Sindicatos prometem parar principais capitais do país nesta sexta

Entidades sindicais realizam atos nas principais cidades brasileiras como forma de protesto pela entrada em vigor, nestasexta-feira (10), da Reforma Trabalhista

Como resposta à Reforma Trabalhista (Lei 13.467/2017), que entra em vigor nesta sexta-feira (10), as centrais sindicais convocaram seus filiados para o “Dia Nacional de Mobilização em Defesa dos Direitos”, que será realizado na mesma data em todo o país. A ideia é paralisar as principais vias de todas as capitais para chamar a atenção da população sobre as mudanças nas leis trabalhistas trazidas pela reforma.

Em São Paulo, as centrais irão organizar a “Grande Marcha da Classe Trabalhadora em Defesa dos Direitos, da Soberania e da Democracia”. A concentração será às 9h, na Praça da Sé, região central da capital paulista, e são esperadas 40 mil pessoas no local. “Somente uma mobilização ampla e irrestrita de trabalhadores, sindicatos, federações, confederações e centrais sindicais serão capazes de reverter o cenário nebuloso que se apresenta”, afirma José Calixto Ramos, presidente da Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST), uma das entidades que aderiu ao movimento.

Para sindicalistas, a nova lei do trabalho, que modificou mais de cem artigos da CLT, retira a proteção da classe trabalhadora e abre caminho para a terceirização de todos os setores, dando instabilidade. “Temos que fazer uma resistência. Se conseguirmos esse enfrentamento na primeira empresa, as demais vão repensar a adoção das novas regras da Reforma Trabalhista. Mas se aceitarmos a reforma sem nenhum questionamento, ela será colocada da forma como foi aprovada”, alertou Artur Bueno, coordenador do Fórum Sindical de Trabalhadores (FST).  

Além das manifestações, as entidades, representadas pelo FST, entregarão um documento nesta quarta-feira (08), às 15h30, ao senador Eunício Oliveiro, presidente do Senado, como forma de repúdio às declarações do presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), ministro Ives Gandra, alegando que a redução de direitos irá gerar mais empregos no País.

Manifestantes pedem passarela de trânsito na avenida Carlos Cunha em São Luís…

Moradores da área do Jaracaty, em São Luís, bloquearam, no início da manhã desta quarta-feira (25), trecho da avenida Carlos Cunha, em protesto que cobrou melhorias de infraestrutura para a região.

Os manifestantes também querem a construção de uma passarela, tipo faixa de trânsito, devido à movimentação intensa de veículos na via. Querem um posicionamento da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes Urbanos (SMTT). Alô, Canindé Barros.

Os manifestantes bloquearam o trecho da Carlos Cunha com pneus e outros instrumentos. Eles atearam fogo no material utilizado para o movimento.

Motoristas, que trafegavam pelo local na hora da manifestação, enfrentaram longa fila de congestionamento na avenida Carlos Cunha.

Operação Tartaruga e outros movimentos protestam contra a reforma da Previdência em São Luís

Foto O Imparcial – Manifestações contra a reforma da Previdência ganharam as ruas

Rodoviários de São Luís realizaram, nesta quarta-feira (15), uma operação Tartaruga , contra a proposta de reforma da Previdência, que pode acabar de vez com direitos importantes dos trabalhadores brasileiros. O Sindicato dos Rodoviários do Maranhão explicou que o protesto foi uma espécie de  contribuição ao movimento, que ocorre nesta quarta-feira (15) em todo o país.

Além da operação Tartaruga, outros protestos foram realizados em São Luís contra  a reforma da Previdência que, trocando em miúdos, acaba, de vez, com a aposentadoria no Brasil e massacra os trabalhadores.

Os ônibus não  pararam, mas rodaram com lentidão. Durante uma hora, houve uma grande ação de panfletagem, principalmente, no centro da capital, informando os rodoviários e usuários do serviço sobre as razões desse ato que teve como objetivo assegurar as conquistas de todas as categorias existentes no Brasil.

Enviada pelo governo Temer ao Congresso Nacional no início de dezembro, a reforma gerou a criação de uma comissão especial. O objetivo é que a votação seja definida, ainda, no primeiro semestre.

Imagina que o idoso já é muito massacrado no Brasil em relação à Saúde. Os planos de saúde se recusam a aceitá-los a partir dos 60 anos. E, para completar, podem morrer sem realizar o sonho da aposentadoria, já que a expectativa de vida vem se consolidando em 70 anos, idade em que o presidente Michel Temer (PMDB) quer que eles se aposentem.

