Prefeito Edivaldo e superintendente do Iphan vistoriam obras da Praça Pantheon

No novo projeto, a configuração da Praça Pantheon foi reformulada e, a partir da escadaria da Biblioteca Pública Benedito Leite, foi criado um espaço que unifica as duas praças.

Na manhã desta terça-feira (24), o prefeito Edivaldo e o superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) no Maranhão, Maurício Itapary, vistoriaram as obras de revitalização da Praça do Pantheon, que integra o Complexo Deodoro. Executados pelo órgão federal em parceria com a Prefeitura de São Luís, os serviços compreendem a requalificação da área que deve se tornar novo cartão postal da capital. A obra do complexo, que inclui o conjunto urbano formado pelas Praças Deodoro e Pantheon, as Alamedas Silva Maia e Gomes de Castro e a Rua Grande, está inserida nas ações do PAC Cidades Históricas.

No novo projeto, a configuração da Praça Pantheon foi reformulada e, a partir da escadaria da Biblioteca Pública Benedito Leite, foi criado um espaço que unifica as duas praças, Pantheon e Deodoro, ampliando a área de domínio do pedestre. Na área, já foram executados serviços de drenagem superficial e instalação da tubulação para nova iluminação da praça. A obra se encontra em fase de pavimentação em piso de concreto lapidado e granito serrado.

As próximas etapas incluem a instalação do mobiliário urbano, com bancos das pedras de lioz existentes no local, lixeiras e novos pedestais para os bustos que retornarão à praça em local de destaque. Para o espaço, está sendo proposta também uma nova configuração da iluminação pública, com a utilização de luminárias mais eficientes. A nova área possibilitará, ainda, a implantação de serviços necessários para atender a demanda dos usuários, como banheiros públicos.

A previsão é entregar a obra durante as festividades de aniversário da cidade, em setembro. O superintendente do Iphan no Maranhão, Maurício Itapary, destacou o apoio que o poder público tem oferecido ao órgão. Também acompanharam a vistoria os secretários municipais Antonio Araújo (Obras e Serviços Públicos), Mádison Leonardo Andrade (Urbanismo e Habitação) e Conceição Castro (Comunicação); o subprefeito do Centro Histórico de São Luís, Fábio Henrique Carvalho; o presidente da Fundação Municipal do Patrimônio Histórico (Fumph), Aquiles Andrade; o presidente do Instituto Municipal da Paisagem Urbana (Impur), Luiz Carlos Borralho.

Todo o trabalho de manutenção arbórea da área está sendo realizado pelo Instituto Municipal da Paisagem Urbana (Impur). Os serviços incluem poda das árvores, além do plantio e do replantio de espécies para favorecer o paisagismo do espaço.

Forte de Santo Antônio fortalece roteiro turístico de São Luís

Toda a área do entorno foi recuperada, ampliando o potencial turístico do espaço que integra o complexo do Espigão Costeiro e conta ainda com o Memorial Bandeira Tribuzzi.

Um marco histórico maranhense do período de resistência portuguesa às invasões estrangeiras, o Forte de Santo Antônio da Barra, localizado na Península da Ponta D’areia, foi totalmente revitalizado pelo Governo do Maranhão, em parceria com a Prefeitura de São Luís e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Dos 22 canhões originários da França e instalados no século XIX, 13 foram recolocados na muralha por onde os defensores avistavam o inimigo. O Forte ganhou áreas de exposição, livraria, cafeteria e auditório.

Toda a área do entorno foi recuperada, ampliando o potencial turístico do espaço que integra o complexo do Espigão Costeiro e conta ainda com o Memorial Bandeira Tribuzzi.

Funcionando como um centro cultural, o Forte Santo Antônio conta com o Museu de Embarcações tradicionais maranhenses, um memorial sobre a história do Forte e o museu da Imagem e Som.

O espaço fica aberto de terça a sexta-feira, das 10h às 20h, e sábados e domingos, das 10h às 19h.

Em nota, prefeitura nega informação de que São Luís tenha perdido o título de Patrimônio Histórico

A Fundação Municipal de Patrimônio Histórico (Fumph) informa que é falsa a informação de que a cidade de São Luís teria perdido o título de Patrimônio Histórico da Humanidade. A Fundação esclarece que tais decisões seguem um protocolo característico e que nenhuma determinação neste sentido foi comunicada nem à Prefeitura de São Luís, nem ao Instituto do Patrimônio Artístico Nacional (Iphan), órgão responsável pela proteção do patrimônio no Brasil.

A Fumph reforça, por fim, que a capital maranhense mantém o título e que vem sendo desenvolvidas diversas iniciativas para garantir a preservação do patrimônio, inclusive com reunião realizada esta semana com a presidente do Iphan, Kátia Bogéa, para tratar de obras de melhorias na área tombada.