Ex de Ciro Gomes, Patrícia Pillar rebate fake news e diz que nunca foi agredida por ele

A notícia falsa fez com que a própria atriz viesse a público para afirmar que nunca disse isso e que também nunca foi agredida pelo ex-marido

As eleições estão chegando e uma série de fake news tem aparecido em redes sociais e em grupos de WhatsApp. Uma delas envolve a atriz Patrícia Pillar, que foi casada com Ciro Gomes, candidato à Presidência da República pelo PDT, por 21 anos.

A imagem conta com uma fala falsa atribuída a Patrícia Pillar. A declaração diz: “Gente, eu nunca fui casada com o Bolsonaro. Quem me batia era o Ciro Gomes”.

A notícia falsa fez com que a própria atriz viesse a público para afirmar que nunca disse isso e que também nunca foi agredida pelo ex-marido.

“Estou aqui para dizer que estão usando minha imagem para divulgar notícias falsas, favorecendo um candidado que jamais seria o meu”, afirma Patrícia Pillar.

“Nunca sofri nenhum tipo de violência de parte de ninguém. Isso é totalmente falso”, completa a atriz. Em sequência, ela ainda declara voto a Ciro Gomes na eleição presidencial deste ano.

Vinda de Ciro Gomes ao Maranhão reforça campanha de Weverton Rocha

Bem articulado em todo o Estado, Weverton tem crescido nas pesquisas eleitorais e mostrado força em todas as cidades em que visita

A vinda do candidato a presidente pelo PDT, o ex-governador Ciro Gomes, ao Maranhão, nesta sexta-feira (7), é mais um reforço na campanha de Weverton Rocha (PDT), candidato ao Senado Federal.

Ciro Gomes, que pontuou na última pesquisa Ibope em segundo lugar, empatado tecnicamente com a candidata Marina Silva (Rede), tem chances reais de ir ao segundo turno.

O bom momento de Ciro pode ter reflexo na campanha de Weverton no Maranhão. O presidenciável sempre bate na tecla que é necessário ter bons nomes no Congresso para auxiliá-lo e Weverton é o melhor nome para representar o Maranhão.

Bem articulado em todo o Estado, Weverton tem crescido nas pesquisas eleitorais e mostrado força em todas as cidades em que visita.

Ciro Gomes estará em São Luís na próxima sexta-feira

Está previstola uma caminhada ao lado do governador Flávio Dino (PCdoB) e do candidato ao Senado Federal, Weverton Rocha (PDT)

O candidato à Presidência da República pelo PDT, o ex-governador Ciro Gomes, chega, nesta sexta-feira (7), a São Luís para cumprir agenda de sua campanha.

Está previstola uma caminhada ao lado do governador Flávio Dino (PCdoB) e do candidato ao Senado Federal, Weverton Rocha (PDT).

Assim como em 2014, Flávio Dino dará palanque regional a mais de um candidato a presidente, mostrando o amplo arco de alianças e a força política a nível nacional do governador.

Após polêmica, Kátia Abreu reconhece Photoshop em foto oficial

Foto oficial da chapa do PDT à Presidência, com Ciro Gomes e Kátia Abreu, que causou polêmica nas redes sociais

A fotografia oficial da chapa do PDT à sucessão presidencial causou polêmica nas redes sociais nesta segunda-feira (13). Os internautas acusaram a candidata a vice-presidente, senadora Kátia Abreu (TO), de ter exagerado na utilização do aplicativo Photoshop, usado para tratamento de imagem.

Nas mensagens, disseram que ela estava irreconhecível e afirmaram que ela “renasceu no corpo de outra pessoa”. “Essa senhora da foto nunca foi a Kátia Abreu”, brincou um internauta.

Em resposta, a senadora disse ter adorado a repercussão da fotografia e reconheceu o excesso no tratamento de imagem. “Amei as reações sobre minha foto. Concordo total com vocês. Mas pessoal de comunicação…Sabem como é? Acham ou têm certeza de que sabem tudo. Valeu pela ajuda”, disse.

Na sequência, ela divulgou nova fotografia, desta vez, segundo ela, sem retoque na imagem. E pediu que levem em consideração o fato dela ter perdido sete quilos recentemente. “Esta está sem Photoshop. Só maquiagem. O que acham? Lembrem que tenho 56 aninhos”, afirmou.

Notas rápidas deste domingo (12)

O próximo debate será organizado pela RedeTV e terá como mediadores Boris Casoy, Amanda Klein e Mariana Godoy

ACM Neto no comando
Geraldo Alckmin escolheu o presidente do DEM, ACM Neto, como o responsável pela sua chapa junto ao TSE. O gesto é um reconhecimento ao DEM diante dos demais partidos da coligação, e aponta para que, caso o tucano seja eleito, o partido tenha protagonismo no futuro governo. Também é uma forma de discretamente tirar da linha de frente o ex-governador de Goiás Marconi Perillo, cuja presença desagradava os aliados.