Entre os pontos mais controversos da medida estão mudanças relativas à idade mínima e tempo de contribuição para que o trabalhador possa requerer o benefício e dar entrada na aposentadoria. Torna-se necessário atingir a idade mínima de 65 anos e pelo menos 25 anos de contribuição. Nesse caso, o requerente receberá 76% do valor da aposentadoria – que corresponderão a 51% da média dos salários de contribuição, acrescidos de um ponto percentual desta média para cada ano de contribuição. Para receber a aposentadoria integral (100% do valor), o trabalhador precisará contribuir por 49 anos – a soma dos 25 anos obrigatórios e 24 anos a mais.

O governo aponta que a reforma é necessária por causa do envelhecimento da população e do aumento das despesas da União com o pagamento de aposentadorias, e que as medidas fazem parte do pacote de ações previstas para o ajuste fiscal da economia.

Greve internacional e protesto marcam Dia da Mulher no mundo…

O Dia

Rio – Mulheres de mais de 30 países prometem fazer uma greve internacional neste 8 de março em protesto contra o feminicídio e as más condições de trabalho. No Rio, milhares de manifestantes vão andar da Candelária até a porta da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) a partir das 16h, em homenagem ao Dia das Mulheres. A passeata também é contra a reforma trabalhista do governo de Michel Temer, que, segundo as participantes, “ignora o fato de que elas realizam trabalho doméstico não remunerado, chegando a trabalhar em média cinco horas a mais que homens numa semana”.

Uma das organizadoras do ato, Tainá de Paula afirmou que “a marcha tem um caráter simbólico forte”. “Nosso protesto tenta dar uma resposta ao conservadorismo. Conseguimos organizar um ato unificado e vamos ter uma grande concentração de mulheres para essa nossa discussão de gênero”, explicou.

Para a estudante Branca Carrerette, de 22 anos, o movimento retoma o significado do Dia Internacional das Mulheres, que é de luta por direitos, igualdade e reconhecimento profissional. Para ela, o sentido da data acabou ficando “genérico” durante os anos.

“O tipo de homenagem que a gente vê não é voltado para as conquistas ou lutas femininas, mas sim para o estereótipo mesmo da mulher. Nos dão flores, fazem comercial de maquiagem e perfume, homens reproduzem frases tipo ‘hoje eu que lavo a louça’. Tudo isso só reforça essa cultura machista e estereotipada da mulher”, destacou a jovem.

Mesmo se não conseguirem parar os trabalhos, as mulheres podem ainda aderir ao movimento com pequenas ações ao longo do dia. “Sabemos da dificuldade em discutir a greve com os sindicatos, já que os diretórios são machistas na maioria das vezes”, completou Tainá.

De acordo com a organizadora, as manifestantes terão a Hora M, entre 12h30 e 13h30, para conversar com amigas e parentes sobre seus direitos trabalhistas. O movimento também sugere que elas utilizem algum adereço ou roupa lilás nesta quarta-feira. Além disso, o ato prevê que as mulheres não façam atividades de casa, como lavar roupas e cozinhar, nesta data.

De acordo com a organizadora, as manifestantes terão a Hora M, entre 12h30 e 13h30, para conversar com amigas e parentes sobre seus direitos trabalhistas. O movimento também sugere que elas utilizem algum adereço ou roupa lilás nesta quarta-feira. Além disso, o ato prevê que as mulheres não façam atividades de casa, como lavar roupas e cozinhar, nesta data.

Em São Luís, motorista Uber pode faturar até R$ 4 mil por mês…

A Uber já está operando em São Luís desde o dia 22 de fevereiro

Taxistas, claro, não gostaram nada da chegada da Uber por causa da concorrência

A chegada da Uber a São Luís continua dando muito o que falar. Os taxistas não conseguem esconder o incômodo da concorrência e prometem protestos, zoada, etc. Esquecem que vão lutar contra o povo, porque é a população ludovicense quem quer a nova modalidade de transporte urbano que já faz tanto sucesso pelo mundo, justamente, por causa da acessibilidade, preço menor e praticidade. Um motorista pode ganhar até quatro mil reais bruto, por mês, com o novo sistema e tem gente festejando também a oportunidade de emprego.

Conforme o número de viagens realizadas, os parceiros da Uber têm a chance de ganhar até R$1.000,00 bruto por semana, sendo seus próprios chefes e com total flexibilidade de horários. Você precisa de uma Carteira Nacional de Habilitação definitiva. Para ser aceita na plataforma, sua CNH deve ter a observação “Exerce Atividade Remunerada” que pode ser obtida em qualquer unidade do Detran/MA.

Para ser aceito na plataforma, o veículo deve ser de categoria particular, ser modelo 2008 ou mais recente, ter 4 portas e 5 lugares. Não são aceitos veículos adesivados, van, mini-vans e caminhonetes.

O aplicativo do motorista-parceiro funciona no iPhone 4S ou mais recente (faça o download em t.uber.com/ios) ou no sistema Android 4.0 ou mais recente (faça o download em t.uber.com/and).

