Marco Aurélio detona críticas da oposição: “desespero”

Ele criticou o fato da oposição sarneysista querer criminalizar tudo, até mesmo coisas que são absolutamente legais

O deputado estadual Marco Aurélio (PCdoB) foi direto ao ponto após críticas, completamente, absurdas da deputada Andréa Murad sobre a presença de servidores na Conferência Estadual do PCdoB, na última sexta-feira (20). “Talvez o maior desespero deles, ao ver a grandiosa conferência do PCdoB, as milhares de pessoas lá, foi ver partidos que historicamente marcharam com eles e agora já disseram ‘não’, porque agora vão com Flávio Dino para a reeleição”, destacou o parlamentar.

Em seu pronunciamento na Assembleia Legislativa rebatendo o discurso tresloucado de Andrea, Marco Aurélio citou os casos do PR e PRB, que até pouco tempo estavam no campo oligárquico e que escolheram marchar em Flávio Dino em 2018.

“Isso dá um desespero danado. Vão procurar achar algum defeito. Faça um exame de consciência, oposição. O grupo da oligarquia de fato, de direito, está perdendo. Está perdendo, primeiro, pela ineficiência, pelo que deixaram de fazer. Em segundo lugar, pela liderança do Governador Flávio Dino. Em terceiro lugar, o povo não quer mais voltar mais ao atraso. O povo quer dias melhores e, assim, terá”, enfatizou.

Marco Aurélio desmontou o discurso de Andrea Murad, que criticou o fato de na Conferência haver vários servidores públicos. “O evento não era expediente de trabalho, o evento era à noite, logo todos podiam ir: cargo comissionado ou não, efetivos ou não, ali tinham milhares, centenas de professores, por exemplo, com cargos efetivos e estavam lá por livre espontânea vontade. Quem estava lá estava por livre e espontânea vontade”, defendeu.

Ele criticou o fato da oposição sarneysista querer criminalizar tudo, até mesmo coisas que são absolutamente legais. “Eles vão porque acreditam no Governo para que eles estão trabalhando. Eles acreditam de fato. Eles não estão ali por acaso. Eles acreditam de fato que o Governador Flávio Dino está fazendo um trabalho revolucionário e que esse grupo que antes dominou e tanto massacrou o Maranhão não volta nunca mais”, explicou Marco Aurélio.

Para membros da oligarquia que detonou o estado durante 50 anos, realmente é difícil entender que as pessoas trabalhando, com amor, por um projeto que está transformando o Maranhão. É por isso que estrebucham tanto!

Deputado “empareda” Andrea Murad e desafia ex-secretário de Saúde…

Marco Aurélio disse que deputada teve campanha bancada por fornecedores da Saúde e que Ricardo Murad está sob investigação. Andrea desafiou professor a convocar ex-secretário  para se defender.

Em um embate sobre Saúde Pública, o deputado estadual Marco Aurélio (PCdoB) emparedou, na segunda (06) e nesta terça-feira (07), a líder da Oposição, Andrea Murad (PMDB). Depois que a mesma tentou levantar polêmica em torno do processo de compra do medicamento Temozolomida pelo Estado, a mesma passou a atacar a pessoa e a imagem do governo com palavras agressivas, de uma forma bem destemperada, e terminou levando, pelo menos, duas enquadradas fortes do parlamentar num duelo que dominou as duas primeiras sessões desta semana na Assembleia Legislativa do Maranhão.

Na sessão de segunda, Marco Aurélio disse, com todas as letras, que a campanha de Andrea Murad fora bancada, em 2014, por fornecedores da Saúde e que o ex-secretário Ricardo Murad enfrenta investigação por desvios de mais de R$ um bilhão. A deputada não gostou e, nesta terça-feira (07), voltou à tribuna “fervendo” para descontar no colega a quem chamou de “analfabeto” abaixo. O nível baixou mesmo e a parlamentar se mostrou destemperada ao fato do nome do pai ter sido citado, de forma negativa, no plenário.

