Em entrevista, Dino vê perigo em candidaturas à presidência da República classificadas de fascistas…

Do Portal Vermelho

Flávio Dino: Candidaturas como a de Dória e Bolsonaro representam um retrocesso

Para o governador, o sistema político precisa ser erguido “acima do volume morto” para patamares civilizatórios. Flávio Dino aponta o perigo de candidaturas baseadas em um discurso fascista e ultradireitista como a de João Doria (PSDB), prefeito de São Paulo, e de Jair Bolsonaro. Para o governador, Doria é um “Collor piorado, autoritário, sem experiência administrativa” e tem sido desleal com o seu padrinho político, o governador Geraldo Alckmin, “seu criador”.

Flávio Dino criticou a postura de Dória que tenta articular sua pré-candidatura, apesar de Alckmin ter pretensões na disputa. A atitude é considera como um gesto de “traição” por aliados do governador. “É um oportunista”, resume Flávio Dino.

De acordo com o governador, candidaturas com discurso como a de Dória e Bolsonaro representam um retrocesso. Mas considera que candidaturas como a de Alckmin e Lula, por exemplo, “são traços civilizatórios no meio de um desastre completo”.

“Isso [as duas candidaturas] permitirá que o Brasil faça uma reflexão com qualidade”, afirma. Para ele, há uma diferença “gigantesca” entre Alckmin, Doria e Bolsonaro.

“O Brasil ser governado pelo Alckmin é algo razoável. Governado pelo Doria, é um absurdo e pelo Bolsonaro, é um desastre, uma tragédia”, frisou. “Alckmin tem experiência, foi governador quatro vezes, é um quadro político experimentado, tem as condições dele e um conjunto de forças. Quem é o Doria? É um Collor piorado, fake, autoritário e sem nenhuma experiência administrativa. E o Bolsonaro é uma tragédia, com ideário violento, de exclusão das pessoas, fascista, defensor do aniquilamento das diferenças sociais. Não tem nenhuma condição de dirigir o país”, completou.

Por outro lado, o governador e dirigente do PCdoB diz que “a candidatura de Lula é importante para a unidade do campo de esquerda”. Flávio Dino reforça que Lula tem uma “reserva estratégica de popularidade”, que poderá ser aproveitada nas urnas pelo petista ou por um eventual candidato que ele apoiar, caso não possa ser candidato por conta da perseguição que enfrenta na Justiça.

Assim como diversos juristas, Flávio Dino, que é juiz federal e professor de Direito, tem apontado irregularidades e abusos nas decisões proferidas pelo juiz Sergio Moro contra Lula. Para o governador, a sentença de Moro que condenou Lula a nove anos é “tecnicamente muito frágil e ruim” e mostra o “envolvimento passional” do juiz nas acusações contra o ex-presidente.

Para ele, se os magistrados do TRF-4, que analisarão o caso em segunda instância, confirmarem a condenação do ex-presidente, colocarão em xeque suas biografias ao inviabilizarem a candidatura de Lula em 2018. “E se um dia essa sentença chegar ao Superior Tribunal de Justiça ou Supremo Tribunal Federal, não fica de pé, não será confirmada. Afirmo e aposto 100%”.

Ao analisar o cenário eleitoral em 2018, em caso de nova condenação de Lula, o governador afirma que “quando esse debate se colocar, se de fato se colocar, há um elemento que é essencial: não necessariamente o candidato tem que ser do PT”.

“Esse ponto de partida tem que ser posto. Se não tiver mais jeito, se o tribunal confirmar que Lula não poderá ser candidato, é errado dizer que o PT tem que necessariamente ter candidato. Pode não ter”. Entre as opções da centro-esquerda, o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) é “boa alternativa”, diz.

VÍDEO! TV Cidade alerta para golpes contra clientes de bancos, após matéria do blog

Matéria da TV Cidade, produzida pela repórter Andressa Miranda Durans, também fez um alerta aos clientes de bancos sobre golpes por meio de SMSs e entrevistou esta editora sobre o caso do post publicado neste blog, no último sábado (26), intitulado “EU FUI VÍTIMA! Quadrilha aplica novo golpe em clientes do Santander por SMS”, onde eu questionei, entre outras coisas, o sistema de Segurança da instituição, por meio do Internet Banking, que permitiu transferência de um valor de R$ 5.200,00 (vencimentos mais cheque especial) sem tomar nenhuma medida protetora (não bloqueou, não ligou para confirmar se era eu mesma…), ao mesmo tempo em que não notou a operação suspeita na conta do receptor que, na mesma hora, pagou boleto no valor do que me foi roubado.

