Júri do assassinato do ex-prefeito de Buriti Bravo transferido para São Luís…

Também ex-prefeito, Wellington Coelho, já falecido, foi apontado como o mentor do crime que chocou o Maranhão em 2005

O julgamento do principal acusado na morte do ex-prefeito de Buriti Bravo, Wytamar Costa Silva,  foi transferido da Comarca de Buriti Bravo para São Luís. O pedido foi formulado pela promotora de Justiça, Paula Gama Cortez.

A pedido do Ministério Público do Maranhão, o Tribunal de Justiça do Maranhão determinou o desaforamento da sessão de julgamento de Wytamar Costa Silva, acusado da morte de João Henrique Borges Leocádio, ocorrida em 2005, à época prefeito de Buriti Bravo.

Os desembargadores – que apreciaram o requerimento – votaram por unanimidade pelo desaforamento. O relator foi o desembargador Antonio Fernando Bayma Junior.

De acordo com a promotora de Justiça, Paula Gama Cortez, o crime, que teve motivações políticas, ainda hoje repercute na cidade, causando discussões acirradas e despertando animosidades. Por esses motivos, o julgamento pode suscitar tumultos e, para a representante do MP, não há, no momento, nenhum local completamente seguro na cidade para a realização da sessão.

Na solicitação, Paula Gama Cortez alertou que o reforço do policiamento não seria suficiente para garantir a ordem pública em Buriti Bravo, cidade de 22 mil habitantes, e proporcionar um júri imparcial, seguro e livre de interferências externas.

Homicídio

Já falecido, o ex-prefeito Wellington de Jesus Fonseca foi acusado de ser o mandante do assassinato de João Leocádio. O autor intelectual do crime era líder político da região e opositor da vítima.