Flávio Dino domina debate da Mirante

O governador Flávio Dino (PCdoB) se sobressaiu em todas as perguntas e mostrou com tranquilidade as obras e ações de seu governo. Foto: TV Mirante

A TV Mirante promoveu, na noite de terça-feira (2), o primeiro debate televisivo das eleições do Maranhão. Estiveram presentes os candidatos Flávio Dino (PCdoB), que dominou o embate com os adversários, Maura Jorge (PSL), Odívio Neto (PSOL), Roberto Rocha (PSDB) e Roseana Sarney (MDB). Apenas Ramon Zapata não participou, pois o PSTU não tem representação na Câmara Federal.

Dividido em quatro blocos, o debate teve tema livre no 1º e 3º bloco, enquanto o 2º e 4º bloco foram com temas determinados, além das considerações finais dos candidatos, no 4º e último bloco.

O governador Flávio Dino (PCdoB) se sobressaiu em todas as perguntas e mostrou com tranquilidade as obras e ações de seu governo. Líder em todas as pesquisas, ele pediu aos espectadores, mais uma oportunidade para continuar com as políticas sociais implantadas por sua gestão. Pelo seu status de governador, Flávio Dino não deixou de receber críticas da maioria dos candidatos.

A candidata Roseana preferiu dirigir suas perguntas na maioria das vezes à ex-prefeita Maura Jorge. Ela teve que responder perguntas polêmicas sobre a Casa de Veraneio, por exemplo. Roberto Rocha se mostrou aparentemente nervoso e exaltado, o candidato citou alguns dos suas propostas como os investimentos na área do meio ambiente. Odívio Neto do PSOL mostrou nervosismo ao gaguejar por diversas vezes e esquecer os temas selecionados das perguntas, mas reforçou que se eleito, investirá na valorização dos servidores públicos.

Maura Jorge por sua vez partiu várias vezes com críticas ácidas ao governador Flávio Dino. A candidata não deixou de exaltar por várias vezes a aliança com o candidato a presidente Jair Bolsonaro (PSL).

Os maranhenses irão às ruas no próximo domingo (7), e escolherão o gestor para os próximos quatro anos.

Crises nas campanhas de Roseana e Roberto Rocha marcam últimos dias da eleição

Com os diversos problemas nas chapas adversárias, o Maranhão caminha para eleger o governador Flávio Dino ainda no primeiro turno

A campanha eleitoral de 2018 chega à reta final e os maranhenses se preparam para escolher o seu representante que irá governar o Estado por mais quatro anos.

Na disputa maranhense, o governador Flávio Dino (PCdoB), pelo trabalho desempenhado nos últimos ano e com a desenvoltura política, é o favorito da disputa. Mas em duas campanhas específicas as coisas não estão indo bem.

No PSDB maranhense, os inúmeros problemas começaram desde a pré-campanha. Na reta final, até mesmo o deputado federal Waldir Maranhão, que andou de mãos dadas com Roberto Rocha para tentar viabilizar sua candidatura ao Senado Federal, parece ter esquecido do candidato ao governo. Waldir nem cita mais Roberto Rocha no seu material de campanha, mostrando que agora é cada um por si.

Na campanha de Roseana Sarney, as dificuldades também foram enormes, sobretudo para aglutinar apoiadores no interior. Na reta final, até mesmo seu ex-genro, o ex-deputado estadual Carlos Filho (PRTB) anunciou sua desistência na disputa por uma das vagas na Assembleia Legislativa, vislumbrando a derrota esmagadora de seu grupo político.

Com os diversos problemas nas chapas adversárias, o Maranhão caminha para eleger o governador Flávio Dino ainda no primeiro turno.

Pesquisa Exata mostra Flávio Dino com 63% dos votos, mais que o dobro de Roseana

A pesquisa foi registrada no TSE sob o número MA-05196/2018, a Exata utilizou 1402 questionários e ouviu a opinião de eleitores de todo o Maranhão entre os dias 25 e 28 de setembro

A nova pesquisa Exata/Jornal Pequeno confirmar a vitória do governador Flávio Dino (PCdoB), na disputa do próximo dia 7 de outubro. Os números mostram que se as eleições fossem hoje, Dino seria reeleito com 63% dos votos válidos, mais que o dobro de votos de Roseana Sarney (PMDB), segunda colocada, com 31%.

Em terceiro lugar aparece Maura Jorge (PSL), com 4%, seguido de Roberto Rocha (PSDB), com 2%. Os candidatos Odívio Neto (PSOL) e Ramon Zapata (PSTU), não pontuaram.

