PT do Maranhão reafirma apoio à reeleição de Flávio Dino

O presidente do PT, Augusto Lobato, o deputado estadual Zé Inácio e o deputado federal Zé Carlos, reafirmaram a união em prol da reeleição de Flávio Dino.

Após a ida do deputado Waldir Maranhão para o PSDB, petistas que defendiam a filiação do deputado federal e os que eram contra a entrada do parlamentar no PT, estão mais unidos no projeto de reeleição do governador Flávio Dino.

Na última sexta-feira (13), o governador recebeu o presidente do PT, Augusto Lobato, o deputado estadual Zé Inácio e o deputado federal Zé Carlos, que reafirmaram a união em prol da reeleição de Flávio Dino.

 

Eleições 2018 e o dilema de Waldir Maranhão com o PT

O presidente estadual do PT, Augusto Lobato, negou a filiação de Waldir Maranhão. A presidente nacional Gleise Hoffmann tem a palavra final.

A situação partidária do deputado federal Waldir Maranhão continua indefinida, mas a decisão da direção estadual do PT, segundo o presidente da sigla no Estado, Augusto Lobato, é pela rejeição do nome do parlamentar como membro do Partido dos Trabalhadores.

De acordo com o estatuto do partido, quando o pedido vem de um nome de destaque nacional que ocupa cargo eletivo, o julgamento de aceitação é feito pela direção nacional.

A decisão da negativa pelo PT maranhense já foi encaminhada à Executiva Nacional. Agora cabe à presidente nacional do PT, Gleise Hoffmann, a palavra final. Waldir tem até sábado (7) para saber se será aceito ou não nas fileiras do PT.

Zé Inácio defende filiação de Waldir Maranhão ao PT…

Deputado Zé Inácio

O deputado estadual Zé Inácio (PT) utilizou a tribuna da Assembleia Legislativa, nesta terça-feira (3), para se posicionar sobre a solicitação de filiação do deputado federal Waldir Maranhão (Avante) ao Partido dos Trabalhadores (PT).

Como militante político que defende o fortalecimento da legenda e do partido no Estado, Zé Inácio mostrou-se favorável à filiação. “O deputado Waldir decide filiar-se ao PT no momento em que o país enfrenta uma grave crise econômica, política e social, em que a democracia é ameaçada constantemente e direitos conquistados a duras penas pelo povo são aniquilados por um governo ilegítimo, por um governo golpista. O deputado, inclusive, tentou evitar o golpe quando se posicionou contra o impeachment e a favor da presidenta Dilma quando exercia a presidência da Câmara”, disse.

Zé Inácio também falou sobre a chapa majoritária do governador Flávio Dino (PCdoB). “O governador tem e terá o meu apoio para concorrer à reeleição, mas não podemos abrir mão desse debate político e dizer que o PT tem força suficiente para contribuir fortemente para sua reeleição, tendo um nome que possa vir a ser o deputado Waldir Maranhão na chapa majoritária. Com o apoio do governador e de Lula, ele passa a ser um dos candidatos mais competitivos ao Senado, por isso que, talvez, alguns temam a ida dele para o PT”, refletiu.

Por fim, o deputado destacou a importância de eleger parlamentares petistas que possam dar sustentação ao projeto nacional de fortalecimento da democracia brasileira e de retomada das conquistas históricas alcançadas nos governos do PT. “Na luta para que possamos ter um estado de bem estar social, como já promoveu o PT nos seus primeiros governos, no governo Lula e no governo Dilma, por meio de programas como ‘Bolsa Família’, ‘Prouni’, ‘Minha Casa Minha Vida’, ‘Ciências sem Fronteiras’ e tantos outros programas. É importante que haja, na Câmara e no Senado Federal, pessoas comprometidas com esse tipo de projeto. Por isso que nós lutamos para ter um senador do PT na chapa de reeleição do governador Flávio Dino”, concluiu.

Waldir Maranhão estaria cobrando do PT uma “dívida” que não existe?