Eu me senti na obrigação de noticiar, como jornalista, e registrar o caso, até para alertar outras pessoas e evitar que elas caiam também na fraude virtual que, infelizmente, fui induzida a entrar.

O novo golpe de phishing (meio de roubo usado por cibercriminosos), que envolve mensagens de SMS falsas do banco Santander, via celular, está circulando no Estado e creio que também em outras cidades do país. No meu  caso, eu recebi de um telefone, identificado como (011) 9 9695 0314, um “Santander Informa”, comunicando que o cartão de segurança online, que eu usava para pagamentos ou movimentações online pelo Internet Banking, estava expirado e que eu deveria fazer um “recadastro” para evitar bloqueios.

Veja acima o vídeo da matéria da TV Cidade.

EU FUI VÍTIMA! Quadrilha aplica novo golpe em clientes do Santander por SMS

Aconteceu comigo, em São Luís do Maranhão, e eu me sinto na obrigação de noticiar, como jornalista, e registrar, até para alertar outras pessoas e evitar que elas caiam na fraude virtual que eu, infelizmente, fui induzida a entrar. Um novo golpe de phishing (meio de roubo usado por cibercriminosos), que envolve mensagens de SMS falsas do banco Santander, via celular, está circulando no Estado e creio que também em outras cidades do país. No meu  caso, eu recebi de um telefone, identificado como (011) 9 9695 0314, um “Santander Informa”, comunicando que o cartão de segurança online, que eu usava para pagamentos ou movimentações online pelo Internet Banking, estava expirado e que eu deveria fazer um “recadastro” para evitar bloqueios.

Com a captura das informações bancárias, a quadrilha me roubou, pelo menos segundo comunicado do banco (eu ainda não tive acesso ao extrato porque o cartão fora bloqueado), R$ 5.200 – referentes aos meus vencimentos mensais, fruto do meu trabalho, e ao limite do meu cheque especial – que foram “transferidos” pelos cibercriminosos para uma outra conta, coincidentemente, também do próprio Santander. Fazendo um parêntese aqui, eu só me tornei cliente da instituição porque fui obrigada, forçada mesmo por gerentes, a transferir a minha conta salário do Banco do Brasil para a mesma por conta de financiamento de um imóvel.

O saldo bancário, que veio com o pagamento do meu órgão empregador no dia 24 de agosto de 2017, era o que eu tinha para pagar as minhas contas do mês de setembro, fazer gastos com alimentação, transporte e outras despesas.

Eu não sou de abrir links de e-mails falsos e nem de acreditar em “vantagens” e outras coisas que surgem disfarçadas de golpe, mas, por receber constantemente mensagens do Santander informando movimentações e outras coisas e de usar, com frequência, o Internet Banking, ao clicar no link e identificar o que seria o site do Santander, passei as informações que me foram solicitadas. Eu caí no golpe! Infelizmente, fui induzida a isso, mesmo sendo uma profissional de nível superior, que trabalha com jornalismo, investigação de notícia, com pós-graduação, parari, parará, etc, tal foi o poder de convencimento dos cibercriminosos e das circunstâncias que eles, com seus truques, levaram-me a acreditar.

Pesquisando informações após ter sofrido o crime, vi que esse mesmo tipo de golpe já está acontecendo, pelo menos, desde o início de janeiro deste ano e estranho nunca ter recebido um comunicado direto do Santander, alertando sobre essas fraudes, via SMS, apesar de sempre estarem recomendando, em mensagens gravadas, que não se passe senhas pessoais, etc. No entanto, eu entendo que deveria ter havido uma forma de comunicação mais contundente para informar mesmo as ocorrências criminosas e tomadas providências mais sérias quanto ao sistema de segurança do Internet Banking, no sentido de coibir tais práticas.

