Polícia recupera R$ 45 milhões e prende mais 10 suspeitos de assaltar banco em Bacabal

O grupo estava no interior de um caminhão e com eles, armamento e munição de alto calibre, além da quantia de R$ 45.321.492

Dez suspeitos de integrar a quadrilha que assaltou instituição financeira em Bacabal serão transferidos para São Luís. Presos durante abordagem policial em Santa Luzia do Paruá, na madrugada desta terça-feira (4), o grupo estava no interior de um caminhão e com eles, armamento e munição de alto calibre, além da quantia de R$ 45.321.492.

O condutor do veículo está entre os presos, suspeito de integrar o bando. Três outros suspeitos foram mortos em confronto com a polícia. As informações foram repassadas pelo secretário de Estado de Segurança Pública (SSP-MA), Jefferson Portela, durante coletiva ocorrida nesta terça-feira na sede da SSP-MA, no bairro Vila Palmeira.

Na lista de itens apreendidos com os suspeitos estão 11 fuzis, incluindo um armamento com capacidade para derrubar aeronaves; duas metralhadoras calibre ponto 50, pistola e vários coletes à prova de bala, além de mais de 440 munições de lato calibre. Cerca de 30 pessoas integraram o bando que agiu no assalto ocorrido no dia 25 novembro, em Bacabal. Desde então, a SSP-MA deflagrou operação especial para prisão dos demais membros da quadrilha.

O grupo estava no interior de um caminhão e com eles, armamento e munição de alto calibre, além da quantia de R$ 45.321.492

Com os resultados desta fase da investigação, somam 15 os membros do grupo interceptados. A polícia já possui informações de todos os membros do grupo criminoso, segundo divulgado na coletiva. A operação segue com investigações individualizadas dos suspeitos, apoiadas em relatórios da operação e banco de dados nacional. Os integrantes do grupo são do Paraná, Tocantins, Sergipe, São Paulo e Salvador, onde seria a base de atuação da quadrilha.

“Foi uma atuação muito eficiente dos nossos homens da Polícia Militar, que tiveram firmeza contra um bando fortemente armado, neutralizando e prendendo todos os suspeitos. Contra o ataque do crime temos a repressão qualificada. Aqui tem governo, o sistema de segurança tem comando e os criminosos sentirão o peso da lei”, afirmou o secretário de Estado de Segurança Pública (SSP-MA), Jefferson Portela.

Na abordagem foram presos os paulistas Gelsimar Oliveira, Alexandre Moura, Wagner Cesar Oliveira, Robson César Pereira, José Eduardo Zacarias Barboni, Valdeir Carvalho dos Santos e Fábio Batista de Oliveira; os baianos George Ferreira Santos e Ricardo Santos Souza (que seria um dos mais perigosos do bando); e o paranaense Derli Luiz Gilioli. Morreram durante o confronto com a polícia: Silva Santos, Adenilson Moreira e Renan Santos dos Praseres, todos de São Paulo.

Os policiais mantêm cerco em pelo menos 10 municípios nas proximidades de Bacabal para prisão do restante da quadrilha. Durante a coletiva, o secretário Jefferson Portela afirmou que as investigações indicam que os demais membros da quadrilha permanecem no Maranhão.

Participaram da coletiva realizada nesta terça-feira, o delegado geral de Polícia Civil, Leonardo Diniz; o comandante geral da Polícia Militar, Jorge Luongo; e o delegado geral adjunto de Operações Policiais, André Gossain.

Polícia prende integrantes da quadrilha envolvida no assalto em Bacabal

Os suspeitos estavam dentro de um caminhão, em Santa Luzia do Paruá, quando foram surpreendidos durante uma abordagem policial

Na operação de busca a integrantes da quadrilha que realizou assalto em Bacabal, foram presos na madrugada desta terça-feira mais nove suspeitos; e outros três mortos foram em confronto com policiais.

Os suspeitos estavam dentro de um caminhão, em Santa Luzia do Paruá, quando foram surpreendidos durante uma abordagem policial.

