Assembleia concede Título de Cidadão ao médico João Furtado

Solenidade reuniu autoridades, amigos e familiares do homenageado

A Assembleia Legislativa concedeu Título de Cidadão Maranhense ao médico João Furtado de Araújo, em sessão solene realizada nesta sexta-feira (1). O reconhecimento foi proposto pelo deputado estadual Othelino Neto (PCdoB), presidente em exercício da Casa, e aprovado por unanimidade pelos demais parlamentares. A solenidade reuniu familiares e amigos do homenageado, que prestigiaram a entrega dessa importante comenda ao médico.

João Furtado é médico, natural de Teresina, no Piauí. Filho de maranhenses, hoje coordena os serviços de cirurgia vascular dos hospitais Djalma Marques (Socorrão I) e Clementino Moura (Socorrão II). O deputado Othelino Neto destacou a trajetória do médico.

“O doutor João Furtado nasceu em Teresina, mas está aqui desde bebê. Foi criado na cidade de Duque Bacelar, saiu do estado apenas para fazer o curso de medicina, depois voltou para cá, onde constituiu família e trabalha há vários anos. Tem toda uma vida dedicada a cuidar da saúde das pessoas, por isso, reconhece-lo como cidadão maranhense é uma forma de justiça”, assinalou o presidente em exercício.

O deputado César Pires (PEN) presidiu a sessão e o deputado Glalbert Cutrim (PDT) fez questão de acompanhar a homenagem. “Hoje estou aqui prestigiando a história da família, minha amizade com eles e, sobretudo, o talento grandioso desse homem público, que é João Furtado. Um profissional do mais alto nível, que agora é um maranhense de direito e de fato”, afirmou o deputado César Pires.

“O João é um grande médico, que vem contribuindo para a saúde do povo do Maranhão. A gente ficar feliz em dar esse reconhecimento a ele. O deputado Othelino foi muito feliz em poder conceder a ele o Título de Cidadão Maranhense. É uma maneira justa de reconhecer o trabalho que ele tem feito pelo povo do Maranhão”, completou o deputado Glalbert Cutrim.

João Furtado agradeceu o reconhecimento e reafirmou seu compromisso e paixão pelo Maranhão. “Depois de 12 anos, não me imagino fora do Maranhão. Trabalho em muitos hospitais, tanto públicos quanto privados, e é uma honra servir a essa terra”, declarou o médico.