Tem outro debate chegando
Na próxima sexta-feira, candidatos ao Planalto estarão novamente participando de debate. Dessa vez, o encontro será organizado pela RedeTV e terá como mediadores Boris Casoy, Amanda Klein e Mariana Godoy.

O ‘Brasil Soberano’ de Ciro
O PDT lançou nesta sexta-feira as diretrizes do programa de governo de Ciro Gomes, que será batizado de “Brasil Soberano”. No documento que apresenta as linhas gerais da proposta, o candidato propõe uma política de indução de desenvolvimento que voltará a usar o BNDES, o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal. Propugna ainda que o Banco Central fixe meta não só de inflação, mas também de desemprego.

Flávio Rocha no bonde de Bolsonaro
O empresário Flávio Rocha, controlador das lojas Riachuelo e ex-presidenciável pelo PRB, partido que acabou se aliando ao tucano Geraldo Alckmin, anunciou o apoio a Jair Bolsonaro, candidato à Presidência pelo PSL. Segundo o jornal Gazeta do Povo, o anúncio aconteceu depois de uma reunião entre Rocha e Bolsonaro, realizada na manhã desta sexta-feira, 10, em São Paulo. Em certo momento da campanha, Rocha afirmou que Bolsonaro estava à esquerda na economia, pelas suas posições historicamente estatistas, e era como um iceberg no caminho do Brasil. Agora, aparentemente, mudou de ideia.

Daciolo foi ‘pesadelo’ do PSOL
Cabo Daciolo (Patriota) começou sua carreira política no PSOL, que se sensibilizou por sua liderança em movimento que pedia auxílio-transporte para os bombeiros militares. Acabou eleito a deputado federal com 49.831 votos, em 2014. O romance do cabo com a legenda durou menos de um ano. Daciolo apresentou uma PEC para que o texto constitucional afirmasse que “todo poder emana de Deus e não “do povo”. Ele também considerou ilegal a prisão preventiva dos PMs acusados de assassinato do pedreiro Amarildo de Souza, em 2013.

A identidade digital no programa de Marina
Uma das propostas mais valorizadas pelo economista André Lara Resende, colaborador da campanha de Marina Silva (Rede), é a da carteira de identidade digital. Resende cita as experiências da Índia e da Estônia ao propor a criação de um documento online para diminuir a burocracia na obtenção de outros documentos, contratos e em transações econômicas, como a abertura de empresas. Ele afirma que a plataforma torna os cartórios obsoletos.

Os palanques de Ciro nos Estados
Apesar de isolado na campanha, em decorrência do acordo do PT com o PSB, Ciro Gomes têm garantido palanques em pelo menos oito Estados, nos quais o partido lançou candidato próprio a governador (SP, RJ, RS, RN, MS, RO, AM e AP). Além disso, o terá cinco candidatos a vice-governador (CE, PE, ES, MT, PB) e sete ao Senado (SP, PR, MA, CE, RR, PA, AM), em coligações firmadas na reta final de composição eleitoral.

Plano para retirar nomes do SPC sai em breve, diz economista de Ciro Gomes

Segundo Marconi, a ideia é renegociar essas dívidas com o setor bancário e obter um deságio. Ele disse que a dívida média desses inadimplentes está em R$ 1.400

O plano proposto pelo candidato à presidência Ciro Gomes (PDT) de retirar cerca de 60 milhões de cadastros de inadimplentes, como o SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) deve sair em breve, disse nesta sexta-feira (10) Nelson Marconi, coordenador do programa do candidato.

“Estamos acabando de desenhar o mecanismo e vamos fazer um anúncio formal”, disse Marconi, ao comentar o tema mais polêmico do debate entre economistas dos candidatos promovido pela Fundação Lemann e seus ex-bolsistas.

Segundo Marconi, a ideia é renegociar essas dívidas com o setor bancário e obter um deságio. Ele disse que a dívida média desses inadimplentes está em R$ 1.400, mas não forneceu mais detalhes.

No mesmo evento, Persio Arida, coordenador do programa econômico de Geraldo Alckmin (PSDB), qualificou a promessa de “irresponsável” e disse que, segundo suas contas, a medida custaria R$ 60 bilhões ou o equivalente a dois Bolsa Família. Marconi rebateu o valor mas disse que ainda é preciso avançar nas contas.

