12 partidos continuam sem definição após Cláusula de Barreira

Uma das soluções para os 14 partidos que não obtiveram êxito na última eleição é a proposta de fusão com outros partidos

Dos 35 partidos registrados no Tribunal Superior Eleitoral, 14 legendas não passaram pela Cláusula de Barreira aprovada na última reforma política. Desses, apenas 21 continuarão recebendo recursos do Fundo Partidário e terão acesso ao tempo no rádio e na TV.

Uma das soluções para os 14 partidos que não obtiveram êxito na última eleição é a proposta de fusão com outros partidos. Foi o que PCdoB e PPL aprovaram na noite de domingo (2).

O PCdoB continuará com o número e nome da legenda, por sua vez irá incorporar o a estrutura do PPL. Os partidos foram os primeiros a apresentarem soluções para suas militâncias após os resultados da cláusula de barreira.

Outros 12 partidos ainda continuam sem definição sobre qual a melhor estratégia. Entre os partidos estão: PHS, PRP, PRTB, PMN, PTC, PMB, PCB, PSTU, PCO, Patriotas, Rede Sustentabilidade e Democracia Cristã.

As tratativas precisam ser decididas até o início do trabalho legislativo em fevereiro de 2019 e para que sejam definidos os melhores caminhos para os políticos dessas legendas.

Mídia nacional coloca como certa ida de Eduardo Braide e Pastor Gildenemyr para o PSL

Eduardo Braide é atualmente presidente estadual do PMN no Maranhão e foi o segundo colocado na disputa pela Câmara dos Deputados com 189.843 mil votos. Já Pastor Gildenemyr foi eleito com 47.758 mil votos

O site Metrópoles abordou a possível ida dos deputados eleitos Eduardo Braide e Pastor Gildenemyr, ambos do PMN, para o PSL, partido do presidente eleito Jair Bolsonaro. Os deputados maranhenses foram eleitos pelo PMN, partido que não passou pela cláusula de barreira. O site cita que o PSL deve iniciar 2019 com a maior bancada na Câmara dos Deputados.

“Seduzidos pela eleição e popularidade do presidente Jair Bolsonaro, 10 parlamentares devem se unir à sigla, passando de 52 para 62 deputados na próxima legislatura. Esse número fará com que o PSL ultrapasse o Partido dos Trabalhadores, com 56 eleitos, até então futuro dono do maior corpo político na Casa. Movimento semelhante é feito para aumentar a quantidade de senadores, atualmente, o PSL tem quatro representantes”, cita o site.

A legislação permite a troca de partido para deputados de siglas que não conseguiram cumprir as regras estabelecidas sem cair na infidelidade partidária. Dentro desse grupo há 41 nomes aptos a trocar de legenda, sendo 32 deputados e nove senadores.

O Metrópole cita que desde a eleição de Bolsonaro à Presidência, em 28 de outubro, as conversas entre parlamentares eleitos e o PSL se intensificaram. Muitos deles, inclusive, estiveram em Brasília e selaram acordo verbal para ingressar no novo partido.

“Uma das bancadas do PSL que devem ganhar reforços é a do Nordeste. Atualmente, ela é representada por cinco deputados: o presidente do PSL, Luciano Bivar, eleito por Pernambuco; Julian Lemos (PSL-PB); Professora Dayane Pimentel (PSL-BA); Heitor Freie (PSL-CE); e General Girão (PSL-RN). A eles devem se juntar os deputados federais Fernando Rodolfo (PHS-PE), Eduardo Braide (PMN-MA) e Pastor Gildenemyr (PMN-MA) ”, afirma o site.

Eduardo Braide é atualmente presidente estadual do PMN no Maranhão e foi o segundo colocado na disputa pela Câmara dos Deputados com 189.843 mil votos. Já Pastor Gildenemyr foi eleito com 47.758 mil votos.