Mas, o que me aflige, até mais do que o fato de eu ter caído no golpe e ter o dinheiro do meu salário roubado, é a fragilidade do sistema de segurança do Santander no Internet Banking, deixando a operação ser realizada, às 13:40h do sábado (26/08/17), mesmo acusando suspeita em SMS que me foi enviada, minutos depois do cibercriminoso ter transferido o valor para uma outra conta DO PRÓPRIO BANCO em nome de um “cliente”, que foi identificado pelo atendimento (protocolo número 63573789) como sendo de Thiago Fernando da Silva Moreira, agência de São Paulo (capital), número 3975, conta 01073471-5, que, segundo a atendente da instituição, havia sido bloqueada para investigações. E por que o sistema não impediu a transação suspeita e me ligou?

Liguei para o banco, às 16:05h, logo assim que percebi o golpe, pois o Santander me mandou mensagem, via SMS, informando “transferência” de R$ 5.200,00 da minha conta e outra, logo em seguida, pedindo para eu ligar pra eles antes de qualquer outra ação com o cartão.

“Cliente” receptor seria de São Paulo

Contei o que aconteceu e eles identificaram a fraude. Bloquearam senhas e cancelaram os cartões. Me deram as informações da conta pra onde foi meu dinheiro,
mas disseram que, como eu teria fragilizado as informações ao cair na lábia dos cibercriminosos, mesmo o banco estando ciente desas práticas, eles não poderiam me ressarcir e, uma vez bloqueada a conta do receptor, iriam tentar recapturar o que foi desviado, apenas se o dinheiro ainda não tivesse sido “sacado” pelos bandidos.

Mas o “cliente” receptor é do próprio Santander. O banco teria como rastrear a conta dele, saber para onde está sendo transferido ou movimentado, bloquear outras contas para onde possam ter havido transações, enfim, para restabelecer o que foi roubado. Pois a ocorrência foi no sábado (26), final de semana, quando não há nenhuma agência aberta para que seja feito um “saque”, em espécie, desse valor total, o que sugere, que se o dinheiro não se encontra mais com o receptor, ele deve ter sido distribuído, via Internet ou caixas eletrônicos do próprio banco, o que pode ser identificado, facilmente, pelo serviço de rastreamento e segurança da instituição.

Após ter tomado as providências de praxe junto ao banco para bloqueios de cartões e senhas, eu registrei o Boletim de Ocorrência, de número 8069/2017, no Plantão Central das Cajazeiras, direcionado às Delegacias de Defraudações e de Crimes Cibernéticos para que sejam notificadas as partes e investigadas as circunstâncias do golpe.

Que as investigações atentem para o fato de que o dinheiro foi “transferido” para uma conta do próprio Santander, conforme informações do próprio banco.

Segurança falha

Mesmo, com tudo isso, não se observa do Santander posturas ofensiva visíveis que aumentem o sistema de segurança das transações que são feitas por meio do Internet Banking. Que as investigações tenham êxito e que seja restabelecido o dinheiro que me foi roubado. Agora, me restam a confiança na Polícia e na Justiça, para onde eu devo recorrer, caso sejam observadas lesões pelos meus advogados. Sim, porque, pagamos taxas bancárias, manutenção, etc para que o banco cuide do nosso dinheiro, então ele é responsável pela segurança e tem que assumir os riscos.

Esse tipo de golpe faz parte do risco do negócio, portanto a instituição tem que se responsabilizar pelas contas, até porque não me parece razoável que uma pessoa transfira todo o seu saldo e parte do cheque especial em conta, num sábado, final de semana. A operação era suspeita e poderia ter sido bloqueada pelo sistema e liberada só depois de uma ligação para a minha pessoa.

Fora tudo isso, o banco teria que cadastrar um dispositivo para mexer na conta. Se o aparelho que “transferiu” o dinheiro não era o informado pelo cliente, o sistema deveria ter bloqueado a operação por segurança. Outras instituições financeiras usam também o recurso de um código enviado ao correntista por celular para validar a operação, medida de segurança muito comum, mas que não é utilizada ainda pelo Santander no Internet Banking.

