PF investiga ataque a equipe do Ibama em reserva no Maranhão

JN

Fiscais foram cercados na tarde de sexta-feira (16) por um grupo armado dentro da terra indígena Arariboia, no município de Arame

Fiscais foram cercados na tarde de sexta-feira (16) por um grupo armado dentro da terra indígena Arariboia, no município de Arame

A Polícia Federal investiga um ataque a uma equipe do Ibama que combate um incêndio numa reserva indígena no sudoeste do Maranhão.
Os fiscais foram cercados na tarde de sexta-feira (16) por um grupo armado dentro da terra indígena Arariboia, no município de Arame, no Maranhão.

O chefe do setor de fiscalização do Ibama em Brasília, Roberto Cabral, foi atingido por um tiro de espingarda. Ele estava de colete à prova de balas e sofreu ferimentos no braço.

“São criminosos que estão roubando madeira e se dispõem a matar para continuar a atividade ilegal. E o Estado brasileiro não aceitará isso”, afirma Cabral.

Os madeireiros são suspeitos de atear fogo na floresta, em represália ao combate à exploração ilegal. O incêndio começou há 40 dias e já destruiu mais de um terço da reserva onde vivem oito mil índios.

Um dos modos de evitar que as chamas avancem floresta adentro é a abertura de trilhas na mata. Exatamente o que as brigadas estão fazendo agora.

Apesar do esforço de brigadistas e de tropas do Exército, o incêndio forma linhas de fogo com até 40 quilômetros de extensão.