Roseana Sarney vira meme, novamente, nas redes sociais…

Após virar meme várias vezes por reunir poucas pessoas nas varandas de residências na sua ‘Caravana da Guerreira’, a ex-governadora Roseana Sarney (MDB) tornou-se motivo de piadas, novamente, ao postar uma foto em que aparecia em uma mesa com algumas frutas e queijos em suas redes sociais.

Roseana escreveu que estava torcendo para a seleção brasileira ao sabor das delícias que ganhou em São João dos Patos e Santo Antônio dos Lopes. Na foto, apareciam algumas conservas de frutas e um queijo, supostamente vindo das cidades citadas.

Rapidamente, internautas ligaram os itens ao momento em que Roseana exercia seu último mandato e, em meio à crise da Segurança Pública e às várias mortes em Pedrinhas, licitou vários itens de luxo para suas ‘necessidades’.

Os alimentos, que constam na lista, remetem a um cardápio de um restaurante cinco estrelas como lagosta fresca, camarões dos mais variados tipos, salmão, bacalhau do Porto e patinha de caranguejo, entre outras. A licitação previa um gasto de mais de R$ 1 milhão.

Os internautas, por sua vez, trocaram o queijo da foto por uma lagosta, lembrando o momento em que o Maranhão e Roseana Sarney viraram memes nacionais em 2014.

Inciando pré-campanha, Roseana sente clima hostil nas redes sociais…

A ex-governadora e pré-candidata, pela quinta vez ao governo do Estado, Roseana Sarney (MDB), sentiu os primeiros sinais do clima nas redes sociais com o lançamento da sua caravana itinerante. Intitulada de “Caravana da Guerreira”, ela pretende percorrer 30 municípios maranhenses a partir do próximo dia 08.

Ao perguntar em sua página oficial no Facebook sobre quais municípios as pessoas gostariam que a caravana passasse, os internautas não pouparam a ex-governadora e deram sugestões bem inusitadas. Algumas respostas foram ríspidas e desagradáveis, até mesmo, desnecessárias.

O grupo Sarney se prepara para tentar voltar ao governo depois do ciclo de mais de 50 anos encerrado pelo governador Flávio Dino (PCdoB) em 2014.

Ao que se vê, pelo clima hostil nas redes sociais ao anunciar a caravana, a tarefa não vai ser das mais fáceis.

Desfile da escola Paraíso do Tuiutí repercute na classe política do Maranhão…

O tema teve grande reação positiva nas redes sociais e também entre a classe política maranhense

Destaque do carnaval do Rio de Janeiro, a Escola de Samba Paraíso do Tuiuti, que desfilou pela primeira vez no carnaval deste ano, gerou várias polêmicas ao apresentar o enredo “Meu Deus! Meu Deus! Está extinta a escravidão?”. A agremiação fez referência à escravidão, desde o surgimento até a neoescravidão de trabalhadores rurais, subemprego e a retirada de direitos trabalhistas, promovida pelo governo Michel Temer, que foi retratado durante o desfile como “Vampiro neoliberalista”.

O tema repercutiu, positivamente, tanto nas redes sociais, quanto entre a classe política. No Maranhão, por exemplo, o governador Flávio Dino (PCdoB), os deputados Weverton Rocha (PDT) e Rubens Júnior (PCdoB), os secretários Francisco Gonçalves (Direitos Humanos), Diego Galdino (Cultura) e o presidente da Agência de Mobilidade, Lawrence Melo, divulgaram, em suas redes sociais, uma foto em que aparecem segurando um cartaz com a frase: “Obrigada Tuiuti (sic) #Fora Temer!”.

Durante a apresentação na Sapucaí, a escola trouxe marionetes fantasiados como “patos da Fiesp”, vestindo camisas amarelas como as da CBF, manipulados (representando os meios de comunicação) e batendo panelas. Em seguida, a ala Guerreiro da CLT representava os trabalhadores tentando se proteger dos ataques à CLT, fantasiados de Carteiras de Trabalho sujas, rasgadas e queimadas. O carro alegórico, que encerrou a passagem da escola, trazia como destaque o “Vampirão”, fazendo uma  referência crítica ao presidente Temer.

Ainda no tom da disputa ideológica-carnavalesca, Flávio Dino alfinetou o prefeito de São Paulo, João Dória, no último domingo (11). Em seu Twitter, o governador do Maranhão escreveu que começou o dia “ouvindo o mestre Zeca Pagodinho,  grande intérprete da alma brasileira, cansada de patos amarelos”.

Na noite anterior, Zeca Pagodinho evitou tirar foto com o prefeito paulistano e o clima foi constrangedor no encontro dos dois no Sambódromo do Anhembi.