Alerta – Como o golpe acontece 

O phishing, como se enquadra essa mensagem falsa do Santander, é a maneira mais comum e que oferece os resultados em massa, de maneira mais fácil e rápida. Como uma “pescaria”, o cibercriminoso envia um texto indicando que você deve fazer, com urgência, um procedimento e, normalmente, vem um link. O golpe acontece quando você entra nesse site repassado.

Após clicar no link, o usuário é redirecionado para uma página falsa do banco. Por lá, existem campos de inserção de dados como nome completo, cartão de crédito e senha de segurança. Ao completar essa página, uma mensagem de erro é exibida ao usuário. Porém, as informações são repassadas aos cibercriminosos por trás do domínio falso.

Como forma de proteção, nunca clique em links encurtados enviados via SMS, email e redes sociais por desconhecidos

 

 

  • Phishing é uma maneira desonesta que cibercriminosos usam para enganar você a revelar informações pessoais, como senhas ou cartão de crédito, CPF e número de contas bancárias. Eles fazem isso enviando e-mails falsos ou direcionando você a websites falsos

Lula fala de viagem ao Nordeste e diz que condenação dele é parte de “golpe”

Bahia 247

Lula virá ao Nordeste de ônibus

O ex-presidente Luiz Inácio da Silva deu entrevista nesta sexta-feira, 18, ao jornalista Mario Kertész, da rádio Metrópole de Salvador, e voltou a defender sua inocência nas ações penais da Lava Jato. Lula disse que o objetivo de sua eventual condenação em segunda instância é concluir o golpe, iniciado em 2016 com a derrubada da presidente Dilma Rousseff.

“Deram um golpe, colocaram o Temer e o Brasil afundou”, disse Lula. “Eles vão ter que se explicar para a sociedade. Eu quero estar vivo para ver qual é a explicação deles. A Lava Jato está virando um partido político e tem espaço garantido na televisão. Se eu voltar em 2018, vou voltar mais forte. Eles sabem que sou capaz de envolver toda a sociedade brasileira e resolver o problema do país”, disse o ex-presidente.

Lula prometeu retomar investimentos para a roda econômica voltar a girar; na entrevista, ele também criticou a força-tarefa curitibana e disse que eles se tornaram escravos da Rede Globo.

Assista à entrevista de Lula:

 

Lula manda recado a golpistas

Em noite em que reviveu seus melhores discursos, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi a estrela do lançamento de nova fase do Memorial da Democracia, lançado no final de 2015. A nova etapa do Memorial – construído em parceria com o Projeto República, da Universidade Federal de Minas Gerais – foi lançada na Arena Fonte Nova, em Salvador, com a participação de todas as mais importantes lideranças do partido e representantes de diversas entidades e legendas, como PCdoB, UNE, MST e CUT.

O ex-presidente chegou a Salvador no início da tarde e participou de uma maratona em que uma multidão o cercou por onde passou, desde sua chegada, passando pelo metrô, até chegar à Fonte Nova. Sobre a caravana por nove estados do Nordeste, que iniciou hoje na capital baiana, no projeto “Lula pelo Brasil”, afirmou: “Quero andar pelo país para contar ao povo o que está acontecendo neste país”.

No discurso, Lula usou como mote a memória e a história para falar, entre outros temas, do golpe que levou Michel Temer ao poder, de cidadania, liberdade e, sem citar nomes, do juiz que proibiu o ato de entrega do título de Doutor Honoris Causa pela Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB) e do prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB).

Ele se mostrou consciente de ser a liderança capaz de neutralizar as informações mal-intencionadas da mídia tradicional, capitaneada pela família Marinho desde o início do processo do “mensalão” em 2005. “Não é possível que esse povo se informe pela Rede Globo de Televisão”, disse. “Não sou nenhum revolucionário, sou um despertador de consciência.”

Mencionou 2018 mas não foi conclusivo sobre sua própria candidatura. “Este país tem que se preparar porque em 2018 tem que colocar uma pessoa democrata para governar, e a gente tem que começar a se organizar já. Vocês sabem que ainda falta muito tempo. Não existe candidato, mas nós saberemos quem é o candidato na hora certa”, afirmou. E mostrou disposição incomum para quem é diuturnamente perseguido pelo Judiciário e pela mídia. “Tô com 71 anos, mas com vontade de lutar como se tivesse 30.”