O condutor do veículo está entre os presos e, com o grupo, a polícia encontrou armas de grosso calibre e dinheiro, que seria parte do roubo à agência bancária.

“Nosso efetivo está a postos e como já anunciamos, vamos prender os integrantes desse grupo criminoso. Eles não sairão impunes. A força policial do Maranhão deslocou equipes com treinamento de ponta e equipados para responder a qualquer investida destes criminosos e a ordem é prendê-los”, enfatizou o secretário de Estado de Segurança Pública (SSP-MA), Jefferson Portela.

Os suspeitos estavam dentro de um caminhão, em Santa Luzia do Paruá, quando foram surpreendidos durante uma abordagem policial

Entre as armas que estavam com os presos, duas metralhadoras calibre 50, pistola e vários coletes à prova de bala e 11 fuzis.

A quantia de dinheiro encontrada com os homens não foi revelada pela polícia.

A ação da Segurança Pública para captura dos membros da quadrilha está em curso, desde o momento do assalto, ocorrido dia 25 de novembro.

Policiais mantiveram cerca na cidade e nos arredores de pelo menos 10 municípios nas proximidades, a fim de impedir que a quadrilha saísse do Estado.

As equipes da Polícia Miliar ficam de prontidão nas cidades de Itapecuru, Vargem Grande, Coroatá, Caxias, Santa Inês, Pedreiras, Bom Jardim e outros municípios fronteiriços a Bacabal, até que todos os membros da quadrilha sejam presos.

Na primeira ação policial foram presos dois policiais – um do Piauí e outro do Maranhão – mais oito pessoas detidas, além de R$ 3,7 milhões recuperados.

Foram mortos em confronto com a polícia Edielson Francisco Lumes, o Dô ou Titi, irmão de Zé de Lessa, que chefiava o grupo nas ações; Warley dos Reis Souza, o Bombado, que é paraense; e Gean Martins Rocha, de Araguaina, no Tocantins.

Segundo as investigações, a quadrilha é a maior em assalto a bancos com atuação nos nove estados do Nordeste e chefiada por José Francisco Lumes, o Zé de Lessa, que comanda do Paraguai.

Cerca de 30 membros da quadrilha vieram para o Maranhão participar do assalto a Bacabal, segundo a polícia. A SSP-MA trabalha com apoio da Interpol, Centro de Controle da Aeronáutica, polícias dos Estados onde há atuação da quadrilha e também, forças policiais do Uruguai.

Polícia recupera R$ 3 milhões após combater bandidos de outros Estados em Bacabal

Dezenas de blocos de dinheiro foram recuperados pela polícia em Bacabal — Foto: Erisvaldo Santos/TV Mirante

A polícia recuperou até agora cerca de R$ 3 milhões que estavam num prédio atacado em Bacabal por uma quadrilha de criminosos de outros Estados. O alvo dos bandidos foi um prédio do Banco do Brasil. A busca pelos fugitivos continua.

Durante a ofensiva dos criminosos, a Polícia Militar reagiu – com armamentos que incluíam fuzis – e conseguiu expulsar a quadrilha do município.

Três suspeitos morreram no confronto com os policiais. Duas pessoas estão presas sob suspeita de ligação com o roubo.

O secretário de Segurança Pública do Maranhão, Jefferson Portela, diz que nenhuma das agências bancárias de Bacabal foi atingida por explosões. O alvo foi um setor do Banco do Brasil que faz coleta de dinheiro.

De acordo com Portela, a instituição ainda não disse qual o valor levado pela quadrilha.

Após a ofensiva dos criminosos, moradores entraram no prédio para tentar pegar as cédulas de dinheiro que ficaram no chão. “Recuperamos R$ 3 milhões de gente que não estava envolvida com a ação”, diz o secretário. Sete pessoas foram presas nessa condição. Outros R$ 200 mil foram encontrados nesta segunda-feira com mais moradores.