Eduardo Braide é convidado para se filiar ao PSL

O presidente estadual do PSL no Maranhão, vereador de São Luís, Francisco Carvalho, confirmou, nesta segunda-feira (29), em uma entrevista para a Rádio Difusora FM, que o deputado estadual Eduardo Braide (PMN) foi convidado para se filiar ao PSL, partido do presidente eleito Jair Bolsonaro.

Eduardo Braide foi eleito deputado federal pelo PMN, partido que não passou pela cláusula de barreira. O deputado ainda não confirmou se vai aceitar.

O convite para se filiar ao PSL faz parte de uma estratégia do partido que visa às eleições de 2020.

Eduardo Braide ficou em segundo lugar na disputa para a prefeitura de São Luís em 2016. Nessa última eleição, ele obteve mais de 189 mil votos para a Câmara dos Deputados.
O presidente eleito, Jair Bolsonaro, teve uma expressiva votação em São Luís e conseguiu dá status de partido grande ao PSL, após as eleições.

Roberto Rocha tem nome oficializado em convenção

Mesmo com a convenção, Roberto Rocha não anunciou o nome que disputará como vice-governador ao seu lado

O senador e presidente do PSDB, Roberto Rocha, teve seu nome homologado em convenção partidária e agora é oficialmente candidato ao Governo do Estado. O evento foi realizadi no sábado (04) na Batuque Brasil, no bairro da Cohama, para um pouco mais de mil pessoas.

Roberto Rocha conta com o apoio do PSDB, do PSDC, PHS, PMN, Rede e Podemos.

O ex-governador José Reinaldo e o deputado estadual Alexandre Almeida também tiveram os nomes homologados para a disputa ao Senado Federal.

O deputado federal Waldir Maranhão, que vinha trabalhando para ser escolhido o candidato a senador, recuou da candidatura e anunciou que disputaria a reeleição novamente.

Mesmo com a convenção, Roberto Rocha não anunciou o nome que disputará como vice-governador ao seu lado.

Eduardo Braide lança candidatura à Câmara dos Deputado e declara apoio a Roberto Rocha

Segundo colocado nas eleições para a Prefeitura de São Luís, o parlamentar vinha ensaiando uma candidatura ao Governo do Estado, mas sem apoio, desistiu da pré-candidatura

O deputado estadual Eduardo Braide (PMN) declarou apoio ao pré-candidato a governador Roberto Rocha (PSDB). A declaração foi dada, nesta sexta-feira (03), na convenção do PMN, realizada no Auditório Fernando Falcão, na Assembleia Legislativa do Maranhão.

O presidente estadual do PMN vai disputar uma vaga na Câmara dos Deputados e terá o apoio do PHS nas coligações proporcionais. O PHS também realizou sua convenção ao lado do PMN.

Segundo colocado nas eleições para a Prefeitura de São Luís, o parlamentar vinha ensaiando uma candidatura ao Governo do Estado, mas sem apoio, desistiu da pré-candidatura.

“Tenho a absoluta certeza, com experiência de dois mandatos de deputado estadual, pelo trabalho que nós conseguimos fazer, eu tenho certeza que lá na Câmara dos Deputados nós vamos contribuir muito mais com o Maranhão”, afirmou Eduardo Braide.

Coronel Monteiro se diz traído pelo PHS

Monteiro afirmou que “se sente traído” pelo presidente do PSH, o advogado Jorge Arturo

O militar reformado do Exército Brasileiro Coronel Monteiro, até então filiado ao PHS, usou suas redes sociais para mostrar sua indignação com os últimos acontecimentos que levaram o PHS para a chapa do senador Roberto Rocha (PSDB).

Monteiro afirmou que “se sente traído” pelo presidente do PSH, o advogado Jorge Arturo.

“Nós tivemos a nossa candidatura podada, de maneira infame, porque nós tínhamos um compromisso, e nós honramos a nossa parte. O PHS não foi digno de ser um partido político”, completou.

O PHS firmou uma parceria com o PMN nas coligações proporcionais e caminhão com o PSDB de Roberto Rocha na majoritária. A ida dos dois partidos para a chapa do PSDB, também foi tida como a garantia de que José Reinaldo seja candidato ao Senado Federal.