Usou de ironia para comentar a suspensão da cerimônia de entrega do título honoris causa, cancelada por pedido do vereador Alexandre Aleluia (DEM). “Queria falar ao vereador que ele tem o direito de não gostar de mim, porque ele é do DEM e não precisa gostar de mim, porque eu também não gosto dele”, afirmou, enfatizando não ser por motivos pessoais, mas ideológicos. “Todo mundo sabe o que eu fiz na Bahia. Eles têm medo pelo que nós vamos fazer daqui pra frente.”

Segundo Lula, os governos do PT e a democracia têm raízes no país. “A ideia da liberdade, da democracia, da participação social é muito forte. Não adianta achar que acabando com Lula acaba com isso.”

Acusou os golpistas de “truncarem a democracia” ao derrubar Dilma e prometeu: “Vocês vão pagar com a mesma moeda o que fizeram com a democracia brasileira. E em 2018 a gente vai eleger uma pessoa democraticamente.”

Em noite em que o tema era a memória, assinalou: “É importante reconstituir a história, porque a história é contada pelos dominadores, a gente aprende a história que os dominadores quiseram”, disse. “Os que deram o golpe de 64 nunca aceitaram a palavra golpe, diziam que vieram pra consertar o Brasil que estava sendo entregue aos comunistas.” Lembrou que a dominação no Brasil começou na Bahia, em cujo litoral, segundo os livros de história, a frota de Pedro Álvares Cabral chegou em 22 de abril de 1500.

Doria e Temer

Lula convidou o presidente Temer a se retirar da presidência da República. “Tem mais gente na rua hoje do que quando eu cheguei na presidência’, disse. “Se um governante não tem competência pra resolver a crise e começa a vender o patrimônio deste país, esse governo tem que pedir desculpas e ir embora, porque não serve para governar.”

E ironizou o prefeito João Doria: “Se o prefeito de São Paulo já invadiu a Cracolândia, imagina se fizermos um Museu da Democracia na Cracolância”. Foi uma referência à interdição, por ação do Ministério Público, que moveu ação contra a cessão de um terreno municipal no centro de São Paulo para a construção de um museu que o MP afirmou que serviria para “divulgação da imagem” de Lula.

As dificuldades práticas para criação de um museu físico, com documentos, imagens e objetos que comporiam um espaço de reflexão sobre a construção do país a partir da República levaram à criação do museu virtual. O Memorial da Democracia, que teve hoje a apresentação de mais um fragmento dessa história. (Da RBA)

GOLPES E ABUSO! Líder de seita, Donato Brandão é investigado por crimes no Rio de Janeiro

Nos anos 90, Donato Brandão comandava, no Maranhão, a Seita Mundial. Ao todo, 11 pessoas foram presas no Rio de Janeiro.

 

Agentes cumpriram mandados de prisão e de busca e apreensão no sítio (Foto: Divulgação | Polícia Civil)

Ao todo, 11 pessoas foram presas pela Polícia Civil, no Rio de Janeiro, por envolvimento em uma seita mundial, que comete crimes como estelionato, falsidade ideológica, lavagem de dinheiro e que seria comandada por Pai Donato Brandão que já foi para a cadeia no Maranhão pelas mesmas práticas na década de 90. O programa do Fantástico deste domingo (07) explorou o assunto.

A Polícia vai investigar agora se a seita de Donato também está envolvida com outro crime: o de exploração da prostituição. A organização criminosa estava agindo, novamente, no Maranhão, após a soltura do líder da organização criminosa.
Nos anos 1990, ele comandava, no Maranhão, a Seita Mundial. Pelos seguidores, era chamado de “pai”, um novo messias. Na época, as investigações concluíram que a seita praticava a emasculação – ou seja, a castração – de jovens.
Donato Brandão passou dez anos e quatro meses preso, saiu em 2010. Em 2013, trocou o Maranhão pela Região Serrana do Rio de Janeiro.