João Paulo Capobianco, coordenador do plano de governo de Marina Silva, disse que a população não pode acreditar nesse tipo de promessa. “Não dá para acreditar em solução que vai tirar todo mundo do SPC e nem que vai resolver tudo com armamento”, disse.

Marconi rebateu: “é impressionante que a renegociar dívida de ruralista e de bancos ninguém se opõe, mas quando a gente fala em resolver endividamento das pessoas físicas – e não falamos que vamos endividar o governo para fazer -, tem gente que reclama”, disse.

Flávio Dino chega às eleições 2018 com sete partidos a mais em relação a 2014

Exatos 16 partidos, o que garante ao governador Flávio Dino mais de 5 minutos do tempo de TV do horário eleitoral gratuito

O governador Flávio Dino (PCdoB) teve seu nome homologado em uma grande convenção para mais de 10 mil pessoas neste sábado (28). São exatas 16 agremiações que declararam apoio a ele nestas eleições.

Em relação ao ano de 2014, quando Flávio Dino encerrou 50 anos de domínio do grupo Sarney, o então candidato tinha o apoio de 9 partidos: PCdoB, PDT, PSDB, PSB, PP, PPS, PROS, PTC e Solidariedade. Desses, apenas o PSDB não está com Flávio Dino em 2018.

Para essa eleição, somam-se ao time governista PT, DEM, PR, PRB, PTB, PPL, Patriotas e agora o Avante. Exatos 16 partidos, o que garante ao governador Flávio Dino mais de 5 minutos do tempo de TV do horário eleitoral gratuito.

Convenção vai oficializar Flávio Dino candidato à reeleição neste sábado (28)

Neste sábado (28) será realizada a convenção partidária Todos Pelo Maranhão, quando será confirmada a chapa majoritária do governador Flávio Dino, pré-candidato à reeleição. O ato contará com a participação de diversas lideranças de 15 partidos: PCdoB, PDT, PP, PPS, PROS, PSB, PT, PTB, PR, PRB, DEM, PEN, PTC, Solidariedade e PPL, que compõem a base aliada de Flávio Dino.

Flávio Dino ressaltou que a convenção Todos Pelo Maranhão é o momento em que sua coligação vai “conversar sobre o nosso Programa de Governo para o período 2019-2022. O nosso vice-governador Carlos Brandão também vai participar. Todos convidados”.

O presidente do diretório estadual do PCdoB no Maranhão, Márcio Jerry, também falou sobre a realização da convenção. “Será a coalizão de 15 partidos políticos, movimentos sociais e o povo do Maranhão para que em outubro possamos reconduzir o melhor governador do Maranhão, que é o governador Flávio Dino”, pontuou Jerry, que é também pré-candidato a deputado federal.

Para a presidente da União Brasileira de Mulheres no Maranhão (UBM-MA), Thays Campos, a convenção é o momento da celebração de um governo que mostrou que é possível fazer uma gestão pública diferente, priorizando os mais necessitados.

“Não temos dúvida da grande festa e encontro do governante com a sua militância. Temos a certeza que o povo do Maranhão vai continuar a sorrir e vai continuar sendo rei e rainha da sua própria vida”, analisou Thays Campos.

O encontro será realizado na data em que é comemorado um marco histórico para Maranhão. No dia 28 de julho de 1823, o estado aderiu oficialmente à independência do Brasil. A convenção de Flávio Dino, portanto, tem o simbolismo de romper de vez os laços com o passado e não permitir que a elite que mandou e desmandou no Maranhão volte a ter os privilégios de antigamente.

Partidos da base do governador Flávio Dino definem chapas proporcionais para a Assembleia Legislativa e Câmara dos Deputados

Quem participou da reunião afirmou que houve muito diálogo na construção das chapas que prometem eleger o maior número de deputados para a Assembleia Legislativa e para o Congresso Federal

Os 15 partidos que fazem parte da base de apoio do governador Flávio Dino (PCdoB) chegam à convenção coletiva com as chapas proporcionais montadas. Elas foram definidas na quinta-feira (26) com um clima muito bom entre os presidentes das siglas. Quem participou da reunião afirmou que houve muito diálogo na construção das chapas que prometem eleger o maior número de deputados para a Assembleia Legislativa e para o Congresso Federal.

As chapas para a Assembleia Legislativa foram definidas da seguinte forma:
Chapa 1: PCdoB, PDT, DEM, PSB, PP, PR, PRB, PTC
Chapa 2: PEN, PTB, PROS, PPS, PPL
Chapa 3: PT
Chapa 4: SD

As chapas para a Câmara dos Deputados foram definidas assim:
Chapa 1: PCdoB, PRB, PTB, PSB, PEN, SD, DEM, PROS, PTC, PPL e PPS
Chapa 2: PR, PDT e PP
Chapa 3: PT