Polícia Civil apreende 35 toneladas de maconha e desarticula rota do tráfico no Maranhão

A maconha estava parte prensada, pronta à venda e outra em roças que, após a operação, foi incinerada

Uma operacão da Polícia Civil em Santa Inês conseguiu apreender 35 toneladas de maconha, em área considerada ponto de grande movimentação de tráfico na região. O montante renderia, aproximadamente, R$ 40 milhões ao crime, se fosse distribuído. A apreensão foi no povoado Faisa, onde foi encontrado material para cultivo, maquinário, sementes e outros insumos. A ação envolveu mais de 50 policiais, entre civis e militares, e equipes do Centro Tático Aéreo (CTA). Esta foi a maior apreensão do ano, em todo o Nordeste.

A maconha estava parte prensada, pronta à venda e outra em roças que, após a operação, foi incinerada. A missão durou 17 dias e foi dividida em três fases, sendo parte no povoado Faisa e outra na Aldeia Massaranduba, tendo a participação das 17 delegacias que integram a Regional de Santa Inês que cobre 13 municípios. Teve o apoio do Comando do Policiamento de Área do Interior (CPAI-8) e do 7º Batalhão de Polícia Militar (BPM).

As ações de combate ao tráfico de drogas no Maranhão se aprimoram com os investimentos do Governo do Estado, via Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-MA). As medidas contemplam a aquisição de equipamentos, armamento, treinamento de efetivo, valorização do policial com promoções, progressões e incrementos salariais. Os investimentos garantiram o aumento significativo nas apreensões e colocaram o Maranhão entre os primeiros do país nesse setor.

A capacidade da polícia maranhense no combate a esse crime e suas vertentes foi reconhecida pela Escola Superior do Ministério Público de Pernambuco (MP/PE). A instituição convidou equipe da Superintendência Estadual de Repreensão ao Narcotráfico (Senarc) para relatar suas estratégias e expertise na realização das operações, com objetivo de informar e promover treinamento. A Senarc é o instituto que consolida as ações e operações de combate ao tráfico de drogas no Maranhão.

Assaltantes disfarçados de funcionários assaltam Supermercado Mateus

Dois elementos disfarçados de funcionários assaltam Supermercado Mateus no bairro da Cohama

Dois elementos disfarçados de funcionários assaltaram, na manhã desta sexta-feira (18), o Supermercado Mateus no bairro da Cohama.

De acordo com informações prelimiranes de funcionários e clientes, os assaltantes entraram no setor administrativo do supermercado e roubaram uma quantia em torno de R$ 200 mil.

A Polícia Civil já foi chamada para investigar como os assaltantes adentraram no setor administrativo do supermercado. A Polícia Militar também já foi acionada pra iniciar as buscas pelos os assaltantes.

O Supermercado Mateus ainda não se pronunciou oficialmente sobre o assalto.

Thiago Bardal tem prisão revogada pela Justiça

Tiago Bardal teve prisão convertida em domiciliar, com monitoramento via tornozeleira eletrônica

O delegado de Polícia Civil, Thiago Bardal, preso desde o mês março de 2018, acusado de participar do esquema de contrabando de bebidas e cigarros, teve sua prisão revogada pelo desembargador, Josemar Lopes Santos, do Tribunal de Justiça do Maranhão. Mesmo com a decisão, ele continua afastado do quadro da Polícia Civil do Maranhão.

Na decisão desta quinta-feira (17), o desembargador diz ao juiz da 3ª Vara Criminal de São Luís, que a prisão do delegado pode ser convertida em domiciliar, com monitoramento via tornozeleira eletrônica.

Esta decisão é referente ao crime de contrabando no município de Viana. No caso de contrabando internacional, a Justiça Federal revogou, no fim de abril, a prisão dos oito acusados mediante fiança de valores diferentes. O delegado Bardal teve fiança fixada em R$ 30 mil.

Thiago Bardal, policiais militares e outras cinco pessoas foram presos na manhã do dia 22 de fevereiro no Arraial, no Quebra Pote, zona rural de São Luís, com armas, bebidas alcoólicas e cigarros contrabandeados.

A operação foi realizada pela Polícia Militar, na estrada para o Quebra Pote, onde Thiago Bardal foi encontrado próximo da região em um carro com Ricardo Jefferson Muniz Belo, que seria o seu advogado.

Segundo o secretário de estado da segurança pública, Jefferson Portella, o superintendente afirmou que estava vindo de uma festa, mas depois mudou a versão falando que procurava um sítio para compra.

Jefferson Portela também informou que, após a abordagem ao delegado, policiais seguiram até um porto clandestino, localizado em um sítio da região do Quebra Pote. Por lá eles também encontraram um veículo com militares, que foram abordados e presos.

Na tarde do dia 22 de fevereiro, Thiago Bardal foi exonerado do cargo na Superintendência de Investigações Criminais (SEIC) e depois a SSP pediu sua prisão preventiva. No dia 26 de fevereiro, um sargento, um major e um soldado, que a polícia diz que participavam da quadrilha, também tiveram a prisão preventiva decretada, além de outras cinco pessoas que não integram a polícia.

