Datafolha mostra Lula com 30%, Bolsonaro com 17% e Marina com 10%

Lula aparece com 30% das intenções de voto e, quando sai do cenário, o percentual de eleitores sem candidato atinge 33%

Nova pesquisa Datafolha, realizada na semana passada e divulgada neste domingo (10), mostra que adversários do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na disputa presidencial ainda não conquistaram a preferência dos eleitores. Lula aparece com 30% das intenções de voto e, quando sai do cenário, o percentual de eleitores sem candidato atinge 33%.

Com o líder petista na disputa, o deputado Jair Bolsonaro (PSL-RJ) fica com o segundo lugar, com 17% da preferência, e a ex-senadora Marina Silva (Rede) aparece com 10% das intenções de voto. Sem Lula, Bolsonaro sobre para 19% e Marina, para 15% da preferência dos eleitores. Bolsonaro, que apoiou o início da recente greve dos caminhoneiros, lidera todos os cenários sem a participação do ex-presidente, sempre com 19%. Já Marina se mantém em segundo lugar, com percentuais entre 14% e 15% da preferência.

Lula está há dois meses preso em Curitiba, onde cumpre pena por corrupção e lavagem de dinheiro, e deve ser impedido de concorrer pela Justiça Eleitoral. O líder petista tem o segundo maior percentual de rejeição (36%), só perdendo para Fernando Collor de Mello (PTC), que tem 39%.

Vistos como possíveis substitutos do ex-presidente na disputa pela presidência, o ex-prefeito Fernando Haddad (SP) e o ex-governador Jaques Wagner (BA), têm apenas 1% das intenções de voto na pesquisa. Outro que só atinge 1% das preferências é o ex-ministro Henrique Meirelles (MDB), que lançou sua pré-candidatura com apoio do presidente Michel Temer.

A pesquisa mostrou empate técnico entre o ex-ministro Ciro Gomes (PDT), que oscila entre 10% e 11%, e o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB), que tem 7%. Em função da margem de erro do levantamento, que é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos, a real diferença entre eles pode ser menor.

Já na pesquisa espontânea, em que o eleitor responde sem ver uma lista de candidatos, Lula perde espaço para Bolsonaro: o petista tem 10% enquanto o deputado federal atinge 12% das intenções de voto. Neste cenário sobe para 46% o percentual de pesquisados que não sabe em quem votar.

O Datafolha ouviu 2.824 eleitores de 174 municípios na quarta (6) e na quinta (7). A pesquisa é a primeira feita pelo Datafolha após a paralisação dos caminhoneiros, movimento que causou desabastecimento em todo o país, abalando a economia e deixando o governo Temer no centro de uma crise. Os cenários pesquisados pelo Datafolha na semana passada são diferentes dos que foram considerados pelo estudo anterior, feito em abril, e por isso os resultados dos dois levantamentos não são perfeitamente comparáveis.

Para o segundo turno da eleição, o levantamento do Datafolha mostra vitória de Lula em vários cenários. O petista atingiria índices de 46% a 49% sobre os principais adversários. Mas a pesquisa também indica que a maior parte dos eleitores fica sem alternativa com eventual ausência de Lula.

Pela primeira vez, TSE manda retirar fake news da internet

A decisão do ministro foi tomada a partir de uma ação do partido Rede Sustentabilidade

O ministro substituto do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Sérgio Banhos determinou hoje (7) que o Facebook retire ao ar um perfil anônimo que divulgava fatos inverídicos sobre a ex-senadora e pré-candidata à Presidência da República Marina Silva. Com a decisão, a empresa terá 48 horas para remover o conteúdo, além de fornecer os dados dos administradores do conteúdo.

A decisão do ministro foi tomada a partir de uma ação do partido Rede Sustentabilidade. A legenda alegou que foram publicados cinco textos que associavam Marina Silva a atos de corrupção.

Segundo o partido, a ex-senadora não é investigada em nenhum processo em andamento na Justiça.

Ao decidir sobre a questão, o ministro afirmou que, embora a Constituição garanta a liberdade de expressão, a proteção não se estende a casos de manifestação anônima. “Devemos estar dispostos e engajados em fazer destas eleições uma disputa leal, com incondicional respeito às regras do certame eleitoral, demonstrando fidelidade às instituições e ao regime democrático”, entendeu o ministro.

Eliziane recebe reforço de Marina Silva e tenta fôlego para se recuperar na disputa…

Eliziane tenta se recuperar com reforço de  Marina Silva e Eloísa Helena

Eliziane tenta se recuperar com reforço de Marina Silva e Eloísa Helena

Em terceiro lugar nas pesquisas, a deputada federal Eliziane Gama, candidata a prefeita de São Luís pelo PPS, recebeu, nesta sexta-feira (09), na capital maranhense, o reforço da  porta-voz da Rede Sustentabilidade e ex-candidata nas últimas eleições à presidência da República, Marina Silva. Além dela, a integrante da Rede, Heloísa Helena, também reafirmou apoio à candidatura da pepessista.