Entenda o caso

Segundo o delegado Alexandre Ziehe, responsável pelo caso, a prisão de Donato foi por força de Regressão do Regime de Detenção. “Ele estava cumprindo a pena em regime aberto pela condenação do Maranhão. Agora foi preso por investigação da 105ª DP”, explicou.
Ainda de acordo com a Polícia, ele possui outras condenações no Estado de São Paulo.
A Polícia também informou que o grupo conseguiu cerca de R$ 5 milhões com ações fraudulentas na justiça, durante três anos de atuação em Petrópolis. Os nomes usados pra aplicar os golpes eram de seguidores da seita de Donato. Ao todo, foram movidas 33 ações judiciais, sendo 12 contra agências bancárias.

A 1ª Vara Criminal de Petrópolis expediu 15 mandados de prisão para os suspeitos, além de cumprimento de busca e apreensão no endereço dos denunciados em Itaguaí, onde funcionava a seita religiosa utilizada para a prática dos crimes, segundo a Polícia Civil. Quatro pessoas ainda são procuradas pela Polícia. A operação foi chamada de Mandala.

Quatro mulheres e sete homens foram encontrados no bairro Itaguaí, no Rio de Janeiro. Eles foram encaminhados para a 105ª Delegacia de Polícia, no bairro Retiro.

Em pronunciamento, Dilma diz que impeachment é “maior das brutalidades”

 

Após ter sido intimada sobre a abertura de processo de impeachment no Senado, a presidente afastada Dilma Rousseff fez um pronunciamento de 14 minutos nesta quinta-feira (12) no Palácio do Planalto no qual classificou a decisão como “a maior das brutalidades que pode ser cometida contra um ser humano: puni-lo por um crime que não cometeu”.

Ela voltou a classificar o processo de impeachment de “golpe” e afirmou que não praticou nenhum crime. Disse que o que “está em jogo” é o “respeito às urnas” e acrescentou que tentam “tomar à força” o seu mandato, que, segundo ela, é alvo de “sabotagem”.

A abertura do processo de impeachment foi aprovada no Senado por 55 votos favoráveis e 22 contrários em uma sessão que durou mais de 20 horas e terminou por volta das 6h40 desta quinta. Antes do pronunciamento, Dilma foi intimada da decisão que a afasta do cargo por até 180 dias. Se for julgada pelo Senado culpada por crime de responsabilidade, será afastada em definitivo, e o vice Michel Temer, que assume desde já, concluirá o mandato até 2018.

“O que está em jogo no processo de impeachment não é apenas meu mandato. Está em jogo o respeito às urnas, à vontade soberana do povo brasileiro e a Constituição. O que está em jogo são as conquistas dos últimos 13 anos, os ganhos das pessoas mais pobres e da classe média, a proteção às crianças, os jovens chegando às universidades e escolas técnicas, a valorização do salário mínimo, médicos atendendo a população, a casa própria com o Minha Casa Minha Vida”, afirmou Dilma.

O pronunciamento de Dilma foi acompanhado pelos ministros da sua equipe e por parlamentares de PT e do PCdoB. Ao chegar ao Salão Leste, Dilma foi recebida com aplausos e aos gritos de “Dilma, guerreira da Pátria brasileira”. Após a fala, ela foi ao encontro de manifestantes que se concentravam em frente ao Palácio do Planalto.

Dilma afirmou em seu discurso que o seu governo foi sabotado para que, assim, conseguissem “forjar o meio ambiente propício ao golpe”.

Em carta a Dilma, 16 governadores lançam movimento pela ‘legalidade’ e contra impeachment

Globo

Dilma Rousseff em situação delicada

Dilma Rousseff em situação delicada

Em uma carta endereçada à presidente Dilma Rousseff, governadores de 15 estados e do Distrito Federal manifestaram apoio à petista em um manifesto batizado de “carta da legalidade” e se posicionaram contra o processo de impeachment aberto na Câmara dos Deputados.

A divulgação da carta dos governadores a Dilma ocorre uma semana após o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), autorizar a abertura do processo de afastamento e um dia depois de o vice-presidente da República, Michel Temer, enviaruma carta a ela na qual diz que a petista não confia nele nem no PMDB, partido do qual ele é presidente.

“Entendemos que o mecanismo de impeachment, previsto no nosso ordenamento jurídico, é um recurso de extrema gravidade que só deve ser empregado quando houver comprovação clara e inquestionável de atos praticados dolosamente pelo chefe de governo que atentem contra a Constituição”, diz a carta.