Em São Luís, a Uber fechou parcerias exclusivas para oferecer valores e condições especiais no aluguel de carros para os motoristas parceiros que se desejam trabalhar com o sistema. A empresa norte-americana abriu escritório na capital maranhense, com sede no Centro Empresarial Vinicius de Moraes – Avenida Colares Moreira, 7, Sala 606.

Os motoristas Uber não cobram diretamente por carona, mas recebem uma remuneração diretamente da empresa, que observa na formação de seus preços a relação de oferta de motoristas conforme a demanda dos usuários e baseando-se também na duração e distância da corrida, o que permite uma alocação mais inteligente – e econômica – do transporte urbano. Essa alocação inteligente é a base de lucros da empresa

Para usar o serviço, basta baixar o aplicativo Uber no celular, direto do Play Store, ou smartphone e se cadastrar. Uma vez registrado, é só acionar quando necessário. O pagamento é feito por cartão, você não precisa apresentar dinheiro. Quando você chama o motorista, o sistema te mostra detalhes do carro, como placa, localização, marca, etc.

O usuário também pode se cadastrar para trabalhar com o Uber. Basta preencher uma ficha, que será analisada, e ter um automóvel, dentro das exigências, para começar a ganhar dinheiro.

E TOME PROTESTOS – Servidores da Saúde manifestam contra gestão Luís Fernando em Ribamar…

Nem bem sentou na cadeira de prefeito em São José de Ribamar e Luís Fernando Silva (PSDB) já enfrenta protestos de servidores do município, no segundo mês de gestão. Concursados do setor da saúde  realizaram, nesta tarde,  uma manifestação  contra a administração do tucano.

Tudo porque, além de cometer inúmeros erros relacionados ao pagamento da folha de pessoal, o tucano, sem dar nenhuma explicação, retirou dos concursados vários benefícios contidos no Plano de Cargos, Carreiras e Salários, tais como insalubridade, adicional de qualificação, auxílio alimentação, dentre outros.

Os servidores caminharam pela Avenida Gonçalves Dias, principal da sede da cidade, e se reuniram em frente à Câmara de Vereadores com om apitos e faixas e a frase “Luis Fernando – Chegou, Chegando, Retirando Todos os Direitos Adquiridos pelos Concursados”.

No local, eles foram recebidos por alguns vereadores, dentre eles Manoel do Nascimento, que prestou total solidariedade à categoria.

“Direitos adquiridos não podem ser suprimidos. Isso é absurdo. Apoio e estou com vocês, funcionários concursados”, afirmou o parlamentar, que também é Agente Comunitário de Saúde.

Luis Fernando passou pela manifestação esta tarde. Ele se deslocou ao local, não para conversar com os manifestantes, mas para participar da sessão solene de reabertura dos trabalhos legislativos.

Segundo manifestantes, o tucano debochou dos concursados ao afirmar que estava surpreso com o movimento. Afirmou apenas que está tentando regularizar a situação e o que for de direito será pago.

COMBATE À CORRUPÇÃO – Movimento “Vem Pra Rua” retorna para protestos em todo o país neste domingo

vem-pra-rua-2 vem-pra-rua-2

Populares irão voltar às ruas do país, com as cores do Brasil,  no próximo domingo, dia 04 de dezembro. Mas desta vez, não será um protesto contra o PT ou a ex-presidente Dilma Roussef. Segundo o grupo Vem Pra Rua, um dos responsáveis pelo processo que culminou no impeachment da petista, a manifestação está sendo programada para protestar contra “todos os corruptos” que tentam se proteger de investigações, especialmente da operação Lava-Jato.

Em São Luís do Maranhão, o movimento será na Avenida Litorânea. A concentração será no Guaraná do JC. A mobilização está marcada para acontecer das 08h às 10h.

Os organizadores do movimento  deixam claro que o protesto é contra PMDB, PSDB, PT, DEM e todos os outros partidos que  desfiguraram o pacote das dez medidas anticorrupção, elaborado pelo Ministério Público Federal e sociedade organizada. Segundo eles, a Câmara Federal, na calada da madrugada, enquanto o Brasil chorava a tragédia da Chapecoense, deu um golpe no país e nos processos de investigação contra corruptos.

O protesto ganhou força depois que os deputados tentaram aprovar, em medida de urgência, a anistia ao caixa 2, uma forma de tentarem se blindar contra possíveis investigações.

O que os deputados retiraram do pacote anticorrupção?

Com votações expressivas contra o texto elaborado pela força tarefa de Curitiba, os deputados rejeitaram pontos como a tipificação do crime de enriquecimento ilícito de funcionário público, a ideia de tornar a prescrição dos crimes mais difícil e a de facilitar a retirada de bens adquiridos com a atividade criminosa.