No último dia 27 de fevereiro, o advogado Ricardo Jefferson Muniz Belo, que acompanhava Thiago, prestou depoimento à polícia. Durante seu interrogatório contou uma outra versão, diferente da que foi dita por Bardal. Segundo a Secretaria de Estado de Segurança (SSP-MA), o advogado tem ligação direta com o Rogério de Sousa Garcia, ex-vice-prefeito de São Mateus que é apontado como um dos chefes do esquema criminoso e está preso.

Policiais apreendem celulares e armas achados nas celas de Tiago Bardal e policiais detidos

Os materiais foram apreendidos pela Superintendência de Polícia Civil da capital, que está fazendo o levantamento do caso

Durante revista na Delegacia Especial da Cidade Operária (Decop), policiais civis encontraram quatro celulares, uma pistola municiada e um notebook nas celas do delegado Tiago Bardal, preso na Operação Combate à Corrupção que resultou na prisão de uma quadrilha de contrabando em São Luís, e dos policiais Joelson e Evandro, que foram presos por suspeita de crime de extorsão, em Lago da Pedra.

Foram encontrados na cela de Bardal um celular e um notebook; enquanto na outra cela havia pistola com munição. Os materiais foram apreendidos pela Superintendência de Polícia Civil da capital, que está fazendo o levantamento do caso.

Tiago Bardal teve o habeas corpus negado pela Justiça do Maranhão. O desembargador Tyrone José Silva informou não conhecer e não ter competência para esse caso de tráfico internacional de entorpecentes.

Em defesa do delegado Bardal, os advogados Aldenor Cunha Rebouças Júnior e Erivelton Santos Gonçalves informaram, no documento de habeas corpus, que inexistem indícios de autoria, razão pela qual a manutenção da prisão do delegado é incabível. O processo, julgado na última terça-feira (13), foi publicado na segunda (19) no Diário da Justiça do Estado do Maranhão.

Além disso, segundo determinação da Justiça Federal que solicitou esclarecimentos da operação à Justiça Estadual, o processo da quadrilha de contrabandistas está suspenso. A decisão foi tomada pelo juiz Luiz Régis Bonfim Filho, que decidiu não realizar juízo sobre as medidas cautelares. Apesar dessa decisão, não foram alteradas a situação sobre os atuais presos.

Maranhão tem queda no número de roubos e homicídios

Números da Secretaria de Segurança Pública do Maranhão (SSP-MA) apontam queda progressiva dos homicídios na região metropolitana de São Luís. Os casos caíram 40,65% no ano de 2017 em relação a 2014. Em 2014, foram 910 homicídios. Já em 2017, foram 540 casos. Levando-se em conta apenas janeiro de 2018, a queda é de 55% na relação com o mesmo mês de 2014. O total caiu de 87 para 39 casos.

As estatísticas mostram outros saltos nos resultados. O número de explosões e arrombamentos a agências bancárias no Maranhão caiu 73% em 2017 na comparação com 2014, passando de 48 para 13. Somente em 2017, foram presos mais de 200 acusados de cometer esse tipo de crime. Além disso, com mais treinamento, inteligência, profissionais e setores especializados, a apreensão de drogas no Maranhão em 2017 foi de mais de 7 mil quilos, quase 70 vezes mais que em 2014.

A Operação Busca Implacável reforçou a segurança nos ônibus. Foram mais de 180 mil abordagens feitas por policiais em 2017 para coibir os assaltos nos coletivos da Região Metropolitana de São Luís. No Complexo de Pedrinhas, já foram alcançados dois períodos de um ano sem homicídios.

De lá para cá, foram abertas mais de 2 mil vagas no sistema penitenciário maranhense. Foram oito presídios concluídos e 15 reformados e ampliados desde 2015.  E outros estão por vir.

Os resultados positivos no combate ao crime estão diretamente ligados à criação de novos setores especializados na polícia. Entre eles, estão a Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa, a Superintendência Estadual de Repressão ao Narcotráfico, a Superintendência de Prevenção e Combate à Corrupção e o Departamento de Feminicídio. Além disso, dezenas de prédios vêm sendo construídos e reformados para melhorar as investigações e dar mais segurança aos moradores. Já são 28 obras concluídas para a Polícia Civil.

O Maranhão superou pela primeira vez a marca de 12 mil policiais em serviço. Desde 2015, já foram feitas mais de 3 mil novas nomeações.

 

Nilmar da Gama e a Superintendência de Investigações Criminais…

Em entrevista, a nova superintendente afirmou que dará continuidade aos trabalhos de investigações realizados na Seic.

Desde sexta-feira (23), a delegada Nilmar da Gama Rocha foi empossada superintendente de Investigações Criminais (Seic) da Polícia Civil do Maranhão pelo secretário de Segurança, Jefferson Portela. Ela passa a ser a mulher forte do Sistema de Segurança do Estado, cargo que era ocupado pelo ex-diretor Thiago Bardal, exonerado após estouro de uma operação que descobriu uma organização criminosa que atuava no contrabando.