Início do Sistema Bilhete Único repercute na Assembleia

Plenário da Assembleia Legislativa

Plenário da Assembleia Legislativa

O deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) registrou, na sessão desta terça-feira (15), os primeiros testes do Sistema Bilhete Único, que já está entrando em vigor na capital maranhense. “Esse sonho de milhares de ludovicenses começa a se materializar depois de ampla recuperação do transporte público que, claro, ainda está muito distante de ser aquilo que nós queremos, de ter a qualidade que nós desejamos, mas que já apresentou uma sensível melhora com a renovação de parte da frota”, comentou.

Segundo Othelino Neto, o fato merece destaque porque se trata de uma grande conquista e de um compromisso de campanha que o prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior, cumpre e que vai ter um impacto, extremamente, relevante na vida da população.  “Dentro dessa estratégia, dessa definição de política pública de melhorar a qualidade do transporte em São Luís, a Prefeitura conseguiu agora, finalmente, iniciar, na prática, a implantação do bilhete único que vai beneficiar, como eu já disse, milhares de ludovicenses”, disse.

Othelino afirmou também, na tribuna, que a Prefeitura de São Luís já está com a autorização da Câmara Municipal e, em breve, vai poder fazer também a licitação do Sistema Público de Transporte, o que, em sua avaliação, vai contribuir, sensivelmente, para a melhoria também do serviço, porque isso vai estabelecer um novo padrão para que as empresas possam sair vencedoras do certame.

“Então é mais um passo que o prefeito de São Luís dá no sentido de melhorar a qualidade de vida  dos ludovicenses. Isso sem contar com as ações de  mobilidade urbana, as várias intervenções que estão acontecendo no trânsito, os diversos projetos de pavimentação nos bairros, que estão sendo possíveis graças ao investimento da Prefeitura”, afirmou.

O deputado ressaltou também, na tribuna, a importante parceria entre a Prefeitura de São Luís e o governo Flávio Dino desde 1º  de janeiro, pois mais de um milhão de habitantes não poderiam continuar abandonadas pelo Estado, como foi até pouco tempo atrás, por conta de querelas políticas. “Então, percebe-se nas ruas, conversando com as pessoas mais  humildes,  um alinhamento administrativo e político entre o prefeito da cidade e o governo”, disse.

Segundo o deputado, neste ambiente de crise, é necessário somar esforços entre a Prefeitura, o governo do Estado e o governo federal, “tendo em vista que vivemos, infelizmente, um momento de dificuldade financeira intensificada por uma grave crise política nacional que espero que termine em breve, porque quem paga, com essa radicalização como está acontecendo hoje, é infelizmente a população, sobretudo as pessoas que mais carecem de políticas públicas no seu dia-a-dia”.

Deputados criticam pedido de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff

Governistas criticaram pedido de impeachment contra Dilma

Governistas criticaram pedido de impeachment contra Dilma

Os deputados Othelino Neto (PCdoB), Zé Inácio (PT) e Fernando Furtado (PCdoB) criticaram, na sessão desta quinta-feira (3), a decisão do presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha, de acolher o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

O primeiro a abordar o assunto, na tribuna, foi o deputado Othelino Neto, que iniciou seu discurso lamentando a decisão do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, por ter autorizado o início do processo de impeachment da presidente da República.

Para o deputado Othelino Neto, a atitude do presidente da Câmara dos Deputados teve o sentido de uma retaliação por ele não ter tido apoio dos deputados do PT na Comissão de Ética da Câmara Federal.

“Tratar a discussão do impeachment de uma Presidenta da República desta forma, que foi eleita pelo povo, como uma mera vingança, como uma troca por não ter feito um acordo político que pudesse salvar o deputado Eduardo Cunha diante das tão graves denúncias que ele responde foi, na realidade, um gesto de irresponsabilidade que apequenou o deputado Eduardo Cunha e que apequena a Câmara dos Deputados que em função de ser por ele representada”, afirmou Othelino Neto.

Mais críticas

Em seu discurso, o deputado Zé Inácio condenou o pedido de impeachment, também fazendo críticas a declarações do presidente da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, que para a imprensa defendeu o afastamento da presidente da República.

“Deixo aqui o meu ato de repúdio e também para mostrar que tem muitos que não se preocupam com o país. Os empresários que hoje defendem o impeachment não estão com um pingo de preocupação com o país”, afirmou Zé Inácio. Ele fez questão de citar a manifestação pública do governador Flávio Dino contra o impeachment.

Ao ocupar a tribuna, o deputado Fernando Furtado também criticou o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff: “É preciso ter responsabilidade. Não podemos neste momento querer tirar a presidente Dilma, criar um golpe em que onde temos experiência do passado, do golpe que foi feito no passado onde o país não teve sossego, não teve paz, não teve crescimento”.