Cerco

Portela frisou que diversos efetivos foram deslocados para Bacabal, incluindo forças especiais de São Luís: “Fizemos um imenso cerco, que teve por base as cidades de Itapecuru, Vargem Grande, Coroatá, Caixas e o entorno de Bacabal”.

“Avançamos muito hoje no que se refere aos dados de envolvidos com essas ações”, contou o secretário. Parte da quadrilha é da Bahia e do Tocantins.

“Vamos providenciar o alcance da lei penal para todos os envolvidos. Garanto que vamos prender todos os envolvidos, como fizemos em 100% dos casos. Somos o único Estado do Brasil a ter 100% de resolução de assaltos a bancos e 100% dos envolvidos capturados. Vamos identificar e prender todos os envolvidos”, disse Portela.

“PM praticou ato de bravura” ao expulsar quadrilha de Bacabal, diz Jefferson Portela

Os policiais estavam armados com fuzis e, no confronto, três suspeitos foram mortos.

O secretário de Segurança Pública do Maranhão, Jefferson Portela, classifica de “ato de bravura” a pronta reação da Polícia Miltar à ação de uma quadrilha de criminosos de outros Estados em Bacabal, na noite deste domnigo (25). O alvo dos bandidos foi uma agência do Banco do Brasil.

“De imediato, todos nós, a noite toda, acompanhamos nossos policiais, que são homens que praticaram atos de bravura”, diz Jefferson.

Os policiais estavam armados com fuzis e, no confronto, três suspeitos foram mortos. Até o início da manhã desta segunda-feira, dois suspeitos tinham sido presos.

“Os policiais partiram para cima, neutralizaram definitivamente três criminosos e isso deu um recado claro para eles. Viram que a força letal também estava sendo usada contra eles. Por isso essa fuga estabanada deles para todos os lados”, acrescenta o secretário.

Busca pelos fugitivos

De acordo com Portela, há informações de que veículos dos suspeitos passaram em fuga por cidades da região. Os batalhões da região estão interceptando e buscando esses suspeitos.

“Vamos buscar um por um, como já fizemos em 100% dos casos de roubo a banco. Somos o Estado que tem 300 assaltantes de banco presos e 100% dos casos elucidados com prisões ou neutralizações de bandidos”, afirma Portela.

O secretário acrescenta que “a ordem aqui no Estado do Maranhão, em nome da lei, é usar a força para defender o cidadão. Iremos buscar todos eles estejam em qualuer lugar do planeta Terra”.

Outras prisões

Após a ação da quadrilha, algumas pessoas tentaram pegar cédulas de dinheiro que ficaram espalhadas pelo chão. “Tentaram se aproveitar de uma situação de crise, criando mais problema para a polícia, que já tinha que combater os próprios assaltantes”, conta Portela.

“Nessa condição, foram sete pessoas presas, inclusive um soldado da PM do Piauí, armado no local. Ele será investigado profundamente para saber se só praticou esse ato de querer levar vantagem ou se ele fez algum trabalho prévio de cobertura para a quadrilha.”

Novo cangaço

Dos três suspeitos mortos no confronto, um é de Tocantins, um é da Bahia e um é do Maranhão. O baiano era irmão do maior chefe de quadrilha de criminosos violentos da Bahia.

“Portanto, são bandidos da Bahia associados a bandidos do Tocantins e a bandidos daqui para praticar essas ações. É uma modalidade conhecida como novo cangaço, que usa extrema violência e busca matar policiais. É uma modalidade que não vamos permitir aqui no Estado do Maranhão; e isso custará muito caro para eles”, afirma Jefferson Portela.

Governador Flávio Dino fala sobre assalto em Bacabal

A ação criminosa aconteceu por volta das 22h e os bandidos estavam fortemente armados

O governador Flávio Dino (PCdoB) usou suas redes sociais, nas primeiras horas desta segunda-feira (26), para manifestar-se sobre os assaltos ocorridos na cidade de Bacanal na noite de domingo (25).