Os parlamentares retiraram ainda a instituição do chamado “delator do bem”, pessoa que ganharia uma recompensa por entregar a autoridades crimes do qual não participe, mas que tenha conhecimento. A medida, uma das preferidas de Lorenzoni, foi classificada jocosamente por deputados como “regulamentação da profissão de dedo-duro”.

Outras medidas suprimidas foram as sugestões do Ministério Público de endurecimento da Lei de Improbidade e da possibilidade de cassação do registro e de punições mais severas a partidos e dirigentes que cometerem faltas graves.

De substancial, restou no pacote do Ministério Público a criminalização específica do crime de caixa dois eleitoral (uso de dinheiro de campanha sem registro à Justiça) e a inclusão de alguns crimes na categoria de hediondos caso o valor desviado seja superior a R$ 8,8 milhões.

Dia do Trabalho tem atos a favor e contra o impeachment de Dilma

 

G1

Protestos marcaram o primeiro de maio no Brasil

Protestos marcaram o primeiro de maio no Brasil

O Dia do Trabalho neste domingo (1º) foi marcado por atos a favor e contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff, que participou de evento da Central Única dos Trabalhadores (CUT) no Vale do Anhangabaú, região central de São Paulo. Ela anunciou reajuste no Bolsa Família.

Houve atos contra o impeachment em ao menos 31 cidades de 19 estados e no DF. O público destes atos foi menor do que o registrado em manifestações contra o impeachment em 17 de abril e 31 de março.
Os maiores atos deste domingo foram em São Paulo, onde houve três eventos: da Força Sindical (pró-impeachment), da CUT (contra o impeachment) e da Conlutas (por novas eleições).
Ato da Força Sindical em SP
A Força Sindical ocupou a praça Campos de Bagatelle, na Zona Norte. O deputado federal Paulinho da Força e outros parlamentares discursaram em defesa do impeachment. A organização diz que 500 mil participaram.
O deputado federal Paulinho da Força (SD-SP) afirmou durante o evento que o anúncio do “pacote de bondades” que a presidente Dilma Rousseff faria mais tarde (leia mais abaixo) “parece vingança” e “tentativa de sabotar Temer”.
“O Temer hoje está empenhado em montar uma equipe econômica que possa tirar o país dessa situação. Nós conversamos com ele também em manter os direitos trabalhistas. Nós queremos aprovar a medida provisória da leniência, porque os donos das empresas têm que continuar presos, mas as empresas não podem deixar de trabalhar.”
Paulinho comemorou o avanço do processo de impeachment e pediu que os presentes levantassem a mão em apoio ao afastamento de Dilma

RIBAMAR – Moradores protestam contra buracos e crateras de Gil Cutrim

VEJA O VÍDEO

Ruas e avenidas de São José de Ribamar estão intrafegáveis

Ruas e avenidas de São José de Ribamar estão intrafegáveis

altos do turu2

Moradores dos bairros Alto do Turu e Jardim Turu, que pertencem  ao município de São José de Ribamar, fizeram um grande manifesto, nesta segunda-feira (14), bloqueando a Avenida São Luís Rei de França, em São Luís, para protestar contra a administração do prefeito Gil Cutrim (PDT). Tudo por causa de ruas e avenidas intrafegáveis e caóticas, em estado de calamidade pública.

Ao  som do hino nacional e com faixas que diziam “Gil Cutrim Nunca Mais”, ao exemplo dos movimentos nacionais que explodiram no final de semana, moradores protestaram e  terminaram provocando um grande engarrafamento na Avenida São Luís Rei de França, no início da manhã desta segunda-feira (14), o que provocou também a ira de quem tentava se deslocar para o trabalho, escola, faculdade, etc.

“Venho através desta lhes informar que nós moradores do Altos do Turu e vários outros bairros adjacentes, pertencentes a São José de Ribamar, estamos enfrentando um grave problema na Avenida Nossa Senhora da Vitória,uma via de grande fluxo e importância que interliga vários bairros. Ela começa na São Luís Rei de França e vai até a Estrada da Maioba. Lá, os carros só andam na contramão pelo motivo de haver crateras. Onde era para ser a calçada, tem uma vala alta fazendo com que veículos peguem a contramão. Quando falo de buracos, trata-se de crateras  que, se por ventura, algum veiculo cair é arriscado acontecer acidentes. Aqui os ônibus pregam constantemente”. O relato foi encaminhado a este blog, por e-mail, pelo morador Rodrigo Mendonça que está indignado com o abandono do município.

Parece mesmo que o prefeito Gil Cutrim abandonou de vez a gestão em seu segundo mandato, uma vez que já se encontra reeleito. Recebo, constantemente, muitas denúncias de moradores de bairros de São José de Ribamar. Todos alarmados com a buraqueira e sujeira que estão tomando conta do município, sem que a Prefeitura tome nenhuma atitude. Triste realidade! Veja vídeo e fotos acima.