Fundação Antônio Dino nega que Hospital Aldenora Bello será fechado

A direção do hospital afirmou que o serviço que está com deficiência financeira é mantido através de verbas do SUS

A Fundação Antonio Dino desmentiu nesta quinta-feira (19) que o Hospital Aldenora Bello estaria com os dias contados para fechar as portas. A direção do hospital afirmou que o serviço que está com deficiência financeira é mantido através de verbas do SUS.

O governador Flávio Dino (PCdoB) manifestou-se sobre o tema por meio de suas redes sociais, após alguns meios de comunicação chegaram a atribuir ao governo o problema financeiro do Hospital.

NOTA

A Fundação Antonio Dino, mantenedora do Hospital do Câncer Aldenora Bello, vem informar à sociedade que nosso Hospital NÃO VAI FECHAR. A direção informou a Secretaria Municipal de Saúde, em 13 de julho, a difícil decisão de suspender as atividades apenas do S.P.A (Serviço de Pronto Atendimento Oncológico), atendimento domiciliar, tratamento da dor e cuidados paliativos, a partir do dia 12 de agosto de 2018, por prazo indeterminado, são serviços iniciados em 2008, com financiamento insuficientes pelo SUS.

Felizmente desde o primeiro momento fomos procurados pelo Governo do Maranhão para evitar a paralisação destes serviços diante do grave quadro financeiro que atingiu a entidade. A proposta inicial do Governo foi destinar os recursos do Fundo Estadual de Combate ao Câncer à Fundação, o que garantiria a continuidade do atendimento à toda sociedade. Todavia, há procedimentos burocráticos necessários à destinação dos recursos, mesmo porque tal dinheiro é gerido por um conselho com representantes de diversas entidades, não apenas por membros do Governo.

A Fundação destaca, ainda, a parceria com o Governo do Maranhão, desde 2015, que permitiu a destinação de repasses financeiros e compra de novos equipamentos, fundamentais à assistência aos nossos pacientes.

São Luís (MA), 19 de Julho de 2019
ANTONIO DINO TAVARES
Vice-Presidente da Fundação Antonio Dino

 

Leia mais: Flávio Dino entregou 154 novas ambulâncias, contra 50 de Roseana Sarney

Leia mais: Entre os candidatos de todo o Brasil, só Flávio Dino e Rui Costa têm mais de 50% nas pesquisas

Sites e redes sociais do Governo do Maranhão ficam suspensos até o final do período eleitoral

As redes sociais e a agência de notícias do Governo do Maranhão voltam a funcionar normalmente, após as eleições de 2018

Em atendimento à Justiça Eleitoral, Lei nº 9.504/1997, a Secretaria de Estado de Comunicação Social e Assuntos Políticos (Secap) informou que as áreas de notícias das páginas de internet de todos os órgãos estaduais, incluindo postagens em redes sociais oficiais e sites de programas específicos, estão interrompidas até o término das eleições.

A suspensão também se aplica a perfis de programas, projetos ou qualquer ação desenvolvida por órgãos estaduais, bem como aos perfis de departamentos, diretorias, setores, coordenadorias regionais e a toda e qualquer subdivisão ou vinculação a órgãos estaduais.

As redes sociais e a agência de notícias do Governo do Maranhão voltam a funcionar normalmente, após as eleições de 2018.

 

Leia mais: Esquadrilha da Fumaça volta a São Luís após seis anos

Leia mais: Resgate na Tailândia: missão é cumprida com sucesso e todos são salvos

São João de Todos 2018 será aberto oficialmente nesta sexta-feira (15)

São 17 dias de apresentações, com os mais de 500 grupos e artistas maranhenses, sete participações especiais e uma programação com mais de mil apresentações. Foto: Handson Chagas/Secap

Bandeirinhas, barracas de comidas típicas, atrações culturais, artesanato e muitas brincadeiras. Tudo pronto para a abertura da temporada oficial do São João de Todos nesta sexta-feira (15), numa realização do Governo do Maranhão e Prefeitura de São Luís. A programação completa está no site da Sectur: www.sectur.ma.gov.br

“São dezenas de arraiais no Maranhão , mais de 500 atrações de grupos culturais do nosso estado, mostrando a pluralidade, a diversidade, a força e a criatividade e inovação da cultura do Maranhão”, diz o governador Flávio Dino, que vistoriou nesta quinta-feira (14) o Arraial do Ipem, no Calhau, um dos locais da festa em São Luís.