Waldir Maranhão tenta se viabilizar como pré-candidato ao Senado pelo PT, mas sofre rejeição de petistas

O deputado federal Waldir Maranhão (Avante) segue manobrando  e se movimentando para se tornar, de qualquer jeito, o segundo candidato ao Senado na chapa majoritária do governador Flávio Dino (PCdoB), agora, pasmem, por meio do PT e sente, na pela, a rejeição de sua maioria. Nos bastidores, várias vertentes consideram ou “enxergam” que  o parlamentar, talvez, esteja “cobrando” uma “dívida” dos petistas  com relação ao que ele teria feito para evitar o fatídico impeachment da ex-presidente Dilma Rosseff (PT).

“Waldir, guerreiro do povo brasileiro (bis) …” Quem não se lembra deste grito de guerra frenético que veio de inúmeros petistas maranhenses e esquerdistas nas movimentações de protestos contra o impeachment de Dilma, referendando a “bravura” do deputado que, com uma canetada histórica, tentou salvar o mandato e a cabeça da ex-presidente?

Quando esteve presidente da Câmara Federal, logo após o afastamento do ex-deputado Eduardo Cunha, Waldir Maranhão, em uma canetada histórica, anulou três sessões em que os deputados federais aprovaram a continuidade do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). Ele acatou pedido feito pela Advocacia-Geral da União (AGU) e levou petistas e esquerdistas, em todo o país, a ovacioná-lo por tal atitude.

Outrora, a mesma caneta foi a responsável pela desistência da anulação. Waldir Maranhão anulou um ato dele mesmo que cancelava a votação do pedido de afastamento da presidente Dilma, depois de pressionado pela sociedade por conta das consequências do ato. A decisão durou menos de 12 horas, na ocasião.

O caso foi tão inusitado que o diário da Câmara Federal, de 10 de maio de 2016, publicou as duas decisões de Waldir Maranhão. A primeira, que anulava a sessão do impeachment na Câmara, e a segunda que revogava a anulação.

Todos somos conhecedores de que o impeachment de Dilma Rousseff continuou e foi enviado ao Senado Federal, onde a então presidente, em uma manobra de forças obscuras, foi deposta do cargo.

Agora a pergunta que grita aos nossos ouvidos é se Waldir Maranhão, no momento, tentando sair candidato a senador pelo PT, de qualquer forma, estaria cobrando uma suposta “dívida”, referente ao que teria feito por Dilma Rousseff. Mas será que o PT nacional e a direção no Maranhão devem alguma coisa ao parlamentar?

Por outro lado, movimentos recentes do pré-candidato mostram que o mesmo “surfa” entre os grupos envolvidos na disputa pelo governo do Maranhão. Ao reunir-se com o ex-presidente José Sarney, deputado Hildo Rocha, Paulo Marinho e cia, há poucos meses, para discutir sucessão estadual, ele demonstra o tamanho de sua instabilidade e insegurança política.

Envolto a uma série de situações negativas que perpassam por sua passagem pela Universidade Estadual do Maranhão entre outras coisas como nomeações suspeitas, Waldir enfrentou nuvens negras em sua vida política recente, quando teve muita coisa exposta contra si nos veículos de comunicação.

Agora, em outro momento, Waldir acredita que o PT é o caminho certo para levá-lo a uma disputa pelo Senado na chapa de Flávio Dino, mesmo que, para isso, tenha que desbancar os já anunciados pré-candidatos Márcio Jardim e Nonato Chocolate, petistas históricos. É aguardar para ver no que vai dar essa nova fase desta novela chamada “Sucessão Estadual”.

Waldir Maranhão protocola pedido de filiação ao PT, mas petistas não o querem na sigla

A militância do partido também não gostou nenhum pouco dessa articulação do pré-candidato ao Senado.

O deputado federal Waldir Maranhão protocolou,  na tarde de segunda-feira (26), documento onde pede a filiação no Partido dos Trabalhadores (PT), visando disputar uma vaga para o Senado Federal pelo Maranhão.

No documento, Waldir lembra o momento crucial da sua carreira política, quando resolveu anular o impeachment da ex-presidebte Dilma Rousseff (PT), na condição de então presidente da Câmara dos Deputados. Agora, o pedido de filiação do parlamentar será submetido às instâncias locais e nacionais do PT.

O pedido de Waldir não foi bem recebido pelo presidente do Diretório Municipal da sigla em São Luís, vereador Honorato Fernandes, que utilizou as redes sociais para ratificar que é contra a filiação do deputado ao PT.

