Pastor Bel assume candidatura a senador e abandona Edison Lobão

A decisão de Bel em disputar a vaga de senador, significa uma perda na base de sustentação da candidatura de Lobão

O suplente de senador, Pastor Bel (PSDC), assumiu, de vez, sua pré-candidatura ao Senado Federal. Ele vai integrar a chapa da pré-candidata ao governo, Maura Jorge (PSL).

Uma das lideranças da Convenção Estadual das Assembleias de Deus no Maranhão, Pastor Bel, é atualmente suplente do senador Edison Lobão (MDB).

Em dezembro de 2017, chegou a assumir a vaga, após o senador Edison Lobão tirar uma licença de quatro meses para um tratamento de saúde.

A decisão de Bel em disputar a vaga de senador significa uma perda na base de sustentação da candidatura de Lobão. Sem o apoio da Assembleia de Deus e com dezenas de processos na Justiça, ele chega a mais uma disputa, fragilizado politicamente e com dificuldades de disputar com lideranças jovens como os pré-candidatos ao Senado, Weverton Rocha (PDT) e Eliziane Gama (PPS).

Agora, Pastor Bel inicia sua pré-campanha ao Senado, tirando de Lobão o apoio de pastores das igrejas Assembleia de Deus espalhadas por todo o estado.

Roseana Sarney e a desarticulação política de seu grupo…

Mesmo com todo o barulho feito pela mídia ligada ao grupo Sarney, Roseana chega à disputa, politicamente, fraca, o que traduz todo seu desânimo.

A falta de apoio político está causando uma situação um tanto quanto inusitada para o grupo Sarney. Com o domínio há décadas de vários partidos historicamente ligados ao clã, a ex-governadora Roseana Sarney (MDB) entra, pela quinta vez, na disputa do governo, mas, pela primeira vez, sem o apoio de um número considerável de siglas.

Até o momento, com ela, além do MDB, apenas o PV, o PHS, o PMB e o PSD, o que gera especulações de que a chapa poderá sair “puro sangue”.

A perda mais significativa para Roseana são os partidos que hoje orbitam a base do governador Flávio Dino (PCdoB). Com diretórios espalhados por todo o estado e com uma grande fatia do horário político, PT, DEM, PR, PP, PTB e PRB farão uma grande diferença para a campanha da ex-governadora em 2018. Neles estão deputados e aliados com uma grande densidade de votos.

Outros partidos, que sempre estiveram ligados ao grupo Sarney, já declaram apoio a outras candidaturas. Maura Jorge, por exemplo, vai reunir PSL, PRTB, PSDC e o Podemos, antigo PTN.

Alguns partidos ainda estão indefinidos. O PMN do deputado Eduardo Braide pode encabeçar uma candidatura e ter o apoio do PSC. Além do PRP, que pode ter o ex-secretário de Saúde, Ricardo Murad, como candidato ao governo.

Mesmo com todo o barulho feito pela mídia ligada ao grupo Sarney, Roseana chega à disputa, politicamente, fraca, o que traduz todo seu desânimo.

Maura Jorge e o apoio de dois partidos nanicos…

Em questão do tempo de TV, PRTB e PSDC acrescentam pouca coisa na campanha de Maura

A mídia ligada à ex-prefeita de Lago da Pedra, Maura Jorge (PSL), noticiou, com grande estardalhaço, o anúncio do apoio dos partidos PSDC e PRTB a sua pré-candidatura.

O PSDC, agora comandado pelo suplente de senador, Pastor Bel, entrou no projeto de Maura Jorge de olho em uma das vagas para o Senado Federal.

Já o PRTB, presidido pelo empresário Márcio Coutinho, declarou apoio visando à eleição proporcional. Ele busca uma das vagas na Câmara dos Deputados.

Em questão do tempo de TV, no horário político, ambos os partidos acrescentam pouca coisa na campanha de Maura.

O PRTB, por exemplo, não tem tempo de TV, o PSDC não chega a cinco segundos. Os dois partidos, somados ao PSL, que também não tem tempo de TV, não poderão ajudar Maura a conseguir espaço suficiente para ser conhecida no estado e para mostrar seus projetos.

Apesar do anúncio, Maura Jorge continua com dificuldades em manter sua pré-candidatura.

Roberto Rocha e Maura Jorge estagnam em pesquisa, apesar de apoio de presidenciáveis

Apesar de contarem com o apoio de duas figuras conhecidas em nível nacional, os candidatos Roberto Rocha e Maura Jorge não conseguem subir nas sondagens.

A última pesquisa Data Ilha/Difusora, divulgada na terça-feira (15), mostra dois cenários bem distintos na disputa ao governo do Maranhão. Apesar de contarem com o apoio de duas figuras conhecidas em nível nacional, os candidatos Roberto Rocha (PSDB) e Maura Jorge (PSL) não conseguem subir nas sondagens.

