Roberto Rocha tem nome oficializado em convenção

Mesmo com a convenção, Roberto Rocha não anunciou o nome que disputará como vice-governador ao seu lado

O senador e presidente do PSDB, Roberto Rocha, teve seu nome homologado em convenção partidária e agora é oficialmente candidato ao Governo do Estado. O evento foi realizadi no sábado (04) na Batuque Brasil, no bairro da Cohama, para um pouco mais de mil pessoas.

Roberto Rocha conta com o apoio do PSDB, do PSDC, PHS, PMN, Rede e Podemos.

O ex-governador José Reinaldo e o deputado estadual Alexandre Almeida também tiveram os nomes homologados para a disputa ao Senado Federal.

O deputado federal Waldir Maranhão, que vinha trabalhando para ser escolhido o candidato a senador, recuou da candidatura e anunciou que disputaria a reeleição novamente.

Mesmo com a convenção, Roberto Rocha não anunciou o nome que disputará como vice-governador ao seu lado.

Eduardo Braide lança candidatura à Câmara dos Deputado e declara apoio a Roberto Rocha

Segundo colocado nas eleições para a Prefeitura de São Luís, o parlamentar vinha ensaiando uma candidatura ao Governo do Estado, mas sem apoio, desistiu da pré-candidatura

O deputado estadual Eduardo Braide (PMN) declarou apoio ao pré-candidato a governador Roberto Rocha (PSDB). A declaração foi dada, nesta sexta-feira (03), na convenção do PMN, realizada no Auditório Fernando Falcão, na Assembleia Legislativa do Maranhão.

O presidente estadual do PMN vai disputar uma vaga na Câmara dos Deputados e terá o apoio do PHS nas coligações proporcionais. O PHS também realizou sua convenção ao lado do PMN.

Segundo colocado nas eleições para a Prefeitura de São Luís, o parlamentar vinha ensaiando uma candidatura ao Governo do Estado, mas sem apoio, desistiu da pré-candidatura.

“Tenho a absoluta certeza, com experiência de dois mandatos de deputado estadual, pelo trabalho que nós conseguimos fazer, eu tenho certeza que lá na Câmara dos Deputados nós vamos contribuir muito mais com o Maranhão”, afirmou Eduardo Braide.

Coronel Monteiro se diz traído pelo PHS

Monteiro afirmou que “se sente traído” pelo presidente do PSH, o advogado Jorge Arturo

O militar reformado do Exército Brasileiro Coronel Monteiro, até então filiado ao PHS, usou suas redes sociais para mostrar sua indignação com os últimos acontecimentos que levaram o PHS para a chapa do senador Roberto Rocha (PSDB).

Monteiro afirmou que “se sente traído” pelo presidente do PSH, o advogado Jorge Arturo.

“Nós tivemos a nossa candidatura podada, de maneira infame, porque nós tínhamos um compromisso, e nós honramos a nossa parte. O PHS não foi digno de ser um partido político”, completou.

O PHS firmou uma parceria com o PMN nas coligações proporcionais e caminhão com o PSDB de Roberto Rocha na majoritária. A ida dos dois partidos para a chapa do PSDB, também foi tida como a garantia de que José Reinaldo seja candidato ao Senado Federal.

Eduardo Braide anuncia pré-candidatura à Câmara dos Deputados

Eduardo Braide agora ensaia uma coligação com o PHS nas eleições proporcionais

O deputado estadual Eduardo Braide (PMN) anunciou, por meio de suas redes sociais, que é pré-candidato a deputado federal nas eleições de 2018.

Presidente estadual do PMN e segundo colocado nas eleições para a Prefeitura de São Luís, o parlamentar vinha ensaiando uma candidatura ao Governo do Estado, mas achou por bem agora anunciar que concorrerá a uma vaga na Câmara dos Deputados.

Eduardo Braide ensaia uma coligação com o PHS nas eleições proporcionais. De acordo com o próprio deputado, os dois partidos decidirão, até o dia 03 de agosto, se apoiarão Maura Jorge (PSL), Roberto Rocha (PSDB) ou uma candidatura própria.

Maura Jorge sobe o tom e desce o verbo em entrevista

A pré-candidata mostrou sua desestabilidade ao chorar ao viva na entrevista após uma bateria de críticas aos partidos e o programa teve que ser interrompido

A ex-prefeita de Lago da Pedra e pré-candidata ao Governo do Estado, Maura Jorge (PSL), deu entrevista, hoje (30), a uma rádio local e se mostrou revoltada com as últimas tratativas que fizeram com que ela perdesse o apoio do PSC, PMN, PSDC, Avante e Podemos.

Maura Jorge não poupou críticas à deputada federal Luana Costa (PSC) e ao seu marido, o ex-prefeito de Santa Inês, Ribamar Alves. Na entrevista, ela afirmou que para Luana não importava um projeto de estado, mas sim a reeleição para a Câmara dos Deputados e deu a entender que a ida do PSC para a coligação da ex-governadora Roseana Sarney (MDB) foi “uma troca de benéfices”.

O presidente do Podemos, Aluísio Mendes, também não foi poupado por Maura Jorge. A candidata do PSL afirmou que o Podemos era hipócrita por não pensar na construção de uma terceira via. Maura também afirmou que hoje o Podemos é grande graças ao trabalho que ela desempenhou nesses dois anos com o deputado Aluísio e que não faz sentindo o partido apoiar o nome de Roberto Rocha só por pensar na reeleição de seu presidente.

