FOTO DO DIA – Eliziane de “mala e cuia” na Rede de Marina

Eliziane ingressou na Rede Sustentabilidade, partido criado por Marina Silva

Eliziane ingressou na Rede Sustentabilidade, partido criado por Marina Silva

A deputada federal Eliziane Gama anunciou, no início da tarde desta quarta-feira (30), sua filiação à Rede Sustentabilidade, partido liderado pela ex-senadora Marina Silva. A parlamentar é uma das articuladoras do partido no Maranhão e foi uma das maiores incentivadoras para a criação desta nova sigla no Brasil.
Através das redes sociais, a deputada maranhense comentou sua saída do PPS, partido em que construiu uma história e disputou duas eleições como deputada estadual, uma de deputada federal e a última eleição para a Prefeitura de São Luís.
Eliziane Gama é a primeira deputada federal a filiar-se à Rede Sustentabilidade e já participou das votações nesta quarta-feira (30) na Câmara representando o partido. A Rede Sustentabilidade tem um senador filiado e com a filiação da deputada maranhense sobe para cinco o número de parlamentares do novo partido na Câmara dos Deputados.

AGORA É OFICIAL! Partido Rede Sustentabilidade na área…

G1

Partido, idealizado por Marina, finalmente consegue registro

Partido, idealizado por Marina, finalmente consegue registro

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou a concessão de registro para a Rede Sustentabilidade, partido idealizado pela ex-ministra e ex-senadora Marina Silva.
Com a decisão, a legenda fica apta a receber filiados e lançar candidatos para as eleições de 2016. É o 34º partido do país – no último dia 15, o TSE tinha autorizado o 33º, o Partido Novo.

Os fundadores da Rede tentaram obter o registro em 2013, a fim de lançar Marina candidata à Presidência pela legenda no ano passado, mas tiveram o pedido negado por falta do apoio mínimo necessário na ocasião. A ex-senadora acabou disputando a eleição presidencial porque se filiou ao PSB e integrou, como vice, a chapa encabeçada pelo ex-governador Eduardo Campos. Ela se tornou candidata a presidente após a morte de Campos em um acidente aéreo – obteve 22,1 milhões de votos e ficou em terceiro lugar, atrás de Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB).
Em 2013, a Rede havia apresentado assinaturas de 442 mil eleitores validadas pelos cartórios eleitorais, mas a lei exigia 492 mil, o equivalente a 0,5% dos votos dados para os deputados federais nas eleições de 2010.
Em maio deste ano, Marina apresentou outras 56,1 mil assinaturas, somando apoio de 498 mil eleitores, acima do exigido atualmente (486,6 mil eleitores).

No fim de agosto, o vice-procurador-geral eleitoral, Eugênio Aragão, se manifestou favoravelmente ao registro da Rede. Para ele, a nova legenda não precisaria apresentar mais assinaturas, de pessoas não filiadas a outros partidos, uma nova exigência aprovada neste ano pelo Congresso para a obtenção de autorização pela Justiça Eleitoral.

Na sessão de terça-feira (22), o pedido de registro teve os votos favoráveis do relator, João Otávio de Noronha, e dos ministros Herman Benjamin, Henrique Neves, Luciana Lóssio, Gilmar Mendes, Rosa Weber e do presidente do TSE, Dias Toffoli.

Mesmo sem registro, partido de Marina sofre intervenção no Maranhão

Cândido Lima foi afastado da Rede após atrito com Eliziane Gama

Cândido Lima foi afastado da Rede após atrito com Eliziane Gama

A Rede Sustentabilidade, partido da ex-presidenciável Marina Silva, ainda nem conseguiu o registro oficial e já sofreu intervenção no Maranhão. Dirigentes locais se desentenderam em relação à participação no governo Flávio Dino e quanto a disputa pela Prefeitura de São Luís em 2016. Com isso, a Executiva nacional decidiu destituir um dos porta-vozes no Estado, o ex-pedetista Cândido Lima, e instalou uma comissão provisória para dar andamento ás formalizações do novo partido.

Cândido Lima entrou em atrito com a deputada federal e pretensa candidata a prefeita de São Luís, Eliziane Gama, que foi acusada de querer manter-se no PPS para fazer uso de tempo de partido e usar o nome de Marina Silva, fundadora da Rede Sustentabilidade, para faturar politicamente.