O senador Roberto Rocha lançou sua pré-campanha desde o final de 2017 e recebeu, recentemente, o ex-governador de São Paulo e pré-candidato à Presidência da República, Geraldo Alckmin (PSDB). A pesar de ter o apoio de uma grande figura do PSDB e que já disputou uma corrida presidencial, o novo tucano aparece com apenas 2,63% na pesquisa Data Ilha/Difusora.

A ex-prefeita de Lago da Pedra, Maura Jorge, também recebeu o apoio do pré-candidato a presidente, Jair Bolsonaro (PSL). Mas a pesar da popularidade do presidenciável nas redes sociais, dos vídeos amplamente divulgados e dos outdoors espalhados pela capital e por cidades do interior, ela aparece apenas com 1,61%, o que mostra que a transferência dos votos e a popularidade não ocorreram.

Os dois candidatos seguem na disputa, mas por enquanto, não aglutinam nem 5% do eleitorado maranhense. Nem muito menos, lucraram com o apoio dos notáveis presidenciáveis.

Maura Jorge e o efeito Jair Bolsonaro nas pesquisas…

Maura Jorge já foi acionada pela Procuradoria Regional Eleitoral do Maranhão por propaganda antecipada ao lado do seu aliado Jair Bolsonaro.

O pré-candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL), parece ter atingido seu teto de intenções de voto, segundo análise de Marco Antônio Carvalho Teixeira, cientista político e professor da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Pré-candidata ao governo e aliada de Bolsonaro no Maranhão, a ex-prefeita de Lago da Pedra, Maura Jorge (PSL), que trabalha sua marca de pré-campanha colada no deputado federal, pode ter dificuldades em atrair a popularidade de seu aliado logo nesse momento de estagnação.

A parada no crescimento do candidato pode também significar que Maura Jorge não terá a ajuda de sua aliança para sair das últimas posições nas pesquisas de intenções de voto.

A pesquisa

A pesquisa CNT/MDA, divulgada nesta segunda-feira (14), indica o deputado federal na vice-liderança, com 16,7%, no cenário que inclui o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na liderança.

Bolsonaro aglutina os votos dos radicais da extrema-direita, mas sofre uma grande rejeição nas classes mais carentes.

Eleições 2018 e os desafios de Eduardo Braide e Maura Jorge…

Os pré-candidatos têm até o próximo dia 7 de abril como prazo final para definirem suas situações e se filiarem aos partidos.

O deputado estadual Eduardo Braide, pré-candidato a governador pelo PMN, enfrenta um grande problema na disputa pelo governo do Estado: seu partido tem tempo minúsculo disponível para a propaganda eleitoral gratuita no rádio e televisão. Se continuar filiado no PMN e sem coligação com uma sigla maior, ele terá apenas dois segundos para se apresentar na televisão e rádio, situação complicada. O parlamentar, portanto, movimenta-se para tentar reverter isso e se tornar mais competitivo.

Como o PMN não tem deputado federal, Eduardo Braide também dependerá da boa vontade das emissoras de televisão, pois, pela regra atual, os veículos somente são obrigados a convidar os candidatos que tenham, ao menos, cinco deputados federais.

Fala-se nos bastidores que o pré-candidato espera que o deputado federal José Reinaldo consiga se filiar ao DEM, o que já tornou-se improvável, e, com isso, levar o partido para sua base de apoio à candidatura ao governo.

Oproblema é que o DEM do Maranhão tem como presidente o deputado Juscelino Filho, que foi indicado pelo atual presidente nacional da sigla, ACM Neto, a continuar na direção, e já declarou oficialmente que apoiará a reeleição do governador Flávio Dino (PCdoB).

A situação da ex-prefeita de Lago da Pedra e pré-candidata ao governo, Maura Jorge, também não está das mais fáceis. Precisando de um nome popular que possa fazer sua pré-candidatura crescer, a ex-prefeita marca o passo com vistas a deixar seu partido, o Podemos. Ela quer se filiar ao PSL, do presidenciável Jair Bolsonaro.

Oproblema é que o Podemos tem 15 deputados federais e três senadores. Já o PSL de Bolsonaro tem apenas três deputados e nada de senador, o que daria à pré-candidata pouquíssimo tempo de televisão e, assim como Braide, poderia ficar fora dos debates do rádio e TV.

Os pré-candidatos têm até o próximo dia sete de abril como prazo final para definirem suas situações e se filiarem aos partidos em que disputarão mandatos nestas eleições.

