Médico veta participação de Bolsonaro em debate da Globo nesta quinta-feira

Mesmo com o bom estado clínico, a equipe avaliou que ele ainda não pode se submeter ao cansaço de duas horas de debate

O candidato à Presidência do PSL , Jair Bolsonaro, não participará do último debate entre os presidenciáveis nesta quinta-feira, na TV Globo . O deputado passou três semanas internado depois de sofrer um ataque a faca durante ato de campanha em Minas Gerais. Após passar por uma nova avaliação nesta quarta-feira, os médicos do deputado federal afirmaram que contra-indicaram a participação dele. Apesar do bom estado clínico, a equipe avaliou que ele ainda não pode se submeter ao cansaço de duas horas de debate.

“Depois da nossa avaliação clínica, nós contra-indicamos participação em debates ou em qualquer atividade que pudesse cansá-lo ou obrigá-lo a falar por mais de dez minutos”, disse o cirurgião Antonio Luiz Macedo. Chefe da equipe que cuidou de Bolsonaro no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, ele viajou ao Rio somente para consultar Bolsonaro.

O cirurgião justificou que a recomendação para não ir ao debate deve-se ao fato do candidato do PSL ter passado por duas cirurgias de grande porte. A primeira foi realizada logo após o ataque, no dia 6 de setembro. A outra, de emergência, ocorreu sete dias depois, no Einstein, em São Paulo, para corrigir uma obstrução intestinal grave.

“Ele ainda não tem condições de ficar por mais de dez, quinze minutos em discussão ou em alguma atividade que exija esforço físico. Isso pode prejudicar a evolução dele”, justificou o médico, que falou à imprensa na porta do condomínio onde Bolsonaro vive na Barra da Tijuca.

Bolsonaro vinha afirmado que gostaria de participar do debate, mas o médico descartou a hipótese do candidato de não cumprir a determinação.

A previsão é que Bolsonaro seja liberado para suas primeiras atividade entre sete e dez dias. Esse é o prazo final para a recuperação.

“Mais sete a dez dias ele estará completamente recuperado, mas hoje ainda ele fica muito cansado quando se esforça muito. Ele não está pronto pra ficar uma ou duas horas sentado discutindo”, observou.

Macedo saiu de São Paulo, acompanhado do cardiologista Leandro Echenique, para consultar o candidato em casa. Os médicos chegaram ao condomínio onde vive o presidenciável pouco antes das 10h. Na consulta de cerca de uma hora, os médicos fizeram um exame clínico e avaliaram os exames laboratoriais.

Bolsonaro teve alta no último sábado, dia 29 de setembro. O candidato se recupera em casa e tem o acompanhamento de uma enfermeira da equipe do Einstein, além de seguir com a rotina de fisioterapia e dieta leve.

Bolsonaro recebe alta e deixa hospital em São Paulo

Bolsonaro embarca no avião rumo ao Rio de Janeiro — Foto: Graziela Azevedo/TV Globo

G1

O candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL) recebeu alta às 10h deste sábado (29), segundo boletim médico divulgado às 14h. Ele estava internado no Hospital Israelita Albert Einstein, na Zona Sul de São Paulo, desde 7 de setembro, um dia após sofrer uma facada no abdômen durante ato de campanha e passar por cirurgia em Juiz de Fora (MG). Ele precisou passar por duas cirurgias desde então.

Segundo o presidente do PSL, Gustavo Bebbiano, Bolsonaro está “plenamente recuperado”. De acordo com o presidente da sigla, ele surpreendeu a todos os médicos, mas não tem condições de fazer campanha nas ruas.

“Ainda há uma fragilidade física que pode causar um retrocesso nessa recuperação, não haverá corpo a corpo. Campanha de rua ele está impossibilitado de fazer”, disse Bebbiano em frente ao hospital.

Pouco antes, Major Olímpio, candidato do PSL ao Senado, afirmou que no final da manhã, os médicos já haviam passado todas as prescrições médicas e que ele só aguardava o horário do voo, às 15h40 no Aeroporto de Congonhas, para o Rio de Janeiro. “Está eufórico, brincalhão, muito feliz de ir para casa”, disse o major.