Elas participaram de uma grande caminhada na Rua Grande. Após a mobilização de corpo a corpo, Eliziane e Marina tiveram encontro no  Grand São Luís Hotel com os candidatos da Rede na cidade.

“Nossa campanha ganha demais com o apoio de Marina e reforça a credibilidade do nosso trabalho, tendo uma mulher como ela, com uma reputação intocável e uma carreira repleta de conquistas para o nosso país. Marina é uma grande referência no Brasil e no mundo”, destaca Eliziane.

A reafirmação do apoio de Marina Silva à candidatura de Eliziane Gama é uma das cartadas da coligação, liderada pela pepessista, para retornar à segunda colocação nas pesquisas.

Marina dá outro balão em Eliziane, que ameaça deixar a Rede

Marrapá

http://www.marrapa.com/marina-da-outro-balao-em-eliziane-que-ameaca-deixar-rede/

Pela segunda vez este ano, Marina Silva deu ‘balão’ em Eliziane Gama

Pré-candidata a prefeita de São Luís, a deputada federal anunciou exaustivamente que a fundadora da Rede estaria na capital nesta sexta-feira (18), prestigiando a inauguração da sede estadual do partido, no Olho d´Água. A ex-senadora, no entanto, alegou problemas de agenda e desmarcou a presença na última hora.

Comenta-se que a ausência é consequência do mal estar causado pela mobilização da ex-pupila do radical Roberto Freire em favor do impeachment de Dilma Rousseff (PT). A Rede e a própria Marina são contra o afastamento da presidente.

Nos bastidores, Gama já não esconde a insatisfação com a legenda que ajudou a fundar. Pessoas próximas à parlamentar garantem que ela estaria avaliando convites do PSDB, PSB, PPS, mas inclinada a se filiar no PSC.

Participaram do ‘minicomício’ o senador Roberto Rocha (PSB), o deputado federal José Reinaldo Tavares (PSB), o vice-governador Carlos Brandão (PSDB), os suplentes Pinto da Itamaraty (PSDB) e Paulo Matos (PPS), o ex-vice governador Pastor Porto (PPS) e o ex-deputado Hélio Soares (PR).

Apesar da pouca empolgação da militância presente, menos de cem pessoas, evento foi marcado por duras críticas à gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior (PDT).

Eliziane Gama e o desprestígio da classe política…

Nenhuma liderança de peso, além de Eliziane gama, compareceu à convenção

Nenhuma liderança de peso, além de Eliziane gama, compareceu à convenção

O final de semana foi marcado pelos primeiros sinais de fracasso da pré-candidatura da deputada Eliziane Gama (Rede Sustentabilidade) à Prefeitura de São Luís. Nenhuma liderança política de peso compareceu à primeira Convenção Estadual do novo partido no Maranhão, nem mesmo a fundadora da legenda, a ex-senadora Marina Silva.

Apenas o pastor Porto e o advogado Valdênio Carminha, ambos do PPS, participaram do encontro, mas por conta própria. Há menos de um ano das eleições e, apesar de bem cotada nas pesquisas, Eliziane Gama evidencia que não tem prestígio da classe política maranhense.

Por falta de público, o evento da Rede no Maranhão teve que ser transferido do auditório Fernando Falcão. Para quem está em plena marcha para a campanha de 2016, a convenção foi um verdadeiro vexame.

Em nota, Valéria Macedo desmente saída do PDT para Rede Sustentabilidade

valeria macedo

A deputada estadual Valéria Macedo (PDT) desmentiu, por meio de postagem no Facebook, informação inverídica, publicada em determinados blogs, de que teria trocado o Partido Democrático Trabalhista pela Rede Sustentabilidade, criado pela ex-ministra Marina Silva. Na nota de esclarecimento, ela diz que a “notícia” é “destituída de veracidade”. Afirma que chegou a ser convidada, assim como muitos, mas que não aceitou.

“Venho de público prestar esclarecimentos a quem interessar possa sobre a notícia veiculada por alguns blogs da Capital e do Interior (e por outros meios de comunicação) dando conta de que eu havia saído do PDT para a Rede Sustentabilidade da ex-Ministra do Meio Ambiente Marina Silva. A notícia é destituída de veracidade e eu continuo onde sempre estive no PDT de Jackson Lago”, disse Valéria Macedo em seu perfil do Facebook.

Veja o print da nota acima.