A crise se agravou neste mês de janeiro, quando Cândido Lima marcou reunião para discutir a formalização do partido no Maranhão e a constituição de grupos de trabalho para planejar estratégias visando às eleições municipais. Um dia antes do encontro, o secretário nacional de organização da Rede, Pedro Ivo, avisou que a agenda estava suspensa, o que irritou o porta-voz e militantes que contrariaram a decisão e realizaram a atividade assim mesmo.

O impasse fez com que a Executiva Nacional decretasse intervenção e destituísse Cândido Lima do posto de porta-voz. Aos mais próximos, Eliziane Gama tem dito que o mesmo expressava opiniões pessoais e não as da Rede e, por isso, foi afastado do cargo.

No Maranhão, este já é o segundo racha no partido que ainda não foi nem registrado. Em 2013, o ex-deputado Domingos Dutra (hoje SDD) e Eliziane Gama (PPS) travaram guerra pelo controle da Rede no Estado.

Aécio comemora apoio de Marina e diz que decisão engrandece política brasileira

O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, disse estar “muito feliz” com a declaração de apoio à sua candidatura neste domingo de Marina Silva (PSB), terceira colocada na disputa eleitoral no primeiro turno, e disse que inicia a segunda etapa da corrida presidencial com possibilidades de derrotar a presidente Dilma Rousseff, que tenta a reeleição pelo PT.

Aécio Neves vive momento muito bom e já lidera as pesquisas

Aécio Neves vive momento muito bom e já lidera as pesquisas

“Estou extremamente feliz com esse apoio e que tocará fundo no coração de milhões de brasileiros, eu tenho absoluta certeza disso. É uma decisão que engrandece a boa política brasileira”, disse o candidato a jornalistas em Aparecida (SP), onde ocorreu missa solene em homenagem a Nossa Senhora Aparecida.

“Acredito que nós iniciamos já essa reta final e decisiva do segundo turno demonstrando que o Brasil tem possibilidades, não apenas de vencer o atual governo que aí está”, disse o candidato.

Marina Silva, formalmente filiada ao PSB, anunciou neste domingo seu apoio a Aécio. A transferência de eleitores não é automática, mas o posicionamento da ex-senadora, que obteve mais de 22 milhões de votos, pode impulsionar a campanha do tucano.

No sábado, ele recebeu o apoio da família de Eduardo Campos, presidenciável do PSB morto em acidente aéreo em agosto.

Marina diz que não vê legitimidade no ministro Lobão

IMG-20140917-WA0000

A  canwdidata a presidente  pelo PSB, Marina Silva, disse, nesta terça (16), pelo Twitter, que não vê legitimidade no ministro de Minas e Energia, Édison Lobão (PMDB),  pai do candidato do grupo Sarney ao governo, Lobão Filho ( PMDB). Ele tem sido destaque nacional negativo no caso da Petrobras,  após ter sido citado entre os que teriam se beneficiado com propina.

” Não vejo legitimidade no nrosso ministro de Minas e Energia, a não ser o fato de que ele foi indicado pelo Sarney. Isso tem que acabar”, disse Marina Silva na rede social.

Marina tem dito, assim como Eduardo Campos pensava, que, em um eventual governo seu, o senador José Sarney e seu grupo iriam para a oposição porque não teriam mais o espaço que gozoaram nos governos Lula e Dilma e até na  gestão de Fernando Henrique Cardoso.

Por conta de uma suposta dívida que Lula e Dilma têm com Sarney, o PT, partido de esquerda e que sempre combateu a oligarquia, caiu no domínio do grupo e, praticamente, anulou-se no Maranhão.

No entanto com o eminente declínio do  clã e pelo fato de nem Sarney, nem sua filha, a governadora Roseana Sarney, disputarem as eleições,  o PT nacional faz bem pouco caso da candidatura de Lobão Filho. Mas isso é tema para um próximo post.

PT, SAUDAÇÕES! Marina empata no 1º turno e vence Dilma no 2º, aponta Ibope

pesquisaibope2608_v1

Globo.com

Pesquisa Ibope divulgada nesta terça-feira (26) aponta Dilma Rousseff (PT) com 34% das intenções de voto para presidente da República e Marina Silva (PSB), com 29%. O candidato do PSDB, Aécio Neves, tem 19%, seguido de Pastor Everaldo (PSC) e Luciana Genro (PSOL), com 1% cada. Os outros seis candidatos somados acumulam 1%.

