Polícia desmonta quadrilha com delegado e advogados que protegia criminosos

A operação da Polícia Civil foi feita pela Superintendência Estadual de Prevenção e Combate à Corrupção (SECCOR), em trabalho conjunto com o Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) do Ministério Público Estadual

A polícia do Maranhão prendeu nesta quarta-feira (28) quatro pessoas acusadas de tentar proteger assaltantes de banco em troca de dinheiro em 2015 e 2016. Entre os presos, está o delegado afastado Tiago Bardal, que já havia sido preso neste ano por ligações com contrabando.

Os outros três presos na Operação Jogo Duplo são o investigador João Batista de Sousa Marques e os advogados Werther Ferraz Junior e Ary Cortez Prado Júnior. As prisões foram feitas em São Luís e Imperatriz.

“Os que tinham dever de combater o crime mudaram de lado. Fingindo combater o crime, protegiam aqueles que tinham o dever de prender, dando cobertura para ações criminosas, afastando-se de suas ações policiais e recebendo pagamento paralelo. Por isso o nome Jogo Duplo”, afirmou o secretário de Segurança Pública, Jefferson Portela.

A operação da Polícia Civil foi feita pela Superintendência Estadual de Prevenção e Combate à Corrupção (SECCOR), em trabalho conjunto com o Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) do Ministério Público Estadual. As prisões foram preventivas e autorizadas pelo Judiciário.

Segundo a polícia, numa das ocasiões, a quadrilha recebeu R$ 100 mil para não prender criminosos.

De acordo com Portela, a origem das prisões desta quarta-feira vem de dois anos atrás. Na ocasião, assaltantes de banco presos na Região Tocantina afirmaram que Bardal tinha envolvimento em extorsão e liberação de presos. Mas não foi encontrado indício para sustentar a acusação.

Já em 2018, surgiram fatos e indícios, o que levou à abertura de procedimento para apurar a conduta do delegado. Foi a partir daí que houve a primeira prisão de Bardal. E agora veio a segunda prisão.

Além das prisões, foram apreendidos computadores, celulares e documentos, que estão sendo analisados.

Governador Flávio Dino fala sobre assalto em Bacabal

A ação criminosa aconteceu por volta das 22h e os bandidos estavam fortemente armados

O governador Flávio Dino (PCdoB) usou suas redes sociais, nas primeiras horas desta segunda-feira (26), para manifestar-se sobre os assaltos ocorridos na cidade de Bacanal na noite de domingo (25).

“Sobre ações de quadrilha em Bacabal, informo que a Polícia adotou todas as providências cabíveis, inclusive com deslocamento de efetivo de cidades vizinhas. O Comandante-Geral da PM está na região. Os resultados da ação policial serão divulgados pela manhã”, escreveu Flávio.

A ação criminosa aconteceu por volta das 22h e os bandidos estavam fortemente armados. Durante a ação, os criminosos atacaram o quartel do 15º Batalhão da Polícia Militar e também a Delegacia Regional de Polícia Civil.

“Banco do Brasil em Bacabal foi atacado por quadrilha não sediada no Maranhão. Pessoas e veículos de vários Estados. Polícia do Maranhão reagiu e continua em campo. Há criminosos mortos, feridos e presos. Secretaria de Segurança vai divulgar balanço quando ações forem concluídas”, informou o governador.

A Secretaria de Estado de Segurança Pública emitiu uma nota sobre o ocorrido.

Veja a nota:

Sobre a ação dos criminosos em Bacabal, iniciada na noite deste domingo (25), a Secretaria de Segurança Pública do Maranhão (SSP-MA) informa que foram deslocadas várias equipes das polícias Civil e Militar para o município e cidades vizinhas. Três suspeitos, um deles do Tocantins, foram mortos em confrontos com as forças policiais. Até o início da manhã desta segunda-feira, dois suspeitos foram presos. A Polícia está estudando a conexão dos envolvidos com quadrilhas de outros estados.

Quadrilha de assaltantes rouba banco na cidade de Bacabal

A ação criminosa aconteceu por volta das 22h e os bandidos estavam fortemente armados

Bandidos assaltaram, na noite de domingo (25), uma agência do Banco do Brasil na cidade de Bacabal. Os assaltantes ainda incendiaram viaturas e entraram em confronto com a polícia. Três bandidos foram mortos no confronto com a polícia e um suspeito foi preso. A polícia ainda prendeu duas pessoas que entraram na agência bancária para pegar cédulas que foram deixadas durante o crime.

A ação criminosa aconteceu por volta das 22h e os bandidos estavam fortemente armados. Durante a ação, os criminosos atacaram o quartel do 15º Batalhão da Polícia Militar e também a Delegacia Regional de Polícia Civil.

A ação criminosa aconteceu por volta das 22h e os bandidos estavam fortemente armados

De acordo com a polícia, os bandidos atravessaram veículos sobre as pontes que ficam entre o Rio Mearim e o Igarapé do Bambu, que fica na saída da BR-316. Veículos foram colocados no meio dessas pontes e foram incendiados. Carretas também foram atravessadas no meio de ruas da cidade e em trechos da BR-316 que corta o município de Bacabal.

A polícia diz que os bandidos ficaram na cidade por cerca de duas horas. Ao fugirem, os bandidos levaram vários reféns e eles foram sendo liberados ao longo da noite.

Policiais da Polícia Civil e Militar das regiões do Vale do Pindaré e Mearim se deslocaram para Bacabal com o intuito de capturar e prender os bandidos. O valor levado da agência bancária pelos bandidos ainda não foi informado pela instituição.