A pesquisa foi registrada no TSE sob o número MA-05196/2018, a Exata utilizou 1402 questionários e ouviu a opinião de eleitores de todo o Maranhão entre os dias 25 e 28 de setembro. A margem de erro da pesquisa é de 3,3 pontos percentuais para mais ou para menos e o intervalo de confiabilidade é de 95%.

Flávio Dino vence no 1º turno, aponta Instituto Data M

A pesquisa ouviu 1500 pessoas e está registrada no TRE com o número MA-07468/2018

A pesquisa Data M divulgada nesta terça-feira (25) pelo Jornal Pequeno confirma a ampla vantagem do governador Flávio Dino na disputa eleitoral. Ele aparece com 59,5% das intenções de votos válidos, o que o levaria à vitória em primeiro turno se a votação fosse hoje. A pesquisa foi encomendada pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado do Maranhão.

De acordo com o levantamento, Roseana Sarney tem 33,8% das intenções de votos válidos, contra 4,1% de Maura Jorge, 1,9% de Roberto Rocha, 0,6% de Ramon Zapata e 0,1% de Odívio Neto.

A pesquisa do instituto Data M, contratada pelo SINDUSCON-MA, foi realizada entre 19 e 21 de setembro, ouvindo 1500 pessoas e está registrada no TRE com o número MA-07468/2018. A margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.

Faltando pouco menos de duas semanas, candidatos do PSDB abandonam candidaturas

O PSDB do Maranhão caminha para sair das eleições de 2018 menor do que entrou

Após o anúncio do surgimento de um novo PSDB, maior e mais forte ainda em abril, muitos candidatos foram para a legenda esperando que o partido iniciasse o trabalho de uma terceira via no Estado.

Com várias promessas e na esperança de iniciarem um trabalho em busca dos votos, candidatos a deputado estadual esperaram até agora o apoio da legenda e do presidente estadual, o senador e candidato ao governo, Roberto Rocha.

Sem apoio financeiro e sem uma estrutura necessária como material gráfico de campanha, vários candidatos já anunciaram suas desistências. Desistiram sem, ao menos, conseguirem colocar suas campanhas nas ruas.

Até mesmo o vereador Estêvão Aragão (PSDB), um dos mais cotados na disputa a deputado estadual, desistiu ao ver que do PSDB maranhense não daria a mínima ajuda possível.

Sem dúvidas, o PSDB do Maranhão vai sair das eleições de 2018 menor do que entrou!

Em duas semanas, maranhenses irão às ruas para escolher seus representantes

Os eventos liderados pelos diversos grupos que disputam as eleição estão aglutinando, cada vez mais, pessoas e começam a dar o tom da campanha eleitoral

A campanha eleitoral de 2018 entra na reta final e, finalmente, promete cair no gosto da população. Os eventos liderados pelos diversos grupos que disputam as eleição estão aglutinando, cada vez mais, pessoas e começam a dar o tom da campanha eleitoral.

No Maranhão, a campanha do governador Flávio Dino (PCdoB) é a que está levando mais pessoas aos eventos. Ele já passou por diversas cidades do interior e tem feito vários eventos na região metropolitana de São Luís, sempre com forte participação popular.

A ex-governadora Roseana Sarney (MDB) ainda tem dificuldades de reunir apoiadores em suas passagens por cidades do interior. Maura Jorge (PSL) e Roberto Rocha (PSDB) intensificaram suas agendas em algumas cidades do interior, mas ambos ainda focam boa parte de seus trabalhos na capital.

Para o Senado Federal, os candidatos Edison Lobão (MDB), Weverton Rocha (PDT), Eliziane Gama (PPS) e Sarney Filho (PV) fazem uma verdadeira batalha pelas duas vagas de senadores. Os candidatos disputam voto a voto e prometem ampliar suas campanhas nesta reta final.

Flávio Dino sobe, chega a 64% e vence no 1º turno, diz nova pesquisa Econométrica

A Econométrica ouviu 1.437 de 48 municípios do Maranhão entre os dias 15 a 19 de setembro de 2018

Nova pesquisa realizada pelo Instituto Econométrica, divulgada neste sábado (22) pela rádio FC FM, confirma que se as eleições fossem hoje o governador Flávio Dino (PCdoB) seria reeleito logo no primeiro turno.

Na comparação com o último levantamento produzido pela Econométrica, Flávio apresenta uma evolução nas intenções de votos válidos, subindo de 60% para 64,4%, mais que o dobro à frente de Roseana Sarney (MDB), que caiu de 32,5% no início de setembro para 29,9%.

Ainda segundo a amostragem, a candidata do PSL, Maura Jorge, aparece com 2,5%, tecnicamente empatada com Roberto Rocha (PSDB), que obteve 2,4% dos votos. Em seguida, aparecem Ramon Zapata (PSTU), com 0,6% e Odívio Neto (PSOL), com 0,2%.