Bolsonaro teve o cateter usado para administrar medicação retirado na quarta-feira (28). No local havia pequeno foco de infecção bacteriana. Como precaução os médicos decidiram manter a medicação por antibiótico na veia por mais um ou dois dias.

Nesta sexta-feira (28), Bolsonaro postou uma foto em sua conta no Instagram fazendo a barba no banheiro do quarto onde está internado no hospital. “Me preparando para voltar à ativa”, escreveu.

Após diagnóstico de infecção, Bolsonaro não terá alta nesta sexta

Conforme apurou o Estado junto à direção do PSL, a infecção é bacteriana e foi diagnosticada no momento da retirada do cateter

Estadão

Após nova infecção, o candidato do PSL ao Palácio do Planalto, Jair Bolsonaro, teve de adiar os planos de sair do hospital na próxima sexta-feira (28/9). De acordo com pessoas próximas ao presidenciável, o quadro foi constatado após a retirada do cateter nessa quarta-feira (26). A informação foi antecipada pelo site BR18, do Grupo Estado.

Bolsonaro está internado no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo (SP), desde o dia 7 de setembro, após ter sido esfaqueado em Juiz de Fora (MG) no último dia 6. Conforme apurou o Estado junto à direção do PSL, a infecção é bacteriana e foi diagnosticada no momento da retirada do cateter.

O boletim médico divulgado nesta quinta-feira (27) não abordou a questão. O Estado informou ainda que a avaliação clínica repassada à equipe de Bolsonaro é de que o quadro não apresenta nenhum tipo de risco e que o candidato poderia sair neste domingo (30).

Esfaqueado pelo pedreiro Adélio Bispo de Oliveira, o deputado federal precisou ser operado na cidade mineira. Na manhã seguinte, o parlamentar foi transferido para o Albert Einstein. A previsão inicial era de que Bolsonaro só retomaria as atividades no final deste mês.

Ciro Gomes passa por procedimento na próstata em São Paulo

Antes de dar entrada no Sírio-Libanês, o pedetista cumpriu agenda de campanha em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, na manhã desta terça

O candidato do PDT à Presidência da República, Ciro Gomes, se sentiu mal na tarde desta terça-feira, 25, e passou por exames e um procedimento na próstata no hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.

Segundo nota divulgada pela assessoria de imprensa de Ciro, o tratamento é uma “cauterização de vasos da próstata” e “foi realizado com sucesso pelo médico urologista Miguel Srougi”. “Por ser um procedimento simples, Ciro Gomes poderá retornar às suas atividades o mais breve possível”.

Antes de dar entrada no Sírio-Libanês, o pedetista cumpriu agenda de campanha em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, na manhã desta terça. Nos últimos quatro dias, o candidato teve compromissos de campanha no Distrito Federal e em nove estados: Rio de Janeiro, São Paulo, Goiás, Minas Gerais, Bahia, Rio Grande do Norte, Piauí, Maranhão e Pernambuco.

Ciro Gomes é o terceiro colocado nas pesquisas eleitorais. Segundo o mais recente levantamento do Ibope, divulgado nesta segunda-feira, 24, o pedetista aparece com 11% das intenções de voto, mesmo número que nas duas pesquisas anteriores. Ciro tem feito campanha se apresentando como alternativa a Fernando Haddad (PT) no campo da centro-esquerda para um segundo turno contra o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, que lidera as pesquisas de intenção de voto, seguido pelo petista.

Sem dor e febre, Bolsonaro começa dieta branda

Jair Bolsonaro faz caminhada em hospital – Jair Bolsonaro/Redes Sociais

O candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro, do PSL, internado no Hospital Israelita Albert Einstein, na capital paulista, desde o último dia 7, começou hoje uma “dieta branda”, o que significa uma evolução em relação à dieta leve que estava recebendo, com boa aceitação, segundo boletim médico divulgado nesta tarde (24). Ele teve alta da unidade de terapia semi-intensiva no último sábado (22) e permanece em quarto no hospital.