“Sobre ações de quadrilha em Bacabal, informo que a Polícia adotou todas as providências cabíveis, inclusive com deslocamento de efetivo de cidades vizinhas. O Comandante-Geral da PM está na região. Os resultados da ação policial serão divulgados pela manhã”, escreveu Flávio.

A ação criminosa aconteceu por volta das 22h e os bandidos estavam fortemente armados. Durante a ação, os criminosos atacaram o quartel do 15º Batalhão da Polícia Militar e também a Delegacia Regional de Polícia Civil.

“Banco do Brasil em Bacabal foi atacado por quadrilha não sediada no Maranhão. Pessoas e veículos de vários Estados. Polícia do Maranhão reagiu e continua em campo. Há criminosos mortos, feridos e presos. Secretaria de Segurança vai divulgar balanço quando ações forem concluídas”, informou o governador.

A Secretaria de Estado de Segurança Pública emitiu uma nota sobre o ocorrido.

Veja a nota:

Sobre a ação dos criminosos em Bacabal, iniciada na noite deste domingo (25), a Secretaria de Segurança Pública do Maranhão (SSP-MA) informa que foram deslocadas várias equipes das polícias Civil e Militar para o município e cidades vizinhas. Três suspeitos, um deles do Tocantins, foram mortos em confrontos com as forças policiais. Até o início da manhã desta segunda-feira, dois suspeitos foram presos. A Polícia está estudando a conexão dos envolvidos com quadrilhas de outros estados.

Quadrilha de assaltantes rouba banco na cidade de Bacabal

A ação criminosa aconteceu por volta das 22h e os bandidos estavam fortemente armados

Bandidos assaltaram, na noite de domingo (25), uma agência do Banco do Brasil na cidade de Bacabal. Os assaltantes ainda incendiaram viaturas e entraram em confronto com a polícia. Três bandidos foram mortos no confronto com a polícia e um suspeito foi preso. A polícia ainda prendeu duas pessoas que entraram na agência bancária para pegar cédulas que foram deixadas durante o crime.

A ação criminosa aconteceu por volta das 22h e os bandidos estavam fortemente armados. Durante a ação, os criminosos atacaram o quartel do 15º Batalhão da Polícia Militar e também a Delegacia Regional de Polícia Civil.

A ação criminosa aconteceu por volta das 22h e os bandidos estavam fortemente armados

De acordo com a polícia, os bandidos atravessaram veículos sobre as pontes que ficam entre o Rio Mearim e o Igarapé do Bambu, que fica na saída da BR-316. Veículos foram colocados no meio dessas pontes e foram incendiados. Carretas também foram atravessadas no meio de ruas da cidade e em trechos da BR-316 que corta o município de Bacabal.

A polícia diz que os bandidos ficaram na cidade por cerca de duas horas. Ao fugirem, os bandidos levaram vários reféns e eles foram sendo liberados ao longo da noite.

Policiais da Polícia Civil e Militar das regiões do Vale do Pindaré e Mearim se deslocaram para Bacabal com o intuito de capturar e prender os bandidos. O valor levado da agência bancária pelos bandidos ainda não foi informado pela instituição.

Em sabatina, Roseana confirma que Flávio Dino aumentou efetivo da Polícia Militar

Governador Flávio Dino já incorporou mais de 4 mil soldados na Polícia Militar do Maranhão

A ex-governadora Roseana Sarney (MDB) participou de uma sabatina, na manhã desta segunda-feira (27), e confirmou os avanços do governador Flávio Dino (PCdoB) na área da Segurança Pública.

Em determinado momento, Roseana afirmou que deixou o governo do Estado, em 2014, com um efetivo de 9 mil soldados na Polícia Militar.

Roseana não se atentou ao fato de que, hoje, em 2018, o governo do Maranhão já conta com um efetivo de mais de 13 mil soldados, ou seja, 4 mil policiais a mais que no seu mandato.