A militância do partido, em sua maioria, também não gostou nenhum pouco dessa articulação do pré-candidato ao Senado.

Mesmo após condenação, PT aprova pré-candidatura de Lula

Mesmo após julgamento, PT não discute a possibilidade de lançar outro nome à presidência.

Durante reunião da Executiva Nacional do PT realizada nesta quinta-feira (25), na sede da CUT, em São Paulo, o ex-presidente Lula foi aclamado pré-candidato à Presidência da República, mesmo após a confirmação de sua condenação em segunda instância.

Durante o ato, a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), ressaltou que a sigla não discute a possibilidade de lançar outro nome.
A senadora lembrou, ainda, que as últimas pesquisas apontavam o ex-presidente na liderança, com mais de 40% das intenções de voto, e o partido já havia anunciado que Lula seria seu pré-candidato em dezembro do ano passado.

Presente na reunião, Lula acusou os magistrados do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) de terem formado um “cartel” na decisão tomada durante o julgamento para evitar que ele pudesse entrar com embargos infringentes e o PT pudesse lançá-lo como candidato à Presidência.

Também estiveram presentes no evento a ex-presidente Dilma Rousseff, parlamentares, governadores petistas, lideranças do partido, centrais sindicais e movimentos sociais.

Julgamento de Lula deixa petistas maranhenses em estado de alerta…

Julgamento do ex-presidente Lula está marcado para esta quarta-feira

O julgamento, em segunda instância, do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região, que acontecerá nesta quarta-feira (24), em Porto Alegre, tem deixado petistas maranhenses em estado de alerta.

Mobilizados, os petistas maranhenses lançaram o Comitê Popular e a Frente em Defesa da Democracia pela candidatura do ex-presidente e sua inocência. O objetivo é percorrer os bairros de São Luís e mobilizar a população.

Segundo a direção do PT estadual, a mobilização deverá intensa nesta quarta-feira (23), com previsão de bloqueio de ruas em várias partes da capital. Mas é preciso pedir bom senso para evitar confusões, como a do episódio “morte” do Pixuleco, na Praça Maria Aragão, em São Luís.

Na ocasião, petistas e não petistas partiram para um confronto e tiveram que ser contidos pela Polícia Militar.

O julgamento pelo TRF-4, em Porto Alegre, promete agitar o meio político, o judiciário brasileiro e os movimentos sociais ligados ao PT. Manter a cautela de ambos os lados é primordial para que não haja  desordem.

Sobre caso Lula

Lula foi condenado a nove anos e seis meses de prisão pelo juiz Sérgio Moro, na Operação Lava Jato, por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do triplex do Guarujá.

Se depender da presidente nacional do PT, a senadora Gleisi Hoffman, os próximos dias serão tumultuados. Em entrevista ao site Poder360, ela deu uma declaração polêmica: “Para prender o Lula, vai ter que prender muita gente, mas, mais do que isso, vai ter que matar gente”, disse.

Instalada no Maranhão Frente Parlamentar em Defesa da Democracia e do Direito de Lula ser candidato

Num ato concorrido, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Othelino Neto (PCdoB), instalou, nesta sexta-feira (19) pela manhã, a “Frente Parlamentar em Defesa da Democracia e do Direito de Lula ser candidato”, proposta pelo deputado Zé Inácio (PT), presente ao evento. Vários deputados, lideranças sindicais e ex-parlamentares prestigiaram a solenidade e elogiaram a decisão do presidente da Casa em aderir ao movimento.

Ao assinar a adesão à Frente, Othelino Neto informou que toda bancada do PCdoB na Assembleia aderiu ao movimento, porque “é preciso evitar um novo golpe como o que cassou a ex-presidente Dilma Rousseff, sem ter cometido crime, e o que não abriu investigação contra Aécio Neves”.

O presidente da Assembleia explicou que o PCdoB tem uma pré-candidata a presidente, Manuela D’Ávila, a exemplo do PDT, com o ex-governador Ciro Gomes, mas aderiu ao movimento por ser suprapartidário. “É preciso garantir que Lula seja candidato em nome da democracia”. De acordo com Othelino, o Judiciário não pode retirar o ex-presidente da corrida eleitoral, contra o que diz a Constituição.

