Polícia prende índios acusados de praticarem assaltos na BR 226

O revólver que seria usado para cometer os assaltos foi apreendido pela PRF.

Durante a Operação Carnaval 2018, a Polícia Rodoviária Federal prendeu uma dupla de índios suspeita do cometimento de diversos assaltos na região das aldeias, situada entre Barra do Corda e Grajaú, na BR 226.

Em serviço de ronda no município de Jenipapo dos Vieiras, os Agentes da PRF se depararam com dois motociclistas com as mesmas características de dois homens que haviam praticado assaltos na manhã do dia anterior. Eles não obedeceram a ordem de parada e fugiram. A equipe fez o acompanhamento tático dos suspeitos, que saíram da pista, caindo fora do acostamento. Um deles puxou uma arma de fogo e a apontou na direção da equipe, momento em que recebeu um disparo na região do ombro. O outro suspeito foi rapidamente detido.

Segundo informações, os policiais levaram os suspeitos até o hospital de Barra do Corda antes de conduzi-los para a delegacia. Para a surpresa dos policiais, duas pessoas da equipe médica informaram que haviam sido assaltadas pelos acusados.

Prefeito de Pedro do Rosário preso por porte ilegal de arma…

Presos foram levados para prestar depoimento na Polícia Federal

Presos foram levados para prestar depoimento na Polícia Federal

Uma operação da Polícia Rodoviária Federal (PRF), realizada no terminal de ferryboat da Ponta da Espera, em São Luís, prendeu, nesta sexta-feira ( 09), o prefeito de Pedro do Rosário (MA), município localizado a cerca de 340 km da capital, José Irlan Sousa Serra, irmão do deputado estadual Toca Serra (PTC).

A Polícia Rodoviária Federal encontrou um revólver calibre 38 com seis projéteis intactos ao abordar o automóvel em que o prefeito estava, que chegava da região da Baixada Maranhense, no momento.

À Polícia Rodoviária, o condutor do veículo, Raimundo Nonato Teixeira Neto, informou que a arma era do prefeito Irlan Serra, que negou a propriedade da mesma. Foi dada voz de prisão a todos os ocupantes do automóvel.

No momento da prisão, o prefeito ainda ofereceu resistência. Ele portava, ainda, uma pasta contendo documentos da Prefeitura de Pedro do Rosário.

José Irlan Sousa Serra, José Kelvécio Rodrigues Alves, Evandro Luís Matos Pereira, Lidiane Neres Soares, Rubenita de Moura Lobato Bezerra e Raimundo Nonato Teixeira Neto foram levados à sede da Polícia Federal no bairro da Cohama, em São Luís.