A crise dentro do PSL foi evidenciada por Maura na entrevista. Em suas palavras, a perda do apoio do Podemos e do PMN do deputado estadual Eduardo Braide se deu “pelo pensamento ainda de velha política” do atual presidente estadual da sigla, o vereador Chico Carvalho.

Maura ainda afirmou que Chico Carvalho foi o principal causador do rompimento com o PSC de Luana Costa e Léo Cunha. O vereador chegou a discutir e quase foi às vias de fato com Ribamar Alves. Sobre Chico Carvalho, Maura ainda falou que o presidente da legenda ainda não entendeu o projeto nacional do PSL e que isso iria prejudicar gravemente sua candidatura.

A pré-candidata mostrou sua desestabilidade ao chorar ao viva na entrevista após uma bateria de críticas aos partidos e o programa teve que ser interrompido.

Maura Jorge adia convenção na luta por novas adesões

Maura aguarda a decisão do PMN para realizar sua convenção e fechar a composição de chapa majoritária

A ex-prefeita de Lago da Pedra, pré-candidata ao Governo do Estado, Maura Jorge (PSL), adiou em cima da hora a convenção do seu partido. A mudança se deu pelos últimos esforços dela em convencer siglas indecisas a aderirem ao seu projeto.

A convenção do PSL será no Espaço Renascença, no dia 05 de agosto, último dia do prazo do Tribunal Superior Eleitoral, às 15h.

Outro motivo da mudança foi a realização da convenção do PMN, que será realizada dia 03 de agosto. Maura aguarda a decisão do PMN para realizar sua convenção e fechar a composição de chapa majoritária.

PMN de Eduardo Braide marca sua convenção estadual

O deputado Eduardo Braide vinha sendo cotado como um dos nomes para a disputa ao Governo do Estado, possibilidade que pode ser oficializada ou não no dia da convenção

O Partido da Mobilização Nacional (PMN) marcou para o dia 3 de agosto, no Auditório Fernando Falcão, na Assembleia Legislativa do Maranhão, sua convenção estadual de 2018.

Presidido pelo deputado estadual, Eduardo Braide, o PMN vai deliberar sobre coligações com outros partidos para as eleições majoritárias e proporcionais de 2018. E sobre candidaturas a governador, senador, deputados federais e estaduais.

O deputado Eduardo Braide vinha sendo cotado como um dos nomes para a disputa ao Governo do Estado, possibilidade que pode ser oficializada ou não no dia da convenção.

Um possível apoio do PMN à pré-candidata Maura Jorge (PSL) é ventilado nos bastidores.

Oito partidos políticos seguem indefinidos nas eleições no Maranhão

Apesar de serem considerados pequenos, os partidos em questão, juntos, ainda detêm quase um minuto do horário gratuito eleitoral

Faltando poucos dias para o fim das convenções partidárias, oito partidos seguem indefinidos sobre com quem estarão na corrida estadual.

Apesar de serem considerados pequenos, os partidos em questão, juntos, ainda detêm quase um minuto do horário gratuito eleitoral, por isso a disputa dos grupos políticos pela confirmação do apoio.

O PSC, presidido pelo deputado estadual Léo Cunha, segue conversando com o grupo liderado pelo senador Roberto Rocha (PSDB) e com a ex-governadora Roseana Sarney (MDB). Mas uma possível aliança com o governador Flávio Dino (PCdoB) não é descartada.

Presidido pelo deputado estadual Eduardo Braide, o PMN é tido como certo na coligação de Maura Jorge (PSL), mas pela aproximação com o pré-candidato ao Senado, o deputado federal José Reinaldo, uma aliança com Roberto Rocha pode ser concretizada até o final das convenções.

O Avante, legenda comandada pelo prefeito de Santa Rita, Hilton Gonçalo, ainda não fechou questão sobre quem irá apoiar nas eleições de 2018.

A Rede Sustentabilidade no Maranhão, também é outro partido que ainda não definiu seu caminho nas eleições estaduais. Uma aliança com o deputado estadual Eduardo Braide foi ventilada, mas com a não confirmação de seu nome na disputa, o caminho mais viável é o apoio ao governador Flávio Dino.

Os partidos PHS, PRTB, Democracia Cristã (antigo PSDC) e o Podemos, ainda seguem indefinidos se apoiarão a candidatura de Maura Jorge ou Roseana Sarney.

PMN desiste de lançar ex-apresentadora do Jornal Nacional Valéria Monteiro

Sem um representante competitivo na corrida presidencial, o PMN dificilmente passará pela Cláusula de Barreira, imposta pela última reforma eleitoral

O Partido da Mobilização Nacional decidiu abrir mão da corrida presidencial. A jornalista Valéria Monteiro, ex-apresentadora do Jornal Nacional, era, até então, a principal aposta. Porém, a hipótese foi descartada ao não atingir 3% das intenções de voto nas pesquisas realizadas pelo partido.

A presidência do PMN informou que a baixa popularidade de Monteiro e a atual estrutura do partido influenciaram na decisão.

A jornalista afirmou que, ao se filiar, o acordo era atingir, no mínimo, 1,5% das intenções de voto. Afirmou ainda que a direção do partido nunca fez o lançamento oficial de sua pré-candidatura, tampouco comunicou seu nome aos institutos de pesquisa.

O PMN elegeu, em 2014, apenas três representantes na Câmara Federal e é considerado um dos partidos nanicos. Tem pouco tempo de TV no horário eleitoral gratuito e pouca participação no Fundo Partidário.

Sem um representante competitivo na corrida presidencial, o PMN dificilmente passará pela Cláusula de Barreira, imposta pela última reforma eleitoral.