“Todos os anos eu faço esse acompanhamento porque para nós é um momento de alegria, mas também de muito trabalho . Trabalho para nossa equipe, trabalho para todos aqueles que fazem a grandiosidade das festas juninas do Maranhão. E também muito trabalho em razão dos milhares de postos de que são gerados em razão dessa importante manifestação cultural”, acrescenta Flávio.

São 17 dias de apresentações, com os mais de 500 grupos e artistas maranhenses, sete participações especiais e uma programação com mais de mil apresentações animando os arraiais com muito bumba meu boi, danças regionais, tambor de crioula, forró e shows musicais.

“Vamos mostrar a força da cultura maranhense, com toda a sua diversidade, ritmos, cores e sabores. Montamos uma estrutura em São Luís e em Imperatriz para festejar com alegria o São João de Todos e também promover essa tradição cultural que gera fluxo de turista e movimenta a economia”, ressalta Diego Galdino, secretário de Estado da Cultura e Turismo.

Os festejos acontecem nos arraiais oficiais do Ipem, Praça Maria Aragão (Centro), Parque Folclórico da Vila Palmeira e Praça Nauro Machado (Centro Histórico).
A partir do dia 22, a festança também estará presente no Ceprama e bairros de Fátima, João Paulo, Vila Embratel, Anjo da Guarda, Cohatrac, Largo de Santo Antônio, João de Deus, Liberdade, Anil e Cidade Operária.

E no final da temporada, há ainda as tradicionais festas de São Marçal (30), no bairro do João Paulo, o Festival de Zabumbas, o Encontro de Miolos de Boi e os encontros de grupos de bumba meu boi da Capela de São Pedro (29), na Madre Deus.
Os espaços vão oferecer ao público uma vasta programação com uma média de seis atrações por noite, entre shows e apresentações de brincadeiras da cultura popular, além de comércio de pratos típicos da gastronomia maranhense e peças do artesanato.

Disputa para o governo do Maranhão já conta com cinco nomes

O nome do engenheiro Odívio Neto foi anunciado como pré-candidato a governador pelo PSOL

A eleição majoritária de 2018 para o governo do Maranhão se encaminha para ter, por enquanto, cinco candidatos.

O nome do engenheiro Odívio Neto foi anunciado como pré-candidato a governador pelo PSOL. A chapa ficou fechada com a indicação da professora Helena como pré-candidata a vice, pelo PCB.

Já estão confirmados o nome do senador Roberto Rocha (PSDB), que teve sua candidatura anunciada em evento com o presença do ex-governador Geraldo Alckmin.

A ex-governadora Roseana Sarney (MDB) também teve seu nome lançado no mês passado. Roseana que nos últimos anos perdeu o apoio de vários partidos, ainda não divulgou o nome de seu vice.

A ex-prefeita de Lago da Pedra, Maura Jorge, já lançou seu nome ao governo do Maranhão ainda no Podemos. Depois de filiada ao PSL, espera a vinda do pré-candidato à Presidência, Jair Bolsonaro, no próximo dia 14, para ter sua pré-candidatura oficializada.

O governador Flávio Dino (PCdoB) também já iniciou sua pré-candidatura com a realização dos ‘Diálogos pelo Maranhão’. Flávio conta com o apoio de 14 partidos e tem a sua chapa fechada com a indicação de Carlos Brandão (PRB) para a vice.

Governador Flávio Dino antecipa 13º para funcionários públicos

O governador Flávio Dino (PCdoB) anunciou nesta sexta-feira (8), em sua conta no Twitter, que antecipará a primeira parcela do 13º do funcionalismo público estadual

Enquanto o Brasil passa por uma das maiores crises econômicas de sua história, o Maranhão se destaca pela sua saúde fiscal e financeira. O governador Flávio Dino (PCdoB) anunciou nesta sexta-feira (8), em sua conta no Twitter, que antecipará a primeira parcela do 13º do funcionalismo público estadual na próxima quinta-feira (14).

 

“Pagaremos a metade do 13º salário dos servidores do Governo do Maranhão, relativo a 2018, no próximo dia 14 de junho.”