Elites profissionais

“São juristas renomados que dizem que não pode haver condenação sem provas, mas acredito no Judiciário. O Lula não pode ser impedido de concorrer. Quem vai dizer isso é Sua Excelência, o povo. Mas as elites brasileiras são profissionais. Depois da cassação da Dilma sem provas, querem fazer o serviço completo retirando Lula da disputa, ferindo a democracia”, enfatizou o presidente da Assembleia.

A oficialização da “Frente Parlamentar em Defesa da Democracia e do Direito de Lula ser candidato” aconteceu na sala de reuniões da Presidência. Os deputados Francisca Primo (PCdoB) e Toca Serra (PTC) prestigiaram o evento.

Embora ausentes, foi confirmada ainda a adesão dos deputados Junior Verde (PRB) e Edson Araújo (PSL); e do deputado federal Zé Carlos (PT). Os ex-deputados Luiz Pedro e Helena Heluy participaram do evento, além de representantes da Frente Brasil Popular e do presidente do Sindicato dos Servidores do Judiciário, Aníbal Lins.

Atuação da Frente

De acordo com o deputado Zé Inácio, a Frente Parlamentar tem o principal objetivo “de defender a Democracia no Brasil contra o uso abusivo de instrumentos jurídicos na perseguição política a Lula e no desmonte aos direitos dos trabalhadores e trabalhadoras”.

Até a data do julgamento do ex-presidente, no dia 24, vários tipos de ações, a exemplo de panfletagem, pequenos comícios e outras palestras serão feitas no centro da cidade.

Zé Inácio elogiou também a Diretoria de Comunicação pela transmissão do evento ao vivo pela TV Assembleia e em tempo real pelas redes sociais.

Um dos presentes foi o professor de Direito Constitucional da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Dimas Salustiano, que enfatizou que “não podem falar de democracia sem a participação de Lula, por que a Constituição prevê a presunção de inocência até a última instância”.

O secretário de Direitos Humanos do Estado, Francisco Gonçalves, do PT, fez a defesa na mesma linha.  Ele disse que a Constituição não prevê condenações sem provas.

Em nota, Zé Inácio repudia ataque à sede do PT atribuído a seguidores de Bolsonaro…

Zé Inácio lançou nota para repudiar ataque à sede do PT

Em nota de repúdio divulgada nesta quinta-feira (02), o deputado estadual Zé Inácio Rodrigues (PT) mostrou indignação contra ato de vandalismo ocorrido na sede do Partido dos Trabalhadores, em São Luís. A fachada do prédio amanheceu com frases, classificadas de antidemocráticas em alusão ao deputado Jair Bolsonaro.

“Somos um país democrático e livre! Não aceitaremos nenhum tipo de ataque criminoso contra o PT e rechaçamos, firmemente, a ação contra a sede do Partido por parte de seguidores do Bolsonaro que disseminam o ódio, a intolerância e o preconceito contra quem pensa diferente deles”, reagiu Zé Inácio em um trecho da nota de repúdio.

Segue abaixo a nota lançada por Zé Inácio Rodrigues.

NOTA DE REPÚDIO

*Por Deputado Zé Inácio (PT)

Repudio com veemência a ação antidemocrática e criminosa de vândalos contra a sede do Diretório Estadual do Partido dos Trabalhadores (PT) no Maranhão.

A sede amanheceu pichada com símbolos e frases enaltecendo o deputado Jair Bolsonaro, uma clara afronta à democracia e à liberdade de opinião que conquistamos às duras penas no Brasil.

É lamentável que estas práticas antidemocráticas ainda aconteçam, embora conheçamos a índole daqueles que defendem e apoiam Jair Bolsonaro, saudosistas do regime militar.

Somos um país democrático e livre! Não aceitaremos nenhum tipo de ataque criminoso contra o PT e rechaçamos firmemente a ação contra a sede do Partido por parte de seguidores do Bolsonaro que disseminam o ódio, a intolerância e o preconceito contra quem pensa diferente deles.

Seguiremos firme na defesa da democracia e tomaremos as devidas providências para apurar os fatos e punir os responsáveis por essa ação criminosa.