“O processo de impeachment, aberto na última quarta-feira, 02/12, carece desta fundamentação. Não está configurado qualquer ato da Presidenta da República que possa ser tipificado como crime de responsabilidade”, acrescentam os governadores no documento.

A carta é assinada pelos governadores do Acre, Alagoas, Amapá, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Maranhão, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro, Roraima, Santa Catarina e Sergipe.

Nesta terça, Dilma se reuniu, por cerca de uma hora e meia, com governadores para discutir o processo de impeachment. O encontro já havia sido anunciado na semana passada pelo ministro da Casa Civil, Jaques Wagner. Segundo ele, ocorreria como parte da estratégia do governo de se preparar “para o embate que está começando”.

Mais cedo, Wagner, um dos principais conselheiros políticos da presidente Dilma, ofereceu almoço, no Palácio do Planalto, aos governadores dos nove estados do Nordeste. Ele comanda um grupo interministerial para, segundo ele, acompanhar “cotidianamente” os desdobramentos da abertura do processo de impeachment de Dilma na Câmara.

Leia a íntegra da carta divulgada pelo Palácio do Planato:

CARTA PELA LEGALIDADE

Os Governadores estaduais vêm, por meio desta nota, manifestar-se contrariamente ao acolhimento do pedido de abertura de processo de impeachment contra a Presidenta da República.

A história brasileira ressente-se das diversas rupturas autoritárias e golpes de estado que impediram a consolidação da nossa democracia de forma mais duradoura. Tanto é assim que este é o período mais longo de normalidade institucional de nossa história, conquistado após a luta de amplos setores da sociedade. Nesse sentido, é dever de todos zelar pelo respeito à Constituição e ao Estado Democrático de Direito.

Entendemos que o mecanismo de impeachment, previsto no nosso ordenamento jurídico, é um recurso de extrema gravidade que só deve ser empregado quando houver comprovação clara e inquestionável de atos praticados dolosamente pelo chefe de governo que atentem contra a Constituição.

O processo de impeachment, aberto na última quarta-feira, 02/12, carece desta fundamentação. Não está configurado qualquer ato da Presidenta da República que possa ser tipificado como crime de responsabilidade.

Compreendemos as dificuldades pelas quais o país atravessa e lutamos para superá-las. Todavia, acreditamos que as saídas para a crise não podem passar ao largo das nossas instituições e do respeito à legalidade. Por isso, ciosos do nosso papel institucional, conclamamos o país ao diálogo e à construção conjunta de alternativas para que o Brasil possa retomar o crescimento econômico com distribuição de renda.

Brasília, 08 de dezembro de 2015.

ANAJATUBA – Vice-prefeito comemora manobra para afastar prefeito

IMG-20150706-WA0000

Fake espalha notícias mentirosas sobre Anajatuba

IMG-20150706-WA0002

O vice-prefeito de Anajatuba, Sidney Pereira, está tentando, de todo o jeito, “julgar” o que deve ser decidido pela Justiça. Ele vem forçando influenciar a “batida de martelo” da juíza da comarca do município, Mirella Freitas, e  plantando notícias, espalhando um clima de terror na cidade, afirmando que, até esta terça-feira, dia 7, assumiria o cargo do prefeito Hélder Aragão, como se o Poder Judiciário estivesse a seu serviço ou orientado a atingir toda uma cidade.

O vice já articula a “passada de perna” no prefeito desde o ano passado, quando entrou com ação contra a administração municipal e agora vem espalhando a notícia de que promotores teriam garantido que vão forçar a decisão da juíza para afastar Helder Aragão do cargo, um golpe aplicado para tentar influenciar a decisão da magistrada. Sidney estaria apelando até para “fakes” no Facebook com um tal de “Manchete de Anajatuba” que, a todo tempo, espalha mentiras.

Na sexta feira (03), o promotor de Justiça de Anajatuba entrou com uma ação de improbidade administrativa, com pedido de afastamento do prefeito, mas já na quinta-feira, 2, o “fake” adiantava o que estaria por vir” (print fake)…, como se soubesse o que seria feito na sexta.