Concurso público para 1.500 vagas de professor no Maranhão repercute na Assembleia

Plenário da Assembleia Legislativa

Plenário da Assembleia Legislativa

O deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) repercutiu, na sessão desta segunda-feira (09), anúncio, feito pelo governador Flávio Dino (PCdoB), para a realização de concurso público que abre 1.500 vagas de cargos de professor do quadro permanente da Secretaria Estadual de Educação. O parlamentar reforçou que as inscrições estarão abertas do dia 14 ao dia 29 de novembro e que o salário inicial daqueles que forem aprovados será de R$ 5 mil.

“Esse fato realmente é muito marcante, importante porque o governador mostra, cumpre mais um de seus compromissos de campanha, que é o de valorizar a educação pública de qualidade. E para que se possa reverter esses anos de abandono é preciso haver mais professores e, principalmente, sendo contratados através da forma mais legítima e democrática, que é o concurso público, dando oportunidade a diversos profissionais que desejam entrar na carreira do magistério”, disse o deputado durante o pronunciamento.

Segundo o parlamentar, o anúncio feito pelo governador chama atenção por outra razão, pois enquanto outros estados estão com dificuldade, inclusive de pagar a folha, o Maranhão realiza um concurso público desta dimensão, mesmo estando também com dificuldades financeiras muito graves. Othelino disse que boa parte delas foram geradas por dívidas deixadas pela gestão anterior que beiram R$ 1 bilhão, agravadas pela crise econômica, pela redução dos repasses constitucionais, marcadamente, do Fundo de Participação do Estado que houve em meses sucessivos.

Othelino frisou que, a partir do combate ao desperdício, ao desvio de recursos públicos e àquilo que era supérfluo na gestão anterior, hoje o governo Flávio Dino conseguiu ainda fazer um ato desta importância, que é realizar um concurso público para contratar 1.500 professores. O deputado disse que o fato chamou atenção do país e, em diversos estados, houve comentários sobre o concurso no Maranhão, desde o jornalista Chico Pinheiro, que comentou em redes sociais, ao senador  do Amapá, Randolfe Alves.

“Enfim, merece o nosso aplauso e que nós todos, independente de simpatia política, de motivação ideológica, concordemos que é um ato marcante para o Maranhão, porque, além de tudo, começa-se a eliminar essas contratações em caráter temporário, que, por anos, e foram regra. Importante ainda para que o professor, que é aprovado em concurso, possa construir uma carreira e se dedicar à formação de bons cidadãos. E, assim, nós vamos vencer e conseguir alavancar uma educação de qualidade no Maranhão”, comentou o deputado.

Reportagem da Record sobre a fome no Maranhão repercute na Assembleia

Para o deputado do PCdoB, o que foi mostrado na reportagem do “Repórter Record” é fruto de anos e de décadas de políticas públicas concentradoras

Para o deputado do PCdoB, o que foi mostrado na reportagem do “Repórter Record” é fruto de anos e de décadas de políticas públicas concentradoras

O deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) repercutiu, na sessão desta terça-feira (24), o drama vivido por famílias de Belágua, Marajá do Sena, Centro do Guilherme e Fernando Falcão, no interior do Maranhão, tema da reportagem “Estrada da Fome”, exibida pela TV Record. Segundo o parlamentar, esse foi um dos legados que ficou para o Estado depois de 50 anos de mando do grupo Sarney. “Aquilo foi o que eles entregaram para o Maranhão. Esse, infelizmente, é o quadro”, comentou.

Othelino disse que, ao mesmo tempo em que a denúncia é forte, é muito ruim ter esse quadro no Maranhão. “Ver aquela senhora magrinha tendo como única e última refeição do dia um suco de buriti, depois ver aquelas crianças naquela situação, realmente, é lamentável”, afirmou.

Para o deputado do PCdoB, o que foi mostrado na reportagem do “Repórter Record” é fruto de anos e décadas de políticas públicas concentradoras, que não visavam promover a melhoria da qualidade de vida das pessoas, e, principalmente, porque muitos recursos que vinham para o Maranhão não chegavam às pessoas. Segundo o parlamentar, esse dinheiro era desviado no meio do caminho e isso promoveu esse estado de pobreza que infelicita a população.

O deputado chamou atenção para um esqueleto de hospital que aparece nas imagens da reportagem da TV Record que, segundo o repórter, desde 2009 estava em construção e ficou parado. Segundo o parlamentar, o quadro é semelhante ao que foi denunciado, na tribuna, sobre Pinheiro e Presidente Sarney. Prédios inacabados que foram inaugurados, sem as mínimas condições, pelo governo Roseana Sarney.

Ações e Programa Mais IDH

“O hospital que está só o esqueleto é claro que não vai atender ninguém porque não tem nem teto. Um outro aparece coberto, mas está faltando umas partes de parede, piso, revestimento, equipamento. Não há profissional, que é o principal, mas está, pelo menos, pronto o prédio. Então, eu queria lamentar, nesta tribuna, que nós tenhamos que passar por isso”, comentou Othelino.

