ocorreu durante audiência pública realizada em São João do Caru, quando afirmou, em seu pronunciamento, que alguns deputados tinham trânsito no Tribunal de Justiça para negociar a volta de prefeitos ao cargo pelos valores de R$ 100 mil e R$ 200 mil.


De acordo com o artigo 144 do Código Penal, “referências, alusões ou frases que inferem calúnia, difamação ou injúria, quem se julga ofendido pode pedir explicações em juízo. Aquele que se recusa a dá-las ou, a critério do juiz, não as dá satisfatórias, responde pela ofensa”.

Em áudios, deputado criticou também Igreja Católica…

Fernando Furtado esqueceu que os papas João Paulo II e Francisco já pediram perdão, em nome da Igreja Católica, por esses erros do passado

Fernando Furtado esqueceu que os papas João Paulo II e Francisco já pediram perdão, em nome da Igreja Católica, por esses erros do passado

O discurso do deputado estadual Fernando Furtado (PCdoB), em evento no interior do Estado, no mês de julho, quando se reportou negativamente aos índios maranhenses, rendeu mesmo. Outros áudios, publicados nesta terça-feira (23) pelo blogueiro Domingos Costa, mostram que o parlamentar também fez duras críticas à Igreja Católica quanto ao seu passado e que esta deveria pedir desculpas aos seus fieis. Porém, ele esqueceu ou não foi informado que tanto o Papa João Paulo II, quanto o Papa Francisco já pediram perdão pelos “erros cometidos” em outros séculos.

“A Igreja Católica era para estar aqui, sou católico apostólico brasileiro não praticante, eu! Agora, tem que se dizer a Igreja Católica que ela, nesse século, deve desculpas a humanidade pelos desfeitos que fez no passado, quando até incendiou pessoas, a Igreja Católica hoje pede desculpas, e a Igreja Católica no Brasil tem que pedir desculpas a vocês, porque ela tem muita terra, ela é quem defende essa política indigenista e não pode ser assim”. (OUÇA OS ÁUDIOS AQUI)

“Parece que todo mundo ficou mudo quando se fala na Igreja, nós temos que ser temente é a Deus, e não a igreja”, disse Fernando Furtado em outro trecho do áudio.

Nesta semana, o deputado teve que se explicar em nota e na tribuna por conta das declarações pejorativas em relação aos índios e homossexuais que terminaram tomando repercussão nacional. Ele pediu desculpas, negou ser homofóbico, afirmou que falou em meio ao “calor do momento” de forma individual, isentou o PCdoB e o governador Flávio Dino e disse que respeitará qualquer decisão do partido.”

Na tribuna, deputado diz que não é homofóbico e que deixa PCdoB à vontade para qualquer decisão

Fernando Furtado fez retratação aos indígenas, homossexuais e ao PCdoB

Fernando Furtado fez retratação aos indígenas, homossexuais e ao PCdoB

O deputado estadual Fernando Furtado (PCdoB) se retratou na tribuna da Assembleia Legislativa, na sessão desta terça-feira (22), sobre declarações pejorativas que fez em relação aos índios. Reiterou tudo que está na nota enviada à Imprensa, na segunda-feira (21), e garantiu que nem o PCdoB, nem o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), têm culpa de suas atitudes e que tudo que disse é, unicamente, de responsabilidade sua. Disse que não é homofóbico e que deixa o partido à vontade para tomar a decisão que achar correta e necessária.

“Eu, deputado Fernando Furtado e cidadão, reitero minhas sinceras desculpas a toda a população do nosso Estado e quero dizer que nunca fui e não sou e jamais serei homofóbico. Também nunca preguei não prego e jamais pregarei o ódio contra qualquer camada da sociedade,” afirmou na tribuna ao se retratar com indígenas, homossexuais,  PCdoB e o povo do Maranhão.

De acordo com o parlamentar, os áudios divulgados pela imprensa, nos últimos dias, foram gravados durante uma audiência pública realizada no município maranhense de São João do Caru, no dia 04 de julho, onde ele teria participado a convite da Associação de Produtores Rurais de São João do Carú – MA (APROCARU).

“Gostaria de reforçar que, em nenhum momento, tive a intenção de macular a imagem do povo indígena que muito contribuiu para a formação do povo brasileiro, em especial do Maranhão. Infelizmente, me deixei levar pelo calor do momento e acabei falando o que não condiz com o meu pensamento e minha formação,” disse.

Fernando Furtado reiterou que seu trabalho sempre foi a serviço da população maranhense, sem distinção de raça, gênero ou religião, sempre na defesa dos direitos de todos e à frente das lutas pela garantia da igualdade e dos direitos humanos, como prega o nosso partido PCdoB.

“Me deixei levar pelo calor do momento”, diz deputado ao tentar se retratar de declarações contra índios

Índios ainda não se manifestaram sobre declarações de Fernando Furtado

Índios ainda não se manifestaram sobre declarações de Fernando Furtado

Após repúdio público do PCdoB diante de declarações preconceituosas sobre indígenas,  o deputado estadual Fernando Furtado (PCdoB), que chamou índios de “veados” em evento no interior do Estado, lançou nota de retratação,  onde pede desculpas pelo que disse, justificando,  entre outras coisas, que se deixou levar pelo calor do  momento.

Antes, o PCdoB disse, em nota, que aguardava a retratação pública do deputado com os índios,  homossexuais e o próprio partido. Na Assembleia,  Furtado evitou levar o assunto para a tribuna e permaneceu calado, durante críticas de colegas.