Eduardo Braide anuncia pré-candidatura à Câmara dos Deputados

Eduardo Braide agora ensaia uma coligação com o PHS nas eleições proporcionais

O deputado estadual Eduardo Braide (PMN) anunciou, por meio de suas redes sociais, que é pré-candidato a deputado federal nas eleições de 2018.

Presidente estadual do PMN e segundo colocado nas eleições para a Prefeitura de São Luís, o parlamentar vinha ensaiando uma candidatura ao Governo do Estado, mas achou por bem agora anunciar que concorrerá a uma vaga na Câmara dos Deputados.

Eduardo Braide ensaia uma coligação com o PHS nas eleições proporcionais. De acordo com o próprio deputado, os dois partidos decidirão, até o dia 03 de agosto, se apoiarão Maura Jorge (PSL), Roberto Rocha (PSDB) ou uma candidatura própria.

Maura Jorge sobe o tom e desce o verbo em entrevista

A pré-candidata mostrou sua desestabilidade ao chorar ao viva na entrevista após uma bateria de críticas aos partidos e o programa teve que ser interrompido

A ex-prefeita de Lago da Pedra e pré-candidata ao Governo do Estado, Maura Jorge (PSL), deu entrevista, hoje (30), a uma rádio local e se mostrou revoltada com as últimas tratativas que fizeram com que ela perdesse o apoio do PSC, PMN, PSDC, Avante e Podemos.

Maura Jorge não poupou críticas à deputada federal Luana Costa (PSC) e ao seu marido, o ex-prefeito de Santa Inês, Ribamar Alves. Na entrevista, ela afirmou que para Luana não importava um projeto de estado, mas sim a reeleição para a Câmara dos Deputados e deu a entender que a ida do PSC para a coligação da ex-governadora Roseana Sarney (MDB) foi “uma troca de benéfices”.

O presidente do Podemos, Aluísio Mendes, também não foi poupado por Maura Jorge. A candidata do PSL afirmou que o Podemos era hipócrita por não pensar na construção de uma terceira via. Maura também afirmou que hoje o Podemos é grande graças ao trabalho que ela desempenhou nesses dois anos com o deputado Aluísio e que não faz sentindo o partido apoiar o nome de Roberto Rocha só por pensar na reeleição de seu presidente.

A crise dentro do PSL foi evidenciada por Maura na entrevista. Em suas palavras, a perda do apoio do Podemos e do PMN do deputado estadual Eduardo Braide se deu “pelo pensamento ainda de velha política” do atual presidente estadual da sigla, o vereador Chico Carvalho.

Maura ainda afirmou que Chico Carvalho foi o principal causador do rompimento com o PSC de Luana Costa e Léo Cunha. O vereador chegou a discutir e quase foi às vias de fato com Ribamar Alves. Sobre Chico Carvalho, Maura ainda falou que o presidente da legenda ainda não entendeu o projeto nacional do PSL e que isso iria prejudicar gravemente sua candidatura.

A pré-candidata mostrou sua desestabilidade ao chorar ao viva na entrevista após uma bateria de críticas aos partidos e o programa teve que ser interrompido.

Maura Jorge adia convenção na luta por novas adesões

Maura aguarda a decisão do PMN para realizar sua convenção e fechar a composição de chapa majoritária

A ex-prefeita de Lago da Pedra, pré-candidata ao Governo do Estado, Maura Jorge (PSL), adiou em cima da hora a convenção do seu partido. A mudança se deu pelos últimos esforços dela em convencer siglas indecisas a aderirem ao seu projeto.

A convenção do PSL será no Espaço Renascença, no dia 05 de agosto, último dia do prazo do Tribunal Superior Eleitoral, às 15h.

Outro motivo da mudança foi a realização da convenção do PMN, que será realizada dia 03 de agosto. Maura aguarda a decisão do PMN para realizar sua convenção e fechar a composição de chapa majoritária.