O deputado disse que o novo governo do Maranhão já começou a mudar essa realidade. Ele destacou entre as ações o Programa Mais IDH que tem como foco municípios citados na matéria e que vai ajudar a melhorar, concretamente, a vida das pessoas.

“Não se tem uma vara de condão para resolver, em um curtíssimo espaço de tempo, o problema que foi construído, durante quase 5 décadas, mas é compromisso do governo e o governador Flávio Dino, logo o final da reportagem, já estava nas redes sociais dizendo que não fomos nós que construímos isso, mas agora nós temos a obrigação de resolver”, enfatizou.

Othelino disse ainda que a Assembleia tem sido muito sensível a esse momento e a esse desafio dos maranhenses, aprovando todos os projetos de lei do Executivo com grande impacto social. “Existe uma forte esperança de que conseguiremos reverter esse quadro vergonhoso, porque nós não vamos mais, por muito tempo, continuar sendo a vitrine da pobreza ou permanecer na Estrada da Fome como mostrou a reportagem da TV Record”, ressaltou.

Deputado repercute posição pública de Edivaldo Jr em relação ao governo Roseana

Declaração de Edivaldo Jr,  em relação ao governo Roseana, repercutiu na Assembleia  Legislativa

Declaração de Edivaldo Jr, em relação ao governo Roseana, repercutiu na Assembleia Legislativa

O deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) destacou, nesta segunda-feira (11), entrevista do prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Jr, publicada no último final de semana, no Jornal Pequeno, onde ele fala de avanços na gestão e se posiciona ao dizer que a cidade “tem sido alvo de retaliação do governo do Maranhão”. O parlamentar leu o trecho em que o chefe do Executivo diz que, apesar dos esforços e da iniciativa de buscar estabelecer parcerias, o Município, possivelmente, é o único do Maranhão a não ter convênios celebrados com o Estado.

“Acho inclusive que esta posição pública do prefeito foi importante e destaco um trecho onde ele se refere à relação com o governo do Maranhão. O prefeito Edvaldo Holanda Júnior é conhecido por ser um político comedido, que evita polêmicas, mas, nesse caso, ele foi muito feliz e muito duro na fala”, comentou Othelino Neto na tribuna.

Othelino registrou, em seu discurso, que o prefeito, no dia 21 de maio, pediu uma audiência para a governadora Roseana Sarney, protocolou documento na Casa Civil, e a chefe do Executivo chegou a dizer que iria recebê-lo, mas nunca se prestou a responder o ofício. “A governadora permite que seu governo envie milhões para entidades fantasmas, mas se recusa a ajudar, a cumprir sua obrigação com a cidade de São Luís. Qual a razão? Porque o prefeito da capital é adversário político da governadora e não aceitou ser cooptado como outros fizeram. Essa é a punição”, enfatizou o deputado.

Segundo Othelino, tanto o governo do Estado quanto o Federal têm obrigação para com a cidade São Luís, assim como com os outros municípios do Maranhão.  Para o deputado, a posição da administração Roseana Sarney para com a capital maranhense é como se fosse um castigo pelo fato do prefeito não ter aceitado a cooptação.

“O governo Roseana trata o recurso público como se ele não fosse público, como se fosse privado, como se estivesse tirando da conta pessoal para repassar para alguém. E é por essas práticas, nada republicanas, que este governo está mal avaliado”, disse Othelino Neto.

Perseguição e insensibilidade

Segundo o deputado, a declaração do prefeito de São Luís é muito forte e séria, porque ele denuncia a perseguição, a insensibilidade e o desprezo da governadora para com a cidade. Para o deputado, “quando Roseana Sarney se recusa, sequer, a marcar uma audiência, ela não está sendo mal educada com Edivaldo Holanda Jr, mas comete uma grosseria com a população da capital maranhense, que precisa dos investimentos do governo do Maranhão”.

O deputado disse esperar que, a partir de 2015, o Estado esteja bem melhor para que São Luís seja tratada pelo governo do Maranhão com a atenção que merece, assim como os demais municípios. “Deseja-se uma relação republicana, cada um com o seu lado político, mas respeitando as relações que o governo precisa ter com cada uma das prefeituras e seus respectivos prefeitos”, afirmou.

Othelino disse que não se espanta mais com a insensibilidade da governadora, nem com a falta de transparência. “Isso aí, infelizmente, nós já estamos habituados. O que eu me espanto é com a coragem de nem, sequer, receber o prefeito da capital por pura mesquinharia, insensibilidade, só para mostrar que quem não reza na cartilha da oligarquia merece esse tipo de punição”, finalizou o deputado.