Bolsonaro permanece sem dor, sem febre nem sinais de infecção e sem disfunções orgânicas. Segundo o hospital, os exames laboratoriais estão estáveis. Ele tem boa evolução clínica e foram mantidas medidas de prevenção de trombose, além de exercícios respiratórios, de fortalecimento muscular e períodos de caminhada fora do quarto.

Bolsonaro recebeu uma facada durante ato de campanha no último dia 6, em Juiz de Fora (MG). Após ter sido atendido na Santa Casa da cidade, onde chegou a passar por uma cirurgia, ele foi transferido, a pedido da família, para o Hospital Albert Einstein, na capital paulista, na manhã do dia 7.

Bolsonaro diz que sua equipe está ‘comprometida com interesses da nação e não com indicações’ políticas

Jair Bolsonaro recebeu a visita do seu conselheiro econômico, Paulo Guedes, no Hospital Albert Einstein, em São Paulo

G1

O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, disse nas redes sociais nesta segunda-feira (24) que sua equipe está “comprometida com interesses da nação e não com indicações de lideranças de partidos políticos”.

O presidenciável está internado no Hospital Israelita Albert Einstein, na Zona Sul de São Paulo, desde 7 de setembro, um dia após sofrer uma facada em um ato de campanha em Juiz de Fora (MG).

“Antes de qualquer resultado, temos encontrado nomes qualificados para compor nosso time. Na prática, é a garantia de uma equipe comprometida com interesses da nação e não com indicações de lideranças de partidos políticos, o que tem mantido o Brasil na lama nos últimos governos”, escreveu Bolsonaro.

De acordo com boletim divulgado pelo centro médico na tarde desta segunda-feira (24), Bolsonaro tem boa aceitação à “dieta leve” que começou no domingo e mantém “boa evolução clínica”.

O hopital afirma que “o paciente evolui com melhora clínica progressiva” e que ele segue “com recuperação dos movimentos intestinais, recebendo dieta pastosa em associação à nutrição parenteral”. ”

O boletim também destaca que os exames laboratoriais de Bolsonaro estão “estáveis” e que não há “disfunções orgânicas”. Além disso, afirma que ele “permanece sem dor, sem febre ou outros sinais de infecção”.

Campanha virtual

No fim da noite de domingo, o presidenciável compartilhou texto analítico sobre sua candidatura, e comentou que os incentivos à cultura permanecerão, “mas para artistas talentosos, que estão iniciando suas carreiras e não possuem estrutura”.

“O que acabará são os milhões do dinheiro público financiando ‘famosos’ sob falso argumento de incentivo cultural, mas que só compram apoio! Isso terá fim!”, afirmou no Twitter.

‘Haddad eleito daria indulto a Lula’, diz Bolsonaro

Do hospital, Bolsonaro faz tramissão ao vivo em rede social Foto: Reprodução/Facebook

O candidato Jair Bolsonaro (PSL), internado desde o dia 7 de setembro no Hospital Israelita Albert Einstein, na zona sul de São Paulo, afirmou neste domingo, 16, em uma live, ao vivo direto de seu quarto, em sua página no Facebook, que caso o candidato do PT à presidência, Fernando Haddad, vença as eleições 2018, terá como primeiro ato de governo dar indulto ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso em Curitiba, para depois nomeá-lo Chefe da Casa Civil.

Emocionado, com a voz embargada e com a aparência debilitada, Bolsonaro estava deitado em sua cama e a transmissão foi feita por um dos seus filhos, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). “O Haddad eleito presidente, ele já falou isso, e se não falou vocês sabem, assina no mesmo minuto da posse o indulto de Lula, e no minuto seguinte nomeia chefe da Casa Civil”, afirmou Bolsonaro. “O que está em jogo não é o meu futuro, mas o dos brasileiros e até de quem vota no PT”, diz Bolsonaro em uma live de hospital

Bolsonaro disse que o que está em jogo não é o seu futuro, mas o dos brasileiros e “até de quem vota no PT”. Com lágrimas nos olhos e acamado, Bolsonaro disse que dá graças a Deus por ter chegado até onde chegou e citou o partido de Haddad. “Eu vejo petista mudando de lado”, disse. “Isso é o jogo do poder, é o domínio de uma nação”, afirmou.