 

O mais recente relatório da agência de classificação de risco Moody’s sobre o Maranhão reforça aquilo que vem sendo atestado por diversas fontes e organismos: a saúde fiscal do Estado é sólida e vigorosa. O boletim manteve a manteve o rating (nota) da economia do Maranhão, com perspectiva estável, em Ba3 (escala global, moeda local e estrangeira) e A3.br (escala nacional, moeda local). Isso representa a manutenção da confiança na capacidade de o Estado honrar seus compromissos.

 

O Boletim de Finanças divulgado pelo Tesouro Nacional também mostra que o Maranhão tem saúde fiscal mais sólida do que tinha em 2014. Ou seja, o dinheiro público vem sendo administrado de maneira mais eficiente pela atual gestão.

 

Em 2014, a nota da Capacidade de Pagamento (Capag) do Maranhão era C. Segundo o boletim do Tesouro divulgado na quarta-feira (6), o Maranhão agora tem uma nota B, desempenho que vem se mantendo desde 2015. Segundo a classificação do Tesouro Nacional, as notas A e B indicam boa situação fiscal. Já os conceitos C e D sinalizam o contrário. O Tesouro Nacional é um órgão do Governo Federal.

Governo do Maranhão leva combustível à Baixada e atua com empresários contra crise federal

Veículos no ferry-boat para levar combustível à Baixada

O Governo do Maranhão mantém as operações e comboios para levar combustível a postos de gasolina e serviços essenciais no Estado. Neste domingo (27), um dos focos foi o transporte de caminhões-tanque para a Baixada. Simultaneamente, a região de Imperatriz também tem ações nesse sentido. E a capital continua sendo abastecida.

Os esforços são para reduzir os efeitos da crise federal de combustíveis. O governador Flávio Dino (PCdoB) determinou uma série de ações para manter o abastecimento no Maranhão.

Em relação à Baixada Maranhense, a Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap) transportou gratuitamente caminhões-tanque pelo ferry-boat, com escolta policial. Na tarde deste domingo, foram 15 caminhões embarcados. Estão previstos outros embarques nas próximas horas.

O comandante da Polícia Militar, coronel Jorge Luongo, disse que as operações continuam até a normalidade do abastecimento. “Os caminhões estão tendo acesso à nossa capital para abastecer os postos”, disse.

Entre as ações, foram entregues quatro caminhões-tanque para o aeroporto em São Luís, com 130 mil litros de querosene de aviação, garantindo o funcionamento pelo menos até a próxima sexta-feira.

O Governo do Estado também fez na manhã deste domingo uma reunião com empresários e proprietários de postos de gasolina para unir forças contra a crise federal.

“Recebemos os donos de postos para garantir essa permanência do aparato de segurança para que a população não sofra maiores impactos do que já vem sofrendo”, disse o secretário da Casa Civil, Rodrigo Lago, referindo-se aos caminhões-tanque que têm sido escoltados pela polícia para garantir o abastecimento.

João Rolim, presidente do Sindicado dos Revendedores de Combustíveis do Maranhão (SindCombustíveis), classificou como “extremamente positiva” a operação montada pelo Governo do Estado para abastecer postos de gasolina e serviços essenciais. “Poucos governadores estão fazendo isso. A situação já está bem melhor do que estava”, afirmou.

Maranhão tem o terceiro menor imposto sobre a gasolina em todo o Brasil

Entre os fatores que fazem com que a gasolina seja mais barata no estado, também está a fiscalização realizada pelo Procon

O Maranhão é o Estado que tem a terceira carga tributária mais baixa sobre a gasolina em todo o país. Isso se reflete no preço da gasolina para o consumidor nas bombas, que é o mais barato no território nacional.

A carga tributária – que está diretamente ligada ao ICMS – no Maranhão só não é menor que a de Santa Catarina e São Paulo.

“Nós temos uma carga tributária incidente sobre o combustível menor que a da maioria dos Estados porque temos o menor preço médio e uma alíquota também baixa, na comparação com as demais unidades federativas”, diz o secretário de Estado da Fazenda, Marcellus Ribeiro.