Presa quadrilha que aplicava golpes com cartões clonados no Maranhão…

Golpe prejudicou muita gente no Maranhão

Uma operação realizada  por homens da Polícia Civil, lotados na Superintendência Estadual de Investigações Criminais (SEIC), conseguiu prender em flagrante Alberto Sousa de Araújo (43), César Carlos Araújo Saboia (40) e Jefferson Sebastião Fontes Carvalho (29), todos suspeitos de integrar uma quadrilha interestadual especializada nos crimes de estelionato e furto, mediante fraude.

Segundo o delegado Tiago Bardal, as prisões foram executadas no bairro da Cohab, em São Luís, logo após o trio realizar a compra de 2 (duas) motocicletas no valor bruto de 36 mil em uma concessionária. A compra teria sido efetivada com a utilização de um cartão de débito clonado e documentos falsificados em nome de uma vítima natural da cidade de Brasília, que segundo as investigações, teve um prejuízo de cerca de 41 mil reais, retirados de sua conta bancária.

Com a quadrilha, a polícia conseguiu apreender vários objetos provenientes do esquema criminoso, além de 1(um) HD externo com a documentação bancária de possíveis vítimas do bando.

Ainda de acordo as investigações, os três presos são suspeitos de cometerem a mesma modalidade criminosa nos estados do Tocantins, Bahia, Pernambuco e na capital federal. Logo após prestarem seus devidos depoimentos, os presos foram encaminhados ao Complexo Penitenciário de Pedrinhas.

Polícias do Maranhão e do Tocantins desmontam quadrilha especializada em crimes contra instituições financeiras

Casas lotéricas estavam na mira da quadrilha

Uma operação – desenvolvida por intermédio da Diretoria de Inteligência e Assuntos Estratégicos (Diae) com apoio da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic) e da Polícia Civil da cidade tocantinense de São Miguel do Tocantins – conseguiu prender Daniel Sampaio Nascimento e Anderson Silva Paiva, ambos suspeitos de arquitetar atos criminosos contra instituições financeiras.

De acordo com informações repassadas pelo superintendente da Seic, Tiago Bardal, a dupla já estava sendo monitorada, pois saíram de Unidades Prisionais das cidades maranhenses de Imperatriz e Davinópolis com o benefício da saída temporária e não retornaram no prazo estipulado.

Até então considerados foragidos da Justiça, a dupla planejava cometer uma onda de assaltos a agências dos Correios e casas lotéricas, em uma modalidade criminosa conhecida como ‘sapatinho’, onde os criminosos sequestram algum familiar do funcionário da instituição financeira, e em seguida o mesmo é obrigado a retirar o dinheiro do cofre para o resgate, algo que também se caracteriza como extorsão mediante sequestro.

A Polícia Civil conseguiu neutralizar a dupla que planeja executar os crimes nos estados do Maranhão, Pará e Tocantins. Com eles, ainda foram apresentados na delegacia de São Miguel do Tocantins para averiguação Oziel Alves de Araújo e Adaires Barbosa de Araújo, suspeitos de participar da quadrilha com apoio logístico.

‘Operação Colombo’ desarticula quadrilha e apreende mais de mil litros de combustível adulterado

Quadrilha de roubo de combustível foi desarticulada

A ‘Operação Colombo’, de combate ao roubo a cargas, terminou com saldo de 12 presos e a apreensão de 1,5 mil litros de combustível e quatro veículos, sendo dois caminhões tanque carregados. A ação foi realizada pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-MA), por meio do Departamento de Combate ao Roubo de Cargas, em parceria com as delegacias regionais de Itapecuru, Codó e Barra do Corda. As investigações iniciaram há seis meses, após denúncias do intenso comércio ilegal e adulteração deste produto no povoado Colombo, em Itapecuru-Mirim. O resultado da operação foi apresentado em coletiva, nesta sexta-feira, 24, na sede da SSP, Vila Palmeira.

No conjunto de indícios do crime, a polícia flagrou combustível vendido a preço bem menor que o praticado no mercado, sem comprovação de origem e  acondicionamento fora das normas podendo causar acidentes e ainda em situações que notoriamente facilitavam a adulteração, como o abastecimento em estabelecimentos funcionando em fundo de quintal de residência.

Dos 15 mandados de prisão, 12 foram cumpridos, entre os detidos estão motoristas que faziam o transporte do produto adulterado e pessoas que se beneficiavam com o comércio clandestino. A quadrilha tem integrantes de Itapecuru Mirim, Barra do Corda, Tuntum, Codó e Coroatá.

Coronel depõe sobre colete da PM encontrado com integrante de quadrilha…

Com informações de Gilberto Lima

Coronel Reinaldo Elias Francalanci

O coronel Reinaldo Elias Francalanci, ligado à ex-governadora Roseana Sarney (PMDB), depôs, nesta quinta-feira (16), na Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos (DRF). Ele prestou esclarecimentos sobre o colete da PM, de sua responsabilidade, que foi encontrado com um dos integrantes de uma quadrilha especializada em roubo e clonagem de veículos.

O colete foi encontrado com um dos comparsas de Fábio Aurélio do Lago e Silva, o “Bochecha”, que participou do assassinato do jornalista Décio Sá. Ele foi preso na quarta-feira (15) pela Polícia Civil, por intermédio da equipe de captura da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos (DRFV).

“Bochecha” faz parte de uma associação criminosa que vendia veículos roubados e clonados em São Luís. Segundo a Polícia, parte da quadrilha já vinha sendo investigada desde o final do ano passado.

O coronel Francalanci teria comprado um carro com um dos presos. Se confirmado, o veículo deve ser periciado para saber a procedência do mesmo. Se for roubado, o coronel pode até ser autuado por receptação.

Até o momento, não foram divulgados detalhes do depoimento.