FOTO DO DIA – Eliziane de “mala e cuia” na Rede de Marina

Eliziane ingressou na Rede Sustentabilidade, partido criado por Marina Silva

Eliziane ingressou na Rede Sustentabilidade, partido criado por Marina Silva

A deputada federal Eliziane Gama anunciou, no início da tarde desta quarta-feira (30), sua filiação à Rede Sustentabilidade, partido liderado pela ex-senadora Marina Silva. A parlamentar é uma das articuladoras do partido no Maranhão e foi uma das maiores incentivadoras para a criação desta nova sigla no Brasil.
Através das redes sociais, a deputada maranhense comentou sua saída do PPS, partido em que construiu uma história e disputou duas eleições como deputada estadual, uma de deputada federal e a última eleição para a Prefeitura de São Luís.
Eliziane Gama é a primeira deputada federal a filiar-se à Rede Sustentabilidade e já participou das votações nesta quarta-feira (30) na Câmara representando o partido. A Rede Sustentabilidade tem um senador filiado e com a filiação da deputada maranhense sobe para cinco o número de parlamentares do novo partido na Câmara dos Deputados.

AGORA É OFICIAL! Partido Rede Sustentabilidade na área…

G1

Partido, idealizado por Marina, finalmente consegue registro

Partido, idealizado por Marina, finalmente consegue registro

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou a concessão de registro para a Rede Sustentabilidade, partido idealizado pela ex-ministra e ex-senadora Marina Silva.
Com a decisão, a legenda fica apta a receber filiados e lançar candidatos para as eleições de 2016. É o 34º partido do país – no último dia 15, o TSE tinha autorizado o 33º, o Partido Novo.

Os fundadores da Rede tentaram obter o registro em 2013, a fim de lançar Marina candidata à Presidência pela legenda no ano passado, mas tiveram o pedido negado por falta do apoio mínimo necessário na ocasião. A ex-senadora acabou disputando a eleição presidencial porque se filiou ao PSB e integrou, como vice, a chapa encabeçada pelo ex-governador Eduardo Campos. Ela se tornou candidata a presidente após a morte de Campos em um acidente aéreo – obteve 22,1 milhões de votos e ficou em terceiro lugar, atrás de Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB).
Em 2013, a Rede havia apresentado assinaturas de 442 mil eleitores validadas pelos cartórios eleitorais, mas a lei exigia 492 mil, o equivalente a 0,5% dos votos dados para os deputados federais nas eleições de 2010.
Em maio deste ano, Marina apresentou outras 56,1 mil assinaturas, somando apoio de 498 mil eleitores, acima do exigido atualmente (486,6 mil eleitores).

No fim de agosto, o vice-procurador-geral eleitoral, Eugênio Aragão, se manifestou favoravelmente ao registro da Rede. Para ele, a nova legenda não precisaria apresentar mais assinaturas, de pessoas não filiadas a outros partidos, uma nova exigência aprovada neste ano pelo Congresso para a obtenção de autorização pela Justiça Eleitoral.

Na sessão de terça-feira (22), o pedido de registro teve os votos favoráveis do relator, João Otávio de Noronha, e dos ministros Herman Benjamin, Henrique Neves, Luciana Lóssio, Gilmar Mendes, Rosa Weber e do presidente do TSE, Dias Toffoli.

Mesmo sem registro, partido de Marina sofre intervenção no Maranhão

Cândido Lima foi afastado da Rede após atrito com Eliziane Gama

Cândido Lima foi afastado da Rede após atrito com Eliziane Gama

A Rede Sustentabilidade, partido da ex-presidenciável Marina Silva, ainda nem conseguiu o registro oficial e já sofreu intervenção no Maranhão. Dirigentes locais se desentenderam em relação à participação no governo Flávio Dino e quanto a disputa pela Prefeitura de São Luís em 2016. Com isso, a Executiva nacional decidiu destituir um dos porta-vozes no Estado, o ex-pedetista Cândido Lima, e instalou uma comissão provisória para dar andamento ás formalizações do novo partido.

Cândido Lima entrou em atrito com a deputada federal e pretensa candidata a prefeita de São Luís, Eliziane Gama, que foi acusada de querer manter-se no PPS para fazer uso de tempo de partido e usar o nome de Marina Silva, fundadora da Rede Sustentabilidade, para faturar politicamente.

A crise se agravou neste mês de janeiro, quando Cândido Lima marcou reunião para discutir a formalização do partido no Maranhão e a constituição de grupos de trabalho para planejar estratégias visando às eleições municipais. Um dia antes do encontro, o secretário nacional de organização da Rede, Pedro Ivo, avisou que a agenda estava suspensa, o que irritou o porta-voz e militantes que contrariaram a decisão e realizaram a atividade assim mesmo.

O impasse fez com que a Executiva Nacional decretasse intervenção e destituísse Cândido Lima do posto de porta-voz. Aos mais próximos, Eliziane Gama tem dito que o mesmo expressava opiniões pessoais e não as da Rede e, por isso, foi afastado do cargo.

No Maranhão, este já é o segundo racha no partido que ainda não foi nem registrado. Em 2013, o ex-deputado Domingos Dutra (hoje SDD) e Eliziane Gama (PPS) travaram guerra pelo controle da Rede no Estado.