Neymar e Firmino comandam vitória brasileira sobre o México

Neymar abre o placar para a Seleção Brasileira diante do México, na Arena Samara (Carlos Garcia Rawlins/Reuters)

A seleção brasileira conquistou vaga nas quartas de final da Copa do Mundo de 2018 pela sétima vez seguida ao vencer México por 2 a 0, em Samara. Neymar e Roberto Firmino marcaram os gols brasileiros no segundo tempo de jogo muito duro, com lances perigosos para os dois times.

Neymar marcou o primeiro logo aos cinco minutos. O atacante tocou de calcanhar para Willian, que invadiu e área e cruzou rasteiro. Gabriel Jesus furou e o camisa 10, de carrinho, colocou no fundo do gol. O segundo veio aos 43, em contra-ataque que começou com Fernandinho e terminou com Neymar, que invadiu a área, tocou na saída de Ochoa, que desviou com o pé. A bola sobrou para Roberto Firmino, que chutou para o gol.

No Mundial passado, realizado no Brasil , a seleção canarinho ficou no empate por 0 a 0 diante dos mexicanos, em Fortaleza, e agora reencontra o rival.

Foram 40 jogos em toda história, com vantagem para a seleção brasileira, que venceu 23 vezes. Aconteceram ainda dez vitórias do México e sete empates. São 73 gols marcados pela seleção pentacampeã e 36 sofridos.

Com a vitória o Brasil volta às quartas de final, como fez em 1994, 1998, 2002, 2006, 2010 e 2014. O adversário será o vencedor de Bélgica e Japão, na próxima sexta-feira, às 15 horas (de Brasília), em Kazan.

Seleção Brasileira chega a Samara para jogo contra o México

Com Neymar de visual novo, Seleção Brasileira chegou a Samara (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

Depois de realizar um treino com portões fechados pela manhã, a Seleção Brasileiraviajou para Samara, onde chegou no final da tarde deste sábado e enfrenta o México na segunda-feira. A recepção foi calorosa, já que uma legião de brasileiros esperavam a chegada da delegação na porta do hotel.

O avião com os atletas e a comissão técnica pousou na cidade por volta das 23 horas local (16 horas de Brasília), e os jogadores foram direto para o hotel. O trajeto entre aeroporto e o local da hospedagem brasileira levou cerca de uma hora.

No desembarque, o visual de Neymar chamou a atenção. Com os cabelos de volta a cor normal, o atacante parou para atender duas crianças que furaram o cordão de isolamento feito pelos seguranças. O restante do elenco passou rápido.

Para a partida diante dos mexicanos, Danilo, recuperado de lesão no quadril, volta a ser opção. Porém, Fagner, que teve boas atuações contra Costa Rica e Sérvia, deve seguir na equipe titular. Sem estar 100% recuperado de um problema na coluna, Marcelo também chegou junto dos jogadores, mas é dúvida para o duelo.

Depois de sequer viajar para Moscou, onde a equipe enfrentou a Sérvia, Douglas Costa foi para Samara, mas está vetado. Com isso, a provável escalação do Brasil para enfrentar o México é: Alisson; Fagner, Thiago Silva, Miranda e Filipe Luís (Marcelo); Casemiro; Willian, Paulinho, Coutinho e Neymar; Gabriel Jesus.

A Seleção Brasileira fará sua última atividade antes do embate válido pelas oitavas de final da Copa do Mundo no palco da partida, na Arena Samara, neste domingo. Antes disso, porém, o técnico Tite e o capitão da equipe, ainda não divulgado, concederão entrevista coletiva, seguindo o protocolo da Fifa.

Copa de 2026, com 48 seleções, será disputada nos EUA, México e Canadá

Estádio de Montreal, possível sede da Copa de 2026 que será realizada nos Estados Unidos, Canadá e México

A Copa do Mundo de 2026, a primeira com 48 seleções, será disputada na América do Norte, com jogos nos Estados Unidos, no Canadá e no México. A decisão foi anunciada nesta quarta-feira, em Moscou, durante o Congresso da Fifa. A candidatura liderada pelos EUA teve 134 votos, contra 65 votos do Marrocos, que contou com o voto do Brasil, embora a CBF tenha declarado anteriormente voto na candidatura vencedora. Em 13 de abril um encontro em Buenos Aires selou o apoio da Conmebol a candidatura dos EUA a sede da Copa de 2026. O representante do Brasil nesta reunião era o Coronel Nunes.

A edição de 2026 vai marcar o início de um novo modelo de Copa do Mundo – com mais participantes, mais jogos, mais estádios e mais países organizadores. Em vez dos atuais 32 times divididos em oito grupos de quatro, o Mundial terá 48 participantes, divididos em 16 grupos de três. Os dois primeiros de cada chave avançam aos mata-matas, que terá uma fase a mais do que hoje. O novo formato da Copa do Mundo vai obrigar a Fifa a redesenhar as Eliminatórias, já que todas as confederações terão mais vagas do que têm hoje.

A Copa do Mundo da América do Norte será majoritariamente disputada nos EUA. Das 80 partidas do torneio, 60 serão nos EUA, inclusive a final. As demais 20 serão divididas igualmente entre Canadá e México. Será a segunda Copa dos EUA, que já organiziou o torneio em 1994, e a terceira do México, que abrigou a Copa em 1970 e 1986.

Esta foi a primeira vez em décadas que a escolha da sede da Copa do Mundo se deu numa votação aberta, com a participação de todas as associações nacionais de futebol. As sedes dos Mundiais de 1990 a 2022 foram escolhidos peloS 24 integrantes do Comitê Executivo da Fifa (hoje rebatizado de Conselho da Fifa). A última delas, que resultou na vitória de Rússia (2018) e Qatar (2022) foi marcada por denúncias de corrupção e compra de votos. A eleição desta quarta-feira teve os votos de cada país tornado público imediatamente num telão no centro de convenções onde ocorreu o Congresso da Fifa.

Para convencer os eleitores, a candidatura da América do Norte prometeu lucro recorde para a Fifa e para as associações nacionais. Numa apresentação de 15 minutos para a plateia do Congresso da Fifa, o presidente da federação americana de futebol, Carlos Cordeiro, prometeu uma arrecadação de US$ 15 bilhões, com lucro de US$ 11 bilhões. Como comparação, a Copa do Mundo de 2014 teve faturamento de US$ 4,8 bilhões.

A disputa pelos votos foi marcada pela sombra do presidente americano, Donald Trump. Os marroquinos usaram a postura agressiva do presidente americano para convencer eleitores. O próprio Trump se envolveu pessoalmente na campanha americana. Ele escreveu cartas ao presidente da Fifa, Gianni Infantino, na qual prometeu conceder vistos “sem preconceitos” para atletas, dirigentes e fãs de todos os países que disputarem a Copa.

A Copa do Mundo de 2022 será disputada no Catar. Para 2030, só há uma candidatura oficialmente lançada – por Argentina, Paraguai e Uruguai. É provável que China e Inglaterra também se lancem. Não há data prevista para a Fifa tomar essa decisão.