Entre os fatores que fazem com que a gasolina seja mais barata no estado, também está a fiscalização para o combate a fraudes com combustíveis, realizada pelo Instituto de Proteção e Defesa do Cidadão e do Consumidor (Procon/MA) e pelas polícias.

Secretaria de Estado da Saúde esclarece sobre o fim do contrato com o Instituto Gerir

A Secretaria de Saúde lamentou que alguns representantes do Instituto Gerir resolveram reagir com ameaças e chantagens, envolvendo indevidamente uma emissora de TV

A Secretaria de Estado da Saúde informou que resolveu suspender o contrato com o Instituto Gerir, que administrava três hospitais no Maranhão, tendo em vista o descumprimento do contrato por parte da empresa. A medida foi antecedida de sucessivas notificações ao Instituto Gerir, que não estava cumprindo suas obrigações.

Chama atenção que o Instituto Gerir foi a única OS a apresentar incompreensível resistência em submeter-se às melhorias do sistema de prestação de contas de recursos públicos, o que é inaceitável nesta gestão. A suspensão do contrato visou possibilitar a melhoria dos serviços prestados à população, já que o Instituto Gerir falhou nesse objetivo.

A Secretaria de Saúde lamentou que alguns representantes do Instituto Gerir resolveram reagir com ameaças e chantagens, inclusive envolvendo indevidamente uma emissora de TV. Contudo, o governo do Maranhão afirma que não cede a chantagistas nem a qualquer tipo de pressão ilegal, venha de onde vier.

As medidas que foram adotadas pelo Estado visam garantir o melhor atendimento à população e melhores condições de trabalho para os servidores da saúde.

Governo do Maranhão dá suporte a resgatados de embarcação vinda da África

Resgatados estão recebendo atendimento na área de saúde e documentação. (Foto: Carlos Pereira)

Governo do Maranhão montou esquema para assistir os 25 estrangeiros, encontrados por uma embarcação de pescadores do Ceará a 120 km da costa maranhense. As primeiras providências foram tomadas ainda no cais de São José de Ribamar, onde foram realizados atendimentos médicos e servidas refeições e água, com apoio da Empresa Maranhense de Administração Portuária (EMAP), que administra o espaço em parceria com a Prefeitura de Ribamar.

De acordo com relatos dos africanos, a viagem partiu de Cabo Verde em um catamarã em condições precárias, com motor de pouca capacidade e com a intenção de chegar ao Rio de Janeiro e São Paulo. Durante o trajeto, o aparelho de GPS que estava em poder dos tripulantes quebrou. Em seguida o motor da embarcação não suportou a extensão da viagem e logo parou. Por fim, a opção de usar a vela do catamarã foi frustrada quando ela também quebrou. A tripulação permaneceu um total de 35 dias ao mar, após ficar à deriva e ser encontrada por uma embarcação de pescadores.

De acordo com o secretário de Estado dos Direitos Humanos e Participação Popular, Francisco Gonçalves da Conceição, o Governo do Estado está dando o suporte necessário aos estrangeiros. “Nós estamos acompanhando de perto todos os trâmites e investigações da Polícia Federal e Ministério da Justiça. No que compete ao Estado, o Governo do Maranhão assumiu toda a responsabilidade do atendimento humanitário, que é dar direito à saúde, abrigo e alimentação. Todas as providências já foram tomadas quanto a isso”, disse.

A Sedihpop acompanha os indícios de tráfico de pessoas, por causa dos dois brasileiros identificados pela Polícia Federal como ‘coiotes’, que são agentes que conduzem os imigrantes pelas áreas de fronteira ilegalmente, mediante pagamento. “Acompanhamos para garantir a efetividade dos tratados internacionais, estamos obedecendo os tratados internacionais do mesmo modo que nós queremos que os brasileiros sejam tratados em outros países”, comentou o secretário.

Nesta segunda-feira (21), representantes da Polícia Federal estiveram reunidos com os africanos, no Ginásio Costa Rodrigues, em São Luís. A eles foi explicado que o órgão vai dar entrada na solicitação de refúgio para todos. Além disso, vão receber uma documentação que vai servir para a retirada de documentos posteriores como a carteira de trabalho. Todos serão regularizados e poderão trabalhar e exercer os direitos civis aqui no Brasil como estrangeiros. Organizados em grupos de cinco, eles estão sendo ouvidos pela Polícia Federal.