Bolsonaro insinuou que se Lula não tentou uma fuga do presídio “é porque tem um plano B”. “Eu não consigo pensar em outra coisa, senão um plano B”, afirmou, mas não entrando em detalhes de qual seria esse plano.

O candidato disse também que há “risco de fraude nas eleições”, e levantou suspeitas de que isso aconteceria para beneficiar o PT. Bolsonaro levantou suspeitas sobre o voto eletrônico e afirmou que “a possibilidade de fraude é concreta”. “A preocupação não é perder no voto. É perder na fraude”, afirmou.

Sobre o ataque, ele afirmou que pensava que tinha recebido um soco, antes de entender o que havia acontecido em Juiz de Fora, no interior de Minas Gerais, quando foi atingido por uma facada do pedreiro Adélio Bispo de Oliveira. “No primeiro momento achava que tinha sido um soco e o tempo foi passando e vimos que tinha sido mais grave”, afirmou Bolsonaro.

Bolsonaro também agradeceu o carinho e a confiança de seus eleitores de Juiz de Fora. “Um abraço especial a minha querida Juiz de Fora, onde fui muito bem atendido na Santa Casa, sabemos do trabalho maravilhoso que estas santas casas fazem pelo Brasil. Vocês salvaram a minha vida”, disse. O candidato também agradeceu a equipe da Polícia Federal que faz a sua segurança pela “presteza” que o conduziram até o hospital no dia do crime.

No início da tarde, o Hospital Albert Einstein enviou nova nota à imprensa sobre o quadro de saúde do candidato à presidência. De acordo com o hospital, ele “permanece internado na Unidade SemiIntensiva. O quadro clínico do paciente segue estável e sem intercorrências. Continua em jejum oral, recebendo por via endovenosa todos os nutrientes necessários para sua recuperação. Permanece sem febre ou outros sinais de infecção e sem disfunções orgânicas”.

O candidato afirmou que foi autorizado pela equipe médica do hospital a fazer a gravação ao vivo. “Apesar de ainda bastante debilitado, reúno forças que vem de vocês. Creio que esse breve pronunciamento pode trazer notícias e apreensões que tenho para o futuro do nosso Brasil.- Grato pelo apoio, consideração, orações e confiança! Brasil Acima de Tudo! Deus Acima de Todos!”, escreveu, em sua página do Facebook.

Ao falar após sair da UTI, Bolsonaro coloca em xeque lisura das eleições

O presidenciável passou a contestar os rumos das eleições, as quais ele considera que podem ser fraudadas

O candidato à presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) colocou em xeque a lisura das eleições de outubro em seu primeiro pronunciamento desde que passou pela segunda cirurgia abdominal, em consequência do atentado a faca sofrido em Juiz de Fora em 6 de setembro. O capitão reformado do Exército e líder nas pesquisas falou num suposto risco “concreto” de fraude e criticou, ainda, uma eventual vitória de Fernando Haddad (PT), afirmando que o candidato petista concederia um indulto ao ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva e o nomearia ministro da Casa Civil tão logo assumisse o mandato.

Visivelmente debilitado em alguns momentos, Bolsonaro chorou assim que a câmera focalizou seu rosto na cama do hospital. Em seguida, agradeceu e elogiou os trabalhos das equipes médicas da Santa Casa de Juiz de Fora, de Minas Gerais, e do hospital Albert Einstein. ”Vocês salvaram a minha vida”, disse.

Na sequência, o presidenciável passou a contestar os rumos das eleições, as quais ele considera que podem ser fraudadas. ”Se essa fraude acontecer, acabou a democracia”, disparou. Ele reeditou também suas críticas habituais ao Supremo Tribunal Federal (STF) por ter acolhido uma ação da Procuradora-Geral da República, Raquel Dodge, contra o voto impresso. ”Lamento que a frase de maior força da senhora Raquel Dodge tenha sido a de que o voto impresso comprometeria a segurança das eleições”, disse. ”Não temos qualquer garantia nessas eleições”, complementou o candidato do PSL, insistindo em suas críticas às urnas eletrônicas e colocando em xeque de antemão o resultado do segundo turno.