Andrea desafiou Marco Aurélio a convocar Ricardo Murad no plenário para responder por sua gestão na Saúde. Mas o deputado disse, em tons bem claros, que não é a Assembleia que precisa convocá-lo, pois ele não é mais deputado, autoridade e nem mais secretário de Estado; e sim a Polícia para que possa dar as devidas explicações sobre uma série de denúncias contra ele e sua administração que estão sendo investigadas.

“Eu vou novamente reafirmar, pela milésima vez aqui, nesta Assembleia. Qualquer deputado que falar de qualquer familiar meu, e isso vai de minhas irmãs, minha mãe a meu pai, não ficará sem resposta. Se quiser falar do meu pai, tenha a coragem e seja homem para chamá-lo aqui para se defender”, disse uma destemperada  e raivosa Andrea em tom bastante autoritário.

Descontrole e feridas

Marco Aurélio comentou que o descontrole de Andrea é muito claro  quando alguém toca nas “feridas que não têm como cicatrizar”, sobretudo as que tiraram diretamente direitos e até vida de pessoas. Segundo ele,  há investigação de desvios no valor de mais de um bilhão de reais de conhecimento de toda a população maranhense.

“Eu não vou chamá-lo aqui não, pois cabe à polícia chamá-lo. Eu não vou chamá-lo. Qual é a autoridade que ele tem hoje para que eu o convoque? Qual é a representatividade que ele tem? Ele é secretário? Ele é deputado? Não é. Para que vou chamá-lo? Quem vai chamá-lo é a polícia, quem vai chamá-lo é a Justiça. Se ele conseguir provar que é inocente, está provado…”, desafiou Marco Aurélio.

Ao criticar o destempero e exageros de Andrea Murad que surtou, ou melhor mentiu mesmo,  ao dizer que o governador Flávio Dino (PCdoB) estaria fazendo farras com bebidas no Palácio os Leões ou investigado pela operação Lava Jato,  o deputado a enquadrou, lembrando-a que ela teve a campanha, grande parte, bancada pelos próprios fornecedores da Secretaria Estadual de Saúde.

“Está lá e pode olhar as prestações de contas de quem foram os financiadores, grande parte dos fornecedores, e isso já foi discutido aqui nesta Casa. O pagamento era feito, doações eram feitas, isso que é ridículo”, afirmou Marco Aurélio.

Deputados pedem informações sobre o Conselhão…

Marco Aurélio quer saber do Conselhão no governo Roseana

Marco Aurélio quer saber do Conselhão no governo Roseana

Já Adriano Sarney quer saber sobre o Conselhão no governo Flávio Dino

Já Adriano Sarney quer saber sobre o Conselhão no governo Flávio Dino

Deputados da Oposição e do Governo solicitaram, ao mesmo tempo, informações sobre o  Conselho de Gestão Estratégica das Políticas Públicas do Governo (Congep), que ficou conhecido como “Conselhão”. Adriano Sarney (PV) e o vice-líder governista, Marco Aurélio (PCdoB), querem saber detalhes dessas reuniões em diferentes anos e circunstâncias.

Adriano Sarney quer informações sobre as reuniões do Conselhão neste ano de 2015, durante o governo Flávio Dino (PCdoB). Enquanto que Marco Aurélio quer saber sobre o Congep, nos anos de 2013 e 2014, durante o governo Roseana Sarney, gerando uma verdadeira “cana de braço” entre Governo e Oposição.

Os dois requerimentos foram aprovados pelo plenário da Assembleia Legislativa, nesta terça-feira (10), e seguem para o governo que deve providenciar as informações solicitadas. As respostas devem provocar mais debates no Parlamento sobre o Conselhão.

O neto de Sarney disse querer ver, inclusive, as atas das reunião do Conselhão neste governo. Marco Aurélio não ficou por menos e também quer uma verdadeira devassa do Congep durante o governo Roseana Sarney.

Um dos pontos polêmicos sobre o chamado Conselhão é, justamente, o jeton de R$ 5,8 mil, contestado pelas oposições nos dois governos.