A restruturação do sistema de Segurança Pública passou pela publicação de um novo concurso público para a Polícia Civil e Militar, pela aquisição de mais de 1 mil viaturas, pela expansão dos Centros Táticos Aéreos para o interior e pelos investimentos em novas tecnologias como o Instituto de Genética Forense.

Policial mata namorada e depois tira a própria vida em São Luís

O assassinato aconteceu na casa da mãe do sargento e, segundo parentes, ele insistia em continuar o namoro com Marcele Cardoso da Silva

O sargento da Polícia Militar, Marcos Vinícius Gomes Costa, assassinou a ex-namorada e, em seguida, tirou a própria vida em São Luís. O caso trágico aconteceu na noite dessa quarta-feira (6), no bairro da Cohab.

O assassinato aconteceu na casa da mãe do sargento e, segundo informações, ele insistia em continuar o namoro com Marcele Cardoso da Silva. Com as negativas da jovem, o sargento acabou praticando o crime.

Marcos Vinícius tinha um filho de outro casamento e chegou a informar, por telefone, à ex-mulher que iria se matar. Os corpos de Marcos e Marcele foram encontrados na manhã de hoje (7). Uma equipe da polícia e do Instituto Médico Legal (IML) foi chamada ao local para as providências iniciais.

Marcele da Silva tinha um filho de três anos de outro relacionamento e era servidora do Detran. A investigação será conduzida pela Superintendência Estadual de Investigações Criminais (SHPP).

Segundo informações repassadas à Polícia, o sargento estava tentando a reconciliação com ela, insistindo em contatos telefônicos. Horas antes de ser morta, a família disse que ela entrou em contato falando que iria na residência do ex-namorado a pedidos dele.

Preocupados com a falta de contato desde então, os pais da vítima foram até a casa onde o sargento estava morando e encontrando o imóvel fechado, ligaram para uma irmã de Marcos Vinícius para que eles pudessem entrar na casa e foi quando viram os corpos em um dos quartos.

Governo do Maranhão leva combustível à Baixada e atua com empresários contra crise federal

Veículos no ferry-boat para levar combustível à Baixada

O Governo do Maranhão mantém as operações e comboios para levar combustível a postos de gasolina e serviços essenciais no Estado. Neste domingo (27), um dos focos foi o transporte de caminhões-tanque para a Baixada. Simultaneamente, a região de Imperatriz também tem ações nesse sentido. E a capital continua sendo abastecida.

Os esforços são para reduzir os efeitos da crise federal de combustíveis. O governador Flávio Dino (PCdoB) determinou uma série de ações para manter o abastecimento no Maranhão.

Em relação à Baixada Maranhense, a Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap) transportou gratuitamente caminhões-tanque pelo ferry-boat, com escolta policial. Na tarde deste domingo, foram 15 caminhões embarcados. Estão previstos outros embarques nas próximas horas.

O comandante da Polícia Militar, coronel Jorge Luongo, disse que as operações continuam até a normalidade do abastecimento. “Os caminhões estão tendo acesso à nossa capital para abastecer os postos”, disse.

Entre as ações, foram entregues quatro caminhões-tanque para o aeroporto em São Luís, com 130 mil litros de querosene de aviação, garantindo o funcionamento pelo menos até a próxima sexta-feira.

O Governo do Estado também fez na manhã deste domingo uma reunião com empresários e proprietários de postos de gasolina para unir forças contra a crise federal.

“Recebemos os donos de postos para garantir essa permanência do aparato de segurança para que a população não sofra maiores impactos do que já vem sofrendo”, disse o secretário da Casa Civil, Rodrigo Lago, referindo-se aos caminhões-tanque que têm sido escoltados pela polícia para garantir o abastecimento.

João Rolim, presidente do Sindicado dos Revendedores de Combustíveis do Maranhão (SindCombustíveis), classificou como “extremamente positiva” a operação montada pelo Governo do Estado para abastecer postos de gasolina e serviços essenciais. “Poucos governadores estão fazendo isso. A situação já está bem melhor do que estava”, afirmou.