Além disso, Bolsonaro ironizou as pesquisas de intenção de votos do instituto Datafolha. ”A última narrativa é a de que perderemos no segundo turno para qualquer um”, disse. ”Nossa preocupação não é perder no voto, é perder na fraude”, acrescentou. Por fim, o presidenciável disse que espera receber alta em uma semana, ”para conversar com vocês (eleitores) durante o horário eleitoral”. Ao fim dos dezessete minutos de live no Facebook, Bolsonaro ficou com olhos marejados de novo enquanto sua cabeça era acariciada pela esposa.

Bolsonaro volta para a UTI e reage bem após nova cirurgia, diz hospital

De acordo com novo boletim médico,divulgado pelo hospital nesta manhã, o candidato “evoluiu bem” após a cirurgia, feita na noite de quarta-feira, 12

O candidato do PSL à Presidência da República nas eleições 2018, Jair Bolsonaro, voltou à Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Albert Einstein nesta quinta-feira, 13, depois de passar por uma nova cirurgia de emergência em razão de uma obstrução intestinal.

De acordo com novo boletim médico,divulgado pelo hospital nesta manhã, o candidato “evoluiu bem” após a cirurgia, feita na noite de quarta-feira, 12. Além disso, segundo os médicos, “constatou-se um extravasamento de secreção entérica (secreção intestinal). A limpeza abdominal foi realizada como feito rotineiramente. O procedimento teve duração de duas horas.”

O hospital explicou que, após apresentar um quadro de inchaço na região abdominal, uma tomografia computadorizada confirmou o diagnóstico de obstrução intestinal.

“O paciente foi levado para a cirurgia de urgência onde foram desfeitas as aderências do intestino e liberado o ponto de obstrução. Além disso, constatou-se um extravasamento de secreção entérica (secreção intestinal) a montante do ponto de obstrução em uma das suturas realizadas anteriormente para correção dos ferimentos intestinais”, diz o boletim. “Em grandes traumas abdominais esta complicação é mais frequente do que em cirurgias programadas.”

Bolsonaro está internado desde a última sexta em São Paulo. No dia 6, o candidato foi esfaqueado durante um ato de campanha em Juiz de Fora, e teve perfurações no intestino grosso e no intestino delgado.

‘Noite delicada, mas 100% contornada’, diz filho

Um dos filhos do candidato, Carlos Bolsonaro, disse nesta madrugada que o militar da reserva passou uma noite “delicada”, mas que a situação foi contornada. “Médicos, enfermeiros, fisioterapeutas e técnicos de enfermagem; estou vendo de perto o trabalho dessas pessoas desde o início e só temos a agradecer. Noite delicada, mas 100% contornada”, escreveu Carlos no Twitter. “O velho é forte como um cavalo, não é a toa que seu apelido de Exército é ‘cavalão’.”

Leia na íntegra o boletim médico sobre o estado de saúde de Bolsonaro divulgado nesta quinta:

“O candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro, foi readmitido na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) na madrugada de hoje.

Durante o dia de ontem o paciente apresentou distensão abdominal progressiva sugerindo o diagnóstico de obstrução intestinal. Este diagnóstico foi confirmado por tomografia computadorizada realizada durante a tarde.

Com este diagnóstico, o paciente foi levado para a cirurgia de urgência onde foram desfeitas as aderências do intestino e liberado o ponto de obstrução. Além disso, constatou-se um extravasamento de secreção entérica (secreção intestinal) a montante do ponto de obstrução em uma das suturas realizadas anteriormente para correção dos ferimentos intestinais. Em grandes traumas abdominais esta complicação é mais frequente do que em cirurgias programadas.

A limpeza abdominal foi realizada como feito rotineiramente. O procedimento teve duração de duas horas. O paciente evoluiu bem após a cirurgia, sem intercorrências e encontra-se na Unidade de Terapia Intensiva.”