Confira abaixo,  o teor da nota de retratação assinada por Fernando Furtado.

NOTA DE RETRATAÇÃO

Diante das matérias publicadas nos últimos dias na imprensa, obtidas através de um áudio feito em uma audiência pública realizada no município maranhense de São João do Carú no dia 04 de julho onde fui convidado pela Associação de Produtores Rurais de São João do Carú – MA (APROCARÚ), venho a público fazer uma retratação formal em relação aos indígenas, homossexuais, ao PCdoB e a todo o povo do Maranhão.

Gostaria de reforçar que em nenhum momento tive a intenção de denegrir a imagem do povo indígena que muito contribuiu para a formação do povo brasileiro, em especial do Maranhão.

Infelizmente, me deixei levar pelo calor do momento e acabei falando o que não condiz com o meu pensamento e minha formação.

Diante destes esclarecimentos reitero que o meu trabalho sempre foi a serviço da população maranhense, sem distinção de raça, gênero ou religião, sempre na defesa dos direitos de todos e à frente das lutas pela garantia da igualdade e dos direitos humanos, como prega o nosso partido PCdoB.

Eu, deputado Fernando Furtado e cidadão, reitero minhas sinceras desculpas a toda a população do nosso Estado.

 

Fernando Furtado

Deputado Estadual – PcdoB

PCdoB repudia declarações de Fernando Furtado; Deputado pode ser punido por discriminação a índios

Declarações negativas de Fernando Furtado sobre índios ganham repercussão

Declarações negativas de Fernando Furtado sobre índios ganham repercussão

A Comissão Política Estadual do PCdoB do Maranhão emitiu nota, nesta segunda-feira (21), repudiando o conteúdo de áudios de discursos do deputado estadual Fernando Furtado (PCdoB), considerados agressivos contra os indígenas. O parlamentar se referiu aos índios como “veadinhos”, entre outras declarações negativas que estão tendo ampla repercussão.

“Lá em Brasília o Arnaldo viu, os índios tudo de camisetinha, tudo arrumadinho, com flechinha, tudo um bando de veadinho. Tinha uns três lá que eram veado que eu tenho certeza, veado. Eu não sabia que tinha índio veado, fui saber naquele dia em Brasília, tudo veado. Então é desse jeito que tá, índio já consegue ser veado, boiola, e não consegue trabalhar e produzir? negativo!”, disse Fernando Furtado em um dos áudios.

Fernando Furtado corre o risco de séria punição do partido depois de vazarem os áudios do discurso no blog de Domingos Costa,  durante audiência pública organizada pela Associação dos Produtores de São João do Caru (Aprocaru). Na nota, assinada pelo comunista Egberto Magno, a comissão diz que as declarações do deputado ofendem não apenas índios e homossexuais, como também a história e o programa do Partido Comunista do Brasil, sempre à frente das lutas pela garantia da igualdade e dos Direitos Humanos.

Retratação

Segundo a nota emitida pelo partido, o ocorrido foi uma equivocada manifestação individual do deputado Fernando Furtado, pela qual o PCdoB espera do parlamentar a devida retratação em relação aos indígenas, aos homossexuais e à sigla.

Durante a sessão desta segunda-feira (21), Fernando Furtado ficou calado, ouvindo críticas de deputados como Andrea Murad (PMDB) e Souza Neto (PTN) que não deixaram por menos e aproveitaram para se manifestar.

Repercussão nacional

As declarações de Fernando Furtado chamaram a atenção da jornalista Mônica Waldivogel em sua conta do twitter nesta segunda-feira (21). Ela perguntou, em tom de estranhamento, se o deputado era do PCdoB. Marcado na interação, o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), imediatamente, disse que discorda de qualquer discurso na linha abordada por Fernando Furtado.

O partido não falou, diretamente, em expulsão ou qual tipo de punição caberia, mas deixou claro, na nota emitida, que está aguardando uma retratação de Fernando Furtado. Ele teve toda a sessão desta segunda-feira (21) para se pronunciar, mas não o fez.

O pronunciamento do parlamentar acerca do assunto é esperado para esta terça-feira (22). Cenas dos próximos capítulos…

Escute os áudios AQUI

NOTA DE ESCLARECIMENTO

PARTIDO COMUNISTA DO BRASIL – MARANHÃO
Em relação às declarações do deputado Fernando Furtado, o PCdoB Maranhão, por sua Comissão Política Estadual, esclarece:

1. As declarações do deputado ofendem não apenas índios e homossexuais, como também a história e o programa do Partido Comunista do Brasil, sempre à frente das lutas pela garantia da igualdade e dos Direitos Humanos;

2. Consideramos a declaração do deputado uma falta grave cometida contra índios, homossexuais e com o nosso partido, razão pela qual a repudiamos publicamente;

3. No entendimento do partido, trata-se de uma equivocada manifestação individual do deputado Fernando Furtado, pelo que se espera do parlamentar a devida retratação em relação aos indígenas, aos homossexuais; e ao partido;

4. O PCdoB reafirma seu irrestrito compromisso com a proteção aos direitos dos povos indígenas e contra quaisquer manifestações de conteúdos homofóbicos.
São Luís, 21 de setembro de 2015

Egberto Magno
Pela Comissão Politica Estadual do PCdoB Maranhão