Candidatos “laranjas” ganham guarida na mídia sarneysista…

Roberto Rocha é dos pré-candidatos do chamado “laranjal” do grupo Sarney

Os pré-candidatos ao governo do Maranhão, Roberto Rocha, Maura Jorge e Eduardo Braide, integrantes do “laranjal” da oligarquia Sarney para levar Roseana ao segundo turno contra o governador Flávio Dino nas eleições de 2018, estão sendo figuras diárias nos meios de comunicação ligados ao clã Sarney.

Palavras elogiosas a eles, repercussão de ataques ao atual governo e, até, visitas que eles fazem Maranhão à fora estão sendo repercutidas, maciçamente, pelos asseclas da oligarquia Sarney na internet e pelo jornal O Estado do Maranhão.

A estratégia tem dois objetivos. Um, garantir que eles continuem a trabalhar pelo projeto maior de conseguir levar a ex-governadora Roseana Sarney ao segundo turno. Dois, repercutir o máximo possível os ataques diários que todos eles fazem visando macular a imagem ilibada do governador Flávio Dino.

O consórcio formado para tentar interromper o projeto de mudanças no Maranhão, aparentemente, está contando com forte apoio da mídia sarneysista. Mesmo com todo o esforço, a debandada de entusiastas da campanha de Roseana está sendo geral, muito em função do imobilismo da ex-governadora em disputar uma eleição.

Os únicos que ainda estão dando um caldo – ou um suco – são os integrantes do laranjal dos Sarneys. Além, é claro, da mídia tresloucada e desesperada que vive em função de maquinar, mentir e caluniar o atual governo desde o dia 1º de janeiro de 2015.

“Maura Jorge se acha a dona de Lago da Pedra”, diz Fábio Macedo

Em debate acirrado, na Assembleia Legislativa do Maranhão, sobre o cômico episódio, ocorrido no final de semana, envolvendo a prefeita de Lago da Pedra, Maura Jorge,  o deputado estadual Fábio Macedo (PDT) disse que a mesma se “acha a dona da cidade” e que a atitude dela  já é corriqueira no Município, quando há eventos desse porte.

“Sempre que tem evento, acontece isso. Maura Jorge se acha a dona da cidade. Na verdade, nem o governador é dono do Estado e nem a prefeita é dona de Lago da Pedra. Dono é o povo, os cidadãos que moram na cidade”, disse Fábio Macedo rebatendo a exploração política do caso por parte da oposição que tentou atingir o governo Flávio Dino.

No final de semana, Maura Jorge não aceitou  a opção do Cerimonial do governo que, tentando evitar palanque político, decidiu não abrir pronunciamento nem para a prefeita, nem para o adversário dela, o ex-deputado Mauro Jorge. Depois de resmungar e gritar durante a fala do governador Flávio Dino, interrompendo-o várias vezes, ela mandou chamar um carro de som para discursar do lado de fora à revelia do governo, provocando um verdadeiro tumulto no local.

Veja acima o vídeo do aparte do parlamentar ao pronunciamento do oposicionista, Adriano Sarney (PV), na sessão de segunda-feira (30).

LEIA MAIS POSTS DO BLOG SOBRE O CASO:

O cômico e constrangedor descontrole de Maura Jorge em Lago da Pedra…

PRINT DO DIA – Gil Cutrim se nega a entrar no jogo da família Murad…

VÍDEO DO DIA – Andrea Murad tem “ataque de risos” na tribuna ao tentar defender Maura Jorge

O cômico e constrangedor descontrole de Maura Jorge em Lago da Pedra…

Os vídeos acima (feitos pelo blogueiro Carlinhos Filho) circulam nas redes sociais, neste final de semana, e mostram cenas lamentáveis do descontrole emocional, ou seja, barraco protagonizado pela prefeita de Lago da Pedra, Maura Jorge, durante visita do governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), para anúncio de obras importantes no Município, deixando o genro dela, o secretário estadual de Desenvolvimento Social, Neto Evangelista, em uma situação constrangedora.

Como há uma disputa política no Município entre Maura Jorge e o ex-deputado Mauro Jorge, o Cerimonial do governo não programou a fala de nenhum dos dois durante o evento. Durante o discurso do governador, a prefeita passou a fazer intervenções no palanque e chamando assessores para preparar um carro de som para que ela então fizesse um pronunciamento na rua.
O governador enquadrou e mandou várias diretas para a prefeita que não respeitou a presença dele e nem seu discurso e desceu do palanque para a rua. Flávio Dino disse que “não tem medo de cara feia”, que os tempos são outros no Maranhão e que acabou o tempo do coronelismo no Estado.

Neto Evangelista e o vice-governador Carlos Brandão ainda tentaram amenizar o descontrole da prefeita, mas não adiantou. Autoritária, Maura Jorge disse que Lago da pedra tem prefeita e foi discursar no meio da rua, provocando tumultuo e constrangimento no evento. Veja os vídeos.