O levantamento indica que, em um eventual segundo turno entre Dilma Rousseff e Marina Silva, a ex-senadora teria 45% e a atual presidente, que tenta a reeleição, 36%.

Encomendada pela TV Globo e pelo jornal “O Estado de S. Paulo”, a pesquisa é a primeira do Ibope com Marina Silva como candidata do PSB. No levantamento anterior do instituto, divulgado no último dia 7, o candidato do partido ainda era Eduardo Campos, que morreu em acidente aéreo no último 13. Naquela pesquisa, Dilma tinha 38%; Aécio Neves (PSDB), 23%; e Eduardo Campos (PSB), 9%.

De acordo com a pesquisa desta terça-feira, 7% dos entrevistados disseram não saber em quem votar e 8% responderam que votarão em branco ou nulo. Na pesquisa anterior, os que responderam não saber eram 13% e brancos e nulos, 11%.

O Ibope ouviu 2.506 eleitores em 175 municípios entre os últimos sábado (23) e segunda-feira (25). O nível de confiança é de 95%, o que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de dois pontos para mais ou para menos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-00428/2014.

Confira abaixo os números na modalidade estimulada da pesquisa (em que o pesquisador apresenta ao entrevistado um cartão com os nomes de todos os candidatos) – todos os indicados com traço somam 1% das intenções de voto:

– Dilma Rousseff (PT): 34%
– Marina Silva (PSB): 29%
– Aécio Neves (PSDB): 19%
– Luciana Genro (PSOL): 1%
– Pastor Everaldo (PSC): 1%
– José Maria (PSTU): –
– Eduardo Jorge (PV): –
– Rui Costa Pimenta (PCO): –
– Eymael (PSDC): –
– Levy Fidelix (PRTB): –
– Mauro Iasi (PCB): –
– Brancos/nulos/nenhum: 7%
– Não sabe: 8%

Espontânea
Na modalidade espontânea da pesquisa (em que o pesquisador somente pergunta ao eleitor em quem ele pretende votar, sem apresentar a relação de candidatos), o resultado foi o seguinte:
– Dilma Rousseff (PT): 27%
– Marina Silva (PSB): 18%
– Aécio Neves (PSDB): 12%
– Outros: 2%
– Brancos/nulos/nenhum: 12%
– Não sabe: 28%

Segundo turno
O Ibope simulou os seguintes cenários de segundo turno:
– Marina Silva: 45%
– Dilma Rousseff: 36%
– Brancos/nulos/nenhum: 9%
– Não sabe: 11%
– Dilma Rousseff: 41%
– Aécio Neves: 33%
– Brancos/nulos/nenhum: 12%
– Não sabe: 12%

Rejeição
Dentre os 11 candidatos a presidente, Dilma Rousseff tem a maior taxa de rejeição (percentual dos que disseram que não votam em um candidato de jeito nenhum). Veja os números:
– Dilma Roussef: 36%
– Aécio Neves: 18%
– Pastor Everaldo: 14%
– Zé Maria: 11%
– Eymael: 9%
– Levy Fidelix: 9%
– Rui Costa: 7%
– Marina Silva: 10%
– Luciana Genro: 8%
– Mauro Iasi: 6%
– Eduardo Jorge: 7%

Marina venceria Dilma no segundo turno, diz Datafolha

Globo com edição do blog

Marina Silva já tem 21% das intenções de voto e, segundo pesquisa Datafolha, venceria Dilma Rousseff no segundo turno

Marina Silva já tem 21% das intenções de voto e, segundo pesquisa Datafolha, venceria Dilma Rousseff no segundo turno

Pesquisa feita pelo Datafolha para o jornal “Folha de S.Paulo”, divulgada na edição desta segunda-feira (18), mostra  Dilma Rousseff (PT) com 36% das intenções de voto para presidente, seguida de Marina Silva (PSB) com 21% e Aécio Neves (PSDB) com 20%.
É a primeira pesquisa que inclui um cenário em que a ex-senadora aparece como o nome do PSB no lugar do ex-governador Eduardo Campos, que morreu, na quarta-feira (13), em um acidente de avião.

Na simulação de segundo turno, Marina teria 47% contra 43% de Dilma. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-00386/2014.

Marina Silva foi escolhida para ser a candidata do PSB à Presidência da República no lugar de Eduardo Campos. A escolha será anunciada oficialmente na próxima quarta (20).