Na votação nominal, quando são considerados os votos brancos, nulos e o número de indecisos, Flávio também lidera, com 58,8%, seguido por Roseana Sarney, com 27,3%; Maura Jorge, com 2,3%; Roberto Rocha, com 2,2%; Ramon Zapata, com 0,6% e Odívio Neto, com 0,1%. Brancos e nulos somaram 4,5%; e 4,2% não responderam ou disseram não saber em quem votar.

Rejeição

No quesito rejeição, Roseana Sarney encabeça a lista e 43,6% dos entrevistados disseram não votar de jeito nenhum na candidata do MDB. Nesse cenário, quem aparece como o segundo mais rejeitado entre os maranhenses é Roberto Rocha, com 18,1%, seguido de Flávio Dino, com 17,8%; Maura Jorge, com 12,9%; Ramon Zapata, com 9,5% e Odívio Neto, com 6,7%. Não sabe ou não opinaram 24,2%.

Registrada no TSE sob o nº MA-04166/2018, a pesquisa Econométrica ouviu 1.437 de 48 municípios do Maranhão entre os dias 15 a 19 de setembro de 2018. O intervalo de confiança é de 95%, e a margem de erro é de 2,6 pontos para mais ou para menos.

Roberto Rocha disputa com candidatos do PSTU e PSOL últimas colocações

Sem criatividade na campanha e com pouca presença na mídia, Roberto Rocha leva o PSDB para ter seu maior fracasso nas campanhas eleitorais no Maranhão

Se o nome do senador Roberto Rocha (PSDB) foi apresentado no intuito de promover o surgimento de uma terceira via nas eleições ao governo do Maranhão deste ano, o resultado não está sendo bem o esperado.

O candidato, presidente do PSDB no Maranhão, está levando o partido a sair menor do que entrou na disputa. A campanha de Roberto Rocha, mostra o momento decadente do PSDB no estado, o que está sendo refletido nas pesquisas.

Roberto Rocha aparece com 1,67% na pesquisa DataIlha; 2% no Ibope e 3% na Exata. Todas em quarto lugar, atrás de Maura Jorge (PSL) e empatado tecnicamente com os candidatos Ramon Zapata (PSTU) e Odívio Neto (PSOL).

Sem apoios no interior e na capital, e com uma campanha fraca e sem vida, Roberto Rocha não consegue subir nas pesquisas.

Mesmo com um tempo considerável, Roberto Rocha não soube usar, até agora, seu horário de propaganda no Rádio e na TV para gerar bons resultados.

Sem criatividade na campanha e com pouca presença na mídia, Roberto Rocha leva o PSDB para ter seu maior fracasso nas campanhas eleitorais no Maranhão.

Ibope confirma vitória de Flávio Dino no primeiro turno; Lobão lidera para o Senado

O Ibope ouviu 1008 eleitores maranhenses, entre os dias 13 e 19 de setembro

A segunda pesquisa Ibope, que mede as intenções de voto dos maranhenses, foi divulgada pela TV Mirante, na noite desta quarta-feira (19).

O governador Flávio Dino (PCdoB) ampliou sua vantagem no primeiro turno e saltou de 43%, na primeira pesquisa, para 49% nesta nova pesquisa.

A ex-governadora Roseana Sarney (MDB) caiu de 34% para 32%. Maura Jorge (PSL) aparece com 5% e Roberto Rocha (PSDB), com 2%. Ramon Zapata (PSTU) e Odívio Neto (PSOL) não pontuaram. Branco e nulo somaram 7%, não sabem ou não responderam 5%.

Lobão lidera na disputa pelo Senado

O Ibope ouviu 1008 eleitores maranhenses, entre os dias 13 e 19 de setembro

Na corrida ao Senado Federal, o senador Edison Lobão (MDB) lidera a pesquisa com 25% dos votos. Em seguida aparece Sarney Filho (PV), com 23%; Eliziane Gama (PPS), com 23%; Weverton Rocha (PDT), com 20%; Zé Reinaldo (PSDB), com 12%; Alexandre Almeida (PSDB), com 4%; Preta Lú (PSTU), com 2%; Saulo Pinto (PSOL), com 2%; Samuel de Itapecuru (PSL), com 2% e Saulo Arcangeli (PSTU), com 1%. Iêgo Bruno (PCB) não pontuou.

O Ibope ouviu 1008 eleitores maranhenses, entre os dias 13 e 19 de setembro. O registro foi feito na Justiça Eleitoral sob o número MA-06667/2018. A margem de erro é de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos, e o intervalo de confiança, de 95%.