Durante apresentação, Portela destacou que a delegada é uma profissional respeitada pela sociedade, que tem uma larga experiência na polícia judiciária e agora vai comandar a Seic para fazer o serviço continuado em todo o Maranhão. Nilmar da Gama é uma das mais experientes da Polícia Civil e também já comandou outras delegacias e superintendências da SSP, como a de Homicídios, Superintendência da capital, Roubos e Furtos, e do Interior.

O delegado Thiago Bardal, ex-superintendente citado em investigações, foi exonerado no Diário Oficial da última quinta-feira (22). Um pedido de prisão preventiva para ele foi feito pelo Sistema de Segurança, que aguarda decisão judicial.

Deputados debatem com secretário de Segurança projeto da Polícia Civil

Reunião entre deputados e Jefferson Portela discutiu projeto da Segurança

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Othelino Neto (PCdoB), recebeu o secretário de Segurança Pública, Jefferson Portela, para explicar o projeto que trata da organização administrativa da Polícia Civil, enviado pelo Governo do Estado no ano passado.

Participaram do encontro os deputados Rogério Cafeteira (PSB), líder do Governo; Rafael Leitoa (PDT), líder do Bloco Parlamentar; Glalbert Cutrim (PDT), presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania;  Júnior Verde (PRB) e Zé Inácio (PT).

O encontro, segundo Othelino Neto, serviu para mostrar que o debate democrático vai permitir melhorias para a população. O parlamentar explicou que convidou o secretário com o objetivo de dirimir as dúvidas. “Ele veio, atendendo ao nosso convite, para explicar a mim e a outros deputados que quiseram participar, qual o sentido das alterações, quais são estas alterações e por que esse projeto vai facilitar a ação da Polícia Civil no Maranhão”, afirmou.

O deputado disse ainda que haverá uma audiência pública, próxima sexta-feira (23), para debater o projeto, mas mesmo com essa ampla discussão, a proposta só entrará na pauta de votação de terça-feira (27), com o resultado representando o desejo da maioria.

Já o líder do Governo, Rogério Cafeteira (PSB), enfatizou que o encontro foi uma oportunidade de ouvir as explicações do secretário sobre as ações que visam aperfeiçoar a Polícia Civil; e que o amplo debate vai levar a população a ficar a favor da proposta.

O deputado Júnior Verde, que é policial civil, explicou que uma das alterações será feita através de sua emenda, permitindo o pagamento de diárias para os policiais em viagens a municípios da mesma regional, caso seja superior a um dia. De acordo com o parlamentar, o projeto vai criar cinco novas regionais.

O secretário Jefferson Portela elogiou a iniciativa da Assembleia de buscar debater e melhorar o projeto e disse que as alterações serão feitas no sentido de ajudar a fortalecer a atuação da Polícia Civil.

Ele estava acompanhado de Leonardo Diniz, delegado geral da Polícia Civil.

Polícia Civil prende integrantes de facção criminosa que atuavam na capital

O líder da facção foi localizado em um hospital particular da capital, onde estava internado após ter sido alvejado com um disparo de arma de fogo durante um roubo que tentou praticar.

Realizada nesta quinta-feira (15), uma operação da Polícia Civil do Maranhão deu cumprimento a mandados de prisão preventiva em desfavor de dois integrantes de uma facção criminosa do Maranhão.

Segundo informações, Charles da Luz , vulgo “Pinduca”, de 26 anos, seria um dos principais líderes de uma das facções criminosas de São Luís, atuando em Paço do Lumiar, juntamente com Francisco de Assis Ambrósio, vulgo “Gordo ou De Assis”, de 38 anos, seu comparsa na prática de diversos delitos.

O líder da facção foi localizado em um hospital particular da capital, onde estava internado após ter sido alvejado com um disparo de arma de fogo durante um roubo que tentou praticar há alguns dias.

A dupla foi encaminhada ao Centro de Triagem e Observação Criminológica do Sistema Penitenciário de São Luís, onde ficarão à disposição da Justiça.

Homicídios caem 55% na capital maranhense

Os números mostram o resultado prático dos investimentos em segurança feitos nos últimos três anos.

Desde 2015, o número de homicídios em São Luís mantém a tendência progressiva de queda. O mês de janeiro de 2018 mostrou uma nova redução em relação aos anos anteriores. Na comparação com janeiro de 2014, a queda foi de 55%. O total caiu de 87 para 39 casos.

Os números mostram o resultado prático dos investimentos em segurança feitos nos últimos três anos. Em janeiro de 2014, foram 87 homicídios; em janeiro de 2015, 84; em janeiro de 2016, 63; em janeiro de 2017, 62; e agora, em janeiro de 2018, 39.

Com mais de 3 mil novos policiais, o Maranhão chegou à tropa recorde de mais de 12 mil profissionais. Também já foram entregues mais de 800 viaturas para reforçar o policiamento.

A Polícia Militar e a Polícia Civil estão com concursos em andamento para a contratação de mais de 1.300 profissionais, o que vai continuar aumentando o tamanho da tropa.