O PSB ainda não definiu se Marina, ex-empregada doméstica, será a candidata substituta, mas lideranças dão a escolha como certa. No levantamento anterior do Datafolha, realizado nos dias 15 e 16 de julho e divulgado no dia 17, Dilma tinha 36%, Aécio, 20%, e Eduardo Campos, 8%.

O percentual de entrevistados, que disseram não saber em quem votar ou que não responderam, foi de 14% em julho e agora atingiu 9%. Brancos e nulos eram 13%; agora são 8%. O quarto colocado na pesquisa, pastor Everaldo (PSC), aparece com 3% das intenções de voto; no levantamento anterior, tinha os mesmos 3%.

Segundo turno

A pesquisa mostra que, se a eleição fosse hoje, haveria segundo turno: Dilma teria 36% contra 46% da soma dos demais candidatos. Na pesquisa anterior, Dilma tinha 36% contra 36% dos demais, o que indicava uma incerteza sobre a necessidade de segundo turno.

O resultado da atual pesquisa mostra que, se for confirmada candidata do PSB no lugar de Campos, Marina começa a campanha em situação de empate técnico com Aécio Neves, numericamente à frente do tucano: 21% a 20%, dentro da margem de erro, de dois pontos percentuais.

Marina larga também em situação de empate técnico com Dilma na simulação de segundo turno: Marina com 47% e Dilma com 43%. O Datafolha não pesquisou um cenário entre Marina e Aécio. No cenário entre Dilma e Aécio, a petista tem 47%, e o tucano, 39%.

O levantamento foi encomendado pelo jornal “Folha de S.Paulo”. O Datafolha ouviu 2.843 eleitores em 176 municípios nos dias 14 e 15 de agosto. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. Isso significa que, se forem realizados 100 levantamentos, em 95 deles os resultados estariam dentro da margem de erro de dois pontos prevista.

SEGUNDO TURNO

Nas simulações de segundo turno, o Datafolha avaliou os seguintes cenários:

Cenário 1

– Marina Silva: 47%
– Dilma Rousseff: 43%
– Brancos/nulos/nenhum: 6%
– Não sabe: 4%

Cenário 2

– Dilma Rousseff: 47%
– Aécio Neves: 39%
– Brancos/nulos/nenhum: 9%
– Não sabe: 5%
O Datafolha não realizou a simulação de uma disputa entre Aécio Neves e Marina Silva.
Rejeição

A presidente Dilma tem a maior taxa de rejeição (percentual dos que disseram que não votam em um candidato de jeito nenhum). Confira abaixo:
– Dilma Roussef: 34%
– Aécio Neves: 18%
– Pastor Everaldo: 17%
– Zé Maria: 16%
– Eymael e Levy Fidelix e Rui Costa: 13%
– Marina Silva, Luciana Genro e Mauro Iasi: 11%
– Eduardo Jorge: 10%

Eduardo Campos e Marina Silva têm agenda com candidatos em São Luís

Marina e Eduardo Campos têm agenda intensa em São Luís

Marina e Eduardo Campos têm agenda intensa em São Luís

O presidenciável Eduardo Campos (PSB), acompanhado da senadora Marina Silva (PSB/Rede), teve agenda intensa em São Luís nesta quinta-feira (10). Esteve ao lado dos candidatos ao governo do Estado, Zeluís Lago (PPL), e Flávio Dino (PCdoB), ao mesmo tempo, e reiterando total apoio à eleição do vice-prefeito de São Luís, Roberto Rocha, ao Senado.

Na disputa pela companhia de Eduardo Campos, o candidato ao governo do Maranhão, Zeluis Lago (PPL),  acompanhou o presidenciável Eduardo Campos (PSB), desde a sua chegada no aeroporto até o seu último momento na capital, que será uma caminhada na Rua Grande (Centro de São Luís).

Pela manhã, Eduardo Campos e Marina Silva participaram do ato de lançamento da candidatura da deputada Eliziane Gama (PPS) à Câmara Federal, no Grand São Luís Hotel.  Flávio Dino e Roberto Rocha  também prestigiaram o evento.

Houve também uma coletiva de imprensa  com Eduardo Campos e Marina Silva, seguida de ato político e do lançamento oficial da candidatura de Eliziane Gama.  O evento contou com a participação de lideranças políticas e militantes partidários.