Na sexta-feira, já com pedido de afastamento feito pelo promotor de Justiça quase às escondidas, o “Manchete de Anajatuba” voltou a atacar… (print fake 2) (golpe anunciado!). Quem estava na cidade, assustou-se com os fogos de artifício lançados pelo grupo do vice-prefeito, já comemorando a possível “passada de perna”, desrespeitando o Judiciário local, pois já davam como certa uma decisão de afastamento, mesmo sem ter a juíza do município, sequer, o tempo necessário para analisar uma ação de tão grande volume e importância.

Clima tenso em Anajatuba

O clima em Anajatuba é tenso, pois os moradores que vêm recebendo serviços regulares de saúde, educação e outros temem a tentativa de golpe e a falta de continuidade dos serviços.  Um verdadeiro escândalo, caso isso se confirme, pois seria a inversão da vontade popular manifestada nas urnas e comprovada no dia-a-dia do município com a administração do prefeito que transformou a cidade num canteiro de obras.

O que torna a história ainda mais sórdida é o comentário do vice-prefeito Sidney que se sente protegido por aliados poderosos que têm acesso a informações privilegiadas. Ele tem deixado ventilar na cidade que terá total apoio desses aliados ocultos nessa “empreitada” de tomar, na marra, o mandato de um prefeito legitimamente eleito.

Vice-prefeito teria comemorado “afastamento”

A todo tempo, ouve-se na cidade uma frase que deixa os anajatubenses, cada vez mais, temerosos: “Os Leões vão atropelar quem for contra seu projeto de poder”. A juíza de Anajatuba, Mirella Freitas, provavelmente ainda nem teve tempo de analisar o processo a fundo e o consequente pedido de afastamento feito pelo promotor do município e, largamente, divulgado pelo “fake” “Manchete de Anajatuba” e, antecipadamente, comemorado por Sidney.

Aliás, o histórico da juíza Mirella Freitas é de sensatez, imensa responsabilidade e sensibilidade com o direito de ampla defesa de qualquer cidadão, ainda mais num processo onde não há provas de prejuízo ao município e conseqüente culpa antecipada do prefeito. O vice-prefeito já comemora o afastamento, desrespeitando a magistrada e todo o Judiciário local, mas esquece que a Lei não é objeto de sua vontade e também que quem decide em prol da sociedade é uma juíza séria e independente e não um “fake” no Facebook, covardemente, alimentado por alguém interessado no afastamento do prefeito.

Já cientes do absurdo de comemorar decisão judicial antes da hora, o tal “Manchete de Anajatuba” já começou a retirar suas “publicações premonitórias”.

CUIDADO! OI aplica “golpe da internet” em clientes

O boletim de ocorrência

O boletim de ocorrência

A servidora pública Nailde Pereira registrou Boletim de Ocorrência, na Polícia, em São Luís, contra a operadora de telefonia móvel OI, procurada pela mesma para contrato de serviços de internet que se configurou,  na verdade, em um golpe. A companhia efetuou o processo como compra a crédito, pedindo dados pessoais da cliente e informando que o valor cobrado seria de apenas R$ 19,90 (dezenove reais e noventa centavos) por mês.

Em uma sequência rápida de dois dias, foram debitados R$ 324,73. A cobrança de vários valores, que estava sendo diária, só cessou após contato com a Mastecard e bloqueio imediato do cartão. Segundo Nailde, a operadora nunca mandou instalar o serviço solicitado em sua residência.

Golpe

Os débitos indevidos no cartão

Os débitos indevidos no cartão

Ao questionar, com a Oi, os débitos irregulares e a não instalação da internet, os atendentes da companhia disseram à cliente que os dados do cartão de crédito foram repassados para uma outra a empresa, identificada pela operadora do cartão como “Mercado Pago Wish”, que, segundo a telefônica, debitou os valores indevidos.

Nailde conta que procurou a aquisição do serviço de internet pelo telefone 10331, com o protocolo 20151049173432, e foi atendida por funcionárias da Oi que se identificaram como Natália, Naiana e Priscila.

Depois de aberto o BO, Nailde procurou advogados que a aconselharam a abrir um processo contra a operadora OI com pedido de indenização.